Who's amoung us?

terça-feira, 31 de maio de 2011

FILHO FEIO NÃO TEM PAI

TÁ MELHORANDO...
Li no "A Semana", novo jornal recém chegado na cidade, que o prédio da Unifei só será inaugurado quando o ministro da Educação, Fernando Haddad, puder vir.

A princípio, imaginei logo um amadurecimento político do governo, ao dar a Cesar, o que é de Cesar, no caso, o governo federal, como um dos 3 parceiros na vinda da Unifei. Só lembrando, em outras oportunidades, como nas inaugurações da Ete Laboriaux e dos asfaltamentos das estradas para Nova Era e Monlevade, correu logo para anunciar as obras como feitos do governo Izael, quando omitia os principais realizadores das obras, nos casos, os governos federal e estadual.

De repente, poderia ser essa nova maneira de reconhecer o governo federal-PT como parceiro, nos momentos de festa. Um tipo de crédito a favor da composição do PT/PT local, para fortalecer o pupilo deles, o Neidson Freitas-PT, e o Alexandre Banana, presidente do PT e diretor da câmara municipal.

MUDANÇAS DE ESTRATÉGIAS

A inauguração estava marcada para o dia 20 passado, quando o Marcos Gabiroba havia dito, em sua coluna do Diário de Itabira, que "o prefeito João Izael Querino Coelho (PR) bateu o martelo e determinou: a inauguração do prédio da Unifei/núcleo Itabira será no próximo dia 20. Falou quem pode, obedece quem tem juízo" (clique aqui para reler). Pelo que conheço do Gabiroba, ele jamais diria algo sem confirmação, dada sua reputação e integridade moral. 

A mudança da data, a meu ver, veio depois dos tantos questionamentos dos alunos sobre a ausência do RU-Restaurante Universitário, na unidade itabirana, bem como da falta de uma lanchonete no início da ocupação, sem nos esquecer, entretanto, dos tantos improvisos de instalações às quais os alunos já foram submetidos. 

O recuo do governo, imagino, seria por causa de uma possível manifestação dos alunos, que encontravam-se bem articulados contra o governo, que fora o responsável pelas obras do prédio e que vinha buscando a salvação de sua péssima reputação, na vinda da Unifei para a cidade. 

Dias depois, chegaram alguns comentários aqui, neste blogue, vindos de defensores do governo, alegando que o projeto do prédio é de responsabilidade da própria Unifei. Se confirmada a informação, a irresponsabilidade tem outro endereço, no caso, a reitoria da Unifei.

Daí, na dúvida, é melhor dividir as atenções. Que venha o Fernando Haddad, até mesmo para ser sabatinado pelos alunos: Cadê nosso RU, Haddad?

CONVITE

"A Diretoria de Áreas Protegidas da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável - SEMAD, Prefeitura Municipal de Itabira e Vale S.A, convidam as secretarias e demais órgãos de governo, Câmara Municipal, lideranças, Setor Privado, Entidades de Classe, para participar do encontro explanatório do Diagnóstico Participativo de Unidade de Conservação – DIPUC, objetivando preparar todos para elaboração do Plano de Manejo do Parque Estadual da Mata do Limoeiro.
  
Ressaltamos a importância da presença e atuação de todos na construção do Plano de Manejo, que implica em elaborar e compreender o conjunto de ações necessárias para a gestão e uso sustentável dos recursos naturais no interior e entorno delas, de modo a conciliar, de maneira adequada e em espaços apropriados, os diferentes tipos de usos com a conservação da biodiversidade do Parque .
 
O evento será realizado:
Dia: 01 de junho de 2011
Horário:  08h30
Local: Auditório da Secretaria de Municipal de Obras da PMI, localizado à rua Ireni Barbosa nº66 Bairro Pará.
 
Estamos a disposição para maiores esclarecimentos, podendo nos contatar pelos telefones (31)3839-2312 e (31)3839-2350 e e-mail ambienteitabira@yahoo.com.br.
 
 
Atenciosamente,
 

Arnaldo Edgard Lage Silva
Secretario Municipal de Meio Ambiente"

POR MELHOR QUALIDADE E VALOR DE INFORMAÇÃO

Caros leitores e comentaristas anônimos,

Vínhamos mantendo a corda mais bamba, ao validar os comentários de anônimos e de pseudônimos, por vezes com críticas sacanas contra autores ou contra políticos aqui citados, acreditando que contribuiríamos melhor com a liberdade de expressão.

Entretanto, ao reavaliarmos nossa postura, principalmente depois do pedido de um dos criadores deste blogue, vimos que, algumas informações prestadas por alguns anônimos não refletem a realidade, bem como são postadas com o propósito de enganar os leitores, ou desviar focos, a favor de grupos políticos de suas preferências. E mais, acreditamos que, ao postarem como anônimos ou com pseudônimos, essas pessoas se furtam das responsabilidades dos falhos atos e mesmo da garantia de veracidade das informações.
Por este motivo, tal como bem fazem os autores que, ao criticarem algum político ou ação pública, se identificam, iguais condições passarão a ser cobradas, com mais rigor, para os comentaristas, tanto anônimos, quanto com uso de pseudônimos. A quem quiser criticar alguém, ou algum texto, que se identifique e que poste, na mensagem, seu e-mail para confirmação de autoria. 

Contamos com a compreensão de todos.

segunda-feira, 30 de maio de 2011

O que falta pra uns, sobra para os outros

Todos que passaram nos últimos dias pela Avenida Carlos de Paula Andrade avistaram os moradores do Bairro Drummond que estão acampados em frente a prefeitura municipal. Exigindo uma postura do poder público em relação ao problema de moradia, que já a mais de dez anos persiste em continuar para aquelas famílias que se vêem inseguras quanto a manutenção de seu lar. De um lado temos a letargia do senhor Prefeito em apresentar uma proposta diretamente para os representantes dos moradores que contemple a reivindicação de transformar o terreno ocupado em zona de interesse social. A alegação é a falta de recursos no caixa da prefeitura, para a compra do terreno, que segundo afirma a administração municipal seria de 8 milhões de reais.

Pelo outro lado, corre a boca pequena por Itabira o comentário que o nosso prefeito, João Izael, comprou recentemente uma fazenda na região por 9 milhões de reais. Aos desavisados vai a dica, o que sobra na mesa de uns, falta na de outras, esse é o Brasil e a nossa cidade.

Coincidência ou não, merece atenção e indignação de todos!


Não posso criticar, faço parte do meio.

