Who's amoung us?

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

E MAIS UMA NO VAGÃO D'O TREM

(Itabira)

"Pedidos ao prefeito Damon... ...Cumprir a promessa de campanha, fresquinha na cabeça da população, de promover uma auditoria nas contas do prefeito anterior, João Izael. O atual prefeito já concluiu o primeiro dos oito semestres de mandato, mas até agora nada de iniciar a devassa..." - Editorial do Jornal O Trem - agosto/2013.

Parece que agora sai, Caldeira.
Recebi a informação, ainda extra-oficial, que a prefeitura conseguiu, finalmente, fechar o processo licitatório para contratação de auditoria nesta semana. Até então, eles abriam as licitações e aparecia só um proponente.

Do pouco que vi em alguns setores que tive acesso, imagino só quantos desmandos e privilégios escusos irão encontrar... Os pagamentos em aberto dos contratos de co-produção da TV, os pagamentos de obras não realizadas, a "visita" da PF para apurar desvio de verba do Pac na campanha de 2008, as contratações de publicidade, compras e tantos outros que nos digam.

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

SOU OBRIGADA A DISCORDAR

(São Gonçalo)

Bem que o possível fake, Lucas Ribeiro, tem razão quando defendeu a imprensa e criticou meu marido ao dizer que é muito bom abrirmos um jornal ao tomar o café da manhã e lermos boas notícias!!!

Agora a pouco recebemos o Jornal Na Boca do Povo, daqui de São Gonçalo, com uma bronca bem legal e super, hiper, mega justa:

-Cadê o Concurso Público da Câmara, presidenta Luciana Bicalho?!?!


Bom dia para todos!

NESTE TREM, NÃO!

(Geral)

No editorial do Jornal O Trem deste mês, Marcos Caldeira bateu na veia com alguns pedidos para o prefeito Damon, que servem muito bem para os demais prefeitos da região, que adoram e insistem em bancar (com polpudos recursos públicos) trenzinhos da alegria para a Europa afora.

Custear delegações com desportistas, artistas, técnicos, consultores e reais representantes para uma pauta de discussão específica, tais como apresentações de projetos de parcerias e de forma muito direta e sem abusos, tudo bem. 

Mas o que temos visto, em geral, é uma série de secretários sem funções específicas nas viagens, puxas-sacos, parentes de curadores e turistas se aproveitarem dessas boquinhas.

Vejam só o que defendeu ele:

"...Jamais permitir que se faça turismo com dinheiro público. Haja tentação: Paris, Foz do Iguaçu, Barcelona, Viena e Roma com hotel, alimentação e avião custeados pelo povo.
Não, não e não. Toda viagem paga com dinheiro do contribuinte deve ter como resultado imediato benefícios para a população..."





NESTE TREM, SIM!

Ainda na mesma edição d'O Trem, Caldeira mandou o seguinte recado, cuja responsabilidade solidária passou a ser minha a partir de 26 de julho, quando fui contratado como consultor: 

"Cadê a TV, prefeito Damon? Há seis meses fora do ar, para uma reestruturação que nunca acaba, a TV Cultura itabirana fez falta na cobertura do 39° Festival de Inverno. Depois de três furos em datas anunciadas para voltar a funcionar, na prefeitura nem se fala mais em prazo. Já deu tempo para solucionar os entraves. Essa demora está ficando muito mal para o governo."

Pois então, concordo com quase tudo que expôs. Só umas pequenas correções: a TV cobriu, sim, o Festival de Inverno deste ano e estava editando um vídeo para compor a videoteca e o histórico da Fundação, mas, por estar fora do ar, obviamente não veiculou. É uma pena. E outra correção é que havia pendências, como da outorga junto ao Minicom, que demanda bem mais tempo para adequar.

A TV, como todos sabem, foi entregue em completo estado de sucateamento, com licenças vencidas, sem organograma funcional mínimo para mantê-la em funcionamento etc. O que demorou mais, Marcos, foi a definição de como contratar a consultoria, tendo só conseguido uma solução viável e segura (juridicamente falando) no mês passado, depois de uma série de documentos fornecidos para atestar capacidade técnica.

Partindo para os finalmentes, como diria o prefeito Odorico Paraguaçu da bucólica e imaginária Sucupira, no dia 23 passado, entreguei o projeto geral para gestão dela, para todo o mandato, que foi dividido em 3 etapas executivas. 

A primeira, chamada de Básica Emergencial, para reestruturar a TV e colocá-la de volta ao ar, com previsão de término em dezembro deste ano. É a mais desafiadora e de altíssimo risco de furar no prazo, porque demanda uma série de ações que fogem aos alcances nossos, tais como: compra de equipamentos novos importados (que corre risco de demora para liberação alfandegária), recuperação dos cargos extintos (dependerá de aprovação da Câmara), contratar e executar projeto de reforma da sede (tomara que a empreiteira vencedora se comprometa com a causa!), recrutar e capacitar elenco técnico (os salários da área de comunicação são relativamente baixos e podem ser pouco atraentes para vinda de profissionais tarimbados de TV) etc. 

As boas novas que posso adiantar é que a TV irá ganhar uma sede definitiva, moderna e melhor alojada para transmissões ao vivo (previsto para 2015); irá abrir o editorial reforçando-o para o fomento da cultura; irá abrir a grade para produções independentes (a serem escolhidos por editais); iniciará as transmissões em HDTV com portabilidade para smartphones e tablets (mais adiante) e outras bem legais, que deixarei para o Marconi apresentar, assim que algumas definições estiverem mais maduras.

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

ESTRATAGEMA

(Geral, Itabira e São Gonçalo do Rio Abaixo)


ESTRATAGEMA = FORMA ARDILOSA PARA ENGANAR O POVO

Pouco tempo depois de lançarmos este blogue, na ocasião restrito à Itabira, publicamos a arte acima para revelar como a assessoria de comunicação da Prefeitura, na época capitaneada pelo Fernando Silva, reagia e se orientava.

Para quem não sabe, funcionava mais ou menos assim... Eles contratavam uma agência de publicidade por milhões de reais. Daí, distribuíam a dinheirama em duas frentes:

Conforme especulações da época e sem que ninguém contestasse, aos órgãos de mídia “bonzinhos”, eles pagaram umas páginas de propaganda, desde que se afinasse com eles, bajulasse, não denunciassem nada ou pisassem na bola. Aos órgãos sacanas, que aceitassem promover execrações morais contra quem cruzava o caminho ou batia neles, abriam mais os cofres e as regalias, que era o caso de “jornais” e programas de rádios à la Ratinho. Alguns destes “jornalistas” eram completos analfabetos funcionais, cujas autorias dos textos publicados, bem mais complexos do que as capacidades intelectuais deles, eram atribuídas ao assessor da época.

Para melhor comprovarmos estas hipóteses, soube ontem que o governo atual (Damon de Sena-PV) está prestes a assinar contrato com a empresa de auditoria. Dentro de uns meses, confirmaremos.


