Who's amoung us?

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

SERÁ VERDADE?


Outra possível farsa, que foi denunciada por um leitor anônimo deste blogue, no final da semana passada, ainda sobre o ex-presidente da câmara de vereadores, Neidson Freitas (PP), é sobre sua real nomeação como "assessor do governador" ou como "embaixador de Itabira no governo do Estado", como se autodenomina na mídia, alardeada em março de 2011, quando ele se licenciou do cargo de vereador.
  
Desde então, por várias edições e postagens, como nunca se soube, realmente, se o ex-presidente da câmara foi nomeado de fato, ou não, além de terem sido questionados onde é o gabinete do suposto assessor, quais trabalhos ele já defendeu em prol da cidade, quais conquistas conseguiu etc., sem qualquer resposta do dito assessor, ou embaixador, como queiram.
  
Recentemente, parte da mídia chapa-branca "noticiou" que o suposto assessor do governador visitou (sic) o delegado Renato Gavião, para discussão de melhorias para a segurança pública na cidade (clique aqui para ler a notícia plantada).
    
Então, um leitor anônimo indicou um link para consulta oficial, de responsabilidade da equipe de cerimonial do governo do Estado, onde constam todos os nomes e contatos das autoridades mineiras e brasileiras. O nome do ex-prefeito e ex-deputado estadual Ronaldo Magalhães está lá. Já do Neidson, não consta  (Clique aqui para confirmar).
   
Entretanto, não se descartam as possibilidades de erro do cerimonial, ou do fato dele ocupar algum cargo mais raso, desconsiderando-o como "autoridade", pela própria equipe de cerimonial do Estado, fato que configuraria, portanto, em mais uma farsa deste grupo político, que, hoje, simula (ou seria disssimula?) ruptura.
Com as defesas, Srs. Francisco de Assis (Chiquinho da Nacional), Celso Matozinhos, Perón Colombo e/ou o citado, Neidson Dias de Freitas.

Caricatura publicada no Filhos do Cauê, que ilustra as promessas embarcadas nas malas do Neidson,
assim que ele declarou ter aceitado o cargo de ser "assessor do governador":
1-Aumento dos royalties, 2-Duplicação da BR-381 e 3-Preservação do meio ambiente.
Para ajudar na feitura da mala, o Filhos do Cauê colocou mais umas incumbências:
1-Justificar onde foram parar os 5 milhões de reais do Estado para "melhorias do aeroporto de Itabira";
2-Justificar porquê ele só conseguiu metade dos votos do que sua pesquisa alegou e 3-Onde foi construída aquela Ete bacana do Carmo/Ipoema, constante no panfleto de campanha do Anastasia?



INTERESSANTE REFLEXÃO DO "HOJE EM DIA"

Minas Gerais e o drama do minério de ferro de Itabira



"Itabira, a Cidade do Ferro, berço da Companhia Vale do Rio Doce, vive desde a sua fundação, em 1942, um dilema: o que fazer depois que o minério de ferro acabar e a Vale for embora?

Observadas as devidas proporções, Minas Gerais, infelizmente, ainda trilha a mesma vocação extrativista de séculos passados. Os empregos de alta qualidade aqui existentes, proporcionados pelas indústrias de maior valor agregado, pelo comércio ou pelo setor de serviços não têm sido capazes de reverter os caminhos de Minas.

Enquanto durar a extração de minérios, a economia mineira vai continuar exportando commodities e proporcionando, como se vê nos 15 municípios que mais exportam, as melhores posições no ranking do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) e o pleno emprego. Porém, e depois?

No caso das exportações agrícolas, como o café e a soja, elas são renováveis e podem durar para sempre, lastreadas na alta tecnologia do trato da terra e nas generosas estações de chuvas das regiões produtoras. Mesmo assim, esse aparente bem estar econômico depende da monocultura, que deixa esses municípios expostos ao movimento cíclico da economia globalizada.


A nova Itabira hoje é conhecida pelo nome de São Gonçalo do Rio Abaixo, cujas exportações saltaram de R$ 46 milhões para mais de R$ 2 bilhões, entre 2006 e 2011, por conta da entrada em operação, na cidade, da maior mina de minério de ferro da Vale no Estado. As mais de 30 milhões de toneladas de minério de ferro que a mina Brucutu produz anualmente são exportadas.


A siderurgia não é o foco da Vale, embora a empresa tenha sociedade com a ThyssenKrupp na Siderúrgica do Atlântico, uma das maiores e mais modernas do mundo, inaugurada no Rio de Janeiro, em 2010. A produção está voltada para a exportação de placas para serem laminadas nas unidades da ThyssenKrupp no Alabama (Estados Unidos) e Alemanha, que, por sua vez, venderão o produto final para a indústria automobilística e de eletrodomésticos.