Descansado de um final de semana de muito trabalho, resolvi escrever um pouquinho... Percebo claramente que de uns tempos para cá apareceram os defensores do Grupão, aquelas pessoas que mamam nas tetas gordas da prefeitura e não admitem em hipótese alguma que falem mal de seus pupilos, os podres integrantes do Grupão. As minhas ultimas postagens, sobre os sem terra e a Receita Federal deixaram os puxa-saco do Grupão irritados e desepejaram suas verborragias neste blog, com a permissão do meu sempre amigo Fernando, demonstrando a democracia neste blog,mesmo quando ofendem "pessoas bem mais íntegras do que as que defende" (Valeu Fernando!!!).
Mas não é esse o motivo que me leva a escrever e sim, um reportagem no Diário de Itabira (e dai, algum problema?) com uma personalidade de nossa Itabira. Confesso que não o conheço, mas admiro seu trabalho. A sua fala no fim da entrevista reflete bem o pensamento dos aliados sanguessugas: "Não dá para se fazer uma crítica ao governo se nos participamos dele". Baseado nesta frase, apenas na frase e esquecendo o autor dela, reflitamos... Podemos perceber nesta frase, uma demonstração de compromisso, respeito e lealdade à tchurma que come Itabira de lado e de quatro (ou seis??) há tantos anos. Não interessa se o governador mandou dinheiro para o aeroporto e essa grana voou. Não interessa se a TV Cultura é usada para propagandear o Grupão e Afundaçã0 Cultural é vergonhosa, sendo um "bitelo" de gabide emprego. Não interessa o aumento do SAAE, bem como a compra superfaturada de computador. Não interessa o carnaval da maracutaia ano passado que ninguem fez nada e o importante é o povo dançar, em todos os sentidos. Não interessa o povo que não tem onde morar, segundo comentários publicados no site Defato, é um povo de fora que veio para ganhar casa da prefeitura, portanto que se dane. Não interessa a ETE, que não funciona em sua totalidade e a degradação ambiental ao lado daqueles que deviam fiscalizar o executivo. E não interessa um monte de coisa. O que interessa é que meu partido está no meio da orgia e tenho de ficar calado. Faço parte do grupo e sempre tem uma boquinha prá mim. Repito, nada contra o autor da frase, que conforme disse, apenas peguei a frase para tematizar meu post. A fidelidade é algo louvável, seja na amizade, time, casamento, mas, como ser fiel àqueles que por me darem alguma coisa, me forçam a calar e enfiar o rabo entre as pernas, correndo o risco de me cortarem as benesses financeiras, politicas e/ou materiais? Como posso ficar calado, vendo tanta besteira acontecendo, ligando meu nome a um grupo que enoja Itabira e não é referência em nada que se presume ser lícito? Como as pessoas que integram esses 17 partidos veêm isso? Mas é assim que vivemos, se o partido faz parte da nojeira, tenho de ficar calado, omisso, subserviente. Por isso não sou a favor da fidelidade partidária, pois ela me obriga ir contra minha ética e honestidade, caso a direção dele venha se culiar com o que não presta. Não deve ser fácil, pessoas de bem, como o caso do autor da frase, ter de ficar calado, não podendo criticar porque seu partido é do lado de lá. Mas sabe, que se dane se é do lado de lá, não podemos ficar quietos diante de tanta besteira, mesmo que o partido esteja mamando, ou faz parte da mamata, não posso aceitar.Um grande exemplo era do saudoso José Alencar, nosso ex-vice-presidente. Não interessa se Lula era seu parceiro, ele não concordava com as altas taxas de juros e falava, doa a quem doer, demonstrando que não aceitava aquilo que era ruim para seu país, independente se ele era a situação. Por quantas vezes Lula ficou constrangido, com as próprias críticas à sua gestão feito pelo seu companheiro da vitóriosa campanha à Presidência. Por isso, a inteligência do Grupão arrebanha uma grande quantidade de partidos atráves de seus presidentes, claro que isso facilita a eleição e também, porque mantém todos calados e omissos, com a hora certa para lamber a mão de quem os alimenta.
O pior, é ter que aguentar esses ataques pessoais que tantos sofrem neste blog por criticarem o que não presta neste profano governo. Acho que chegou a hora, amigo Fernando, de colocarmos um basta nos comentários pessoais. Concordo que nem todos concordam com o que eu escrevo ou outro colunista qualquer, mas seria interessante que pessoas que escrevem com ar de deboche e mentira, e que demonstram claramente a falta de interesse em levar a sério esse espaço, devam ser extirpardos de uma vez por todas do nosso convívio. A democracia só é válida quando é levada a sério. Esse espaço foi o primeiro a levantar opiniões contrárias ao executivo, legislativo e judiciário, divergindo de noventa por cento da imprensa itabirana. Antes era só elogios rasgados pelos jornalecos, sites e revistas bancados pelo Grupão. Graças a esse blog, outros sites e blogs apareceram, demonstrando que os itabiranos estão fartos dessa imundice politiqueira do toma-lá-dá-cá que impera neste reino carcomido. Avante... Juntos seremos fortes!!! Nãovou nem revisar o que escreví, tá dito e pronto.

IMAGEM PEREGRINA DE NOSSA SENHORA APARECIDA SE DESPEDE DE SÃO GONÇALO

Depois de 3 dias de orações e de muita fé, onde esteve em São Gonçalo do Rio Abaixo, a imagem de Nossa Senhora Aparecida prepara-se para a próxima peregrinação, com destino à cidade de São Domingos do Prata-MG.

Sexta-feira foi dia de visitas. A Imagem da padroeira do Brasil foi levada às escolas, Apae, Senai, Câmara Municipal e Prefeitura. Nas escolas, não faltaram encenações feitas pelos alunos, de como ela foi encontrada, no rio Paraíba do Sul, localizado na região próxima de Aparecida do Norte, onde encontra-se o Santuário de Aparecida-SP.

No sábado, bem cedo, na Matriz de São Gonçalo, foi rezado o Terço e Ofício de Nossa Senhora. Às 9 da manhã, chegam os congadeiros das comunidades de Fernandes e Borges, para a saudação. Era chegada a hora de uma das mais ricas atrações culturais: a Missa Conga, celebrada pelo padre Eugênio Ferreira Lima, pároco de Nova Era.

Antigamente, os negros não podiam entrar nas Igrejas, lembra o padre Fernando Andrade: “...para eles, havia a Igrejinha do Rosário. Nos tempos de festa, os congadeiros chegavam só até a porta da Matriz e lá tinham que permanecer, hoje, podem entrar e celebrar esta bela Missa Conga, que trazemos hoje para vocês”.

O aposentado José Ribeiro vai além, na lembrança: “São Gonçalo era uma tristeza, um lugar triste. E as festas, sem graça. São Gonçalo, hoje, evoluiu. Qualquer coisa hoje é festa. Veja só que beleza de festa, que beleza esses congadeiros!”.

