Who's amoung us?

quarta-feira, 31 de março de 2010

Damon confia na Justiça

Em entrevista ontem, por telefone, o médico Damon Lázaro de Sena-PV pareceu estar tranquilo sobre sua candidatura para deputado, porque "confia na Justiça". Na conversa, negou que tenha deixado de pagar qualquer prestador de serviços, ou que tenha deixado algum fornecedor em débito, mas confirmou o extravio de 12 recibos (num universo de mais de 1000 recibos), percebidos no momento de fechar as contas. Segundo o ex-candidato a prefeito, tão logo perceberam os problemas, solicitaram um Boletim de Ocorrência, que foi, devidamente, anexado à prestação de contas entregue posteriormente na Justiça. Damon foi enfático ao afirmar que agiram com boa fé, tanto é que optaram pela autodenúncia do extravio, ao invés de buscar outros meios ilegais ou imorais.

Outro fato curioso é que, segundo Damon, no final do período da campanha eleitoral, agentes da Justiça "visitaram" o comitê (tal como fazem usualmente) e recolheram alguns materiais e papéis. Damon não soube precisar quais papéis eles recolheram, bem como fez questão de ressalvar que não se pode afirmar que tais recibos estivessem no meio do material recolhido, mas que, quem sabe por equívoco tenham sido perdidos. Por isso, na dúvida, pediu esclarecimentos aos responsáveis.

Ao ser perguntado o porquê de tamanha confiança, Damon adiantou que contratou um bom advogado, que garantiu para ele que será candidato se seu nome passar na convenção para deputado estadual e ainda citou uma das leis da defesa, a Lei 12.034/2009, parágrafo sétimo, que diz da obrigatoriedade da apresentação das contas de campanha, mas que não exige que as mesmas sejam aprovadas, para validação de candidaturas posteriores.

É como diz o amigo Henrique Nery, o tecido da manhã, na política, pode virar retalho ao anoitecer...


domingo, 28 de março de 2010

Semana quente no PV

Semana passada foi dura para o PV. O ex-candidato a prefeito de Itabira, Damon de Sena, teve suas contas de campanha rejeitadas, por causa do sumiço de recibos, na ocasião da prestação de contas de campanha. Eles até chegaram a chamar a política e pedir um boletim de ocorrência, que foi anexado à prestação de contas. Só que a Justiça Eleitoral não aceitou e já o setenciou como inelegível, com probabilidade de efeito até 2013, melando os interesses de se candidatar a deputado agora e a prefeito em 2012. A medida ainda cabe recurso, mas está praticamente certo esse triste destino do Damon.

Na mesma semana, o prefeito de João Monlevade, também do PV, recebeu os 3 primeiros votos a favor de sua cassação, por problemas semelhantes nos acertos de campanha. Faltaram ainda 4 votos porque a sessão foi adiada a pedido de um juiz, que retirou o processo para vistas.

Voltando a Itabira, só resta para o PV o nome do queimado (por causa do golpe e dos indícios de corrupção durante o mandato de prefeito) Ronaldo Magalhães, ex-prefeito e ex-deputado estadual. Se o PV aceitar como candidato o Ronaldo, com agravo da saída inesperada do Damon e da possível cassação do Prandini, a sigla antes tida como um partido idealista e limpo, se sairá muito mal.



Quem mexeu no meu queijo?

Depois que o Neidson Freitas, presidente da Câmara de Vereadores de Itabira, apresentou uma proposta de emenda para garantir mais um ano na presidência, embora tenha dito que "não era para se beneficiar", oito vereadores jogaram água fria na sua pretensão. Por debaixo da mesa, Neidson, ao continuar na presidência, poderia continuar usando (e queimando feio) a máquina, a casa e os poucos nomes dos vereadores.
Ao perceberem o estrago político, imagino, os oito colegas, com destaque para Élson Sá (PMDB), encabeçaram nova proposta não só para não aceitar a prorrogação, mas restringindo o mandato para um ano. Élson, em entrevista para o Díário de Itabira, de 17 de março, continua negando que seja uma contra resposta ao presidente. Apesar de agirem de forma acometida e ética, os colegas vereadores acabam revelando que, nem na própria casa, o presidente tem seguidores para uma pretensa sucessão. Diante dessas respostas (e das outras ocorridas), Neidson vem se queimando feio e já tem sido achincalhado na cidade como o primeiro boi-de-piranha do grupão.


sexta-feira, 26 de março de 2010

GESTO HUMANO NO MEIO DO CONFLITO

<
GREVE DOS PROFESSORES EM SÃO PAULO
22/03/2010 -
Impressionante!
Em pleno conflito entre professores e policiais, parece-me que um manifestante está socorrendo um policial!
Um ato humano. coisa inacreditável
Estado de Minas - 23/03/2010

ESTÁ CHEGANDO A HORA DO PLANETA

No sábado, 27 de março, entre 20h30 e 21h30 (hora de Brasília), o Brasil participa oficialmente da HORA DO PLANETA. Das moradias mais simples aos maiores monumentos, as luzes serão apagadas por uma hora, para mostrarmos ao líderes mundiais nossa preocupação com o aquecimento global.
A HORA DO PLANETA começou em 2007, apenas em Sidney na Austrália. Em 2008, 371 cidades participaram. No ano passado, quando o Brasil participou pela primeira vez, o movimento superou todas as expectativas. Centenas de milhões de pessoas em mais de 4 mil cidades em 88 países apagaram as luzes. Monumentos e locais simbolicos, como a Torre Eifel, o Coliseu e a Times Square, além do Cristo Redentor, o Congresso Nacional e outros ficaram uma hora no escuro. Além disso, artistas, atletas e apresentadores famosos ajudaram voluntariamente na campanha de mobilização.
Em 2010, com sua participação, vamos fazer uma HORA DO PLANETA muito mais fantástica!
Acesse e saiba mais: www.horadoplaneta.org.br

terça-feira, 23 de março de 2010

CADÊ A OPOSIÇÃO?

Após algumas provocações de alguns leitores do Filhos-do-Cauê, sobre o sumiço e o processo na aprovação das contas da campanha do médico Damon de Sena-PV, acabou ascedendo uma dúvida: será por isso que o ex-candidato a prefeito e pretenso candidato a deputado estadual tem andado meio distante, ao se ocupar na solução desse problema? Outra questão que veio à tona é, também, por onde tem andado o ex-candidato a vice, Alexandre Banana-PT?

Não restam dúvidas de que, embora não tenham sido eleitos, é quase que unaminidade em toda a região o reconhecimento de que quem ganhou a campanha passada foram os dois. Tenho ouvido isso inclusive de prefeitos da região e, pasmem, mesmo de integrantes da coordenação da campanha de João Izael, que acabaram assumindo posições mais estratégicas no final da campanha e que resgataram o poder já quase perdido.
Só que, passadas as águas, alguns tropeços sucederam e para 2010, Alexandre defende os interesses do PT e o Damon do PV. Pelo menos, no próximo round, para as vagas de deputados estaduais, eles podem vir inclusive a competir entre si, cada qual pela sua sigla, garantidos pela boa democracia, embora eu tema que a ausência de um projeto comum e maior, possa custar caro depois.

Então, se os mesmos não têm militado contra os erros e desmandos do grupão, que na verdade nem são da responsabilidade deles, quem tem feito tal papel, com uma câmara de vereadores, pelo menos teoricamente, toda do grupão?