Já é um avanço a Vale se associar à multinacional alemã ThyssenKrupp e instalar uma siderúrgica de última geração no Rio de Janeiro. Bem que poderia ser em Itabira ou São Gonçalo do Rio Abaixo. Além disso, as placas poderiam ser laminadas em território mineiro e não na Alemanha ou nos EUA.


Essa é uma decisão empresarial, mas as políticas públicas do Estado deveriam ser capazes de viabilizar o milagre de atrair novos empreendimentos para ampliar o parque siderúrgico mineiro.
Em entrevista que publicamos hoje, o prefeito de São Gonçalo, Raimundo Barcelos, traduz o sentimento que assola as Gerais: “A Vale não nos faz nenhum favor. O recurso que entra é de imposto, porque ela leva a riqueza da cidade. Na mina tem mais de 2 mil funcionários, mas apenas 200 são daqui.”


O minério só dá uma safra, já dizia Artur Bernardes, que presidiu Minas de 1918 a 1922. Desde então, o que mudou?"

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

REDES SOCIAIS MUDAM CONSOCIAL

As redes sociais e mídias alternativas encabeçam mudanças profundas em Itabira. Temos já um sem número de resultados alcançados, desde que os formadores de opiniões começaram as articulações nos fóruns de discussões do Facebook, nos blogues independentes e nas redes sociais. Se a pseudoimprensa não se prestou a noticiar e analisar, com a abertura do espaço, o domínio acabou sendo ocupado pela massa.
  
Há várias melhorias e mudanças de destinos, desde então. O Museu do Ferro e a Casa do Brás foram reabertas, depois de manifestações populares iniciadas nestas teias. A Arsae-MG, que no ano passado validou o aumento de 33,15% nas tarifas de água, numa "audiência" nada transparente, para este ano resolveu trabalhar mais sério e não acatou ao pedido de mais 8,88%, tendo limitado o aumento para 3,10%, condicionados à criação de fundo de investimentos de expansão das redes e alterações na estrutura tarifária, com a implantação da tarifa social. A truculência do poder econômico da MD Predial, dos advogados e do seu sócio principal, Émerson (Gui) de Alvarenga Barbosa, contra Dorinha Cabral, que é uma ferrenha participante destas redes, foram veementemente criticados e rechaçados pelos colegas participantes, tendo, inclusive, acompanhado e apoiado ela na audiência, ocorrida no último 23, na Justiça. A proposta de acordo foi recusada pela ré e nova audiência foi marcada.
 
   
RECUPERAÇÃO DA CONSOCIAL
 
Uma das mais interessantes e recentes mobilizações resultou na inversão da 1ª Consocial - Conferência sobre Transparência e Controle Social -, que era determinação da União e que o governo João Izael protelou em executá-la e depois tentou fazê-la sem a real participação popular, contrariando as normas e as leis, segundo informações do blogueiro Luiz Zanon (clique aqui para ler).
  
Na tentativa frustrada de manipular a conferência, o governo colocou o "auditor" Ailton Morais como coordenador da conferência e limitou o direito de voz e votos aos primeiros 100 inscritos, condicionados ainda a serem vinculados às ONGs ou entidades organizadas, contrariando as claras determinações federais, segundo Zanon. Para quem não se lembra, Ailton Morais era reconhecido como dono do jornal Imprensa Jovem e, enquanto ocupava o cargo de secretário, o jornal recebia anúncios da prefeitura, como um tipo de pagamento por fora, possivelmente em troca das bajulações (clique aqui para reler).
 
Então, inconformados com a manipulação do governo, integrantes do fórum "Itabiranos sem censura" impediram as restrições ilegais impostas pelos governistas, tendo conseguido abrir as inscrições para quem quisesse participar e ainda conseguiram eleger 4 delegados do total de 9, mais dois suplentes, do total de 10, dentre eles, Giocasta Machado, Délcio Fonseca Mafra, José da Penha e Gercimar Almeida, como delegados, e Cléverson Lobo Buim e Sílvio Lage, como suplentes. Outros significativos participantes, embora não tenham colocado seus nomes para os cargos de responsabilidade, vêm postando sugestões e debatendo os temas, todos os instantes, nestes fóruns, que atuam em paralelo, balizando e orientando os nomeados.

Durante a primeira conferência, ocorrida no dia 13, os presentes aprovaram 20 propostas que serão levadas à etapa estadual, a ser realizada nos dias 14 e 15 de março. Délcio Fonseca Mafra, um dos delegados que emergiu dos fóruns sociais, deu a seguinte entrevista para a Rádio Itabira-AM:
 

 Clique na imagem para rodar a entrevista.
   