Às 11 e meia, de sábado, após a Missa e a apresentação dos congadeiros, o padre Fernando Andrade saiu com a Imagem em procissão pela cidade, acompanhado dos cavaleiros e amazonas. Às 2 da tarde, a Missa de despedida, com presença dos prefeitos Raimundo Nonato Barcelos (Nozinho), de São Gonçalo do Rio Abaixo, e Fernando Rolla, prefeito de São Domingos do Prata. Assim que terminou a missa, a Imagem foi conduzida em carreata, até o Parque de Exposições Edirlei Márcio Moreira Lacerda, onde decolou, no colo do padre José Ricardo, para a próxima visita.






sexta-feira, 27 de maio de 2011

"Falta vontade sr. Antônio"




Ontem estive na Agência da Receita Federal em João Monlevade para tratarmos de assuntos relativos à nossa empresa. Agendei pela internet e consegui para apenas 15 dias depois. Muito bem, ir para lá gasta-se dinheiro e tempo, preciosidade hoje em diante. Mas o mais interessante, é que conversando com a atendente, entre prosa vai e prosa vem, ela me disse que estava muito sobrecarregada, principalmente com a demanda de Itabira. Interessado questionei se ela sabi algo sobre a Agência da Receita em Itabira. Ela parou o trabalho e me mostrou um documento onde estava escrito "ARF Itabira" e me disse: "Senhor Antônio, a Agência da Receita Federal de ITABIRA, está criada há muito tempo, o que falta na sua cidade é um prefeito de pulso e coragem, com vontade politica. A Receita Federal já fez a parte dela, falta o seu prefeito fazer a parte dele". Sai de lá com uma sensação de que aquela mulher não estava aguentando mais fazer o serviço de Itabira por ineficiência politica do Chefão do Grupão.

Sem-terra X Prefeito

A distância que o João do Grupão tem do povo é algo estarrecedor. Ontem, (26/05) o prefeito mais indesejado da história de Itabira reuniu-se com religiosos em seu impenetrável gabinete para definir o futuro dos sem-terra. Vamos às considerações... 

Baseado em minha leitura no jornal Diário de Itabira, o prefeito já se enganou e muito em escolher as pessoas para tal reunião. Sem querer discutir se é Bispo, Papa ou Padre, o que interessa é que são pessoas que não vivenciam de perto o que tem acontecido nos últimos 10 anos, no meu ponto de vista. 

Deixar o principal representante dos sem-terra, no caso o Sr. Adilson Gualberto de fora, é demonstrar nenhum interesse em querer resolver alguma coisa. Sem levar em conta a extrema indelicadeza que os Bispos cometeram ao deixar de fora dessa reunião o Frei Gilvander, que veio de BH para acompanhar a manifestação. Que há boa vontade dos Bispos para resolver essa pendenga, disso não duvido, mas, por outro lado, creio que Adilson e pelo menos mais uns dois “sem-terra” teriam  estar presentes e o que aconteceu, a reunião do João do Grupão e os Bispos não deu em absolutamente nada, como era de se esperar. 

As propostas do chefe do Grupão são ridículas, sem base, vagas e ineficazes, sem condições nenhuma de resolver o problema a curto prazo, e o interessante é que entre as propostas do sem-terra está a de que o prefeito assine o que ele falou e Chefão negou, ou seja, os sem-terra querem que ele assine o que disse, pois não acreditam no que ele fala e ele nega assinar, pois sabe que nunca irá cumprir. O Grupão está no poder há mais tempo que esse problema, ou seja, o prefeito viu o problema crescer, esteve lá, não se importou, deu barrigada, empurrou prá lá e agora, depois que a bomba explodiu, tenta resolver à sua maneira. 

O jornal ainda diz que a decisão da prefeitura foi entregue pelo frei, ou seja, para participar da reunião não serve, mas para ser o porta-voz da bomba, põe o Frei na linha de tiro, típico do Grupão mesmo, arrumar um boi-de-piranha. 

Queriam construir um “boi levar” no centro da cidade à bagatela de seis milhões de reais, tenho certeza que da mesma maneira que iriam conseguir uma graninha para o “boi levar”, também conseguem para a desapropriação. 

Faço minhas as palavras de uma funcionária da Receita Federal de Monlevade onde estive ontem, quando me dizia que a Agência da Receita Federal de Itabira está criada, saindo o nome inclusive nos impressos da Receita,” mas o que falta em Itabira é um prefeito que tenha vontade política, pulso, coragem e peito prá dizer que quer o melhor para o seu povo e isso Itabira não tem, a prova que é a Agência não está instalada em Itabira por pura incapacidade política”. Mas isso é outro assunto...  

Torno a repetir, na campanha para prefeito, Ronaldo Magalhães esteve com João no acampamento dos sem-terra e disse em bom tom:”Não há ninguém melhor que João para resolver o problema de vocês” e hoje me pergunto: O Ronaldo é um mentiroso ou o João um incapaz e imprestável?? Que dúvida cruel, posso votar nos dois??

PADROEIRA DO BRASIL EM SÃO GONÇALO

Igreja matriz, pronta para receber a Imagem da padroeira do Brasil,
depois de anos de obras de restauração, realizadas pela prefeitura local.
Helicóptero com a Imagem de Nossa Senhora Aparecida
sobrevoa a Matriz de São Gonçalo e lança chuva de pétalas de rosas.


Padre Fernando Andrade conduz a Imagem numa procissão pela cidade.

Missa de Consagração da Visita, peregrinos e fiéis locais lotam a Matriz.

Em meio ao povo, o prefeito Nozinho, durante a primeira missa da visita da Imagem.

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Itabira quer mais lazer e cultura...

Nas últimas semanas vários cidadãos, principalmente internautas, têm comentado sobre a necessidade de se realizar mais eventos culturais e de lazer em Itabira, fazendo referência principalmente a shows artísticos e outras atividades voltadas para o público jovem. Entre eles, destaco um comentário da Karine Antunes no Grupo "Opinião de Itabirano" (Facebook) em que ela incluiu a seguinte frase: “Enquanto em João Monlevade é anunciado show da Elza Soares, aqui cancelam shows e quem comprou os ingressos não consegue trocar.... TÁ DEMAIS!”.
Talvez seja hora de retomar, pra valer, as discussões sobre o funcionamento da nossa Fundação Cultural e sobre a criação da Secretaria Municipal de Cultura para implantar e gerir uma “política cultural” na terra do “poeta maior”, lembrando de “incluir” públicos de todas as camadas sociais e idades, principalmente os mais carentes e os jovens, que teriam mais acesso a cultura e lazer e mais uma alternativa para não seguirem os “maus caminhos”.
O que vocês acham?

HAJA SAÚDE!

Do Facebook, fórum "Opinião de Itabirano":

"Ada Oliveira: Tudo é uma grande piada!!
Em 2008 estava sem plano de saúde, então fui ao posto marcar uma consulta com um cardiologista e com um oftalmo.( Diga-se de passagem é longe pra caramba da minha casa, principalmente pq tem dois colados em casa!!)
Adivinhem? Ontem saiu a consulta, mas só com o cardiologista.
Fui me enformar e os retornos estão sendo marcados, dois anos depois.kkkk
Temos que rir pra não chorar!!
Eu lembro que quando fui na consulta, estava tendo muita queda de pressão, aí o médico mandou eu colocar sal debaixo da língua e falou que pela minha idade não tinha necessidade de fazer um check-up.
Enfim, graças a Deus eu tenho um plano agora e que não aconteceu nada de grave, mas conheci uma pessoa que teve uma infecção interna no olho e tinha voltado lá dois anos depois para o retorno".

