Who's amoung us?

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

CURTAS E BOAS

MINEIROS MAIS CIDADÃOS

(Geral - Governo do Estado)


Segundo o jornal O Tempo (25/1), o governo estadual recebeu 3.005 pedidos de informações baseados na Lei de Acesso à Informação (LAI).

Os questionamentos mais comuns foram direcionados para as áreas de controladoria, educação, saúde, planejamento, tendo sobrado ainda para o DER e para as polícias civil, militar. Dos 3005, apenas 17 pedidos foram negados, por serem sigilosos, e nenhum deles resultou em recurso na Comissão Mista de Reavaliação de Informações.


CAMINHO SEM VOLTA

(São Gonçalo do Rio Abaixo)

O grupo de discussões Top São Gonçalo (Facebook) tornou-se a vedete das discussões e proposições de obras e ações contra o governo municipal neste mês. 

No início de 2013, os governistas enfrentaram a pior crise de aprovação já vista na cidade, depois das conturbadas eleições de 2012. Já no final do ano para cá, os ânimos se acalmaram bastante e a população dava todos os sinais de conformismo e aceitação.

Até que, do nada, apareceram cidadãos atuantes e interessados nas boas práticas de gestão pública, quando começaram a perguntar e sugerir uma série de correções. 

E o governo? Continua do mesmo jeito. Não responde nada, não vê, não ouve, não escuta. 


(São Gonçalo do Rio Abaixo)


Moradores da comunidade rural de Bom Sucesso interditaram a MG-129 ontem, em reivindicação pela instalação de redutores de velocidade, após uma série de atropelamentos de cães e de uma senhora idosa no dia 28 passado.


Desta vez, secretários municipais foram até o local e prometeram resolver o problema nos próximos 15 dias. 


(Itabira)

Gol de placa do prefeito Damon de Sena!

Contratar shows de Margareth Menezes ou da banda Araketu, que quase ninguém mais ouvia falar deles, por mais de 200 mil reais, poderia resultar em sérias dores de cabeças e um péssimo exemplo.

A moçada do Facebook desceu a lenha, o prefeito tomou conhecimento e teve a inteligência e a dignidade de mudar tudo. Estão cancelados e novos shows deverão ser contratados.

6 comentários:

  1. O Fernando, pelo que acompanho na mídia (não conheço com maior proximidade, já que não frequento muito a cidade de Itabira), tenho a impressão de que o prefeito Damon Sena, anda patinando (e muito), na administração municipal. Imagino que voce, por de alguma forma participar da administração municipal, tenha um sentimento diverso da situação do governo, mas queria sugerir que implementasse uma enquete, parecida com aquela que fez no facebook para avaliar a administração em São Gonçalo, para sentir o que a população acha, e podermos ter uma base do que de fato o governo representa para a população local. E ai, o que acha dessa idéia? Topa?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já havia pensado nisto, Edgar. Inclusive, comprei uma licença de 2 anos de um aplicativo bem legal.

      Entretanto, temos que estudar melhor as leis, por ser ano eleitoral. Ocorreram modificações significativas e enquetes foram proibidas, mas não estudei ainda sobre a partir de quando e em quais esferas. E tem mais, sabia que nem criticarmos mais os candidatos poderemos na internet ou redes sociais? Complicou bastante e temos que ter total zelo para não descumprirmos com as leis.

      Com relação à aprovação do prefeito itabirano, é fato que caiu. Não tenho nenhuma dúvida, a não ser para quanto.

      Vários foram os fatores que contribuíram para a queda. A mais óbvia de todas é o completo sucateamento com que ele herdou a prefeitura, cujos efeitos deveriam ter sido bem carimbados como de responsabilidade dos antecessores. Para isso, várias ações deveriam ter sido efetivadas, dentre elas:

      > A contratação de auditoria, só iniciada recentemente por falta de proponentes durante as primeiras licitações. Para piorar, os resultados ainda não foram divulgados e quando forem, como já passou mais de 1 ano, ficará difícil para a população acreditar que tais problemas remontam aos mandatos anteriores.

      > Pelo que sei, o governo não conta com um profissional contratado como marqueteiro. Sem um bom profissional, pecam pelas faltas de boas estratégias de comunicação.

      > Sem agência de publicidade: Este é um tópico que merece mais discussões. Infelizmente, grande parte da "imprensa" só gosta de governo que compra seus espaços publicitários. Sem grana para uma boa parte deles, podem até publicar releases, mas quase sempre não aprofundam em defesas e/ou até batem de frente. Bastará fazer um contrato, como antes eram feitos antes na cidade, em torno de 7 milhões, ou como é feito aqui em São Gonçalo, que quase toda imprensa falará bem.

      > Outro fator decisivo é que o grupo derrotado ficou no poder por 12 anos, tendo acumulado muito dinheiro e veículos estratégicos de comunicação, como rádio, mantiveram donos de jornais com cargos em comissão e ainda recebendo anúncios por fora e até pedido de outorga de TV. Enfim, agiram estrategicamente e construíram bons recursos para dispararem fartas rajadas de contra-informação.

      > TV Cultura sem programação local e completamente sucateada, em fase de recuperação, com previsão de retorno ao ar no meio deste ano.

      > Algumas nomeações infelizes de secretários que não atenderam às expectativas (mas isso é comum em todo governo que quer acertar e admite erros).

      Há outros problemas como excesso de demanda de contratações, falta de pessoal qualificado, redução de centenas de cargos comissionados exigidos em Tac do MPE, novas leis restritivas etc.