A VESPA E A ARANHA

Imagine-se ter seu corpo picado por uma vespa caçadora que inocula um veneno paralisante e, em seguida, ser injetado dentro de você algumas larvas que devorarão seus tecidos vivos aos poucos, até ocuparem todo seu corpo e não sobrarem nada além dos seus ossos e pêlos?

Pois é, esse tipo de voraz parasitismo existe na natureza e, por mais terrível que seja, é uma criação de Deus, responsável tanto pela manutenção do ciclo reprodutivo das vespas do gênero Pepsis (dentre elas a Pepsis cupripennis e Pepsis frivaldszkyi), quanto pelo controle do número de indivíduos das aranhas, inclusive as gigantescas caranguejeiras, do gênero Avicularia.

Se percebermos atentamente e conseguirmos ler nas entrelinhas, percebe-se, nitidamente, que a política em Itabira muito se assemelha com esse cruel parasitismo, do ponto de vista dos constantes problemas sofridos pela atual gestão, acometidos por gente a eles ligados e não da oposição. Estão sendo devorados por dentro, depois de tornarem-se um ninho paralisado pelo veneno inoculado por indivíduos deles mesmos. Não acredita? Então siga o meu raciocínio.

Mês passado, o vice Roberto Chaves-PSDB foi ao programa do Vagner Ferreira e disparou duras críticas contra o próprio governo, que acabou culminando com a distribuição de mais de 30 mil jornais na cidade, apoiando o deputado estadual Mauri Torres. Uma "desobediência" explícita ao prefeito que convocou o "enquadramento" da base no apoio à candidatura do Ronaldo Magalhães.

Há ainda outras disputas em cena, desde de quem será o próximo presidente da câmara, expandido após o pretenso sucessor Neidson Freitas defender a alteração da lei orgânica para continuar no cargo; até via disputas entre os partidos que teimam em não seguir o Ronaldo, que diga-se de passagem, anda muito mal cotado. Recentemente, durante uma reunião do Dem, ocorreu um racha na direção por causa desse problema, porque um cacique de visão propôs que o Dem itabirano apoiasse Gustavo Valadares, enquanto outra parte defende a fidelidade funesta de apoio ao Ronaldo, pedido pelo João, sem lá tanta convicção. Isso sem falar no recado do prefeito, do tipo "deixa quieto", disparado em cima do presidente da câmara, exposto semana passada pelo Diário de Itabira, acerca do caso da possível vinda da siderurgia da Vale.

E as ações estrapolam o universo político local. Tive notícias, dias atrás, de iniciativas do publicitário Perón Colombo ao contratar o ex-secretário de governo de Santa Bárbara para prospectar novos clientes das câmaras municipais e novos serviços em toda a região, que por ser, provavelmente, uma frente de salvação pós queda do grupão. E, se ele atuar como já fez no passado recente em Itabira com sua empresa, vai atuar politicamente, investir pesado (e grana ele consegue fácil) e vir a ser uma das principais lideranças regionais, nos bastidores econômicos. Aí, quem sabe, o grupão de Itabira poderá passar a mandar no pedaço, em toda a região.

Portanto, em franca decadência, pode-se perceber que, há muito tempo, já tem gente só preocupada em garantir os bônus de serem situação, sem tantos compromissos em salvar o corpo ainda vivo do grupão. Se o prefeito João Izael não descobrir a tempo, que a posse da caneta do poder está sob suas mãos, não haverá outro destino que não seja o salve-se quem puder.

Isso, é claro, se a aranha conseguir se safar dos temíveis ferrões das vespas caçadoras que, com eles, conviveram no mesmo habitat e que só pensam em devorar todo o seu corpo ainda vivo. Daí, de volta ao universo político, será que precisamos mesmo de atitudes da oposição?

Fonte: Veja mais sobre a Vespa Caçadora em Editora Saraiva.

sábado, 20 de março de 2010

Obras da terceira pista até o trevo são retomadas

Terça-feira passada, postei aqui uma matéria, questionando o sumiço das máquinas nas obras de construção da terceira pista até o trevo de Belo Horizonte. Ontem, ao transitar pelo trecho, registrei algumas delas retomando as obras, em frente ao caldo de cana, no Barro Branco.

Ainda bem e parabéns aos responsáveis. Sem vias mínimas para escoamento, não há desenvolvimento, novas indústrias, siderúrgicas e tantas outras iniciativas para tirarem Itabira da dependência econômica.

Que venha a siderurgia da Vale!

quinta-feira, 18 de março de 2010

ISSO NÃO É CONSOLIDAR CONQUISTAS!

Peço licença para republicar neste espaço texto de meu amigo Rodolfo, publicado em seu blog www.rodolfotchotcho.blogspot.com ontem.


quarta-feira, 17 de março de 2010
ISSO NÃO É CONSOLIDAR CONQUISTAS!

NADA MAIS DO QUE OBRIGAÇÃO!

A Publicação da Prefeitura Municipal de Itabira/ Assessoria de Comunicação Social – Janeiro de 2010, que faz referência a “ITABIRA CONSOLIDANDO SUAS CONQUISTAS”, tem gerado muitos comentários nas esquinas, nos escritórios, nas repartições públicas, bares e imprensa que não é chapa branca.

Para felicidade de alguns e azar de outros os comentários na maioria das vezes não são regados a elogios.

Não é difícil saber por quê!

Convido aos senhores a fazer uma reflexão rápida em relação ao significado das seguintes palavras:

Consolidar

v.t. Tornar firme, sólido: consolidar uma parede.

Fig. Tornar durável, forte: consolidar o prestígio.

Reunir leis afins.

Tornar permanente uma dívida pública flutuante.

Conquista

S.f. Ação de conquistar: a conquista de um reino.

A coisa conquistada: as conquistas de Napoleão.

Fig. Fam. Sedução: conquista amorosa.

Levando em consideração as informações do próprio folhetim, e o significado das palavras que compõem o slogan do atual governo “ITABIRA CONSOLIDANDO SUAS CONQUISTAS” fico a refletir e peço aos senhores que reflitam também!

1. Volta do boletim escolar é consolidar conquistas?

2. Sediar jogos da superliga de vôlei é consolidar conquistas?

3. Operação tapa-buracos é consolidar conquistas?

4. Lançamento de concursos públicos é consolidar conquistas?

5. Construção de muros de arrimo é consolidar conquistas?

6. Entrega de telhas é consolidar conquistas?

7. Itabira receber comemorações do Ano da França no Brasil é consolidar conquistas?

8. Oferecer crédito rural a produtores rurais é consolidar conquista?

9. Implantar plano de cargos e salários a funcionários da Itaurb é consolidar conquistas?

10. Reprogramação semafórica é consolidar conquistas?

11. Capacitação de Professores é consolidar conquistas?

12. Implantação do novo sistema de circulação no bairro Caminho Novo é consolidar conquistas?

13. Revitalização de áreas centrais é consolidar conquistas?

Parei no 13 mais tem muito mais!!!