TUDO É RELATIVO

"G1: Filho de Niemeyer morre aos 90 anos de idade.
O pai lamenta: Era um menino ainda...". Fonte: Kibe Loco.

REMENDO

Por força da pressa, acabei postando a brincadeira acima, enviada por um colega, sem citar a fonte, antecipando a morte do coitado do filho do Niemeyer, umas décadas à frente.  

Como penitência, além de ter sido qualificado como burro, por um fiel leitor simpatizante do grupão, 100 chibatadas em mim e a correção imediata, em negrito e grifada, pra chamar bem a atenção.  Muito merecido, reconheço humildemente.

Putz! Ô dia.

E TEM MAIS ESTE

"Acharam o corpo do Bin Laden no mar Morto!"


MEA CULPA: ALÉM DE BURRO, SOU MAL INTENCIONADO

E o tal do Tião-do-Sem-Terra foi até complacente comigo, tirando o meu da reta, ao achar que eu não "distorcia os fatos por má intenção". Mais 200 chibatadas em mim, Tião. Sou obrigado, por força moral, a me confessar...

Tudo que já escrevi aqui, em quase 2 anos, é mentira, sim. Afinal, a saúde, educação, cultura, segurança, tudo aqui é referência nacional. A internet grátis tá funcionando que é uma beleza. O teleférico deu nova graça na cidade, as avenidas de ligação entre o Praia e Gabiroba agilizam e diminuem muito os custos com transporte público. Os servidores reclamam de boca cheia. O restaurante da Unifei tem até chef de cozinha renomado (e não é o itabirano Luciano Carvalho). O aeroporto municipal ficou show de bola e até vôos da Air France caem, ops, pousam aqui. Revista a contagem de votos: Neidson foi eleito com 40 mil votos, só de Itabira, com isso, a pesquisa da DataMG estava corretíssma. Ninguém enriqueceu na cidade, nenhum imóvel foi adquirido pelos ex-assessores e ex-secretários... e por aí vai.

Tudo mentida. Perdôem-me, caros leitores. Sou uma farsa e um merda. Sinto muito.

quarta-feira, 25 de maio de 2011

NOSSA SENHORA APARECIDA


Por volta das 4 e meia da tarde, do dia 26, a imagem da padroeira do Brasil, Nossa Senhora Aparecida, chega a São Gonçalo do Rio Abaixo, no parque de Exposições Edirlei Márcio Moreira Lacerda.

Intensa programação, com orações do Terço e Ofício de Nossa Senhora, visitas a escolas, Apae, ao Centro de Saúde e missas, prometem celebrar a visita e a entrega das obras de restauração da centenária matriz, realizada pela prefeitura local, que ficou uma beleza.

A imagem fica na cidade até o dia 28, sábado, quando retorna para sua origem.

O convite veio do padre Fernando Andrade, da paróquia local.

TENTAÇÕES

Plano diretor: o impasse sob a ótica da vereança e a suposta capacidade de mobilização do cidadão.


"Nestes últimos dias tenho observado aqui e ali, em rodas de conversas, imprensa escrita, redes de bate papo, ou mesmo, espaços interativos comentários no que diz respeito a mudanças no Plano diretor e ao comportamento de alguns vereadores, estes, responsáveis pela condução dos trabalhos de condução do processo. Na opinião de muita gente, mostram-se resistentes, intransigentes e não inclinados a analisar,  contemplar sugestões, indicações; estas provenientes de segmentos da sociedade, de particulares e de entidades. O que se estabeleceu a partir daí foi um impasse na maneira como tem sido conduzido este processo em que poder legislativo e sociedade, acusam-se mutuamente: se para estes vereadores, “não há interesse da sociedade em levantar propostas e remetê-las”. Por outro lado a sociedade em seus respectivos segmentos, afirmam que, “os vereadores resistem em divulgar o evento, não querem ampliar o prazo de discussão nas comissões temáticas no decorrer da semana, limitam o número de propostas e querem evitar os possíveis desdobramentos e também, as polêmicas em torno das discussões quando se for abordar temas cuja natureza, seja contrária a alguns interesses que estão em jogo”. Tem-se a impressão com isso, de que estes vereadores, não querem ceder na fórmula de conduzir o processo de discussão do Plano diretor, estão dispostos a atuarem sem a colaboração do povo. Tomando para eles, a responsabilidade e missão que deveria ser de todos, já que no município, todos habitamos e convivemos.
Diante deste lamentável cenário é salutar que tenhamos explicitado, a competência do vereador, no que tange à responsabilidade municipal de empenhar-se por uma legislação mais adequada sobre a tributação territorial e zoneamento urbano. Este vereador no meu entender precisa basear sua atuação na proporcionalidade e força que lhe garantiram os votos advindos dos mais variados segmentos organizados da sociedade para que ele legitimado por estes votos, atue na Câmara no sentido de tentar redirecionar sua atuação política para uma maior observância dessa confiança que o eleitor lhe concedeu estabelecendo assim uma ponte de comunicação e interpretação das necessidades e carências deste eleitor sem ferir é claro o princípio do bem comum; não se levando por inclinações pessoais que o faça refém de seu orgulho próprio, o leve a legislar em causa própria, ou lhe dê a falsa premissa de que é detentor de autoridade e portanto, isento de prestar contas a quem quer que seja.
 Testemunhamos diariamente, a péssima atuação de grande maioria de nossos políticos nas três esferas de poder e nos decepcionamos ao perceber que, quem deveria estar próximo de nossas mazelas sociais cotidianas se empenhando em tornar nossa vida de cidadãos menos arriscada, entediosa, estressante, insalubre no que se refere à Saúde, Educação, Transporte, Habitação, Lazer, condições de empregabilidade, enfim qualidade de vida são em suma, aqueles que infelizmente, estão a quilômetros de distância. Como se vivessem numa redoma, ou um fosso os impedisse de chegar até nós ou vice versa. A atuação deles e são raras as exceções, se reveste de uma roupagem na qual se sobressai, não mais o interesse público, mas seus próprios privilégios e facilidades criadas a partir de negociatas e brechas nas leis que deveriam primar em garantir o pleno cumprimento da justiça sem que a mesma, fosse branda para alguns e bem mais severa e perversa para outros. 
Ao se darem conta que é imprescindível ouvir os clamores e reclamos de quem não está lá dentro a exemplo deles, mas consegue enxergar aqui fora o que realmente é útil para que possam atuar e não darem ouvidos aos papos irrelevantes de gabinete, os nossos representantes legislativos em nível local antes que seja tarde, poderão enfim respirar aliviados no sentido de estarem fazendo a coisa certa.  Aceitar discutir e elaborar as mudanças no Plano diretor a partir da perspectiva dos segmentos sociais, das demandas sociais e do peso dos votos de confiança a eles depositada é sinal de inteligência, abertura e acima de tudo, hombridade no cargo legislativo. Oxalá possa nossos políticos locais independente das convicções religiosas, neste tempo propício de conversão pelo qual passamos fazerem um “exame de consciência” livre dos vícios de gabinetes ou de influências egocêntricas. E a partir disso descobrirem o quanto é salutar reconhecer erros, reconstruir relações interrompidas e focarem mais em entender e atender aos sinais que vêm da rua".

