Who's amoung us?

terça-feira, 31 de dezembro de 2013

2014 A MAIS DE 400 MIL!

Assim este blogue vira o ano de 2013, batendo recorde de acessos nos 5 anos de vida!


Desejamos que 2014 seja hiper bacana e com direito a todas realizações para você que lê diariamente este blogue.

Como ninguém é de ferro, depois das últimas semanas cheias de compromissos profissionais, trabalhando duro, chegando a bater mais de 14 horas por dia, entro em merecido recesso. Pelo menos deste espaço e se meus patrões* deixarem. Daqui uns dias, estaremos de volta.



* Ter muitos patrões: este é o problema de ser dono do próprio negócio...

terça-feira, 24 de dezembro de 2013

TEMPO DE CELEBRAMOS E DE PROJETARMOS UM NOVO ANO

(Geral)


UM
FELIZ NATAL
E UM
2014 BEM BACANA
E BEM MAIS SUSTENTÁVEL
PARA TODOS NÓS!

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

EXEMPLOS A SEREM SEGUIDOS

(São Gonçalo do Rio Abaixo)
OPERÁRIO NÃO É SÓ TIME DE FUTEBOL
A última postagem deste blogue foi motivo para amplas discussões num grupo do Facebook em São Gonçalo, publicada na sexta-feira. O pessoal do time Operário Esporte Clube, com apoio de funcionária da secretaria de esportes, rebateu o nosso questionamento sobre o incomum subsídio aprovado a favor deles.
Em parte, não era para menos. Afinal, havia uma suspeita na cidade que a subvenção de quase 1 milhão de reais da prefeitura, aprovada pela Câmara na última quinta-feira, seria destinada para cabides de emprego.
Ao serem questionados, prontamente, os responsáveis responderam que os 25 coordenadores e agentes contratados atendem à várias ações sócio-desportivas, dentre elas escolinhas de futebol e aulas de xadrez para 400 crianças, em várias comunidades urbana e rurais. Vide fotos publicadas pelo grupo.

NOSSAS DESCULPAS E PARABÉNS MESMO
Portanto, este blogue pede desculpas por quaisquer excessos e dá os parabéns para toda equipe do Operário e, em especial, para a funcionária da secretaria de esportes, Sandra Castelo, que defendeu a camisa do governo que representa com louvor. É isso aí, pessoal. Nota 1000 para vocês.
Sem gastarem um só centavo, ao contrário do que fazem o governo e a câmara com impressos publicitários caríssimos, eles deram o recado em bom e alto som.
Comportamentos como estes, de prestarem as devidas informações e de prestarem contas, apesar de serem obrigatórias, devem ser destacados, sim. Lamentavelmente na cidade, temos presenciado um esforço hercúleo para sonegarem esclarecimentos e informações das mais básicas.

MENOS, PESSOAL, MENOS...
Só não entendi o porquê de alguns poucos ficarem tão exaltados assim. Quem recebe ou manipula dinheiro público é obrigado a prestar contas e ao serem questionados. Bastaria apresentar um relatório das atividades, fotos e provarem que as subvenções têm sido bem aplicadas. Só isso.

Feio mesmo é vereador ou membro da imprensa pagarem pau e não questionarem nada, em troca de anúncios publicitários ou de indicações de cargos ou outros benefícios como temos visto por aí.
A imprensa deve representar a sociedade, sendo mais um agente de prestação de serviço para a população. É papel da imprensa séria questionar. Missão esta que, diga-se de passagem, nosso blogue tem sido o único a cumprir, infelizmente.  

Por isso, cabe lembrar ao exaltado rapaz, Donizete Karvalho, que questionou se nós publicamos "informações medíocres ou mesquinhas", que o Filhos das Minas é um blogue coletivo e sem fins lucrativos, atuando sem qualquer apoio financeiro ou subvenção social. Só por isso já o credencia a gozar do respeito de boa parte da população, que pouco manifesta por causa dos medos de novas perseguições. 