Senhores, levando em consideração que nos últimos cinco anos foram destinados aos cofres municipais aproximadamente R$ 1.000.000.000,00 (um bilhão de reais). Tenho a certeza absoluta que a comunicação da administração municipal errou o nome do folhetim ou desenvolveu o slogan equivocado, o mesmo deveria ser o seguinte, com tais $$$$ milionárias “ITABIRA ESTAMOS FAZENDO NADA MAIS DO QUE NOSSA OBRIGAÇÃO E AINDA FALTA MUITO, MAIS MUITO MESMO!” indo um pouco além tal administração deveria se retratar junto à população, e pedir desculpas por terem esquecido tudo que propõe em seu plano de governo (primeiro e do segundo mandato). Mais pra frente vamos refrescar a memória do povo em relação às promessas dos planos de governo!

É preciso fazer mais do que a obrigação e lembrar-se de consolidar as conquistas, além do que não se pode deixar de lado o que se propôs a ser referencia nacional!

È preciso cobrar! Não podemos deixar a população esquecer as promessas!

E antes que alguém retruque, estou no meu direito! Sou eleitor, Sou João, mais sou contra os caciques que só trocaram de cadeira, mais continuam mamando na teta da vaca, que como a desculpa mor ano passado não deu leite, por causa da crise!

Ou melhor! Fui João, pois acreditei na mudança que prometeram e que não aconteceu, e assim como muitos itabiranos, estamos de luto desde Janeiro de 2009.

Itabira, cidade parada, onde os caciques querem que reine a tranqüilidade política, para que a população não cobre, e a administração municipal continue acomodada!

Antes que me cobrem gostaria de lembrar a minha opinião de um texto passado

“Só que a cidade vai parando, parando e parando; vivendo da mono economia do minério de ferro; e sendo governada por um governo de uma bandeira só a UNIFEI. Nada contra, mais uma bandeira só é muito pouco!”

quarta-feira, 17 de março de 2010

Um recado do prefeito e umas contradições

O RECADO

No Diário de Itabira, edição de 16 de março, o prefeito João Izael "pede cautela" para o presidente da câmara de vereadores, Neidson Freitas, com relação à proposta do vereador de fazer uma mobilização para que Itabira receba uma unidade siderúrgica da Vale.

Para mim, a iniciativa do prefeito de se posicionar via a imprensa e não pessoalmente, soou como um recado para o jovem e inexperiente vereador, aspirante ao cargo de prefeito, para que deixe para ele a iniciativa, porque, em cena, estão os louros politicos da pretensa conquista pela siderúrgica, ou seja, disputa por sobrevivência política no malfadado e decadente grupão.

Em todos os casos, manda quem pode e obedece quem tem juízo.

E AS CONTRADIÇÕES

No primeiro parágrafo da matéria do Diário, o editor deixou claro que o diretor-executivo de Ferrosos da Vale, José Carlos Martins, "divulgou recentemente o interesse da mineradora em instalar uma siderúrgica em Minas Gerais, ainda este ano". Já na fala do prefeito, precisamente no parágrafo quinto da matéria do Diário, Izael nega e alega que procurou pessoalmente a direção da Vale e a resposta foi taxativa: "a Vale não pretende, neste momento, fazer qualquer investimento na área de siderurgia".

Na coluna de destaque, à direita da matéria, João derrapa ao afirmar que "Não vou dizer que seja a redenção (econômica), porque, na verdade, Itabira já vem caminhado a passos largos, principalmente no sentido de ter uma economia um pouco independente da Vale" (sic). Não entendi bem o que o prefeito quis dizer ao se pronunciar, inclusive com certo desdém... Se estamos realmente a passos largos da independência econômica, ou se vale o que ponderou depois, como "um pouco independente"... Afinal, o que seria da própria prefeitura sem os royalties da mineradora?

SOBRE A USINA SIDERÚRGICA ITABIRANA

Há outros pontos que temos, lamentavelmente, que reconhecer. Não temos águas em abundância próximas da sede do município e nem boas estradas para escoamento da produção, porque não atendem à necessidade de uma lógística mais arrojada, com terceira pista, acostamentos e ainda contamos com a estrangulada e assassina BR-381 nos assombrando. Por outro lado, a empresa conta com uma malha ferroviária invejável e, é claro, tem um passivo sócio-econômico-ambiental histórico com Itabira, que poderia ser mitigado com a implantação da siderúrgica.

Eu, como itabirano e em primeira instância de prioridade, defendo a vinda da unidade para nossa cidade, terra-natal da Vale. Mas, ainda se não puder vir por causa das restrições técnicas, que a instale o mais próximo possível, para que ela impacte positivamente, pelo menos, no setor comercial e de serviços itabiranos. E aí, não vejo melhor opção do que instalá-la em São Gonçalo do Rio Abaixo, que tem água em abundância, área disponível com boa topografia, minério de ferro, ferrovia, malha rodoviária um pouco mais privilegiada e, se sobra, está a 30 quilômetros de Itabira.

Jota Santos: Se vendeu ou foi comprado??

Um fato interessante aconteceu na última reunião do PV; a fala do ex-candidato a prefeito e ex-candidato a vereador Jota Santos. Pegou o microfone no momento em que estavam para ouvir questionamento dos presentes. O radialista desceu a lenha no governo do Grupão. Disse e repetiu várias vezes que foi comprado, que a gravação feita por ele e por sua mulher está na internet há um tempão e ninguem tomava providência. Continuou seu discurso dizendo que a Globo não noticía nada a respeito das falcatruas do Grupão e levantou suspeitas se o Grupão pagaria aquela emissora ou os seus repórteres para se manterem calados. (a Record tentou e saiu do ar) E alfinetou questionando: "Porque será que em todo o lugar do Brasil são cassados mandados de prefeito, vereador e governador e Itabira não?? Cadê o Ministério Público que não investiga nada??" Enfim, falou, falou, falou e terminou com a seguinte pérola: "Eu era do lado deles (Grupão) e me mandaram embora da Rádio Caraça. Imagina se eu fosse do lado do Damon?? Teriam me expulsado o quanto antes." Disse que iria se filiar ao PV e que estava do lado do Damon nas próximas eleições.
Isto tudo demostra como anda a situação do Grupão, que está implodindo. Estive algumas vezes com alguns dos presidentes dos partidos chamados "nanicos" e todos eles estão decepcionados com o governo do Grupão, alegando que só o Grupão mama nas tetas e eles morrem de fome. Na verdade, estão com raiva porque não sobra prá eles mamarem, pois se sobrasse, já estariam felizes e sem reclamar e batendo "parmas de contentamento," como diria o saudoso Luiz Meneses. Mas a ganância da turma do Bem Viver é tamanha que não deixa prá ninguem, nem mesmo para os nanicos que o apoiaram em troca de alguma migalhas em empresas terceirizadas. Mas o que mais se destaca nisso tudo, é o silêncio que o povo faz. Ninguem fala nada pois ainda dependem dos empregos nas terceirizadas, ninguem tem coragem de bater a mão no peito e falar: É uma merda tudo isso aí, como diria Lula. Mas sabemos, que em tempos vindouros esses contratos terminarão, todo mundo será despedido e aí sim, raivosos pela perca do emprego, irão demonstrar todo nojo e asco ao governo do Grupão, que manteve o povo amordaçado e calado em troca de empregos para um filho, um vizinho, uma amante...

O que falta para o Ministério Público agir? Ele tem de ser acionado?