Afonso Cláudio Damasceno
Secretrário administrativo da 
Comissão Justiça e Paz da Diocese de Itabira Coronel Fabriciano
CJPD – Membro do Mutirão Itabirano de Combate á Corrupção Eleitoral – MICCE

terça-feira, 24 de maio de 2011

A força do povo... e do Zé!!!

Se tem algo que tá deixando alguns vereadores lambedores e comedores na mão do Grupão e seu chefe nervosos é o Zé... eita Zé da Penha. A votação do projeto de lei do Sr. Prefeito que concede "espetaculares" 7% de aumento para os servidores municipais marcada para hoje foi "empurrada" prá frente depois de Elson Sá e Tião da Antena conversarem com os demais edis e os convencerem que era fria aprovar tal aumento. Na verdade, sabemos muitos bem que se o Zé da Penha não convocasse os servidores (muitos compareceram espontâneamente) e pressionasse, esse vergonhoso aumento seria aprovado, sem discussão, sem pedido para vista (talvez do Tião da Antena) por unanimidade absoluta (ou não) pelos babadores de plantão da lenta e inexpressiva Prefeitura Municipal. Esse aumento que enoja os servidores municipais é uma afronta a quem está na prefeitura por direito, por luta e por moral. Não são indicados, enfiados ou colocados lá por causa de um voto prometido, ou para agradar aos inumeros partidos que participaram do maior fiasco eleitoral Itabirano: A eleição do Grupão. A diferença dos que quase imploram os servidores para o que o Grupão oferece é cerca de 5,5 %, isso mesmo, por 5,5% discute-se a tentativa de uma familia itabirana, chefiada por um servidor municipal alimentar-se melhor. Enquanto dinheiro de Funcapi desaparace, dinheiro de Unifei desaparace, dinheiro de Avenida desaparace, nãoconseguem achar um dinheirinho para aumentar mais 5% para os servidores públicos. Mas, voltando ao assunto da Câmara Municipal, me pego a pensar como deve ser a noite de uma pessoa que prefere dar uma barrigada em uma pauta tão importante como aumentar as condições financeiras de um pai de familia. E deve ser de lascar mesmo, pois, de uma lado a mão nojenta que os alimenta e do outro, o povo que os elege... Cruz credo... difícil dilema. Mas fica claro a força do povo, principalmente quando esse povo resolve encarar e olhar dentro dos olhos daqueles que foram eleitos prometendo ser a voz deles. Envergonhados, humilhados e no mais alto limiar de suas covardias, ao invés de dizer um NÃO para o projeto do prefeito e dizer sim para os servidores, acharam por bem dar uma barrigada na votação, na esperança, quem sabe, numa reunião extraordinária, marcada para um domingo as três da manhã, no calar da madrugada, poderem aprovar a sublime vontade do dono da mão que os alimenta e dar uma facada nas costas daqueles que o elegeram. E pensar que ano que vem serão dezessete...

AS CHANCES DE DAMON

Andam me perguntando se Damon é imbatível nas eleições para prefeito de Itabira no ano que vem.

Respondo que é uma pergunta que até eu me faço, mesmo sabendo que resposta não há.

O que sei é que política não se ganha de véspera e que quem acha que está praticamente eleito, na realidade está começando a perder.

Não há como negar, no entanto, a grande vantagem que o médico Damon Sena tem hoje sobre os seus possíveis futuros concorrentes ao cargo de mandatário da maior cidade da região.

Os números das eleições anteriores somados à baixa avaliação do atual governo, o credenciam como principal pré-candidato nas eleições que se aproximam. Daí a ganha-las, vai uma distância quilométrica.

No meu parco entendimento sujeito democraticamente a todas as contestações, Damon Sena não é o atual prefeito de Itabira por vários motivos onde certamente se incluem erros da consultoria de marketing, mas se destacam a falta de dinheiro e de base política que a amplitude do cargo pretendido exige.

Basta dizer que Damon perdeu por pouco mais de 3 mil votos, mas não conseguiu eleger nenhum vereador da base política que o apoiava. E o custo de sua campanha não atingiu 20% do total gasto pela campanha do adversário.

Se Damon Sena for o último eleitor de Itabira a acreditar que está praticamente eleito, se ampliar sua base política com a devida capacidade de articulação, se concretizar apoio de gente de expressão e respeito na comunidade, se parar de falar que não aceita apoio de ninguém que está no grupão, se garantir recursos financeiros para a campanha e agregar lideranças em torno de seu projeto, ficará cada dia mais imbatível.

Caso contrário, uma avenida de possibilidades se abre na disputa pela Prefeitura de Itabira. A campanha eleitoral propriamente dita só se inicia em julho do ano que vem. O processo político, no entanto, já começou e caminha acelerado nos bastidores. E tal qual na justiça, a política também não socorre quem dorme no ponto.

DAS POSSIBILIDADES

A Agenda 2012 praticamente tirou do ex-vereador petista Alexandre Banana sua até então natural pré-candidatura a vice na chapa do médico Damon Sena. De resto, pode ter afastado também do verde a já quase tradicional aliança com o Partido dos Trabalhadores.

Sem o PT e distante do PMDB que o abandonou no início da campanha de 2008, onde Damon vai buscar apoio para recompor e ampliar sua base política?

Este é o grande desafio para o principal pré-candidato a prefeito de Itabira.

Como as nuvens de hoje certamente não terão o mesmo formato amanhã, impossível descartar uma reaproximação que unisse PV-PT-PMDB.

Mas esses caminhos, no entanto, podem passar por novos nomes como Bernardo Mucida ou Reginaldo Calixto, que são o que há de novo na política itabirana.

Fora isso há um início de conversa com o PDT, já liberado inclusive por integrante do atual governo, apesar dessa liberação ainda representar um código a ser decifrado. E tem também o atualmente solteiro PSDB que pode pesar na composição das forças que disputarão o voto do eleitor itabirano no ano que vem.

Resumo da ópera: está em curso o período de articulação política nos bastidores dos partidos. Ao seu final veremos um Damon mais forte ou novas possibilidades se fortalecendo. Tudo vai depender da capacidade de cada um.