OUTROS PAPELÕES
 
Esta não é a primeira falha dos governistas do grupão, nem as primeiras ingerências. No final de 2009, mediante decreto do presidente Lula, foram realizadas as conferências de comunicação, chamadas de Confecom, por todo o país.

Em Itabira e região, diante da falta de iniciativa do governo, quem assumiu os trabalhos foi o jornalista Luiz Antônio Zanon, do Mosaico. Na ocasião, o gabinete do prefeito se recusou a apoiar e a participar, não tendo oferecido qualquer atenção ou contribuição.
  
Já o ex-presidente da câmara de vereadores, Neidson Dias Freitas (PP), autodenominado posteriormente de "embaixador de Itabira no governo do Estado", ligado ao grupo político do prefeito, disponibilizou as dependências da casa, logística e recursos financeiros para as organizações dos eventos  municipal e regional. Diante das evoluções da Conferência local, definiu-se que a etapa regional fosse realizada no Centro Cultural de São Gonçalo do Rio Abaixo, com apoio da Amepi - Associação dos Municípios do Médio Piracicaba -, da câmara de vereadores de Itabira e das prefeituras de São Gonçalo e de João Monlevade. Vide arte de comprovação.

  
Estranhamente, depois de contratadas e executadas as duas etapas, tendo sido publicadas as logomarcas dos patrocinadores, conforme pode-se comprovar acima, a câmara de Itabira, até o momento, não ressarciu os promotores e nem os palestrantes contratados pela Confecom Regional, pelo que nos consta. Segundo Zanon, Neidson deu o calote, alegando por meio de sua assessoria jurídica, depois de realizada a conferência regional, que a casa não poderia arcar com custos de eventos ocorridos fora da abrangência municipal, mesmo que o tema fosse de interesse coletivo da cidade e que fosse uma sequência de uma promoção iniciada na cidade. Tampouco contrapôs, a tempo, qualquer alteração no calendário e locais das atividades, nem mesmo tentou intermediar qualquer outra forma de reparação, como pela intermediação com a câmara de São Gonçalo, por exemplo.
 
Da parte que caberia à organização do evento, tudo saiu dentro dos conformes, com boas indicações de modificações nas leis e com todas as chancelas respeitadas e divulgadas como apoiadores ou patrocinadores. Temos todo o material impresso guardado, como provas. O palestrante Heitor Reis, da Abraço (Associação Brasileira de Radiodifusão Comunitária), foi um dos profissionais lesados com a escorregada da câmara. Meses depois, sofreu um AVC e encontra-se em recuperação, cujo recurso e direito, mais do que nunca, lhe faz muita falta.

Clique aqui para confirmar, aqui, aqui também e aqui, nos arquivos do Filhos do Cauê. 

Conferência Regional da Confecom - 04/11/2009.

Grupo de trabalhos em atividade, discute sugestões e reivindicações
para a Conferência Estadual da Confecom.

Mesa de trabalhos e palestrantes da Confecom Regional.
Da esquerda, para a direita, Heitor Reis, Fernando Martins e Cláudio Vilaça.


segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

REABERTA A CASA DO BRÁS



Enfim, a Prefeitura de Itabira e a Fundação Cultural Carlos Drummond de Andrade reabrem a Casa do Brás, nesta segunda-feira, 27/2, às 7 da noite, após permanecer fechada por cerca de 4 anos, em decorrência de um incêndio criminoso e da posterior lentidão do governo, em devolver a casa para a comunidade.
  
Em agosto do ano passado, a publicitária e (colega) fotógrafa, Karina Penido Rosa, abriu uma petição pública na internet, para sensibilizar o prefeito a dar um jeito de reabrir logo a casa. O movimento começou no fórum do Facebook, no grupo chamado de “Opinião de Itabirano”, tendo colhido mais de 340 assinaturas, fora o abaixo-assinado com mais de 2 centenas de assinaturas reais. Então, de posse dos documentos, ela tentou uma audiência com o prefeito, para entregar-lhe, em mãos, os manifestos. Segundo informações, prestadas pelo colega Mauro Moura, no início de janeiro deste ano, o prefeito, até então, se recusou de recebê-la.
  
Um dos motivos da demora das reformas, apurados por este blogueiro junto a um dos membros do Comphai (Conselho Consultivo Municipal de Patrimônio Histórico e Artístico de Itabira ), é que o Ministério Público exigia adaptações nas casas, para favorecer a acessibilidade dos portadores de necessidades especiais. No dia 7 passado, outra edificação histórica da cidade, o Museu do Ferro, foi também devolvida após as devidas reformas.
  