Essa pergunta foi feita por um leitor em um dos comentários no texto por mim postado recentemente com o título "Deu no Jornal Impacto". Resolvi respondê-lo baseado no que aprendi em minhas aulas de Direito: O caput do Art. 127 da nossa Carta Magna diz que "O Ministério Público é instituição permanente, essencial à função jurisdicional do Estado, incumbindo-lhe a defesa da ordem jurídica, do regime democrático e dos interesses sociais e individuais indisponíveis (G.N.)."

O Art. 129 define as funções do Ministério Público e entre elas o item III - promover o inquérito civil e a ação civil pública, para a proteção do patrimônio público e social, do meio ambiente e de outros interesses difusos e coletivos.( G.N.).

Torna-se claro que o Ministério Público não precisa ser acionado, a sua função fiscalizadora constante é função essencial à justiça. O MP se presta a agir no campo dos interesses daquelas pessoas que por si só são insuficientes para se defenderem e mais, velar pela aplicação da lei. Porém, em Itabira, terra sem lei e cidade do Bem Viver para poucos, o M.P. se faz de amouco, servil, condescente, devagar, cega, privado de vontade e coragem, subserviente, inoperante, frouxo, lento, vagaroso, compassado, fraco, espaçado, pachorrento, ronceiro, preguiçoso, mole, brando, indolente, escasso, falho, inexpressivo e incapaz diante dos descalabros do executivo do Bem Viver... É isso aí... Obrigado Aurélio, pai dos inteligentes!!

terça-feira, 16 de março de 2010

QUEM CHORA, OU MELHOR QUEM LUTA, POR ITABIRA?


Vertendo rios de lágrimas o governador carioca Sérgio Cabral convoca a manifestação “chapa branca” para defender o Rio de Janeiro contra o novo modelo de distribuição de royalties do petróleo.

Mobilizam-se contra a proposta do deputado gaucho Ibsen Pinheiro que propõe a distribuição todos os Estados da Federação do Petróleo explorado na costa Brasileira.

Os governantes do Rio querem que somente este Estado continue recebendo todos estes recursos para compensar a exploração destas riquezas.

Ora, mais de 90% do petróleo e gás que dizem que é extraído no Estado do Rio de Janeiro é na verdade extraído a mais de 100 milhas do continente, sendo território da UNIÃO e não do Rio.

Mas pouco importa a geografia, pouco importa de onde as riquezas são extraídas, a questão é política, o Rio de Janeiro quer continuar recebendo os royalties.

Quem chora, ou melhor quem luta por Itabira?
Alguém duvida que aqui temos há mais de 50 anos a exploração do minério de ferro?
Alguém duvida da destruição ambiental que esta região foi e é submetida?

E as décadas de impostos que não foram recolhidos no município? Porque não se reaplicam na região parte dos lucros aqui gerados?
Será que só temos o choro e lamentos do Drumond sobre Itabira e seus pobres diabos, que ecoam em seus versos e prosa?
Está passando da hora de elegermos deputados estaduais e federais que realmente conosco lutem.

Jânio Bragança

Novos recordes!

E aí, pessoal! Nesta semana, praticamente dobramos o número de seguidores e o número de acessos simultâneos no nosso blog, conforme podem comprovar na aba vermelha ao lado e na coluna de seguidores.

Se conitnuarmos a contar com suas ajudas na divulgação para sua lista de e-mails e ao se inscreverem gratuitamente conosco, como seguidores, nós vamos fazer história em Itabira, ao convencer a classe política que nossa terra merece muito mais atenção, zelo com seus recursos e cuidados na gestão pública.

E vamos espalhando nosso grito mundo afora. Recentemente, fomos visitados por prováveis conterrâneos localizados em: Pawtucket (USA), Perth Amboy (USA), Setúbal (PT), Vila Nova (PT), Panamá, África, Manaus, Brasília, São Luiz, Recife, Maceió, Teófilo, Dourados, Ponta Grossa, São Paulo, Campinas, Resende, Rio de Janeiro, Niterói, Vitória, Arcos, Divinópolis, Itaúna, Ibirité, Lagoa Santa, Belo Horizonte, Contagem, Betim, Barão Cocais, Timóteo, Teófilo Otoni e Governador Valadares. Um abração do Filhos-do-Cauê para todos vocês!

E por falar em asfaltamentos e estradas...

Cadê as obras dos asfaltamentos para os distritos?

No ano passado, estive fotografando os asfaltamentos para Senhora do Carmo e Ipoema. O destaque ficou para as obras para Ipoema, iniciadas no ano eleitoral que reelegeu João Izael. Na ocasião, li que a estimativa de vida útil de um piso asfaltado é de 8 anos, em média. Daí, imaginei logo que, no ritmo que vinham tocando a obra para o Carmo, quando terminarem, já estará na hora de refazerem o piso, visto que ela se iniciou no governo do Ronaldo Magalhães, há cerca de 7 anos atrás.

Paralelamente, o asfaltamento para a vizinha cidade de São Gonçalo do Rio Abaixo, custeado pelo próprio município de São Gonçalo e com uma parcela do DER-MG, em cerca de 2 anos já está quase que todo concluído. O último trecho dos 2 quilômetros restantes e algumas obras de arte começam a ser retomadas nestes dias, após acordo com a Vale.

Curioso, neste final de semana, resolvi dar uma volta na região rural de Itabira e ficou patente a má conservação das estradas rurais itabiranas, sobretudo na região da Boa Vista, mesmo tendo recebido fartos recursos para recuperação de, pasmem, 5.550 quilômetros, segundo denunciou a última edição do jornal Impacto. E o pior, o asfaltamento para Ipoema, antes em ritmo acelerado, encontra-se totalmente abandonado, com trechos cortados em franca erosão. Vide fotos ao lado.


Estamos (Estávamos) sem pista da terceira pista

EM TEMPO: Após publicarmos a nota abaixo, dias depois, as máquinas voltaram a operar no trecho entre a Chapada e o Barro Branco. Leia mais.
Meses atrás, as obras de construção da terceira pista do trecho entre Itabira e o trevo para BH, ora chamado de MG-129, de BR-120, de MG-434 e de BR-434, se encontravam em plena atividade. Parte do asfalto, próximo ao bairro Barreiro, foi recapeado e víamos máquinas pesadas cortando as margens da estrada, próximo do Barro Branco.

Estranhamente, há dias venho transitando pelo trecho, antes em obras, e tenho percebido que, sem qualquer justificativa ou satisfação para os contribuintes, as máquinas abandoram o local (vide fotos abaixo). Será que foram transferidas para outros currais eleitorais?



Sem a construção desta terceira pista, bem como da duplicação da BR-381, qualquer discurso de trazer para Itabira novas indústrias ou a sonhada siderúrgica da Vale, por si só desmotiva bem os investidores. Nossa malha rodoviária, embora tenhamos que reconhecer que tem recebido boa atenção no passado recente, pelos asfaltamentos para Nova Era, João Monlevade e São Gonçalo, percebe-se que o porte delas não foi projetado para grandes escoamentos, ou seja, foi para contemplar as necessidades locais. São cheias de curvas acentuadas e sinuosas, praticamente não contam com acostamento e ainda possuem trechos muito acidentados. Aliás, após os asfaltamentos, o trecho até o trevo para BH passou a ter um tráfego muito acima da sua capacidade. Daí, a nossa urgência em ver Itabira, realmente, bem conectada à capital.