NOME PRÓPRIO

Sexta-feira passada, o PMDB se reuniu na Câmara Municipal, em cumprimento de um projeto da executiva estadual do partido. Dentre os presentes, lideranças locais e o deputado federal Antônio Andrade, atual presidente estadual da sigla.

A orientação da executiva estadual é que o PMDB lance candidato próprio na maioria das cidades, inclusive aqui. Entretanto, ele e o presidente local, Dilson Gomes, entendem que não é a hora da indicação do nome.  Mais rápido, o vereador Élson Sá colocou seu nome "à disposição" do partido, para que seja o candidato a prefeito.

AI, SE NÃO TIVESSE CEDIDO...

Élson Sá poderia ser um bom nome, principalmente, se tivesse mantido firme no grupo que liderou informalmente, o Engesseis, em meados do ano passado. Diga-se, de passagem, a poucos meses da eleição, na qual fora candidato a deputado estadual.

Com o recuo dos colegas veteranos, mais acostumados aos "jeitinhos" e apadrinhamentos, o grupo foi enfraquecendo, a nova secretária de governo Elaine Campos marcou o território, vieram as ameaças de perdas de cargos e Élson acabou cedendo, refletindo, negativamente, na sua eleição para deputado estadual, quando teve um pífio resultado.

Para ser mais justo, não acredito que nenhum nome que sair da câmara, dada a subserviência ao governo em troca de indicações, consiga vingar e fazer parte do páreo. É o preço que ele paga agora por ter acuado a favor, inclusive, dos colegas peemedebistas veteranos, como o Élio Quadrado, no Saae. Acredito ainda que, nem atrapalhar qualquer lado, conseguirão.

QUE CARAPUÇA!

Voltando ao encontro, na fala do presidente estadual,  Antônio Andrade, uma carapuça colossal: "O partido não pode ficar entregue ao interesse de uma, duas, ou três pessoas, que, às vezes, têm cargos dentro do município, dentro da prefeitura, e não deixam o partido ter uma candidatura própria".

Como vêem, deu para encaixar todas as cabeças do PMDB local nela. Dentro do PMDB local, quem ficou de fora da carapuça? Na hora do bem bom, de ocupar as boquinhas, beleza. Eu, você , ele, nós todos e João. Agora, quando o governo vira leproso, claro que com a participação ativa e conivente deles, nos preparamos para pular fora. Complicado para assimilarmos...

E agora, José? (ou João)

OLHA EU AQUI!!!

Voltando o relógio, algumas semanas atrás, quando encontrei-me com o Reginaldo Calixto, ele me confidenciou ter interesse em se candidatar a prefeito ou vice, se o nome dele for "bem aceito". Pelo menos, segundo nossas enquetes, ele já figura em 2º lugar.

No encontro, Calixto ainda disse ter muita simpatia pelo PMDB.

- PMDB? - Estranhei. - Um partido que tem caminhado de forma tão retrógrada, na cidade? - questionei.
- Sim, mas ele tem o direito de bons minutos de rádio e TV! - lembrou o Calixto.

Como a campanha majoritária local, em 2008, foram a TV e as rádios que fizeram a diferença... Por esse ponto de vista, Calixto tem razão. Quero só ver como é que seria a "justificativa" para a sociedade, cuja articulação penderia para o oportunismo político na cabeça dos formadores de opiniões...

COMO FICARIA O CENÁRIO ?

Se vier uma chapa independente e avulsa, com o Calixto e outro candidato a vice que não saia do grupão, concorrendo com Neidson-PP (contando com o Banana-PT de vice) e o Damon (com Bernardo Mucida, em outro partido), como legítima oposição, acredito que a campanha se polarize entre Calixto e o Damon-PV, com vantagem para o Damon.

Se o cenário for Damon e Calixto juntos (prefeito e vice, respectivamente), o projeto Agenda 2012 será motivo de piada e o Bernardo teria que esperar sua vez, ou encararia a câmara, com bom cacife para vir a ser presidente dela.

Caso o Robson Matos Esteves-PRTB, ou outro dissidente do grupão, também se candidate, com todos os demais aqui citados concorrendo e dividindo os votos do grupão, a via do Damon se alarga, sobremaneira.

Muita água há de rolar, debaixo da ponte.

Pois é... então, tá!

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Muitos nomes, um só projeto

A cada semana é anunciado um nome diferente como possível candidato a prefeito de Itabira. As origens de cada um são diversas, temos médicos, empresários, político profissional, delegado e agora até sindicalista. É preciso olharmos por detrás das aparências e nos perguntarmos qual projeto de cidade e de país cada um desses defende.

De um lado temos aqueles que de uma forma ou de outra compuseram o denominado "grupão" que dirigi a cidade já a quase doze anos. A turma da situação deve utilizar-se de uma cara nova, e claro, de muito dinheiro para tentar se manter no poder. Do outro lado temos os que em outras eleições disputaram a prefeitura, e se mantém na oposição, mesmo não tendo um projeto alternativo claro para a cidade. O cenário eleitoral em Itabira não é mais tão demarcado, a união do PP com o PT, ou seja, um dos principais partidos da situação com um dos membros mais destacado da oposição confundiu corações e mentes na cidade.

A tentativa do Alexandre Banana (PT) e do Chiquinho da Nacional (PP) é de tentar surfar no vazio programático e ideológico que é grande na cidade apresentando a chamada "Agenda 2012". Esse "projeto" se propõe como um espaço onde cabem todo o tipo de idéia. Para além disso, a Agenda defende que primeiro deve ser discutido o projeto, para depois discutir quem deve ser o gestor da cidade.

Primeiro, a cidade não precisa de um simples gestor. O debate é maior do que esse. Precisamos de um líder político que seja antes de tudo representante de uma forma de governar e de algumas idéias centrais que vão conduzir a cidade para o atendimento das necessidades da maioria. Segundo um projeto que aceita qualquer proposta, vinda de onde vier, com certeza formará um programa de governo impraticável e confuso que não levará a lugar algum.

Uma alternativa alardeada como de maior peso em Itabira é a do Damon Lazáro de Sena (PV). O candidato esbarra em um limite importante, teve suas últimas campanhas financiadas pelas mesmas caras que bancaram o "grupão". Outra questão importante, é a sua ausência no debate político feito na cidade em diferentes situações, para citar alguns exemplos temos a questão do Bairro Drummon, a greve dos servidores públicos municipais, a crise econômica que colocou na rua centenas de trabalhadores itabiranos e por último a ausência de estrutura adequada para os alunos da UNIFEI.

Para começar uma conclusão é preciso se perguntar quem financia os diferentes grupos que disputam o poder na cidade e somado a isso, questionar o que pensam sobre os grandes temas como: relação da cidade com a mineração, a questão ambiental, o inchaço da máquina pública devido ao grande número de cargos comissionados e contratados, e setores que são preocupação cotidiana da população como a rede municipal de educação e a saúde pública.