O QUE QUER DIZER A ARTE ACIMA?

Diante da “estratégia” da comunicação vista em Itabira até o ano passado, fiz a arte acima para ilustrar.

Vejam que colocamos um aerosol purificador de ar, que associamos aos papéis da agência de publicidade e aos órgãos de mídia contratados para falar bem, ou trazer bons ares, na metáfora proposta.

Já a caixinha de fósforos, muito oportunamente, representava a turma da queimação alheia. Deles, podia-se esperar de tudo. Até denunciarem levianamente o Padre Márcio por pedofilia, essa turma foi capaz, depois que o Padre Márcio não deu destaque à "santidade" do prefeito nos eventos religiosos. E é claro que eu e tantos outros críticos e defensores de uma cidade melhor fomos alvos, mas cá estamos, são e salvos. Já eles...

Então, de volta à metáfora da arte, a cada “obra” da prefeitura que fedesse, ali estavam os recursos de comunicação de prontidão. E como fediam naqueles tempos!


E HOJE?

No caso de Itabira, até o momento, a prefeitura encontra-se sem agência de publicidade. Mas já deu sinais, no contrato emergencial para combate à dengue, que não rolará mais o ultrapassado estratagema. Os órgãos que insistirem em chantagear, de vender anúncios para não denunciarem coisas erradas, parece que estarão fora.

Já em São Gonçalo, cuja comunicação tinha uma postura respeitosa e séria, de um ano para cá, deu umas deslizadas, quando começou a usar palavreado e posturas nada adequados contra quem questionava os feitos públicos nas redes sociais, além de optar por não responder aos questionamentos e omitir informações em algumas ocasiões, por mais simples que fossem. 


E ESSE AQUI!?

Dias atrás, descobrimos um site novo da cidade, o Sãogoncalo MG, que é praticamente desconhecido da população, é patrocinado pela prefeitura e com nome e conteúdo quase idênticos ao do portal oficial. Pelo que observamos, opera na base do control-C e control-V. Parece inofensivo, por ter linha análoga da turma do "Bom Ar", e atua quase que transparente, não fosse eu ter descoberto que copiou fotos de terceiros, inclusive minhas, sem ter colocado os créditos de direitos autorais. Até nisso, igualzinho à prefeitura.

Entretanto, nossa cisma surgiu depois que fizemos quatro contatos com eles, para certificarmos sobre quem são os donos, só para pedirmos que constassem os créditos das fotos de nossa autoria. Num dos contatos telefônicos, um rapaz que alegou que era da cidade, mas estudava em BH, se comprometeu a corrigir e justificou que eles só copiavam tudo do site da prefeitura. Postura esta típica de laranjas, mas podem ser rapazes que só criaram um site para ter uma renda extra, sabe-se lá. Ao perguntar se os leitores do grupo Top São Gonçalo conheciam o site ou os donos dele, ninguém soube responder. Até que se identifiquem, permanecerá a cisma.

Já na semana passada, acabamos deparando com outro fórum, o Mina Brucutu, que é mantido de forma apócrifa, que dizer, sem autoria conhecida, mas com fins, até o momento, de denegrir imagens de adversários e críticos do governo. A iniciativa muito se assemelhou à estratégia do palito de fósforo, do tipo: se a borrada for grande demais e o bom ar não resolver, senta fogo nos críticos para desviar os focos. 

Pode ser que não tenha nada a ver com o governo, mas se a história se repetir em São Gonçalo, como ocorreu em Itabira, com pesar assistiremos pessoas bacanas, com boa capacitação profissional, saírem completamente torradas, à reboque de quem os delegava para fazer o mal feito. Pressinto, portanto, o mesmo destino que culminou com a derrota massacrada da turma do Ronaldo/João, quando Damon (opositor) se elegeu com mais de 70% dos votos. 

Não teço aqui qualquer comparação entre Ricardo Guerra (assessor de São Gonçalo) e o Fernando Silva (ex-assessor de Itabira). De olhos fechados, como assessor e pessoa (que, sinceramente, admiro), escolho o Ricardo. Como cronista, o Xará, que tem redigido estórias engraçadas, mas repudio frontalmente sua postura ética. De fora a comparação, tomara que minhas cismas estejam erradas com relação ao Ricardo e que não me decepcione mais uma vez.


EM TEMPO: Havia esquecido de dizer que a foto original acima foi registrada por mim, em 29/6/2010, no banheiro masculino da recepção do gabinete do prefeito de São Gonçalo. O Bom Ar e a caixa de fósforos estavam lá, colocadas por um servidor e não foram montadas sobre a foto.

terça-feira, 27 de agosto de 2013

LUSTRO DO FILHOS DAS MINAS

(Geral)

Lustro, para quem não sacou, representa um espaço de tempo de 5 anos ou o mesmo que quinquênio.

Daí, diante da "responsa" de ostentar aqui um elenco bacana, com os personagens mais cabeças da região e que foram responsáveis pela publicação de mais de 1630 artigos com incisivas opiniões, com mais de 357.000 pageviews, reverberadas nos 3260 comentários dos nossos leitores, muito temos que agradecer pela confiança e prestígio de tê-los aqui.

Neste espaço de tempo, já fizemos história ao apoiarmos um movimento de limpeza, ao colocamos para fora o pior grupo político que dominou a cidade de Itabira. Claro que a luta não acabou e nem acabará, porque tudo na vida é dinâmico, inclusive a política, meus caros! Tanto é que, mesmo tendo colhido os primeiros frutos, aqui permanecemos.

Um forte abraço para todos e que novas conquistas cheguem em breve, a favor do desenvolvimento sustentável desta riquíssima região, mas que ainda muito tem a distribuir igualitariamente o que é de todos. É isso aí.

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

O QUE ESPERAR DA JUSTIÇA?

(Geral)


Depende. Parece que cada caso é um caso. Para melhor analisarmos, vamos estratificar este universo tão amplo, com base das minhas lembranças, cuja memória pode falhar, sem contar que não exponho aqui fatos com precisão científica. Analisem, pois, como um sentimento de mais um frustrado brasileiro, que compõe uma massa sem fim de descrentes cidadãos com a política e com a justiça social. Ok?

FECHANDO O FOCO
Feitas as ressalvas, primeiro vamos separar entre Brasil e os demais, que fogem ao meu conhecimento e nem me interesso. Foco no Brasil, portanto. Segundo, entre ladrões de galinha, reles réus e cidadãos comuns de um lado e celebridades, ricos e políticos de outro. Para estes primeiros pobres coitados citados, a mão de ferro da Justiça tem se mostrado eficaz, embora ainda bem lenta. Foco neste segundo grupo de “poderosos” agora. Para os ricos, autoridades e celebridades, depende também. Se as atrocidades deles renderem mídia negativa pelo menos na imprensa estadual, ferro neles. Há vários exemplos, como o goleiro Bruno, o Juiz “Lalau”, políticos denunciados em esquemões etc.
Já se as demandas cercam um político contra a parede, temos que analisar com mais critérios. Vejam bem... vocês sabem me dizer de quais cidades mineiras, que a corte eleitoral (TRE-MG) manteve as cassações dos prefeitos neste ano por crimes eleitorais? Vou ajudar. Neste ano, foram os de Água Boa, Cachoeira Dourada, Córrego Fundo, Pedrinópolis, Ouro Fino, Senhora do Porto etc. Já o de Viçosa, que tem uma das maiores faculdades federais do país, foi absolvido. Posso estar errado, mas não é estranho porque a maioria dos cassados é de cidades pequenas e pobres? Seria alguma coincidência do tipo: é político do “Sus” e errou? Morte para eles. Se for do “Unimed” ou particular, enrola, enrola, demora mais um pouco, até que os ânimos se acalmem e deixa pra lá... 