E mais, Donizete, ao atuarmos sem qualquer apoio financeiro, defendendo a correta aplicação dos recursos públicos, acabamos prestando um serviço até mais relevante que muitos outros agentes ou instituições privilegiadas, cujos atores sociais trabalham em troca de dinheiro. Pode ser até legítimo receberem pelos serviços, mas é um desrespeito sem tamanho desqualificar nosso voluntário e vigilante serviço. Doa a quem doer, aqui chegamos e permaneceremos. Sinto muito se incomodamos os mais privilegiados. Somos e seremos a voz da população, da massa. É ela que representamos, salvo se o povo não mais quiser contar mais com nosso voluntário serviço.

EM TERRA DE OLHO, QUEM TEM CEGO ERREI
Infelizmente, este comportamento de transparência é raridade na cidade, tanto por parte da prefeitura, quanto da câmara, que deveria dar exemplo próprio e fiscalizar quem descumpre com as leis.
Rosimeire Mendes, quando foi assessora parlamentar do vereador Pelé Fonseca (PSDB), foi perseguida e exonerada no início do ano porque incomodou a presidência da casa ao atender aos pedidos do vereador para quem ela assessorava. Uma das atividades dela que desagradou bastante o governo e a casa foi pedir a listagem dos servidores contratados e comissionados da prefeitura, a pedido do vereador, para que ele pudesse cumprir com sua obrigação de fiscalizar. Absurdamente, o vereador não foi atendido e a presidenta Luciana Bicalho (PDT), prima do prefeito, exonerou a assessora sob outras alegações. 
E não parou por aí. Dias atrás, o empreendedor são-gonçalense, Lúcio Pena, me ligou indignado, dizendo que a secretária de administração, Norma Torres, havia condicionado o fornecimento da mesma listagem dos servidores ao pagamento de uma taxa de aproximadamente 3 mil reais, tendo informado que o município teria que imprimir umas 10 mil e tantas folhas. Só que, desta vez, o pedido foi do produtor rural Irnério Augusto Moreira dos Santos.
Daí, vem as perguntas: como assim? 10.000 folhas? A prefeitura de uma cidade de 9.777 habitantes tem 10.000 funcionários? São seria só a listagem com nomes, cargos e vencimentos que ele quer? Não poderia ser fornecida em meio eletrônico, como num arquivo PDF, que geraria um custo máximo de 1 real por um CD-Rom?
Como podem comprovar, a cobrança não é exclusiva de uma pessoa "de fora". Por estas e outras, que nós não cismamos à toa. Quem não deve, não tem nada a temer.

GOL DE PLACA DO OPERÁRIO:
QUE SIRVA DE EXEMPLO

As prontas respostas dadas pelo pessoal do Operário deveriam ser disseminadas nas demais instituições sociais. As direções da Apae, Cras, Peixe Vivo, Abeviti e todas as demais que receberam recursos públicos municipais, estaduais e federais deveriam se antecipar e prestar contas também. Por quê não?
Não temos e não devemos ter qualquer constrangimento de pedi-las para que, de igual forma, as respectivas direções dessas entidades tenham a oportunidade de mostrar seus bons serviços prestados, de poderem apresentar as suas listagens de todos os funcionários, recursos recebidos da prefeitura e de todos os respectivos destinos. É Lei e direito de qualquer cidadão de qualquer origem de nascimento!
Mais do que cumprirem com obrigações, eles podem cativar até outras doações e, de quebra, reforçarem a simpatia da população e das grandes empresas para outros apoios e patrocínios.
E mais, depois dessas felizes respostas da turma do Operário, que a direção da câmara e o governo municipal aprendam com eles, passem a ser bem mais transparentes e, porquê não, substituam seus amarrados e retrógrados funcionários, estes que aplicam golpes rasteiros protelatórios ou de tentativa de sonegação de informação, por essa turma do Operário ou pela Sandra Castelo, que mostrou-se de cabeça aberta e bem melhor intencionada. 
A diferença entre estes trabalhadores sociais e a cúpula do governo, até que alguém me prove o contrário, é notável. Basta compararmos os serviços prestados e os respectivos padrões de vida deles. Com certeza, essa turma que não deve, pôde colocar as caras na frente, abrirem os peitos e esclarecerem tudo na boa. Já a cúpula que passou a ostentar riquezas nunca vistas, deve ter muitos motivos para temerem a transparência. Ou não?