Daí a César o que é de César

A publicidade dos atos de governo é um direito dos cidadãos. O cidadão deve ter acesso às informações públicas para controlar e avaliar seus representantes. A informação é o instrumento que o cidadão tem para avaliar o trabalho de seu representante. Quanto mais informações o cidadão tiver sobre o governo e o comportamento de seus representantes, mais preparado estará para decidir quem está apto para representá-lo. A transparência do governo é, ou pelo menos deveria ser, uma característica que distingue um governo democrático de um governo autoritário.

Dar publicidade às ações governamentais é, portanto, tarefa de um governo democrático. Mas a publicidade deve servir para informar o cidadão, aumentando a transparência do governo. A propaganda oficial não pode servir como mero panfleto promocional, destinado exclusivamente a influenciar a opinião pública. E, essencialmente, a publicidade não pode servir para deformar ou distorcer a informação.

Recentemente, circulou por toda Itabira um informativo da administração municipal alardeando as conquistas do município no ano passado. Inclui-se na lista de conquistas o asfaltamento de Bom Jesus até Ipoema, o aumento da capacidade do tráfego de Itabira ao trevo... certamente conquistas importantes, mas que não foram custeadas pelos cofres do município.

A prática, aliás, não é nova. No período eleitoral, a campanha de reeleição transmitia a impressão que obras importantes como o asfaltamento de Itabira à Nova Era e Itabira à Monlevade, a Estação de Tratamento de Esgoto e a instalação da Unifei eram realizações da administração municipal. Só não era dito que os recursos eram, em sua maioria, estaduais ou federais. Obras de administrações anteriores, como a segunda etapa do Canal da Praia, Canal da Gabiroba e Avenida Mauro Ribeiro pareciam ser fruto da atual administração. Curioso é que a paternidade sobre parte das conquistas já havia sido reivindicada pelo ex-prefeito Ronaldo Magalhães.

Dias atrás, novo informativo circula na cidade. Desta feita, o deputado Mauri Torres prestando contas de sua atuação parlamentar. Entre os frutos de seu trabalho, obras e recursos articulados para o asfaltamento de Itabira a Monlevade e Itabira a Nova Era, aumento da capacidade do tráfego de Itabira ao trevo, pavimentação de estradas rurais. A lista de conquistas é bem semelhante. Curioso, novamente, é que a articulação para obtenção de boa parte de tais recursos já havia sido reivindicada por outro deputado.

Daí eu fico imaginando como fica a cabeça do cidadão menos informado, que não acompanha a rotina do governo, mas que utiliza a publicidade oficial para formar sua opinião. Diante de informações contraditórias, confusas ou obscuras, o cidadão vê sonegado seu direito de informação correta, dificultando o controle e avaliação de seus representantes.

O fato é que nos últimos cinco anos foram destinados aos cofres municipais aproximadamente R$ 1.000.000.000,00 (um bilhão de reais). Mesmo assim, os principais investimentos realizados em Itabira são recursos estaduais e federais. Não se nega ou menospreza a articulação das lideranças municipais e regionais para fazer chegar o recurso. Nossas maiores conquistas são sempre fruto de um trabalho coletivo. Mas é preciso conceder ao cidadão informação verdadeira. Cidadania se constrói assim. Informações contraditórias, confusas ou obscuras tornam um governo menos democrático e produz um cidadão amputado em seu direito de formar sua convicção. Bom para maus governos. Ruim para a sociedade.

segunda-feira, 15 de março de 2010

Reunião do PV, hoje à noite!

Chegou a pouco um convite para uma reunião no PV de Itabira, vindo do médico Damon de Sena, ex-candidato a prefeito, que acontece às sete e meia da noite de hoje, no Sindicato dos Rodoviários.

Ao tomar conhecimento do evento, liguei para o Damon e consegui antecipar a pauta do evento, no qual serão abordados o problema com a prestação de contas da última campanha e seu atual status junto à Justiça Eleitoral; falarão ainda sobre as situações das candidaturas para deputados estadual e federal, com os prováveis desfechos e sobre a mudança da presidência do PV Estadual e os possíveis reflexos para o PV Itabirano.

Ao insistir para que Damon adiantasse sobre a questão da prestação de contas, Damon atendeu ao nosso pedido e disse para nossa redação que, realmente, alguns recibos foram extraviados no final das eleições passadas, momento em que se preparavam para fechar as contas. Na ocasião, segundo o ex-candidato a prefeito, eles solicitaram à Polícia um Boletim de Ocorrência para que o caso fosse investigado, que chegou a ser anexado à prestação de contas. Daí então, o cartório eleitoral local encaminhou o problema para o TRE-MG, para análise e providências. Mas, adverte o médico e pré-candidato a deputado estadual, que ainda não há impedimento legal quanto sua candidatura.

Mais informações, hoje durante a reunião.


Deu no Jornal Impacto

Tomei a liberdade de trazer para conhecimento dos leitores do nosso blog essa matéria, no mínimo intrigante...
"Já que o prefeito de Itabira declarou num jornal institucional que, em 2009, deu manutenção em inacreditáveis 5.550 quilômetros de estradas rurais do município, e que o secretário de Obras declarou à reportagem desse periódico que o município tem apenas 2.500 quilômetros de estradas de terra, conclui-se que todas as estradas de terra do município tenham recebido melhoramentos pelo menos duas vezes durante o ano passado. Sendo assim, acredita-se que umas das poucas que não foram beneficiadas é a estrada que liga o distrito de Senhora do Carmo a Itabira, passando pela comunidade do Angico. Os cerca de 19 quilômetros dessa estrada estão em estado periclitante. Talvez essa estrada não faça parte de Itabira. Alguém está mentindo ou alguém está embolsando o dinheiro público. Quem consegue decifrar essa charada? A quilometragem de estradas de terra, declarada pela prefeitura de Itabira, que teriam sido patroladas e cascalhadas, 5.550 quilômetros, é tão incrível, que daria para ir do Monte Caburaí, no extremo norte do Brasil ao Arroio do Chuí, no extremo sul, que são os pontos mais distantes do País. A distância entre o Caburaí e Chuí é de 4.320km. Mesmo assim, ainda sobrariam cerca de 1.180 quilômetros. Fala sério! Será que alguém acredita? Diante das discrepâncias dos números declarados pela prefeitura de que, 5.550 km de estradas rurais do município receberam anutenção e da quilometragem total de estradas rurais que tem Itabira, 2.500 km, declarado pelo secretário de Obras, cabe à Justiça descobrir onde foram aplicados os recursos das quilometragens restantes. A diferença dessa conta é que a prefeitura teria dado manutenção em 2.000 quilômetros de estradas a mais que tem o município. Tem coelho nesse mato!"