Será pessimismo meu ou excesso de descrença no sistema?

O QUE DIZ A LEI?
Vejam o que diz a Lei Complementar 135:
Art. 26-B. O Ministério Público e a Justiça Eleitoral darão prioridade, sobre quaisquer outros, aos processos de desvio ou abuso do poder econômico ou do poder de autoridade até que sejam julgados, ressalvados os de habeas corpus e mandado de segurança.
§ 1o É defeso (leia-se proibido) às autoridades mencionadas neste artigo deixar de cumprir qualquer prazo previsto nesta Lei Complementar sob alegação de acúmulo de serviço no exercício das funções regulares.
§ 2o Além das polícias judiciárias, os órgãos da receita federal, estadual e municipal, os tribunais e órgãos de contas, o Banco Central do Brasil e o Conselho de Controle de Atividade Financeira auxiliarão a Justiça Eleitoral e o Ministério Público Eleitoral na apuração dos delitos eleitorais, com prioridade sobre as suas atribuições regulares.
§ 3o O Conselho Nacional de Justiça, o Conselho Nacional do Ministério Público e as Corregedorias Eleitorais manterão acompanhamento dos relatórios mensais de atividades fornecidos pelas unidades da Justiça Eleitoral a fim de verificar eventuais descumprimentos injustificados de prazos, promovendo, quando for o caso, a devida responsabilização.”
E aí? Será que eu estou errado ao não confiar no sistema, diante da estranha lentidão que se arrasta desde novembro do ano passado, no caso de São Gonçalo do Rio Abaixo?

COMO A JUSTIÇA ATUOU EM DUAS DAS MAIS RICAS CIDADES DO ESTADO?
Vejam estes outros casos que me recordo agora. Em Itabira, nas eleições de 2008, não faltaram denúncias e suspeitas de extorsões relativas à compra de votos. Damon pediu justiça e não deu em nada.
Em São Gonçalo do Rio Abaixo, que é uma cidade muito rica, até o momento, os quatro processos se arrastam entre primeira e segunda instâncias. As fartas provas apresentadas, com gravações em vídeo, comprovantes, fotos, publicações no Diário Oficial do Estado, depoimentos e outras provas, a meu ver cabais, não despertaram ou convenceram suficientemente os homens da Lei. Nem diligências ou perícias pediram para confirmar, com exceção do Ministério Público que, em todas oportunidades, não titubeou e se manteve firme na conduta de imputar as responsabilidades que seriam devidas, a meu juízo, é claro.

E TOME MAIS INDÍCIOS...
Somados a estes itens elencados, vêm as ameaças que conseguem comprar o Juiz e as especulações endossadas por militantes do governo nas redes sociais, que não se cansam de se gabar que nada acontecerá, reforçadas com gargalhadas debochadas e aumentando o sentimento de impunidade na região. A quem duvidar, basta pedir as cópias das telas, que vários cidadãos têm tomado o cuidado de salvar.
Como se a desgraça fosse pouca, já ouvimos até apelos dos promotores da comarca de Santa Bárbara, para que as pessoas não denunciem mais desmandos, por causa do excesso de processos e falta de pessoal para acionar.

E AÍ, O QUE FAZERMOS?
Então, meus caros, na boa, pouco ou nada se pode esperar da Justiça. Tomara que tudo que eu escrevi aqui não tenha nada a ver e que me tapem a boca o senhor Juiz e os Desembargadores. Oxalá e que a população tenha sabedoria na próxima eleição extemporânea!
Agora, tem uma reação que a população, se for esperta, pode fazer, independente de serem cassados agora ou não. O saudoso bispo Dom Mário Teixeira Gurgel, com muita lucidez numa ocasião eleitoral delicada de Itabira, pediu que as pessoas fingissem que apoiavam os candidatos corruptos, pegasse tudo que eles “dessem” e votassem naquele que era melhor. Dom Mário alegava, com muita racionalidade, que o que eles ofereciam era do povo mesmo e que era melhor que fosse distribuído entre os que precisavam, do que permanecer nas mãos sujas de uns poucos.
E assim ocorreu a eleição na época, repetida no ano passado, com a eleição do médico Damon de Sena, totalizando mais de 70% dos votos, numa monstruosa lavada.
Olhem ai, ao seu redor e observem se não é uma meia dúzia apenas que lavou a égua de verdade, que bamburrou, enquanto a maioria conseguiu apenas defender umas cestas básicas, um materialzinho de construção ou um cargo suado qualquer. Que tal seguirem a sugestão de Dom Mário e resgatarmos os bons tempos de crescimento e justiça social?

E nem precisam ter remorso, porque a maioria dos políticos promete tudo e quase nunca cumpre. Da parte que cabe a este blogue, como já expusemos aqui antes, indiferente do resultado das sentenças, continuaremos firmes na conduta de cobrar que cumpram as Leis e respeitem mais as pessoas, principalmente as mais humildes. Afinal, este blogue completa amanhã 5 anos e esta é a maior prova que somos craques em sobrevivência! Uau! Então, não abaixemos as cabeças e sigamos na luta. É isso aí.  

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

PARA UM MOMENTO DE LEVEZA

(Geral)

Tempos tensos na região, com processos de cassação em Barão e São Gonçalo; excesso de demandas herdadas pelo completo sucateamento em Itabira; problemas econômicos em Monlevade e no país, com dólar disparado (sem sinais de retrocesso) e por aí vai.

A boa pedida é dar um pulo em Itabira com os filhos e/ou netos, ou mesmo criar um evento desse na sua cidade para soltar pipas, contemplar o céu e respirar um ar mais puro para relaxar, até que melhores ventos nos acolham. 

E não venham inventar os manjados esquemões de mega-estruturas para faturar, com sonorizações absurdamente exageradas, palcos suntuosos etc. Falo de apenas tirar as crianças das telas dos computadores, games, tablets etc., com um carretel de linha (SEM CEROL!), uma pipa criativa e deixar-se levar pelos ventos de agosto. Aliás, alguém ainda se lembra disso!?