Toquemos o barco adiante, com cada agente social empenhado nas suas respectivas funções, sempre servindo com honradez, honestidade, comprometimento e, principalmente, mais respeito. É isso aí!

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

CABIDÕES DE EMPREGO ? - II

(São Gonçalo do Rio Abaixo)


É verdade que as instituições sociais de São Gonçalo contam com servidores dedicados, têm história, prestam bons serviços para a comunidade etc. e tal.

Só que, essa moda que parecem ter se submetido, de se sujeitarem às possíveis condições do governo de servirem em rasteiros esquemas de cabidões de empregos, pode acabar resultando em dores de cabeça sem precedentes, que podem colocar muita gente boa até na cadeia. Em Três Corações, na terça-feira passada, a Polícia Federal desmanchou três esquemas de corrupção nas obras de reforma da Casa Pelé, na promoção do "Três Corações Rodeio Show", na compra de medicamentos e fraudes em licitações para compra de merenda escolar (clique aqui para confirmar). 

Se o sentimento de impunidade enraizou na cidade, vale lembrar que em muitas outras cidades maiores, por muito menos, escândalos assim resultaram em intervenções da Polícia Federal. Mais dia, menos dia, a casa cai. Na dúvida sob essa suspeita deste blogueiro, fica a dica:

Será que na câmara tem, ao menos, um só vereador sério capaz de investigar a fundo e certificar se as informações procedem ou não? Por mais que possa doer, uma atitude assim poderia evitar muitos outros constrangimentos e dar muito mais segurança para o governo e as direções das entidades em seus atos, para que não saiam um dia e tenham que ficar respondendo a infindáveis processos na Justiça.

PARA REFLEXÃO

(Geral)

Mundo, mundo, vasto mundo, se eu fosse chantagista seria temido e premiado, não esse alguém na contínua e árdua luta pela sobrevivência.
No meio do caminho tem uma pedra, chamada dúvida do procedimento legal. Tem sempre uma pedra dessas no meio do caminho. Nunca me esquecerei desse constante acontecimento na vida de minhas retinas tão fatigadas e de um ser humano já desesperançado. No meio do meu caminho, tem sempre a dúvida a afastar a esperança.
Sempre disse aos meus mais próximos: “Jamais seria ator, pela total incapacidade de fingir”. Diante dessa situação, melhor não ir a eventos onde sorrir para manter as aparências seria uma necessidade. Soaria como se eu me violentasse. Inimaginável! A hipocrisia não mora em mim!
Pago caro por minhas atitudes. Apesar da idade, não aprendi a calar-me diante do que sinto. Como me tem custado caro esse jeito de ser!
A fidelidade está em mim como um órgão essencial à existência humana. No entanto, se o silêncio é ouro, não tenho a riqueza de guardar só para mim as decepções que sofro diante dos fatos, até mesmo diante das dúvidas lançadas, até que elas sejam devidamente esclarecidas. Traduzindo: A minha lealdade está afeta à transparência. Nunca compactuo com ações duvidosas.
Meus desafetos devem ter mesmo muito medo de mim. Visto que eles sempre me atacam no mais íntimo. A forma mais vil e grosseira de minar o adversário. Certamente, a carapuça dos temas que abordo serve plenamente aos seus perfis.
Rui Barbosa profetizou: Há de chegar o dia em que o ser humano sentirá vergonha de ser honesto. “O diabo é que não consigo ser desonesto, embora eu tente, diante do que a vida tem sugerido a mim”.

Alírio Oliveira - Jornal VOX

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

CABIDÕES DE EMPREGOS?