Contas não aprovadas de Damon

Bem, cutucado que fui através de um comentário, resolví falar sobre as tais contas não aprovadas de Damon, vice-presidente do calado PV de Itabira. Apesar de não ser militante do partido e sim admirador, pois não sou filiado a ele, participo de algumas reuniões (convidado que sou) e na ultima, o presidente daquele partido, junto com Damon, questionado sobre a não aprovação das contas disse que desapareceram alguns recibos durante e campanha e deixou no ar sob de quem seria a responsabilidade da guarda de tais recibos que está sendo averiguado. Todo mundo sabe da invasão que houve no comitê do PV para levar material de campanha às vesperas da eleição; Ministério Público (ÓÓ apareceram...) policia, e os famosos num sei mais quem e quem é. Não me lembro direito pois estava viajando. O comitê virou uma zona e talvez, opinião minha, muita coisa "desapareceu" durante tal ato... e nada mais. Prá não render o assunto, repito, OPINIÃO MINHA!!!!

domingo, 14 de março de 2010


POR TRÁS DA BR-381

Na semana passada, a administração do Dnit convocou uma coletiva de imprensa para comunicar que a obra de duplicação da BR-381, entre Belo Horizonte e Governador Valadares, só deverá estar pronta entre 2014 e 2015. Em suma: a obra vai ficar para o próximo governo.
A não ser essa previsão, nada mais foi acrescentado que já não se soubesse. Poucos dias antes, o ministro dos Transportes anunciou que a privatização da rodovia estava cancelada. O governo se encarregaria da obra. Enquanto isso, ela receberia radares, mas sem prazo.
A rodovia vai continuar matando. Em 2008, 277 pessoas morreram nela. Há um ano, seis pessoas morreram num de seus piores acidentes. Apesar dos números e da fama de “rodovia da morte”, a BR-381 não foi tratada como prioridade pelo governo durante dois mandatos.
A justificativa do governo para a suspensão da licitação foi o alto preço do pedágio que seria cobrado. Por trás disso, no entanto, estão outras razões. Em ano de eleições, o governo não quer, com uma privatização, contrariar o discurso estatizante que vai usar no pleito.
A suspensão da licitação da BR-381 é o último ato de um processo que, conduzido com demagogia, não poderia dar certo. Há tempos, o governo concedeu várias rodovias federais para a iniciativa privada. O critério de outorga foi o menor preço do pedágio.
Ao não cobrar nada pelas outorgas, o governo escolheu mal as concessionárias. Logo elas demonstraram não ter capacidade econômica. Com pedágios fora da realidade, não tiveram recursos para investir na recuperação das rodovias e reivindicaram reajustes.
O adiamento da duplicação da BR-381, com a decisão do governo de que ele próprio vai executar a obra (se sua candidata ganhar as eleições), é uma confissão de fracasso. Não teve capacidade nem de investir na rodovia nem de delegar isso à iniciativa privada.
A BR-381 é um problema de segurança nacional negligenciado pelo governo.
(Editorial do jornal O Tempo, de domingo)

E POR FALAR EM BR

Em entrevista, na última sexta, ao jornal Diário de Itabira, o prefeito João Izael (PR) disse que vai cobrar explicações ao Dnit sobre o cancelamento da licitação das obras de duplicação da rodovia BR-381. Disse ainda que não aprova a decisão do governo e que a notícia foi recebida com pesar pelo Médio Piracicaba, mais um monte de coisas equivocadas.
É o verdadeiro samba do crioulo doido, diria o Stanislau Ponte Preta.
Nunca se viu tanta bobagem num mesmo espaço. Das duas uma: ou o prefeito foi mal informado sobre a decisão do governo ou o repórter não entendeu nada que ele falou.
Não foi cancelada nenhuma licitação, mas sim o leilão para privatização do trecho da rodovia. E se explicações precisam ser cobradas, devem ser da ANTT e não do Dnit.
Equivocada também a afirmação de que o Médio Piracicaba recebeu a notícia com pesar.
É exatamente o contrário já que a decisão do governo é o que a região vinha cobrando há um ano com uma série de manifestações e paralisações da rodovia.
Agora, se o próximo governo vai mesmo duplicar a rodovia, aí são outros quinhentos...

sábado, 13 de março de 2010

Batemos recorde!!!

Em menos de 1 ano de funcionamento, o Filhos-do-Cauê vem crescendo assustadoramente e sem qualquer iniciativa nossa no sentido de divulgá-lo. Os leitores é que são nossos maiores incentivadores e divulgadores. Entre si, mandam e-mails para os conterrâneos e comentam os posts, pedem para serem autores desse fórum coletivo e apartidário. Tornamos o fórum para defender Itabira, onde a maioria dos itabiranos encontra-se indignada, submetida ao medo e à pressão política. Portanto, tornou-se o muralzão de recados do município.
A postagem "Entre amigos e colegas?" com a denúncia de uso de influência para se beneficiar, do secretário Ailton Moraes, atingiu, até agora, 24 comentários! Ou seja, 24 manifestações favoráveis e de defesa, claro, porque não pretendemos aqui manter um canal de informação dirigida e tendenciosa, como a maioria absoluta dos canais bancados pelo mesmo governo, como o que o Ailton participa.

Por isso agradecemos a todos pela preferência e participação. Dentro de alguns dias, iremos propor uma parceria com o Ministério Público, para que possamos abrir aqui um canal de denúncias anônimas, não para achincalhar e publicar sem as devidas averiguações e defesas. Mas para serem repassadas, diretamente para promotoria pública, para que o MP averigue e nos retorne com os pareceres da Justiça. Que tal?

quinta-feira, 11 de março de 2010

DEMAGOGIAS OU OPORTUNISMO?

O presidente da Câmara de Vereadores de Itabira vive se reinventando com uso de demagogia. Na ausência de ações que competeriam à sua função e dos demais colegas, no que tange a fiscalizar e conferir as contas da Prefeitura de Itabira, o nobre edil, que também já declarou que não assina "cheque em branco", agora quer viver às custas dos espólios políticos alheios e, de sobra, quer convencer a todos que ele não quer se beneficiar. Vejam só esses recortes da mídia local:


NEIDSON PEDE APOIO A NOZINHO
No final do mês passado, Neidson foi à São Gonçalo do Rio Abaixo para tentar convencer o prefeito Nozinho, que acumula o cargo de presidente da Amepi, para se unirem para escolha de um só candidato a deputado estadual e outro a federal pela região. Em cena, ele como aspirante a candidato a deputado federal. Ou não? (veja mais, e mais)


NEIDSON PEGA CARONA EM AÉCIO
No dia 04 passado, recebi um release da assessoria da câmara de Itabira com o título: "Cidade administrativa é um exemplo de gestão pública, segundo Neidson Freitas". Fiquei sem entender o porquê que um comentário comum e óbvio seria uma notícia. Daí, acabo percebendo que o texto surtiu efeito e foi reverberado mídia afora. Saiu na DeFato On Line, no Via Comercial e no Mixx. É bem verdade que é uma obra e tanto. Mas porque o comentário do edil se sobrepôs ao grande feito e ao responsável? Entendi não. A não ser que, como não se vê igual eficiência administrativa pública local (ou referência, como queiram), todos se juntaram em plantar a pulga nas nossas orelhas. Seria essa a interpretação correta?


NEIDSON QUER REELEIÇÃO NA CÂMARA, MAS NÃO É PARA SE BENEFICIAR
Foi publicado no Diário de Itabira de ontem, que Neidson Freitas propõe mudar a Lei Orgânica Municipal, para que seja permitida a reeleição da presidência da casa, mas que (sic) não é para se beneficiar.

Cinco, dos onze vereadores, se posicionaram contrários porque, segundo a matéria, almejam a sucessão na presidência, dentre eles: Paulo Chaves (PSDB), Martha Mousinho (cunhada do ex-secretário de obras Gui, pelo PTN), Geraldo Torrinha (PDT), Élson Sá (PMDB) e Tãozinho (colega dele no PP). Na retranca, Neidson aposta na mudança de opinião deles. Como e por que? Por quanto ou em troca de quê? Pergunto, sem esperança em respostas.

terça-feira, 9 de março de 2010

Entre amigos e colegas?