      Costumo dizer que o menor problema que o Damon teve, até agora, foi um câncer no trato digestivo, que lhe consome algumas horas de quimioterapia. Só para você ter uma ideia do tamanho da "criança".

      Enfim, um emaranhado, mas que começa a contabilizar boas e significativas alterações. O Jornal O Trem do mês passado elencou um monte de soluções bacanas. É o único jornal independente de anúncios na região e o mais sério, porque é o único que consegue viver só com as assinaturas. Vale a pena procurar e ler.

      Abraços.

      Excluir
    2. Acabo de moderar um comentário que gostaria muito de publicá-lo. Que pena.

      Motivo da moderação: o "anônimo" apontou como "falcatrua" a tentativa de contratação de shows, sem ter apresentado quaisquer provas ou pelo menos ter se identificado, ferindo o art. 5 da CF.

      O mais interessante era que o anônimo apostava no sucesso da administração de São Gonçalo em detrimento da itabirana, deixando ainda mais clara a estranha aproximação entre os grupos do Ronaldo/João com o grupo Nozinho/Antônio Carlos.

      Como são-gonçalense de coração, torço de verdade para o sucesso da administração local, pelo simples fato deste "sucesso" poder atingir positivamente toda população. Que assim seja. Já como itabirano de nascimento, gostei do desafio e sou capaz de apostar que teremos uma das melhores administrações já vistas.

      Entretanto, temos que ser responsáveis em analisar mais friamente os cenários. Tanto nas gestões de Ronaldo, João e dos governos recentes de São Gonçalo, foram visíveis os enriquecimentos de alguns protegidos políticos que podem ter origem lícita ou não. Pelo que se tem notícia e pode ser muito cedo para atestar, tal constatação ainda não é presente no cotidiano ou no seio do novo grupo itabirano. E, é claro, o sucesso de ambos está diretamente vinculado às corretas aplicações dos recursos públicos a favor de todos e, não, de uma meia dúzia.

      Excluir
  2. Fernando, não é necessário dizer que louvo o trabalho que você desenvolve (através desse blog e ainda de outros canais), de cunho investigativo e analítico o que denota paixão, comprometimento e acima de tudo entrega. Eu por outro lado, ando muito absorto em diversos projetos pessoais, o que me impede de acompanhar com mais afinco alguns eventos do cotidiano, e por isso, fico feliz em poder vir aqui no "Filhos das Minas", e ver detalhados alguns fatos relevantes noticiados pela mídia local (notadamente os sites noticiosos), que muitas vezes pecam por falta ou excesso, mas que aqui são sempre destrinchados e até certo ponto, com menor intervenção interpretativa.
    Sobre os absurdos cometidos diariamente pelos legisladores nacionais, o sentimento é de revolta, impotência, incredulidade, frustração e escândalo (tudo misturado em uma indigesta receita, onde não é possível aferir, qual é o mais amargo). Espero realmente, que um dia possamos de fato ter orgulho de ser brasileiros, sem falso nacionalismo e verdadeiramente conscientes de nosso papel social e da importância disso, para a construção dessa nação que almejamos mas que jamais existiu além do "era uma vez...".
    Parabéns pelo trabalho sério e responsável, fico por aqui, aguardando e acompanhando ansioso pelos próximos desdobramentos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estamos à disposição. Atados com a novas alterações da lei eleitoral, mas estamos aí. Some não.

      Excluir
  3. Fernando, só a título de curiosidade, tosaram um tal de Novojornal que batia de frente com o grupo que está no poder do governo mineiro. Não sei até que ponto o que era dito pelo tal Novojornal tem cunho de veracidade, mas que estamos retroagindo à época da ditadura, ah, isso estamos, só que em tempos de democracia... Que treva!!! Tenho em mente que se o tal Novojornal estivesse realmente publicando fatos caluniosos, difamadores ou injuriosos contra esse ou aquele político, bastaria buscar guarida na justiça, como todo bom cidadão deve fazer, ou estou errado? Claro que é muito mais fácil calar pela força que pelo diálogo ou aplicação da lei.
    Repito, não sei até que ponto tais informações do tal Novojornal eram verídicas ou não, mas que para que tenha sido tosado vorazmente, tudo deixa a crer que o dito por aquele órgão de imprensa tenha algum fundo de verdade.
    Dr. Jerônimo Ribeiro Júnior
    Advogado e Educador

    ResponderExcluir

São aceitos comentários com autoria não identificada (anônimos), desde que não exponham ou citem nomes de pessoas ou instituições de formas pejorativa, caluniosa, injuriosa ou difamatória e mesmo que sejam expostos de forma subliminar ou velada.

Durante o período eleitoral, não serão publicados comentários que citem nomes de candidatos, nem de forma elogiosa, nem crítica.

Caso queira postar uma denúncia, é necessária a identificação do autor (nome completo e e-mail para contato), para que o comentário seja validado. Caso não possa se expor, envie um e-mail para a editoria (contatoitafq@yahoo.com.br), para que a denúncia seja apurada e certificarmos que há condições legais e justas para pautarmos uma postagem.

EM FASE EXPERIMENTAL: Os interessados que tiverem conta no Facebook e que não queiram seus comentários submetidos à moderação podem solicitar as suas inclusões no grupo de discussões "Filhos das Minas", ou, caso já seja participante dele, basta postar seu comentário diretamente no Facebook.