(São Gonçalo / Itabira)


Quando este blogue aponta os abusos da atual política de São Gonçalo, tem simpatizantes do governo que alegam que trata-se de baixaria de oposição.
O que será então, baixaria?
Hoje, por exemplo, acontece uma reunião extraordinária na Câmara Municipal de São Gonçalo do Rio Abaixo, em pleno recesso dos parlamentares, para aprovarem nove projetos de lei. Estranho é que todos eles são para repasse de subvenções sociais para o exercício de 2014.
Como é voz corrente na cidade que as instituições sociais têm sido usadas para manobras políticas, nas quais elas recebem polpudas verbas do município em troca de empregarem apoiadores deles, resolvemos dar uma espiada em um dos convênios, à título de amostra.
O time Operário Esporte Clube irá receber da prefeitura em 2014, se os vereadores aprovarem daqui a pouco, a generosa quantia de R$ 822.297,23. Só que, prestem atenção, esta verba será quase toda usada para pagar os 25 funcionários da folha de pagamento orçada em R$ 745.881,23. Portanto, a parcela maior deste dinheiro não cairá nas mãos dos jogadores, que são os reais responsáveis pelas festas, nem para as viagens e nem para infraestrutura. Será destinada para cobrir custos de penduricalhos, como secretária, “orientadores sociais”, 8 “agentes sociais”, 3 “monitores de recreação”, 7 “coordenadores” de sei lá o quê, 3 “educadores”, enfermeiro e por aí vai. Está duvidando? Veja então a listagem abaixo e comprove!


Pois bem, se ainda acham que este blogueiro pega pesado, algum de vocês aí tem noção de quanto é a subvenção de um time itabirano? A Lifa propôs pagar 400 contos por jogo, para cada agremiação. Assim, ganharão mais os times que mais jogarem e melhor saírem nos campeonatos. Desta forma, se um time jogar uma vez por semana, durante todo o ano,  de janeiro a dezembro, acumulará, NO MÁXIMO, R$ 19.200 (clique aqui para comprovar).
Alguém aí consegue me apontar um nome de um desses contratados que não seja ligado ao grupo político deles? Estranho, não!? Com as palavras, o presidente do time, os vereadores e o governo.

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

“Imprensa Itabirana” Onde? Quando?

(Itabira e região)