Então, aí está um primeiro convite legal.


quinta-feira, 22 de agosto de 2013

CAUSAS DA IMPUNIDADE

(Geral)


quarta-feira, 21 de agosto de 2013

PSEUDOJORNALISTAS

(Geral)

Mesmo depois de todas as revoluções ocorridas a partir das redes sociais e blogues, como as recentes manifestações ocorridas no Brasil afora, ainda há assessores de comunicação e fracos jornalistas (refiro aos que se gabam dos diplomas e não os honram), que insistem em nos qualificar de pseudojornalistas, ou em ignorar o poder de comunicação do novos canais midiáticos.

Na defensiva da má fé, com o torpe intuito de esconder os rabos dos patrões, estufam os franzinos peitos, empinam os narizinhos e escondem as mãos em figas com a seguinte sentença: -"blogues e grupos do Facebook não são imprensa"! Daí, não respondem aos questionamentos, não convidam para encontros, coletivas etc.

O mais irônico é que estes tipos de "profissionais" das assessorias, normalmente, se vendem tão barato, que quase todos os protegidos deles se dão super bem. Falo de secretários, lobistas, assessores e políticos que enriquecem espantosamente, enquanto estes míseros puxa-sacos se satisfazem com os pífios salários e uns poucos afagos.  Como resultado, jornalismo tornou-se uma das piores profissões para se graduar. Foda, né!?

Para piorar e como numa bola de neve, o problema é que, praticamente, toda imprensa depende dos anúncios que estes assessores oferecem para sobreviver, porque quase sempre os leitores não pagam o suficiente para bancar o órgão de imprensa. Daí, a necessidade deles de se renderem aos anunciantes, que tornam-se imperativos patrões. São raríssimas as exceções e coloquem as mãos para os céus os que não caíram nas tentações da sobrevivência. Isto mesmo! Você já viu algum dono de mídia rico de verdade? Eu não. 

E então, essa dependência econômica torna-se ótima para as instituições perversas, que plantam o cerceamento econômico. Não entendeu!? Simples: -"se bater na gente, cortamos os anúncios"-, impõem estes tipos de "clientes". 

Já nos campos dos domínios das discussões livres e abertas, disparadas em rajadas nos fóruns e nos grupos das redes sociais, por centenas ou milhares de cidadãos, os donos das bocas perdem este poder por não conseguir comprar todos eles e, por consequência, perdem os controles dos poderes. Compreendeu agora, porque os libertos blogues e canais de discussões incomodam tanto?

Sem falar que é doído assistirmos cenas em que os "patrões" se renderam às chantagens da "imprensa marrom", que é aquela encabeçada por radialistas sacanas ou donos de tabloides sensacionalistas, que faturaram sacos de dinheiro "pra não abrir a boca" e, de quebra, para fazer o jogo sujo que o "patrão" mandou. Enquanto você, meu caro, que "ralou a bunda na faculdade" ou ainda lhe resta um pouco do nome a defender, terá ainda que escrever para ele. Afinal, estes chantagistas quase sempre são analfabetos funcionais e quase nunca sabem como fazer. Assim sendo, sobra para você mais este servicinho extra, para que o filho-de-uma-boa-senhora ganhe, no tapa, o montante que você levaria uns 6 meses ou mais para receber. Descobriu agora onde vocês erraram!? Pelo amor de Deus! Ajudem aí!

Salvem-se os que confiarem nas suas capacidades! Mas se você próprios não fizerem suas partes e não se derem os devidos valores, vão continuar nestes oceanos revoltos. Podem ter certeza disso.

Agora, se querem saber qual é a fórmula mágica da salvação, que tal começar em adotar como mandamento máximo daquela matéria, que muitos graduandos não deram a devida importância? ... Aquela tal da ética! Lembram-se? Se vocês, assessores e jornalistas, recusarem propostas de releases e campanhas de obras ou ações fantasiosas, sem embasamento, superfaturadas ou mesmo aquelas para encobrir as sacanagens, ganharão mais respeito e tornar-se-ão bem mais valorizados. Aí, basta inverter a estória. Se forem perseguidos por recusarem os jogos sujos, ponham as bocas nos trombones, para colocar todos os corruptos na cadeia. Sacaram? 

Viva a democracia e que melhores tempos venham para os reais jornalistas! Porque, nós, pseudojornalistas, blogueiros e ativistas das redes sociais, já conquistamos nossos espaços.
Boa sorte e boa luta!


terça-feira, 20 de agosto de 2013

DENÚNCIA

(São Gonçalo do Rio Abaixo)

SUSPEITA DE IMPROBIDADE POR AUTOPROMOÇÃO


Recebemos uma denúncia que a Prefeitura de São Gonçalo do Rio Abaixo havia publicado no Diário da Imprensa Oficial do Estado de Minas Gerais, no dia 15 de junho passado, um contrato para “show pirotécnico”, que deveria ocorrer entre os dias 20 e 31 de maio deste ano (vide cópia de tela abaixo).

Por estranharmos o alto valor do contrato, orçado em quase 40 mil reais, para tão curto período, recorremos ao portal oficial do município, para conferir se aconteceu alguma festa ou evento marcante nestes dias e não encontramos nenhum que justificasse. 
O mais próximo evento oficial que gozaria da devida legalidade, mas posterior ao período contratado, foi a cavalgada de São José, que, se recebesse tantos rojões, teria incendiado toda região, por estarmos em pleno período de seca e pela desproporcionalidade. 

Cópia de tela do portal oficial. Clique na imagem para ampliar.
Só para terem uma ideia, uma caixa com 6 foguetes de 12 tiros, no atacado, custa em torno dos 15 reais. Com os 39 mil e tantos reais, dariam para comprar 2.660 caixas, que resultariam em quase 16.000 foguetes, ou ainda mais de 190.000 tiros!
Daí, por ter ocorrido fora do prazo contratual, descartamos a cavalgada de São José, restando, entretanto, um único evento que aconteceu durante este prazo contratual, precisamente no dia 27 de maio, que foram as absolvições do prefeito, vice e ex-prefeito das primeiras sentenças de cassação, quando a cidade se cobriu de pólvora de fogos e bombas de artifício, por vários dias seguidos, muitas das vezes disparados contra residências de desafetos e opositores. Pode até ser mais uma "coincidência", mas sem os devidos esclarecimentos, nos resta especular.
Outro fortíssimo indício, paralelo ao foguetório nestes dias,  é que registramos vários simpatizantes do governo, alguns deles servidores com cargos de confiança, parentes de políticos e contratados, que se gabaram da farra pirotécnica nas redes sociais, que tomamos o cuidado de copiar as telas do Facebook na ocasião e podemos publicar aqui ou entregar para as autoridades, caso nos seja solicitado.
Diante da dúvida remanescente, na manhã de sexta-feira passada, pedimos os devidos esclarecimentos para que o ao assessor de comunicação, Ricardo Guerra, nos dissesse onde e quando foram estourados tantos foguetes e o porquê não foi publicada a quitação total do contrato no Portal da Transparência. Mais uma vez, dois dias úteis correram sem qualquer resposta oficial, lamentavelmente.
Caso o contrato tenha sido efetivado na íntegra, no prazo legal e o portal não registrou o pagamento total até o momento (quase 3 meses após), pode ficar confirmada uma grave inconsistência no Portal da Transparência, que figuraria em prestação de informações falsas ou omitidas. 
E o pior, caso se confirme que a execução do serviço foi em comemoração da absolvição, o atual prefeito, Antônio Carlos Noronha Bicalho (PDT), pode responder por mais um processo por improbidade administrativa, se configurada e qualificada a autopromoção. Já se o Portal da Transparência não estiver publicando as devidas informações fidedignas, eles responderão por prestar informações falsas ou errôneas. Processos estes que qualquer cidadão que se sentir indignado ou lesado, pode pedir ao Ministério Público para acionar, sem qualquer custo.
Se condenado, o atual prefeito pode tornar-se inelegível no futuro, pela Lei da Ficha Limpa, e ainda ter que ressarcir os cofres públicos com o gasto abusivo.
Com as palavras e devidas defesas, os envolvidos.