Como é costume do governo protelar, reduzir projetos e adiar entregas das obras e, o pior, depois de prontas, não colocá-las para funcionar devidamente, demos uma corrida de olho na imprensa e nos sítios oficiais da Fundação Cultural Carlos Drummond de Andrade e da Prefeitura, para confirmar se, nas entregas, estavam previstas novas exposições e novas agendas culturais. A mídia, em geral, só noticiou as entregas das edificações propriamente ditas. Nos sítios oficiais, necas de agenda e no da Fundação Cultural, pasmem, nem reconhece as existências destes dois equipamentos públicos. Vide telas abaixo:

Cópias de telas do sítio oficial da Fundação Cultural Carlos Drummond de Andrade.
Notem que nem a Fundação reconhece a Casa do Brás e o Museu do Ferro
como "Pontos de Cultura" deles próprios...
  
Aí, complicou. Quando eu esperei que poderia elogiar a "atenção" do governo, eis que quase nada mudou. Mais duas casas culturais entregues praticamente vazias de conteúdo, sem novidades, sem agendas, sem ideias bacanas, sem nada.
 
Como tudo que ruim está, ainda pode piorar, pelo que lemos no fórum Opinião de Itabirano, num comentário do jornalista Marcelo Procópio, a intenção da Fundação é transformar a casa numa escola de música, segundo informou uma fonte dele. "A Casa não tem espaço para virar escola de música. Nem características arquitetônicas. Que ideia estapafurdia é essa? " - questionou o editor d'O Cometa.
  
Brás Martins da Costa foi renomado fotógrafo itabirano, daí, a melhor vocação do casarão seria para a área de audiovisuais, fotografias e vídeos.

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

200.000 ACESSOS!


Uau! Graças à sua fiel companhia, completamos, hoje, 200.000 acessos ao blogue Filhos do Cauê.
Um marco bem legal, para todos nós, que buscamos uma Itabira mais justa e melhor para vivermos,  comemorarmos à exaustão.

Aos políticos aqui criticados, nossas sinceras desculpas, caso tenhamos excedido, e a dica: andem de bem com a ética, a moral e a lei, que gozarão de nossas reverências e seremos excelentes parceiros. 

Caso contrário, serão combatidos sumariamente e ininterruptamente, até que as eleições de 2012 nos separe! Não por nós blogueiros, que fique claro. Mas pela massa itabirana que aprendeu a sair da moita e a reivindicar os direitos e tempos melhores.

CARNAVAL QUE DÁ IBOPE

Fico imaginando como seria uma cena do Papai Noel descer a lareira de tanguinha... ou ovos de páscoa entregues pelo lobo mal... ou, quem sabe ainda, toparmos com o saci-pererê, no meio da mata, com duas pernas, vestido com um belo terno de grife...
  
Digo isso, não sei se por teimosia,  ou frustração, mas continuarei firme na contramão, se necessário for. Não consigo entender o porquê das instituições bancarem apresentações nada ortodoxas em festas tradicionais. 
  
Um mau exemplo são as apresentações de funks em carnavais ou em quaisquer outros tipos de eventos públicos, com ridículos e impróprios movimentos sexuais, incitando orgia, violência, disputas torturantes de som automotivo e demais bestagens, inadequadas à apresentações abertas, com menores assistindo às bizarras "coreografias". Na boa, não tem nada a ver. Chega de boquinhas das garrafas destes tipos, expostas à crianças e adolescentes. Repudio tanto pelo conteúdo chulo, quanto pela inadequada contratação.
 
Pô, minha gente, esta semana foi de carnaval! Tempos de festas populares, bem brasileiras, de gente bacana, de marchinhas, de rodas de samba, de carnaval para toda a família e até de trios elétricos puxando blocos caricatos tradicionais. Cada cultura tem que ser preservada por quem a detém e originou. O axé fica mais legal lá na Bahia. Assim como as baterias das grandes escolas nos desfiles do Rio ou em São Paulo, ou ainda como o frevo no nordeste! Podemos até curtir um pout-pourri cultural e casual, desde que o tema, as raízes e os limites do bom senso sejam preservados.

Nota mil para a cidade mineira de Bonfim, cuja tradição, há mais de 170 anos, leva a Cavalhada para o carnaval, ao som de marchinhas entoadas pelas bandas locais, que rendeu fartos e preciosos minutos no Jornal Nacional. Nota mil, também, para Manaus, que mandou ver com o Carnaboi, também ovacionado pela Globo e tendo atraído milhares de turistas.
  