Entre aspas, mesmo.
Não conheço com intimidade a imprensa de outros lugares, senão a de Itabira; portanto, vou ater-me a focalizá-la, somente.
Faço parte desta imprensa desde 1995, quando retornei de Uberaba para minha terra natal, Itabira, começando por vender espaço publicitário para O Passarela, o mais antigo jornal de Itabira. Neste mesmo jornal, comecei, a convite do Feliciano, seu editor, a redigir alguns textos, chegando inclusive a dar alguns “pitacos” no Marreta na Bigorna, espaço crítico do periódico e exclusivo do seu editor.
Em sequência, escrevi para o saudoso Tribuna de Itabira, da minha amiga Sônia Silva. Com o amigo José Norberto de Jesus (Bitinho), no Impressão atual, comecei de fato a escrever com mais liberdade, mostrando mais minhas ideias de tendência esquerdista, fazendo entrevistas, vendendo espaços, me relacionando mais com os políticos da época.
Após o Impressão Atual, Bitinho criou o Jornal da Cidade, onde também fui colaborador. 
Por cerca de três anos, talvez pouco mais, fui articulista semanal no Diário de Itabira, numa deferência do Müller à minha pessoa. Ali, também, nunca me faltou liberdade para escrever o que quisesse. Em verdade, uma ex-vereadora e seu companheiro pediram minha cabeça certa ocasião, depois de não engolirem uma crítica que fiz à atuação da parlamentar. Soube que foram até o editor/diretor do Diário, sem sucesso. 
Comecei a trabalhar na Promocional, agência de publicidade, onde fiquei por dois anos e meio e cresci muito como profissional. Foram bons momentos. Deixei de ser colaborador do Diário em virtude da constante censura que sofria da Comunicação da prefeitura, que não permitia qualquer crítica, mesmo crítica com o único intuito de ajudar o governo, do qual eu era simpatizante, alertando-o de equívocos. Mesmo a mais tímida observação poderia ser motivo de uma ligação da assessoria, lembrando-me que meu emprego na agência era político. O prefeito era Ronaldo Magalhães, que até acredito que não sabia desse detalhe.
Para sobreviver, escrevi para vários jornais, com textos demagógicos às prefeituras e câmaras das muitas cidades da região, em obediência às orientações dos seus editores. 
Sentia-me escravizado.
Eram textos, em sua grande maioria, com total falta de qualidade, não havia como melhorá-los, porque a demagogia e as entrevistas realizadas (pelos donos dos jornais) engoliam qualquer tentativa nesse sentido. Fazia-se lanternagem no texto, mas os defeitos eram visíveis. A ideia era bajular o prefeito, o presidente da câmara, outros...
Digo tudo isso para culminar com a minha razão em escrever esse texto.
Hoje, vejo com muita decepção, um número crescente de pessoas que empunham um gravador, uma máquina fotográfica e começam a frequentar o meio. Criam sites, jornais impressos e blogues sem qualquer qualidade e se intitulam da imprensa. Há pessoas que, nitidamente, jamais leram qualquer livro, político ou clássico, que redigem mal, que não têm a mínima noção do idioma, que crescem à base de chantagens, de falarem mal dos outros sem fundamentos, de atingirem desafetos políticos no seu mais íntimo, seu lado pessoal, familiar, seu problema físico, enfim; sem ética alguma, elemento fundamental para o exercício da profissão. 
Há vigorosos debates no meio jornalístico nacional quanto à necessidade do diploma de formação superior na profissão. No entanto, alguns grandes nomes da imprensa brasileira não têm esse valioso certificado, mas exercem com brilhantismo a magnífica arte de escrever.

Alexandre Garcia e Heródoto Barbeiro, por exemplo, apesar da formação superior, são tácitos em afirmar que para se exercer essa mágica profissão, é “somente necessário que se tenha conhecimentos gerais do tema que se aborda, e escrevê-lo bem, dominando o idioma pátrio”.

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

VOCÊ SABE COM QUEM ESTÁ FALANDO!?!

(Geral)



Vejam que defesa bacana do cartunista argentino Quino, criador da Mafalda. É o triste retrato de uma sociedade de consumo e sem valores, que passou a ser construída neste mundo vazio. O que mais será que vem por aí?







sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

BOAS NOVAS

(Itabira)

INVERSÃO DE PROPÓSITOS: 
ALUGUÉIS TÊM QUE CAIR

Eis que surgem os primeiros frutos! O novo governo itabirano começa a mostrar as primeiras mudanças ao entregar 32 novas unidades habitacionais do Minha Casa, Minha Vida, no próximo dia 17, no bairro Santa Marta. O projeto maior prevê, para os próximos anos, milhares de outras unidades habitacionais em parceria com a prefeitura. Vide convite abaixo.



Se antes os avanços em habitação popular concentravam nas mãos de particulares e até de ex-agentes políticos que faturavam alto com a especulação imobiliária, nos novos tempos, quem começa a contrapor e oferecer novas opções mais econômicas para a população é o governo municipal.

Para Itabira, estas possibilidades são ótimas. Se as iniciativas privadas contribuem para o progresso, há necessidade, também, de que o governo não se acanhe em concorrer e apresentar outras soluções, até para contrapor e reduzir os impactos das especulações imobiliárias. 


CURSO DE MEDICINA

Os altíssimos valores cobrados em aluguéis na cidade são as principais reclamações dos estudantes da Unifei. Em recente publicação, o senador Clésio Andrade anunciou no Facebook, que luta a favor da iniciativa do prefeito Damon de Sena para trazer o curso de medicina para cidade. 

