Who's amoung us?

terça-feira, 24 de maio de 2011

A força do povo... e do Zé!!!

Se tem algo que tá deixando alguns vereadores lambedores e comedores na mão do Grupão e seu chefe nervosos é o Zé... eita Zé da Penha. A votação do projeto de lei do Sr. Prefeito que concede "espetaculares" 7% de aumento para os servidores municipais marcada para hoje foi "empurrada" prá frente depois de Elson Sá e Tião da Antena conversarem com os demais edis e os convencerem que era fria aprovar tal aumento. Na verdade, sabemos muitos bem que se o Zé da Penha não convocasse os servidores (muitos compareceram espontâneamente) e pressionasse, esse vergonhoso aumento seria aprovado, sem discussão, sem pedido para vista (talvez do Tião da Antena) por unanimidade absoluta (ou não) pelos babadores de plantão da lenta e inexpressiva Prefeitura Municipal. Esse aumento que enoja os servidores municipais é uma afronta a quem está na prefeitura por direito, por luta e por moral. Não são indicados, enfiados ou colocados lá por causa de um voto prometido, ou para agradar aos inumeros partidos que participaram do maior fiasco eleitoral Itabirano: A eleição do Grupão. A diferença dos que quase imploram os servidores para o que o Grupão oferece é cerca de 5,5 %, isso mesmo, por 5,5% discute-se a tentativa de uma familia itabirana, chefiada por um servidor municipal alimentar-se melhor. Enquanto dinheiro de Funcapi desaparace, dinheiro de Unifei desaparace, dinheiro de Avenida desaparace, nãoconseguem achar um dinheirinho para aumentar mais 5% para os servidores públicos. Mas, voltando ao assunto da Câmara Municipal, me pego a pensar como deve ser a noite de uma pessoa que prefere dar uma barrigada em uma pauta tão importante como aumentar as condições financeiras de um pai de familia. E deve ser de lascar mesmo, pois, de uma lado a mão nojenta que os alimenta e do outro, o povo que os elege... Cruz credo... difícil dilema. Mas fica claro a força do povo, principalmente quando esse povo resolve encarar e olhar dentro dos olhos daqueles que foram eleitos prometendo ser a voz deles. Envergonhados, humilhados e no mais alto limiar de suas covardias, ao invés de dizer um NÃO para o projeto do prefeito e dizer sim para os servidores, acharam por bem dar uma barrigada na votação, na esperança, quem sabe, numa reunião extraordinária, marcada para um domingo as três da manhã, no calar da madrugada, poderem aprovar a sublime vontade do dono da mão que os alimenta e dar uma facada nas costas daqueles que o elegeram. E pensar que ano que vem serão dezessete...

2 comentários:

  1. Se o problema dos funcionários municipais de Itabira se restringisse apenas ao baixo salário a eles outorgado, já seria uma triste barbárie, uma vez que a arrecadação da cidade é astronômica e o cabide de empregos que se tornou a prefeitura é aviltante. Mas, junte a isso, os mesmos residirem em uma cidade cujo custo de vida está altíssimo e, devido à grande movimentação de pessoas de outras cidades, ter havido um aumento substancial de trabalho em todas as áreas: educação, saúde, saneamento, etc.

    Porém, o mais ultrajante de todos os dissabores por que tem passado, é estarem, na maioria das repartições onde estão lotados, sob o comando dos “bajuladores/sanguessugas” de plantão, sofrendo diariamente assédio moral, sendo coibidos de se manifestarem, sendo perseguidos como outrora ocorreu nesse país, no tempo da ditadura.

    ResponderExcluir
  2. O primeiro comentário acima foi feliz , certeiro e só refletiu a realidade no cotidiano do servidor efetivo municipal.

    ResponderExcluir

São aceitos comentários com autoria não identificada (anônimos), desde que não exponham ou citem nomes de pessoas ou instituições de formas pejorativa, caluniosa, injuriosa ou difamatória e mesmo que sejam expostos de forma subliminar ou velada.

Durante o período eleitoral, não serão publicados comentários que citem nomes de candidatos, nem de forma elogiosa, nem crítica.

Caso queira postar uma denúncia, é necessária a identificação do autor (nome completo e e-mail para contato), para que o comentário seja validado. Caso não possa se expor, envie um e-mail para a editoria (contatoitafq@yahoo.com.br), para que a denúncia seja apurada e certificarmos que há condições legais e justas para pautarmos uma postagem.

EM FASE EXPERIMENTAL: Os interessados que tiverem conta no Facebook e que não queiram seus comentários submetidos à moderação podem solicitar as suas inclusões no grupo de discussões "Filhos das Minas", ou, caso já seja participante dele, basta postar seu comentário diretamente no Facebook.