EM TEMPO: Como estão previstas novas sentenças dos processos de cassação para os próximos dias, recomendamos que a população fique atenta e grave com seu celular todas as movimentações dos simpatizantes do governo local. Fazer uso de dinheiro público para elevar ou recuperar as imagens dos políticos é crime e eles podem responder por improbidade administrativa, por causa da autopromoção.

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

RAPIDINHAS

(São Gonçalo do Rio Abaixo)


UFOP EM SÃO GONÇALO
Sem dúvida, uma boa notícia para a cidade! 
O prefeito de São Gonçalo do Rio Abaixo, Antônio Carlos Noronha Bicalho (PDT), e o reitor da Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop), Marcone Jamilson Freitas Souza, deram o pontapé inicial que pode culminar com a implantação da futura unidade da escola na cidade. 
No dia 15 passado, eles assinaram um convênio, no qual a prefeitura repassará 6,3 milhões de reais para que a Ufop implante o Centro de Estudos Ambientais (Cea) para o município, compre equipamentos, mobiliário, insumos e cobrir com as despesas com pessoal, inclusive de consultoria para a vinda de cursos de graduação.
Na nota publicada no portal da prefeitura não foram informados quais cursos virão e nem quantas vagas ofertarão. Daí, estranhamos o alto custo do convênio para implantar apenas o Cea e uma consultoria para a vinda da escola. Só para terem uma ideia, várias obras de vulto na cidade foram realizadas com custo bem menor, como Centro Cultural (R$ 1.688.980,69), Escola de Tempo Integral de Vargem Alegre (R$ 3.467.360,66) e a monstruosa obra da Escola de Tempo Integral da cidade (aproximadamente 4 milhões, se minha memória não falha).

Na sexta-feira passada, enviamos um e-mail para que a assessoria nos informasse e, até o fechamento desta nota, não respondeu.

PROATIVIDADE
Na iminência da chegada de uma indústria de laticínios para a cidade, a ser instalada nos próximos meses no Distrito Industrial pelo empreendedor e diretor da Vale, Antônio Daher Padovezzi, a Prefeitura de São Gonçalo anunciou o projeto Balde Cheio.
Criado pela Embrapa Pecuarista Sudeste, o projeto irá beneficiar produtores de leite ao aplicar métodos de transferência de tecnologia, capacitar produtores de extensão rural, monitorar impactos ambientais, econômicos e sociais no âmbito dos sistemas de produção.
Para dar melhor apoio, os técnicos da secretaria de Agricultura têm sido capacitados pelo Sistema Faemg (Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais).

PRAÇA EM REFORMA – I
A Praça do Patrimônio está passando por algumas intervenções para melhorar a acessibilidade, receberá novos bancos e novo paisagismo. O projeto original será mantido e a promessa da Prefeitura é entregá-la de volta à população em 30 dias.

PRAÇA EM REFORMA – II

Enquanto isso, as obras da Praça Central se arrastam numa luta sem fim. De tanto tempo, já nem sabemos mais quando começou. Parece que foi em fevereiro de 2011.

sábado, 17 de agosto de 2013

"NOIS ENVERGA, MAIS NUM QUEBRA"

(São Gonçalo do Rio Abaixo)


Mais uma semana se passou, sem que a Justiça Eleitoral de Santa Bárbara e o TRE-MG dessem as sentenças dos processos de cassação de São Gonçalo. Fazer o quê!?

Aí, vêm alguns conhecidos e dizem:
-"Na boa, esse trem num vai dar em nada não... Essa turma tem muito dinheiro, influência e eles retornarão que nem tratores pra cima do povo".

Bem... garantir que a Justiça será justa, ou se vai cassar ou absolver, não podemos.
Mas podemos, com absoluta tranquilidade, afirmar que, quanto mais eles baterem no povo, quanto mais se vangloriarem, quanto mais pisarem nos outros, quanto mais soltarem foguetes, mais se enriquecerem, mais ostentarem, mais rejeição e mais reações contrárias acumularão. Prova disso é a enquete que o Rodrigo Figueiredo fez no grupo Top São Gonçalo, publicada no início de julho, que revelou uma desaprovação do governo em 63,64% (vide cópia de tela abaixo).

 

É óbvio que a população sabe, exatamente, o que aconteceu nas últimas eleições. Os resultados virão, mais dia, menos dia nas próximas urnas. No mais, quem disse que uma cidade tem que depender de um grupo político, principalmente este que se desvirtuou? Quem disse que este blogue depende disso ou foi criado para cassar alguém? 

Meus caros leitores, este blogue completará, na semana que vem, 4 anos. Nosso objetivo não é cassar ninguém. Apenas cobramos que os governantes atendam a todos, com igualdade, com respeito e sem se corromperem. Iniciamos em Itabira, colhemos os primeiros frutos e de posse dos primeiros resultados positivos, vamos avançando, expandindo para que outras cidades tenham melhores sortes.

Nosso trabalho voluntário não começou e nem terminará com nenhum resultado de sentença, seja ele qual for. De minha parte, enquanto eu tiver condições e tempo, farei todo o possível para postar, pelo menos, um artigo por dia. Sem falar que os demais autores podem continuar na luta.

Portanto, diante de todos os indícios, de todas as provas a mim apresentadas, sou confiante e prefiro continuar acreditando na Justiça. Principalmente depois do que todo o país assistiu, nas recentes manifestações contra a corrupção. Definitivamente, não é bom ano para nenhuma instituição se expor indevidamente.

Aos desanimados, uma frase que li nesta semana:
-"Atira-me aos lobos, que retornarei como líder da matilha".

Excelente final de semana para todos!