Em poucas horas, mais de 190 internautas "curtiram" sua postagem, contabilizando outros 39 compartilhamentos (clique aqui para comprovar). Em retaliação, alguns estudantes da Unifei abriram fogo, danados da vida com a possibilidade da iniciativa subir mais ainda os altos preços dos aluguéis na cidade. 

Daí, a importância dos governos em criarem alternativas para habitação, a favor da lei da maior oferta, do que da procura. 


VAGAS PARA MÉDICOS E DENTISTAS

Secretaria de Saúde abre processos seletivos para duas vagas para médicos de PSF e duas para cirurgiões-dentistas.

Para os médicos interessados, as inscrições podem ser feitas nos dias 9 e 10 de janeiro. A carga horária é de 40 horas semanais e o salário de R$ 10.195,77, mais pró-família de R$ 2.500,00. Para os cirurgiões-dentistas, as inscrições estarão abertas de 16 a 17 de janeiro, com vencimentos de R$ 1.784,27, acrescidos de um terço de extensão de jornada e pró-família de R$ 300.

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

CAOS NAS URBES - 4

(São Gonçalo e região)


Dando prosseguimento nas matérias sobre as urbes da região, na última segunda-feira percorrermos boa parte cidade de São Gonçalo do Rio Abaixo.
A responsabilidade do atual governo em acertar é bem grande. Afinal, ele conta com a maior e disparada renda per capita da região e uma das maiores do país, batendo na casa dos 18 mil reais ao ano, contra 1,3 mil de Monlevade, por exemplo. Sem falar que trata-se de um governo de sucessão, ou seja, de sequência de um grupo já tarimbado e experiente, com máquinas atualizadas e mais 40 milhões extras em caixa, deixados pelo governo anterior (do Nozinho) para que concluísse as obras inacabadas.
Do ponto de vista das manutenções das praças, varrição e coleta de lixo, a cidade não faz feio. Está razoavelmente limpa, como em Itabira. Os poucos pontos que se vê a presença de lixos nas vias, percebe-se claramente que foi motivado pela falta de coletores próximos, falhas de alguns comerciantes ou desleixo de alguns pedestres.
Se levarmos em conta a necessária coleta seletiva, São Gonçalo fica devendo e passa longe do ideal. Não contam com estímulos, programas eficientes e contínuos para que a população faça a separação de pelo menos entre orgânicos e recicláveis.
Algumas obras inacabadas, deixadas pelo Nozinho, avançaram bem, como o Hospital, asfaltamento para as Pacas (totalmente concluída), Escola de Tempo Integral de Vargem Alegre, Postos de Saúde e coberturas de quadras. 
Escola de Tempo Integral de Vargem Alegre quase pronta.
Vista lateral: Como foi construída sobre um brejo e um córrego,
será que não corre risco de inundação e umidade excessiva?
Obra do Hospital em bom ritmo e com todos os pisos já feitos.
Outros continuam praticamente na mesma situação, como o Estádio Municipal e o Memorial do Padre João, que parou com a entrega da estátua. A praça Central virou motivo de chacota da população. Depois de aditivos e anos para revitalizá-la, praticamente um ano se passou sem mudanças aparentes.
Obra do Estádio continua inacabada.
Obra da Praça Central: motivo de chacota por causa do longo atraso.
Água tratada com qualidade é um enigma porque, oficialmente, a prefeitura não presta este serviço de forma clara, tanto que nem cobra. Outra queixa persistente da população é com relação aos destinos dos esgotos domésticos. A comunidade de Santa Catarina conseguiu que a prefeitura construísse emissários de esgoto. Nas comunidades de Vargem Alegre, Matias e Malaquias, os esgotos correm a céu aberto. Duas Estações de Tratamento de Esgoto no Una e no Parque de Exposições foram anunciadas início para este ano, mas só a da cidade que encontra-se em obras.
Esgoto sob a ponte do Malaquias.
Já do ponto de vista dos passeios e calçamentos, é incrível como a mais rica cidade da região não consegue sequer manter em estado razoável. Os passeios ou são tomados por materiais de construção, muitos deles doados na época da última eleição, ou estão cheios de buracos ou mato.
Sem atenção da prefeitura, moradores do Malaquias fazem mutirão
para espalhar resto de concreto doado por uma empreiteira.
Dias atrás, uma senhora de 80 anos teve que ser carregada por cerca de 1 quilômetro sobre o barro,
porque a ambulância não conseguiu chegar perto dela para atendê-la.
Buraco antigo no bairro Cidade "Universitária".