MAIS UM FURO! OU FURADA ?!?

Parecia brincadeira, mas, depois que vi o ofício anexo, tive a certeza. Abaixo, o e-mail do Sindsepmi e o ofício.

"Prezados Servidores (as),

enviamos anexo ofício enviado pelo Prefeito de Itabira, datado de 19 de maio de 2011, o qual confirma a valorização do servidor público municipal, concedendo aumento real aos servidores de apenas 0,64 (zero vírgula sessenta e quatro por cento).

Esta é a cidade do Bem Viver!!!


SINTSEPMI
Departamento Jurídico"


NEIDSON, NA PURRINHA

PARTICIPANTES DE FÓRUM DE DISCUSSÕES SABATINAM SUPOSTA ASSESSORA DO AGENDA 2012

Postagem com
os comentários.
.

Depois de se cadastrar no fórum de discussões, chamado de "Opinião de Itabirano", no Facebook, uma das participantes, que se apresentou com o nome de Maria Alice, passou a publicar vários e longos textos típicos de assessoria de comunicação, em defesa da Cãmara de Vereadores, do presidente Tãozinho, do "embaixador" Neidson e do programa político do PP/PT: Agenda 2012.

Até aí, sem problemas, por ser um espaço democrático, tal como aqui, no Filhos-do-Cauê. Não demorava muito e lá estava, mais postagens, na mesma defesa, totalizando, pasmem, 17 postagens, sendo 15 de bajulações e de defesas do 2012. A primeira manifestação foi de um internauta, mês atrasado: "Assessoria de Comunicação da Câmara: Mode On".

Na semana passada, os moderadores, em decisão bem acertada, pediram a compreensão dos participantes para não mais publicarem 'obituários, merchandisings, propagandas' etc.. E por, várias vezes, suplicou à participante para que não publicasse mais textos longos, referindo-se,  imagino, a textos sem opiniões ou sem propostas de discussões. A sugestão foi que ela expusesse o lead  (síntese de matéria jornalística, com cerca de um parágrafo) e um link, para quem quisesse saber mais. Ela ignorou o pedido e sentou mais uns 4 longuíssimos textos, todos defendendo o mesmo projeto, ora alguns vereadores da Câmara Municipal, com clara preferência para o partido PP.

Dias depois, ela acabou acatando à sugestão, quando o escrivinhador aqui resolveu elogiar. Daí, então, ela disparou uma série de comentários em tom de deboche e irônico, dizendo-se não compreender o porquê desta limitação. Tentei explicar, na boa, mas parecia não querer compreender. A gota d'água foi quando eu a perguntei se ela trabalhava como assessora de comunicação do Agenda 2012 ou da Câmara. Ela se queimou e se negou a responder. Estranho... Será por quê ela se negou a dizer onde trabalha?

Desde então, os demais participantes, antes meros espectadores, resolveram manifestar contra o Agenda 2012, PP, PT, Alexandre Banana, Zé Francisco..., com direito a interpelação para que o Ministério Público desse uma olhada na 'compra dos cargos' para o PT.

Se a iniciativa era fazer uso de recursos públicos para promoção pessoal, ou política de uma dobradinha, ou de um joguete ou arapuca eleitoral, deu errado, de cara, porque os leitores sacaram e repudiaram a infeliz iniciativa. O pior, entretanto, é se o salário dela sair dos cofres da Câmara ou da Prefeitura. Vale a pena dar uma conferida, porque recairia em improbidade administrativa, com posterior risco de cassação dos responsáveis, devolução do dinheiro etc.. Ainda lembrando, na campanha para deputado federal do Neidson, quando era presidente da câmara, vimos semelhante comportamento. Coisas do PP. (vide postagem. clique aqui para ler). Agora, se as defesas dela foram pessoais e ideológicas próprias, sem que ocupe algum cargo político ou contrato na câmara, sem problemas, porque vivemos numa democracia. Certo?

Para facilitar a vida dos responsáveis pela fiscalização dos atos oficiais, gravei todas as postagens e as manterei à disposição para quem precisar comprovar. De 17 interações, 15 são de defesa político-partidária. Tem base? Com a palavra, o Ministério Público.

DEFESA DA RAÇA NEGRA

João Izael, primeiro prefeito negro da história de Itabira, teve a feliz e justíssima iniciativa de criar a Seção Municipal de Assuntos da Comunidade Negra de Itabira - Smacon

Entretanto, várias críticas sucedem com relação à falta de atividade da Smacon, com foco na busca e na preservação da cultura negra. Aliás, discriminações à parte, não é só na Smacon que as coisas não andam... Mas, voltando à ela, as denúncias de autores e internautas recaem na limitação de promoção de eventos. Leiam abaixo o incisivo texto, postado no Opinião de Itabirano, pelo colega Mauro Moura, referindo-se a mais um evento cancelado na cidade nos últimos dias.

"Festa, sempre festa!

Noite de bela lua cheia, parque de exposições que só tem show, bom público e um espetáculo que queriam belo tornaram-se horrendo.

Do salário que recebe da prefeitura, não dá o litro, pois só vai lá a receber o mesmo, sem, contudo, dar o seu suor a merecê-lo; o prefeito continua com a sua indelével ignomínia e mantém o pulha como mais um funcionário público.

Das obrigações corriqueiras que teria de fazer, não se dispõe a nada, pois se estas não forem festas não há interesse e muito menos desenvoltura para a função a qual foi designado. Diz-se incrédulo, mas por força da obrigação e por ser festa ajuda até o prefeito a carregar a Santa, que por sinal deve ficar branca por dentro por conta de tanta hipocrisia.

A seção para assuntos da comunidade negra continua com sua cadeira vazia e tudo lá passado em branco, denotando o ensejo da corrupção com o dinheiro público por conta de quem contrata, o ignominioso prefeito, e quem recebe o salário todos os meses sem fazê-lo por merecer. A mancha é tão negra que quem recebe o salário propala pelas ruas que está a receber uma dívida de campanha de eleição.

Para saber mais sobre o cara que vende shows e os mesmos não acontecem: http://www.lestemais.com.br/Noticia.asp?id_noticia=3228

Vale o dito popular: -aqui se faz, aqui se paga!

Festas, festinhas e festões, tudo é somente festa para os tais organizadores, nada além de festas!
"

SHOWS CANCELADOS

Atendendo ao pedido do nosso leitor, Luciano Rodrigues de Souza, postamos o link do Orkut, da comunidade em protesto contra shows cancelados em Ita City.

Aí está, para quem quiser dar o grito: http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=114636046

Está falado, Luciano.