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

EMPREENDIMENTO DE PESO EM SÃO GONÇALO

(São Gonçalo do Rio Abaixo)



São Gonçalo, em breve, terá novas acomodações para hóspedes mais exigentes e render lucros para os investidores. A boa nova foi enviada para o e-mail deste canal, por um dos investidores, o ex-Secretário de Desenvolvimento Econômico de Itabira, Cácio Guerra.
O empreendimento, pouco comum na região, já está em construção na avenida Central, ao lado da Caixa Econômica Federal: são 75 flats (ou apart-hotéis, como também são chamados) incorporados pela Monte Verde, de propriedade do vice-prefeito Eduardo Fonseca, e que serão administrados pela rede hoteleira internacional Bristol. O empreendimento ainda conta com parceria de 2 empresas itabiranas, a Celta (do Cácio Guerra) e da Estação (do Jânio Bragança), que é reconhecida na cidade pela boa qualidade de suas obras e credibilidade nos negócios.
Os apartamentos do Bristol Monte Verde terão entre 18 e 30 m² de área cada, contará com restaurante com capacidade para 100 pessoas, centro de convenções para 200 e 8 pavimentos. Contando com arquitetura moderna, contará com lojas para locação e está aberto para investidores que compreenderem a posição estratégica da cidade, uma vez que não há mercado para moradores locais residirem nele. Ou seja, um investimento interessante, principalmente se for confirmada a construção do aeroporto regional.
No panfleto de divulgação, entretanto, quem o produziu publicou que o IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) da cidade é de 0,702. Provavelmente, pegou essa informação no Wikipedia, que posta informações colaborativas, sem maiores confiabilidades. Segundo o Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil/2013, que é uma fonte oficial, o IDH-M é de 0,667. Informação esta menos relevante, se o investidor potencial considerar a localização estratégica da cidade, numa região rica, carente de leitos e com várias grandes empresas nas proximidades.
Para quem não sabe o que é e como funciona um apart-hotel, clique aqui.

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

POR MAIS TRANSPARÊNCIA

(Geral)

Vereadores da região lutam para que os Portais da Transparência das prefeituras sejam mais eficientes e cumpram melhor com as leis federais. A principal, que é a Lei Complementar (LC) 131, exige a publicação de toda movimentação financeira dos órgãos públicos de forma pormenorizada.

TRANSPARÊNCIA EM ITABIRA

O portal da Prefeitura de Itabira atende quase que 100% e é bem detalhado, cujos registros listados contém links sucessivos para redirecionamento para outras páginas, com as devidas pormenorizações. Vide telas de consulta abaixo ou o link indicado, que permitem que os cidadãos tenham acesso às informações, com boa fonte de detalhes e clara compreensão (clique aqui).
Cópia de tela do Portal da Transparência de Itabira.
Links redirecionam para informações pormenorizadas.
(Clique na imagem para ampliar)
Os pontos falhos são que não apresenta de forma mais clara a estrutura organizacional, as licitações realizadas e convênios. A listagem dos cargos com seus respectivos salários estão presentes (clique aqui), mas sem identificar os ocupantes, provavelmente, para evitar a exposição de caráter pessoal e de segurança dos ocupantes.
Como o propósito de melhorar o serviço, o vereador Bernardo Mucida (PSD) conseguiu que o projeto de lei de sua autoria fosse aprovado pela casa, para reforçar a LC-131 com estes requisitos. No dia 6 passado, o prefeito Damon de Sena (PV) sancionou a nova lei municipal, que ainda concede o prazo de 6 meses para que a administração municipal, câmara e demais autarquias se adequem.


SÃO GONÇALO TRANSPARENTE
Em São Gonçalo, por ter menos de 50 mil habitantes, a LC-131 só passou a vigorar a partir de junho deste ano, quando o portal começou a ser conferido na cidade.
Tanto o da prefeitura, quanto da Câmara Municipal são bem fracos, não contendo os links para consultas sucessivas com os detalhamentos; as informações constantes não esclarecem suas reais funções, camuflando informações essenciais; não informa os salários com os respectivos ocupantes dos cargos e por aí vai.
Cópia de tela do Portal da Transparência de São Gonçalo.
Não conta com links para detalhar informações e alguns dados mascaram o descritivo.
(Clique na imagem para ampliar)
O ainda bater recorde no rol do pior da região. Está ma
O da Câmara Municipal consegue ainda bater recorde no rol do pior da região. Está mais escondido do que ventre de caracol. Foi preciso um esforço enorme para achar onde estava o link ou botão de acesso, a tal ponto que tivemos que fazer um tutorial para tentar ensinar a população a como acessá-lo, publicado neste blogue dias atrás.

A impressão que deixam é que deram uma de “João-Sem-Braço”, ou para atender mais rapidamente à recente vigência da Lei, ou para deixar as informações tão “transparentes”, que acabamos desistindo de vê-las.

Em tempo, o vereador Luiz (Pelé) Fonseca (PSDB) também entrou com um projeto de Lei para melhorar o serviço na cidade e que pode ser votado ainda hoje. Vamos ver se aprovam e se passam a respeitar mais as Leis e a população.


NAS OUTRAS CIDADES

Os portais de João Monlevade e de Barão de Cocais parecem ser do mesmo fornecedor, porque apresentam as movimentações com bom detalhamento, só que de forma direta e sem os mecanismos de consulta e aplicação de filtros mais elaborados, que simplificam nos retornos das informações para o cidadão comum. 
Porém, pecam em eficiência, por não oferecer consultas um fornecedor exato, exigindo que o usuário tenha que clicar aleatoriamente numa página ou percorrer uma a uma, em sucessivas listagens em ordem alfabética, até chegar no fornecedor desejado.

Cópia de tela do Portal da Transparência de Barão de Cocais.
Permite consultas simplificadas, com bom detalhamento,
mas limitados no aplicação de filtros e buscas avançadas.
Já os de Santa Bárbara e Catas Altas adotaram o mesmo sistema da prefeitura de São Gonçalo, o Sif (Sistemas de Informações Municipais). Portanto, contam com as mesmas limitações e restrições de retorno de dados. Estão muito longe de atenderem à devida pormenorização dos dados.

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

TRANSPORTE PÚBLICO - 3

(São Gonçalo, Itabira e região)