Passeios da Avenida Central continuam em péssimas condições de uso.
Este é outro velho buraco, no bairro Cidade "Universitária".




Bairro Patrimônio.

Neste local, próximo à caixa d'água, a prefeitura corrigiu com um muro de arrimo,
mas o asfalto novo já está cedendo.
Valas abertas dos novos empreendimentos (em obras) do ex-prefeito Nozinho
na avenida Central aguardam cobertura asfáltica.

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

CAOS NAS URBES - 3

(Itabira e região)

E quem disse que os itabiranos podem se gabar? De forma alguma, que não. 

Mesmo após quase duas décadas de fartos royaties arrecadados, com destaque para os anos 2000 em diante, quando a arrecadação saltou de R$ 60 mi para mais de R$ 300 milhões, a população está longe de poder usufruir de uma cidade privilegiada.
Nos mais sombrios anos e exatamente neste período que a cidade passou a mais arrecadar, que se mostrou mais ineficiente, quando os equipamentos públicos foram sucateados e ocorreram abusos nas nomeações e contratações. Incomodado com os excessos do passado, o Ministério Público acabou impondo um Termo de Ajustamento de Conduta (Tac), que cortou centenas de cargos de confiança de livre nomeação, limitando bem a governabilidade dos próximos gestores.

PERDAS SALARIAIS ACUMULADAS, SANEAMENTO E LIMPEZA URBANA
Os equipamentos da Itaurb (empresa pública de limpeza urbana) foram entregues sem condições operacionais. Algumas avenidas, ruas e praças, de igual forma. Inconformados com as perdas salariais acumuladas nas gestões anteriores, já nos primeiros dias de mandato, os servidores não perdoaram e abriram greve. Os primeiros meses de mandato, não têm sido fáceis para o novo governo.
Servidores em greve, março de 2013.
Foto: Defato Online.
Falhas na coleta de lixo, durante o período de greve na Itaurb.
Foto: Blogue O Popular.

Apesar do mau estado dos equipamentos, ao circular pela cidade ontem, percebemos que a limpeza urbana voltou a ser bem atendida, graças à algumas ações paliativas. Como correção definitiva, recebemos a boa nova da semana, que foi a aprovação na Câmara Municipal do projeto do prefeito Damon de Sena, para que a Itaurb receba uma suplementação de R$ 4,7 milhões para compra de novos equipamentos de coleta de lixo e limpeza urbana. A partir do segundo bimestre do ano que vem, as novas máquinas começarão a circular pela cidade.

A Estação de Tratamento de Esgoto (Ete) Laboriaux passou por completa revitalização. Enfim, serviços de manutenção feitos sem alarde e sem que boa parte da população soubesse, por não contarem, até hoje, com os serviços de uma agência de publicidade e marketing estratégico.
 
ANTES: Ete Laboriaux em janeiro de 2013.
 
DEPOIS: Ete Laboriaux em julho de 2013.


VIAS PRINCIPAIS

Passado quase que o primeiro ano de nova gestão e contando com uma maior arrecadação, algumas soluções e correções já foram apresentadas. 