Agora, só um pitaquinho... que showzinhos também mais caqui verde, como disse o Marcelo Procópio, hein!?!

domingo, 22 de maio de 2011

A nova moda


28 de abril de 2011, quinta feira

Acordei cedo, muita matéria para estudar, provas a vista. Ao meio dia um saboroso almoço feito por minha mãe. No período da tarde, participei da audiência pública da Assembléia Legislativa de MG realizada para discutir a questão dos moradores do Bairro Drummond. Por volta de 15 horas decidi comprar o ingresso para o show da dupla famosa do sertanejo universitário, Jorge e Mateus. E durante a noite, o que aconteceu? A sim, a surpresa: o show foi cancelado.

20 de maio de 2011, sexta feira

Tempo corrido, muito trabalho durante o dia e preocupação em relação a prova de Ciência Política do professor Bernado Mucida. Dessa vez a sorte de se quer poder pensar em ir a outro show, a do cantor de pagode Belo. No sábado para mim o dia ia começar cedo. Agora a notícia: mais uma vez o público foi surpreendido com a ausência do cantor e a quebradeira que aconteceu no parque de exposições.


Onde estão os organizadores?

Ao que tudo indica, a moda pegou. Dois shows cancelados em pouco mais de um mês. E o pior, a organização dos dois eventos era a mesma. Em primeiro lugar, aqueles que compraram o ingresso, querem saber para ontem como vão ser ressarcidos. Cabe ao Procon intervir e garantir esse direito a todos. Em segundo lugar a população precisa estar ciente de quem são esses promotores de furada. A palavra de ordem agora é boicote. Por último, cabe ao poder público não ter relação alguma com esse tipo de gente que pensa poder enganar a todos.

Em uma cidade como Itabira, onde as atrações culturais e opções de entretenimento são parcas é questão de interesse público o cancelamento de shows como o que viemos assistindo. Para evitar esse tipo de constrangimento é fundamental que a PMI, através da Fundação Cultural, volte a ser protagonista na realização de eventos na cidade.

A mina e a cidade



Na semana que passou, pela primeira vez tive a oportunidade de conhecer a área da Vale aqui do complexo minerador de Itabira. Ao me deparar com o gigantismos das máquinas e equipamentos utilizados para extrair e transportar o minério veio a cabeça a pergunta: para onde vai tanta riqueza?

Na volta para casa, olhei para a cidade com mais atenção que de costume e não foi difícil tirar conclusões. Todo o minério extraido de nosso subsolo, aqui em Itabira, e em tantas outras cidades mineradores não se reverte em avanços significativos na qualidade de vida da população dessas regiões. É possível ainda afirmar que sequer os salários pagos aos funcionários da mineração são compatíveis com tamanha riqueza gerada por estes. A partir dessas avaliações é necessário pensarmos em quais os resultados de décadas de exploração mineral.

Vem tomando conta do país a discussão sobre o aumento dos royalties. Parlamentares de diferentes matizes, prefeitos das cidades mineradoras e até o governador de Minas, Antonio Anastasia tem se manifestado sobre a importância de rediscutir a porcentagem dos impostos pagos pelas mineradoras.

É urgente que este debate seja feito em todo o país. Como todos estão cansados de saber, minério só da uma safra. O Brasil não pode assistir passivo a transformação da riqueza do seu subsolo e o trabalho diário do seu povo ser utilizado somente para atender os interesses privados. Já vimos esse filme, nos tempos de colônia toda o ouro e diamantes das Minas Gerais foram levados para a Europa e por aqui nada ficou além das belas Igrejas das cidades históricas.

Para além do debate sobre o aumento dos royalties faço o convite que devemos seguir discutindo sobre o papel da Vale como mineradora privada e do papel que pode cumprir como indutora do desenvolvimento do país como empresa estatal.

Para os interessados segue o blog que é espaço para essa discussão. http://campanhaminerio.blogspot.com/

sexta-feira, 20 de maio de 2011

MEMÓRIAS PODEM FALHAR, MAS NÃO FOI O CASO

Bom dia, Márcio!

Que bom que saiu da moita. Sentimos sua falta aqui.

Bem, com relação à minha memória, que ressalvei possibilidade de erro, lamentavelmente, estava correta, sim. Liguei agora para o Zé da Penha, presidente do Sindsepmi, e ele confirmou que o Funcapi foi criado em agosto de 1995, pela lei municipal 3209, portanto, durante o mandato do saudoso Li. Outra confirmação do presidente é que o fundo, inicialmente, servia mesmo como complementação das aposentadorias de quem receberia acima do teto da Previdência, revisto anos depois, mas ainda em caráter ilegal. Já o(s) desvio(s) dos recursos para outros propósitos e a falta de transparência, vieram depois.

Com relação à reputação do Li, tenho muito o que elogiar, principalmente com relação à cultura e educação, quando tivemos os maiores saltos. Erros, é claro, ocorreram e este, segundo o presidente do Sindsepmi, é um deles, como ocorre com todo e qualquer político, que é ser humano capaz de cometê-los.

Abraços e não suma!
EM MEMÓRIA DO MORTO

Meu amigo Fernando Martins escreveu:
“Se eu não estiver enganado, este fundo foi criado durante o governo Olimpio (Li) Pires Guerra-PDT, para beneficiar os servidores que recebem acima do teto pago pela Previdência, servindo como complementação exclusiva para os servidores aposentados mais graúdos, arcados pelos servidores mais humildes e de menor remuneração, ou seja, obrigar quem ganha menos, completar os salários dos aposentados que ganham mais. Se confirmada minha memória, injusto, não?”
E mais à frente Fernando completou:
“Ainda ressalvando, se minha memória não falha. Que se manifestem os aqui citados, se estiver errado.”
Li está morto e não pode se manifestar. Tive a honra de ter sido seu secretário e amigo, mas reconheço que seu governo não acertou 100%, até porque isso não existe.
No entanto, a convivência foi suficiente para testemunhar o senso de justiça e seriedade do político Li e sei que ele jamais compactuaria ou permitiria a criação de um fundo para servir de “complementação exclusiva para os servidores aposentados mais graúdos, arcados pelos servidores mais humildes e de menor remuneração, ou seja, obrigar quem ganha menos, completar os salários dos aposentados que ganham mais.”
Um homem que entrou rico na Prefeitura e saiu quebrado, além de ter doado todos os seus salários às entidades beneficentes da cidade, jamais se prestaria a isso.
E só faço este reparo porque a consciência me exige e o amigo Fernando, democraticamente, antecipou no próprio texto esta possibilidade.

VIROU GOIABA

Venho percebendo... as denúncias, bombas e batons-nas-cuecas têm virado rotina na cidade. Não passamos uma só semana sem algo para noticiar contra o (des)governo e os cegos, mudos e surdos vereadores da cidade...

Juro para vocês que tenho me esforçado para dar mais notícias boas. Inclusive, até pedi ajuda aos leitores e para o pessoal das assessorias de comunicação para nos informar melhor, mas tá difilço!

Ajuda aí, gente! Que coisa!
Bem... pelo menos, um bom final-de-semana para vocês!
(se é que temos direito...)