Dias atrás, foi veiculado na mídia regional que São Gonçalo do Rio Abaixo está perto de ganhar o aeroporto regional, que atenderá Itabira, Monlevade e demais cidades vizinhas.
Itabira, que é a mais populosa cidade e polo econômico da região, havia saído na frente com um projeto que chegou receber parecer favorável da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), para construí-lo na Serra do Tambor. Só que os técnicos do Departamento de Obras Públicas de Minas Gerais (Deop-MG) querem estudar uma possibilidade mais fácil e abriram um edital de licitação para contratar outro estudo de viabilidade técnica e financeira, desta vez, em São Gonçalo.
Se depender de logística, por estar à margem da BR-381, com melhor localização, mais próxima das maiores cidades da região (BH, Barão, Santa Bárbara, Catas Altas, Monlevade e até mesmo Itabira), aliada à melhor topografia, não restam dúvidas que a cidade compete com melhores condições.
Não seria prejuízo maior para Itabira deixar de recebê-lo, porque São Gonçalo é bem próxima. Só para comparar, do bairro Belvedere ao Aeroporto da Pampulha, em BH, dão cerca de 20 quilômetros com tráfego quase sempre congestionado. Para Confins, então, fecham com 50 km. Já do centro de Itabira ao centro de São Gonçalo são aproximadamente 35 km., com trânsito muito melhor. Nada mal.
Entretanto, será bizarro e até vexaminoso para o governo municipal, de uma cidade tão rica como São Gonçalo, que detém a maior arrecadação per capita do Estado e que deixa todas as demais cidades no chinelo, ter um aeroporto e não contar sequer com uma rodoviária. Principalmente se considerarmos que, com cerca de apenas 1% do orçamento anual do município, a cidade pode construir uma boa rodoviária, que atenderá a muito mais cidadãos.
Até hoje, quem precisa pegar um ônibus para qualquer cidade vizinha, tem que se arriscar na travessia e em pontos bem ruinzinhos, localizados ao longo da BR-381. Não há dúvida de que a clientela local é absolutamente maior para o transporte rodoviário.  
Agora, imaginem vocês um passageiro descer no aeroporto de São Gonçalo, pedir um ônibus para João Monlevade e descobrir que terá que carregar sua bagagem sozinho, atravessar a BR-381 e se arriscar num ponto de ônibus sem qualquer infraestrutura, como banheiros, lanchonete, segurança... Fica bem sem noção.

E não venham dizer que este blogue é contra a iniciativa do Governo do Estado. Claro que não há porque ser contra. Que venha o aeroporto para a cidade ou outra vizinha, mas antes, cadê uma decente rodoviária, Senhor Prefeito? Ou será que precisaremos inventar um novo tipo de ônibus alado?

terça-feira, 13 de agosto de 2013

TRANSPORTE PÚBLICO - 2

(São Gonçalo do Rio Abaixo)

Em São Gonçalo a passagem de ônibus coletivo é bem mais barata, vendida ao custo de 2 reais. Só para comparar, as passagens em Itabira custam R$ 2,70 e em João Monlevade R$ 2,65. Ponto para São Gonçalo.
Estranho é que os coletivos em São Gonçalo percorrem trechos até maiores e parte deles em estradas de chão, por atenderem, basicamente, às comunidades rurais e porque a sede do município é bem pequena.
Curiosos para sabermos como a empresa e o município conseguem atender a população com um valor mais baixo e custos, provavelmente, mais altos, somados aos burburinhos desconfiados de populares que sempre questionam este tema nas rodas e nos comentários não publicados neste blogue, primeiro questionamos a assessoria de comunicação para que nos esclarecesse, na manhã de sexta-feira passada. Como o prazo foi demasiadamente curto e ela não retornou até o fechamento da primeira postagem, adiamos a publicação para hoje. Mesmo assim, necas de retorno.
Daí, recorremos ao Portal da Transparência da Prefeitura de São Gonçalo, quando constatamos que a empresa de transporte público que atende a cidade, a Automade, vinha faturando R$ 158.422,68, à título de “serviço de apoio adm., técnico e operacional”, nos meses de maio e junho deste ano. Em julho, a soma passou para R$ 313.006,73. Nos três (3) meses pesquisados, constam sempre um valor fixo de R$ 60.390,00 (provavelmente referentes à vales-transportes de necessidade da prefeitura) e outras parcelas variáveis não informadas (clique aqui para comprovar ou veja clique na imagem abaixo).


Como podem observar, os descritivos e os valores não são claros e não são suficientes para quaisquer julgamentos responsáveis. Porém, mais uma vez, constatamos que o Portal da Transparência está longe de atender bem à Lei Complementar LC-131, que estabelece a publicação de todas movimentações financeiras no Portal da Transparência, com a pormenorização das informações de forma clara, objetiva e acessível.
Se compararmos a qualidade do atendimento do transporte coletivo dos velhos tempos com os atuais na cidade, não restam dúvidas de que houve um ganho significativo. Porém, não é justo e não é correto que uma concessão pública, principalmente se ela for subsidiada pelos cofres públicos, opere sem a mínima transparência com a população, de forma que todos saibam exatamente quanto sai do bolso de cada um, ao pagar na catraca pela passagem, e quanto saem dos cofres da prefeitura, que é dinheiro de todos os cidadãos contribuintes.
Se nos orientarmos no princípio da boa fé, imaginamos que a comunicação entre em contato para nos esclarecer nas próximas horas. Afinal, um contrato como este é muito visado por todos, tanto para a população usuária do serviço e concorrentes, quanto pelas autoridades fiscalizadoras. Por isso, tem e deve estar dentro dos conformes. O que não pega bem, entretanto, é ficar no silêncio ou ocultos em descritivos que nada informam.
Caso a comunicação ou a empresa deseje se manifestar, não hesitaremos em postar aqui. Com as palavras, os interessados.

segunda-feira, 12 de agosto de 2013

CIDADE DE RENDA ELEVADA, COM DESENVOLVIMENTO BAIXO - Publicado em 13/12/2012

No dia 13/12/2012 efetuei uma publicação referente a IDH-M de SGRA, na época fui muito criticado por pessoas da situação, ao ponto de dizer que este índice não servia para absolutamente nada. Mas vejo que pouco foi feito em 8 meses. Lamentável. Mas o que é mais lamentável é a inércia e conivência da população com os absurdos que vêm acontecendo em SGRA. Segue abaixo a íntegra do meu POST, pena que os comentários foram apagados.

Tenho São Gonçalo do Rio Abaixo como minha terra de coração há 35 anos, e quando vejo uma reportagem onde São Gonçalo esta em 11ª lugar no ranking nacional em arrecadação de PIB, e está em 2.936ª lugar, quase último lugar Brasil no IDH-M me deixa triste. Tivemos uma eleição recente e pelo jeito não haverá mudança no curto prazo. Enquanto a população não conseguir fazer a relação de PIB com IDH-M não haverá mudanças. LAMENTÁVEL

 Post publicado em 13/12/2012

TRANSPORTE PÚBLICO

(ITABIRA)

Na quarta-feira (7/8), o prefeito Damon Lázaro de Sena confirmou que implantará, dentro de 6 meses, o meio-passe estudantil no município. Uma vitória conquistada pelos estudantes da cidade, depois de sensibilizarem vereadores e o governo na justíssima causa.
A decisão foi anunciada no gabinete do prefeito, quando recebeu o representante do Conselho Municipal de Trânsito e Transportes (CMTT), Francisco Carlos Silva, e os vereadores Bernardo Mucida, José Luiz Ferreira (Batatinha), Solimar José da Silva, Marcela Cristina Lopes, Antônio Gonçalves (Toninho da Pedreira), Paulo Soares e o presidente da Câmara Municipal de Itabira, Rodrigo Assis (Diguerê).
Se por um lado ganham os estudantes com o meio-passe, sabendo que é primordial investir em educação, temos que saber quem pagará pela diferença e como. Afinal, é óbvio que serão necessários estudos profundos e absolutamente responsáveis para saber quem subsidiará esta redução.
Se os valores atualmente praticados estiverem com “gordura”, sem problemas. Mas se a empresa comprovar a inviabilidade econômica, podem esperar que os preços das passagens serão reajustados. Afinal, não há como fugir à balança financeira de uma empresa entre as despesas (motoristas, cobradores, pessoal de escritório, manutenções dos veículos, abastecimentos, investimentos etc.) e as receitas (pela venda das passagens). Se a Cisne/Pássaro Verde acumular prejuízos, atenderá mal, pode expor os passageiros à riscos de acidentes e pode até vir a quebrar.
Sem dúvida, o governo dá um importante passo em prol da educação. Mas todos temos que ficar de olho sobre os efeitos desta benesse na população.