A rua Humberto Campos, principal via de ligação da cidade com os distritos industriais e saída para BH, vivia tomada de crateras, nos últimos anos seguidos. Enfim, foi totalmente recapeada logo nos primeiros meses deste governo.
ANTES e DEPOIS: Rua Humberto Campos foi toda recapeada no início da atual gestão. (Ligação entre a cidade, Distritos Industriais e MG120).
Outros problemas ainda estão por aí. A Estrada 105, que contorna a Mina da Vale, encontra-se em péssimas condições de tráfego. Em conversa com o novo secretário de obras, o engenheiro Sebastião Ayres, ele nos garantiu que dentro de uns 90 dias (após o período mais intenso das chuvas) ela começará a ser completamente reurbanizada (recapeamento, sinalização, sarjetas etc.). A requisição já está nas mãos da comissão de licitação.
Estado atual da Estrada do 105. No primeiro trimestre de 2014 será toda revitalizada.
Foto: Fernando Martins - 10/12/2013.
A mais grave e bem mais difícil solução, que demandará alguns anos para solução definitiva é resolver os intensos congestionamentos das avenidas centrais (Carlos Drummond de Andrade, Carlos de Paula Andrade, João Pinheiro, Daniel Grisolia), que, como em todas as demais cidades populosas do país, tornam-se intransitáveis nos horários de pico. 

Em conversa com o pessoal da Secretaria de Desenvolvimento Urbano (SMDU), eles optaram por priorizar as intervenções a favor da acessibilidade para os portadores de limitações físicas e, como forma mitigadora, proibiram o estacionamento de veículos ao longo da avenida Carlos Drummond de Andrade, que vinha sendo, na verdade, ocupada pelas agências de veículos usados. Há cerca de um mês, ao ser questionado sobre como resolveria este problema, Damon nos disse o governo pretende promover um concurso público para apresentação de projetos de soluções. 
Congestionamentos por causa de infraestrutura viária deficiente.
Problema recorrente nas principais cidades do país.

Fotos: Fernando Martins - Agosto 2012.
SEM TVS

A TV Cultura de Itabira suspendeu sua programação logo no primeiro dia de governo, diante de dezenas de problemas encontrados, desde pendências com a Ministério das Comunicações (Minicom), à interdição dos Bombeiros, baixo contingente técnico e completo sucateamento. Uma consultoria foi contratada e várias ações estão em andamento para o retorno da emissora, previsto para o meio do ano de 2014. Serão duas frentes de trabalho, sendo uma composta por uma reforma básica e outra com a construção de uma sede definitiva, para que ela possa se tornar geradora regional.


Fachada do prédio atual da TV Cultura e o projeto de revitalização para o primeiro semestre de 2014.

Em recente fiscalização ocorrida em todo o país, a Anatel lacrou quase todos retransmissores em Itabira e em mais outros 440 municípios, pertencentes às TVs Alterosa, Record, Super, Globo e outros por falta de outorgas. Estes canais vinham funcionando irregularmente fora dos padrões ou em canais piratas. No final do ano passado, a prefeitura foi notificada, mas nada fez. Neste ano, a prefeitura contratou um engenheiro para corrigir os problemas e protocolou no Minicom. Porém, os fiscais da Anatel não aceitaram o protocolo como válido, quando lacrou os transmissores. Como resposta, a prefeitura entrou com um Mandado de Segurança, mas até o momento, a Justiça não se pronunciou.


RESUMINDO

O cenário administrativo de Itabira é anômalo devido ao estado com que atual administração recebeu o governo. Tal constatação, entretanto, não foi surpresa alguma, até porque tais informações eram evidentes. Haja vista a maciça votação a favor da oposição.

Só que, como o atual governo pecou por não contar com o auxílio estratégico de comunicação, pela ausência de uma agência de propaganda e de um marqueteiro político de suporte, pagou nos primeiros semestres o preço de uma crescente população inconformada, induzida pelas versões plantadas pela oposição. Situação esta que piorou um pouco diante da boa articulação de alguns vereadores oportunistas, que lutam para ir além do cargo deles, provavelmente cobiçando a cadeira máxima do executivo (2016) ou até se lançarem para deputado em 2014. Ou seja, políticos que aproveitaram bem a seara aberta. 

Felizmente, diante das iminentes contratações (inclusive da agência de propaganda) e projetos colocados em execução, para o ano que vem em diante, com certeza, o governo Damon tem tudo para recuperar o terreno e se projetar. Que venha logo 2014. Oxalá! Itabira agradece.