Chega a ser infantil a atuação da Assessoria de Comunicação do governo do João Izael, orquestrada pelo xará Fernando Silva.

Recebi, ontem uma edição eletrônica do periódico Imprensa Jovem, de número 146, com a manchete "João Izael visita obras do campus da Unifei junto com autoridades locais". Na edição fornecida, dá destaque à "visita" do prefeito à obra, traz uma matéria exaltando o carnaval de Itabira como "mega estrutura", sem uma linha sequer a respeito dos problemas com a licitação, que custearia a tal "mega estrutura" e, "para compensar", recebeu anúncios da Prefeitura sobre a Transita e um da Câmara de Vereadores, abordando os investimentos na recuperação de água pluvial.

Como recordo que Ailton Francisco Moraes era conhecido como dono do Imprensa Jovem, na época que fui assessor de comunicação da casa, resolvi investigar. Ailton Francisco Moraes consta hoje como filiado do PMN (inscrição: 101329300205, de 11/06/2003), segundo o sistema do TSE e, ao mesmo tempo, figura como ouvidor municipal no sítio oficial da prefeitura de Itabira. Embora o periódico não conste mais o nome dele como diretor, ele assina uma coluna na mesma edição, que ainda traz um anúncio do seu partido.

Fiquei mais curioso e gostaria de saber, quem são os responsáveis presentes no expediente: Rosalina Oliveira e Marilane Silva. Seria interessante sabermos quais relações elas têm com o Ailton. Pelo menos de parceria, por certo deve haver, vistos a penetração dele na coluna e o referido anúncio do PMN, seu atual partido. Caso o Ailton ainda tenha controle financeiro do jornal, é ilegal e imoral contar com anúncios de uma instituição onde ele ocupa cargo, principalmente por ocupar cargo de primeiro escalão. É como um acréscimo no salário, ou "mais um por fora". Se não é mais o dono, tais conteúdos sugerem indicações, aconchavos ou privilégios. Caso nada tenham a ver um com ou outro, é no mínimo estranho o fato do periódico não ter abordado os problemas com a licitação do carnaval e ainda fazer uso de adjetivos elogiosos e superlativos, numa mesma edição "bancada" pelo elogiado, no caso, a prefeitura, onde é o ombusdman.

Por permanecerem as dúvidas, deixo aqui aberto o nosso blog para que os citados se expressem e se defendam.


sábado, 6 de março de 2010


SIDERÚRGICA VALE

Leio no jornal O Tempo que o diretor-executivo de ferrosos da Vale, José Carlos Martins, disse que a mineradora pode voltar a investir na produção de aço no Estado.
A afirmação é uma resposta ao presidente Lula e ao próprio governo do Estado, que pressionam a Vale a agregar valor ao minério de ferro, matéria-prima para a produção de aço. A expectativa é que, até o final do ano, a mineradora anuncie projeto na área de siderurgia e defina qual município mineiro vai receber o investimento.
Antes disso a Vale vai investir R$9,4 bilhões no estado até 2014 em várias minas, entre elas as de Caeté, Santa Bárbara e Itabira.
Esta última, berço da empresa e eterna cobradora de passivos ambientais, sociais e históricos, seria por direito o município ideal para receber o projeto de siderurgia da Vale.
O problema é que as autoridades que representam o município devem se dar por satisfeitas com a quantidade de dinheiro que rola a céu aberto ou no submundo dos porões da política.
E, talvez por isso mesmo, não tenham mais a confiança nem dos investidores.
RONALDO CANDIDATO?

Padrinho político e responsável pela entrada de Ronaldo Magalhães no Partido Verde, o deputado federal Antônio Roberto foi retirado da presidência do partido em Minas porque é contra a candidatura própria do PV ao governo do Estado.
Em seu lugar entrou o também deputado Ronaldo Vasconcelos, que fortalece o nome de José Fernando Aparecido de Oliveira como candidato a governador e com o apoio da candidata a presidente, Marina Silva.
Só para lembrar: José Fernando é padrinho político de Damon de Sena no PV e foi contra a entrada de Ronaldo Magalhães no partido.
Se já eram péssimas as possibilidades de Ronaldo se eleger, agora ficaram piores. Afinal, para complicar ainda mais, ele afirmou na época que chegava ao PV pelas mãos de Aécio Neves, que não apóia José Fernando nem Marina Silva.
É mais ou menos como dizia Magalhães Pinto: política é igual as nuvens; muda toda hora.

RONALDO CANDIDATO?

Padrinho político e responsável pela entrada de Ronaldo Magalhães no Partido Verde, o deputado federal Antônio Roberto foi retirado da presidência do partido em Minas porque é contra a candidatura própria do PV ao governo do Estado.
Em seu lugar entrou o também deputado Ronaldo Vasconcelos, que fortalece o nome de José Fernando Aparecido de Oliveira como candidato a governador e com o apoio da candidata a presidente, Marina Silva.
Só para lembrar: José Fernando é padrinho político de Damon de Sena no PV e foi contra a entrada de Ronaldo Magalhães no partido.
Se já eram péssimas as possibilidades de Ronaldo se eleger, agora ficaram piores. Afinal, para complicar ainda mais, ele afirmou na época que chegava ao PV pelas mãos de Aécio Neves, que não apóia José Fernando nem Marina Silva.
É mais ou menos como dizia Magalhães Pinto: política é igual as nuvens; muda toda hora.

sexta-feira, 5 de março de 2010

COM QUEM VOCÊ CHUPA JABUTICABAS?

Vou transcrever um poema que recebi de um amigo. O João Tavares, assessor de uma deputada federal do PT. Gostaria que o João fosse milionário, assim ele pararia de ficar nesta correia louca e cuidaria mais de seu filhinho e de sua vida.
Ele é um convidado meu para comer feijoada e chupar jabuticaba em Itabira.
Li o mesmo e fiquei pensando, “com quem vou dividir a bacia de jabuticabas”?
Com quem deturpa uma informação e publica que um convescote etílico entre amigos é transformado num encontro festivo de esquerdistas milionários?
Ou com quem confunde amizade com conluio, e transforma gestos de apoio a projetos em nossa cidade a interesses mesquinhos, contaminados por genética familiar?
Certamente que não!
Vamos comer nossas feijoadas e chupar as jabuticabas saboreando o sabor de nossas identidades e das diferenças,numa boa, mas longe dos aloprados.


Jânio Bragança





Contei meus anos e descobri que terei menos tempo para viver daqui para a frente do
que já vivi até agora.
Tenho muito mais passado do que futuro.
Sinto-me como aquele menino que ganhou uma bacia de jabuticabas.

As primeiras, ele chupou displicente, mas percebendo que faltam poucas, rói o caroço.

Já não tenho tempo para lidar com mediocridades.