(SÃO GONÇALO DO RIO ABAIXO)
Como os textos excederam no tamanho e o prazo foi demasiadamente curto para que a Assessoria de Comunicação da Prefeitura de São Gonçalo nos retornasse com as informações pedidas na sexta-feira, deixaremos a matéria sobre São Gonçalo para amanhã. Daí, continuamos aguardando o pedido de informações da Prefeitura. Não deixe de ler. Até lá.

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

350 MIL

(Geral)


Mais um marco para o Filhos das Minas.
Eis que ultrapassamos a marca de 350 mil visitações.

Agilidade, confiabilidade nas informações e análises frias.
Filhos das Minas, o canal que não paga pau para verdade alguma.


SAI UMA PIZZA AÍ?

(São Gonçalo do Rio Abaixo)


O título da charge não conta, porque apenas copiei da internet.
Ontem, ao cortar o cabelo na barbearia do Brás, os clientes reclamavam da lentidão e colocaram-se sem esperança, alegando não confiarem na Justiça. Parte da cisma, também, tem origem nas zombarias e até nas gargalhadas dos governistas, que garantem que não acontecerá nada com eles, conforme se expõem nas redes sociais.

Só que, pela terceira vez, o Ministério Público Eleitoral (MPE) da comarca de Santa Bárbara deu parecer favorável à cassação do prefeito e vice eleitos, no início da tarde de quinta-feira passada (01). Aí, se o Juiz contrariar de novo o MPE, vai ficar muito estranho. Afinal, quem estaria com a razão? Os 3 promotores que confirmaram a cassação? Ou o Juiz local?

Mais vale continuar na moita e aguardar os desdobramentos, inclusive do TRE-MG e no TSE.

Agora, se forem absolvidos, vou logo escolhendo o sabor da minha pizza:
mezzo quattro formaggio, mezzo margherita.
Mandem ainda uma garrafa de Gato Negro, tinto de reserva especial para acompanhar.
Alguém aí patrocina?

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

PARADOXAL: CIDADE RICA, COM PIOR IDH

(São Gonçalo do Rio Abaixo)
Saiu no Jornal A Notícia desta semana, na página 8, uma tabela sobre o Índice de Desenvolvimento Humano-2013 das cidades da região. Os dados foram publicados no dia 29 de julho no sítio do Atlas Brasil (clique aqui para confirmar ou veja a tabela resumida abaixo).
Tabela publicada no Jornal A Notícia.
Segundo os dados, João Monlevade saiu na frente (400ª posição no país e 27ª no estado), seguida por Itabira (440ª / 31ª) e Barão de Cocais (1244ª / 120ª). Estranhamente, São Gonçalo aparece bem mais abaixo, na amarga posição de 2738ª no país e 448ª no estado.
Itabira pouco pode se gabar, uma vez que, historicamente, é a cidade que mais arrecadou tributos nos últimos 30 anos, graças aos royalties da mineração. O que, provavelmente, pesou contra foram os últimos 12 anos de péssimas gestões públicas, que sucateou o município a tal ponto, que espera-se que ainda precisarão de mais uns 2 anos para colocar tudo em ordem. Fora os erros de projetos anteriores, acumulados gestão a gestão e uma demanda bem maior, com 110 mil habitantes.
Já São Gonçalo do Rio Abaixo, a situação é bizarra e muito crítica. Ela só passou a arrecadar a Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (Cefem), praticamente, de 2004 para cá. Até então, o município sobrevivia, basicamente, de repasses estaduais e federais, como do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) e outras pequenas taxas. Daí, seria justificável uma baixa performance no IDH, face aos históricos problemas sociais até este período, que o nivelava com Itambé do Mato Dentro, Bom Jesus do Amparo, Bela Vista de Minas, Sem Peixe e Santa Maria de Itabira.
Logo a seguir, entre os anos de 2005 e 2008 (primeira gestão do Nozinho), São Gonçalo desenvolveu bem, quando foram inaugurados a Escola Integral, o Centro Cultural, Senai, asfaltamento da MG-129, urbanização do Una e outras obras estruturantes. Só que, no segundo mandato e quando o município bateu sucessivos recordes de arrecadação, as obras ganharam um ritmo letárgico, caíram bastante em qualidade e nada mais se viu de vulto, além de grandes festas populares (rodeios, cavalgadas e encontros), sempre com porteiras abertas, para vender, a qualquer custo, a boa imagem grupo político, que encontra-se atualmente bem desgastada.
Paralelamente, nunca se viu tantos agentes políticos e apadrinhados acumularem tantas riquezas em São Gonçalo, numa especulação imobiliária sem precedentes, com fartas distribuições de materiais de construção em período eleitoral e outros péssimos vícios das piores gestões públicas vistas pelo país afora.
A Câmara Municipal de São Gonçalo e seu retrógrado regimento colocam uma série de empecilhos absurdos para cumprir com a fiscalização, dentre eles, um vereador só pode pedir informações oficiais da prefeitura, se a mesa diretora e os demais edis aprovarem. Daí, vereador em São Gonçalo tem menos poder que um cidadão comum, se compararmos o regimento interno e a Lei de Acesso às Informações, que defende que todo e qualquer cidadão é parte legítima para questionar e solicitar informações. Sem falar que não conta com Portal da Transparência decente, por dificultar e omitir informações elementares e não promove concursos públicos.
Diante do atrasado cenário político-administrativo são-gonçalense, eis os prejuízos de uma cidade paradoxal, que detém uma das maiores arrecadações municipais per capita do estado e do país, chegando a 20 mil reais ao ano por habitante, mas que amarga e se arrasta na 2738ª posição no Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do país. 
Os otimistas poderiam até defender que os royalties recém chegaram ao município e que a cidade encontra-se nos primeiros 9 anos de vultuosa arrecadação. Entretanto, é bom que saibam que, o prazo inicial previsto para a exaustão da reserva de minério de São Gonçalo era de 20 anos. Se confirmado este prazo, já correram cerca de 42% do tempo para a exaustão e fim das riquezas. Daí, faz-se urgente que a cidade retome o desenvolvimento; invista pesado na educação técnica e superior; corrija as injustiças sociais e se adeque para atividades econômicas mais sustentáveis e duradouras.

Enfim, percebem como o tempo corre e passa rápido!?