Não quero estar em reuniões onde desfilam egos inflados.
Inquieto-me com invejosos tentando destruir quem eles admiram, cobiçando seus lugares, talentos e
sorte.
Já não tenho tempo para conversas intermináveis, para discutir assuntos inúteis sobre vidas alheias que nem fazem parte da minha.
Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas, que apesar da idade cronológica, são imaturos.
Detesto fazer acareação de desafetos que brigaram pelo majestoso cargo de secretário geral do coral.
As pessoas não debatem conteúdos, apenas os rótulos.
Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos, quero a essência, minha alma tem pressa...
Sem muitas jabuticabas na bacia, quero viver ao lado de gente humana, muito humana, que sabe rir de seus tropeços, não se encanta com triunfos, não se considera eleita antes da hora, não foge de sua mortalidade...
Só há que caminhar perto de coisas e pessoas de verdade.
O essencial faz a vida valer a pena.
E para mim, basta o essencial!

Mário de Andrade

quinta-feira, 4 de março de 2010

BPB - Big (Politician) Brother

Recebi este texto por e-mail e vale a pena ser divulgado, ainda que a autoria da idéia não seja verdadeira. Com vocês, a interessante sugestão atribuída à magnífica Rita Lee, cujo texto replico na íntegra:

"A cantora e ativista Rita Lee teve uma daquelas idéias brilhantes, do seu gênio criativo.


Reclamando da inutilidade de programas como o Big Brother, ela deu a seguinte sugestão:
-Colocar todos os pré-candidatos à presidência da República trancados em uma casa, debatendo e discutindo seus respectivos programas de governo. Sem marqueteiros, sem assessores, sem máscaras e sem discursos ensaiados. Toda semana o público vota e elimina um. No final do programa, o vencedor ganharia o cargo público máximo do país. Além de acabar com o enfadonho e repetitivo horário político, a população conheceria o verdadeiro caráter dos candidatos. Assim, quem financiaria essa casa seria o repasse de parte do valor dos telefonemas que a casa receberia e ninguém mais precisará corromper empreiteiras ou empresas de lixo sob a alegação de cobrir o 'fundo de campanha'".

Como podem ver, a idéia é genial.
Casa dos Políticos, já!!!
 

Números muito contraditórios

Recebi um puxão de orelhas sobre a provocação que fiz sobre a pesquisa de avaliação da nossa Câmara de Vereadores, realizada pelo DataMG, que pertence ao jovem Adilson Simeão, que (segundo nos foi informado) também trabalha para a Câmara de Vereadores de Itabira. Na verdade, ele havia feito a pesquisa sim e optou por a publicar no site da DeFatoonline, onde trabalhou. Usualmente, o Adilson vinha enviando cópias das pesquisas para meu e-mail particular, entretanto, a da Câmara local, estranhamente, ou se esqueceu, ou ocorreu alguma falha. Daí, o erro. Por isso, peço perdão a todos pela minha precipitação.

Segundo o DataMG, conforme publicado no site da DeFatoonline, a avaliação popular sobre os trabalhos da Câmara de Vereadores de Itabira "cresceu em 14%", cujos resultados apontam para 40% como positivos, 36% como regulares, 14% como negativos e 10% como não sabem ou não responderam. 

Paralelamente, por coincidência, nosso blog vinha avaliando a atuação dos nossos vereadores, só que fechamos com resultados bem piores e até pífios. Apenas 3% dos nossos leitores entenderam que a Câmara é atuante e que cumpre bem seu papel de legislar e fiscalizar. Mas, as maiores aberrações ficam para os 94% que a condenam como subserviente, que não fiscaliza o executivo e que nem propõe leis. Outros dados curiosos são que 36% dos leitores do Filhos-do-Cauê entendem que a Câmara vai mal porque toda ela pertence ao grupão, que o presidente é ruim e vaidoso (30%) e que, ainda, o povo não sabe escolher seus representantes (18%).

Ressalvadas as limitações que têm as enquetes diante de resultados de pesquisas e ao fato do dono do DataMG trabalhar para a Câmara (segundo as informações), com tamanhas aberrações, não há como não ficarmos inquietos e desconfiados. Ou nosso blog é, praticamente, visitado só por pessoas insatisfeitas e os resultados ficaram tendenciosos; ou a pesquisa do DataMG não retrata a realidade; ou, ainda, o povo de Itabira é pouquíssimo politizado. Como é que, diante de tantos indícios de desvios, sem qualquer ação da Câmara no sentido de fiscalizar, consegue-se resultados como os que foram publicados pelo DataMG?

É duro e é de doer.



quarta-feira, 3 de março de 2010

DÁ UM JOINHA AÍ!

Durante a campanha política de 1998 no Estado de Goias, foi utilizado o vídeo com o ator Pedro Bismark, conforme postado abaixo. Este mecanismo foi utilizado novamente nas eleições para prefeito de BH, pelo Duda Mendonça.

No momento que foi utilizado o video representado pelo ator Tom Calvancante, na campanha do Marcio Lacerda; a internet foi uma ferramenta muito importante, na desconstrução da imagem do candidato Leornardo Quintão.

O mestre Duda Mendonça, tinha a certeza que este mecanismo utilizado por Santa Rita, nas eleições de 1998 em Goias, poderia ajuda-lo, e não pensou duas vezes de usar nas eleiçoes de BH em 2008.

video

segunda-feira, 1 de março de 2010

O USO DA INTERNET COMO FERRAMENTA DE INTELIGENCIA

Cada vez, mais parece que a concepção de que os artistas podem mexer no imaginario popular e reforçar as intençoes de votos, para um candidato.

O Programa eleitoral de Marconi Perilho Governador no ano de 1998, foi exibido este video, que relatava o "troca troca", e a dança das cadeiras, para atender as pessoas do mesmo ambiente politico e das coligações.

Este video foi criado pelo mago Chico Santa Rica que satirizou seus adversários, e este mesmo mecanismo foi utilizado nas eleições de 2008, em BH, representado pelo artista Tom Cavalcante.

Quando fiz o curso de Marketing Eleitoral em São Paulo, aprendi muito, à respeito de ações e estratégicas de comunicação, assim espero aplicar nossas idéias, nas próximas eleições, principalmente em 2012.

Na ultima eleição em Itabira, a internet foi muito mal usada, mas nestas 2010, acredito que será mais explorada, assim estamos aberto ao dialogo para trocar informações, à respeito da Website.

Espero que os leitores deste blog gostem de algumas estratégicas politicas realizadas em nosso Brasil.

Abraços,

Henrique Nery
video

TEATRO DA ARMAÇÃO


TEATRO DA ARMAÇÃO

CENA UM - Queimou seu filme quem levou o presidente da Câmara de Itabira e pré-candidato a deputado federal para uma visita ao prefeito de São Gonçalo do Rio Abaixo, Nozinho, sem antecipar o assunto.
Como a boa educação manda, Neidson Freitas foi muito bem recebido.
Daí a ter apoio às suas pretensões ou sua estratégia política dar certo, a distância é quilométrica.
Nozinho, como bom mineiro, responde com um sorriso de constrangimento quando é perguntado sobre a visita.
Bobo mesmo é quem tenta fazer os outros de bobo.

CENA DOIS – Há mais de um mês o blog luizdomosaico.blogspot vem denunciando fatos que ele denomina como peças e provas do Carnaval da Maracutaia realizado pela Prefeitura de Itabira neste ano.
Ele até já se referiu ao prefeito nominalmente como corrupto e não se tem notícia de nenhuma reação do lado de lá, o que leva a crer que o blogueiro deve estar com alguma razão. Ou não?
Alguém já viu na história de Itabira algum prefeito ser nominalmente chamado de corrupto sem reagir? A situação, irremediavelmente, coloca Itabira como referência nacional.