Enfim, duas grandes sacadas, em plena época de eleições, não!?

Cavalhada de Bonfim-MG, em matéria no Jornal Nacional.
Clique AQUI para assistir.

Outra grande sacada do carnaval: Carnaboi, de Manaus.
Clique AQUI para assistir.

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

PRA DESCONTRAIR...


COMO SAIR DESSA? Segundo capítulo

Pois é, como esperado, Dorinha Cabral compareceu ao fórum Desembargador Drumond, hoje às 2 da tarde, acompanhada por 20 membros solidários à defesa dela e em busca de mais Justiça para Itabira. Émerson de Alvarenga Barbosa (Gui) também lá chegou, segundo os presentes, cabisbaixo, "amparado por seu advogado".
  
O jornal Vox cobriu e gravou a proposta de conciliação que, segundo um dos presentes expôs no fórum social "Itabiranos sem censura", Délcio Mafra, os advogados do Gui propuseram um módico acordo, para que ela se retratasse num jornal e nos sites de relacionamento. Ou seja, de cara, abriram mão das indenizações pleiteadas e parecem não ter se interessado na hipótese de suplicarem que ela viesse a prestar serviços sociais, como pena alternativa, provavelmente, alertados pelos iminentes aumentos de desgastes, caso ela "justificasse" o porquê da pena, para quem a visse.
  
Para a surpresa deles, Dorinha não arredou o pé, se manteve firme e se negou a qualquer acordo, alegando que tem provas documentais e testemunhais, além de não ter achado "que tinha ferido ao Sr. Emerson e que queriam a continuação do processo". Então, ainda segundo a postagem do Délcio, o advogado e o Gui saíram claramente desconsertados, por não estarem preparados para a situação. "... era visível o constrangimento do Sr. Emerson (Gui) Alvarenga", concluiu o Délcio.
  
Sem acordo, nova conciliação foi marcada para o dia 17 de abril. Virgem nossa! Como sair dessa? Aguardemos o terceiro capítulo. Acho que agora, o colega Armando Bello terá mais motivos para ter certeza que a moça é doida mesmo.

COMO SAIR DESSA?

Hoje, às 2 da tarde, acontece a audiência que Émerson (Gui) de Alvarenga Barbosa moveu contra Maria das Dores (Dorinha) Cabral de Souza, por causa da publicação que ela fez no Facebook, no dia 5 de janeiro passado.
 
Dorinha Cabral se exaltou e chamou João Izael e "sua turma" de "safado, ladrão e cara de pau". Ainda no desabafo, Dorinha denunciou possíveis esquemas de compras de imóveis entre o prefeito, Gui e Ronaldo Magalhães, com uso de "laranjas", e questionou má qualidade de algumas edificações da MD Predial, que tem como um dos sócios o Gui. "A MD Predial cresceu-se, criou e enriqueceu às custas do erário, e o dono, Sr. Emerson, cidadão falido que enriqueceu sem ganhar na Megasena, usa de cidadãos nada respeitáveis para dar nome à empresa", denunciou Dorinha na mesma postagem.
  
Desde então, Gui, os demais sócios e a empresa, segundo informações, moveram uma série de processos de reparações de danos morais e materiais, somando mais de R$ 300 mil de indenizações. Dorinha nos disse, ontem à tarde, que ela só foi citada no processo que o Gui pede indenização de R$ 21,8 mil, mais honorários advocatícios e a retirada do conteúdo do ar. Ainda na entrevista, Dorinha nos adiantou que o Juiz e o TJ não acataram nem o agravo e nem a causa da MD.
   
Se a moça exaltou e excedeu nas críticas, definitivamente, o caminho não passava por pedidos de indenizações de milhares de reais, até porque a autora nada tem para ressarcir. Soou à truculência e abuso de poder. Tanto é que, até o fechamento desta nota, 139 manifestantes de apoio à ela confirmaram presença na audiência, segundo o evento criado no Facebook por uma amiga, chamado de "Apoio à Dorinha Cabral. Todos contra a corrupção!" (clique aqui para confirmar).
 
Desta forma, se, pelo menos metade dos manifestantes cumprir e for ao fórum, o estrago na imagem do autor do processo ficou bem pior. Se não for, dada a reverberação desnecessária das ações, já contribuiu para que os remendos saíssem piores do que os sonetos. E mais, se a moça for condenada à penas alternativas, por não ter como pagar nenhuma indenização, imaginem se ela, a cada dia trabalhado numa creche ou hospital, aparece com uma camisa preta, com letras garrafais, com alusões a porque paga aquela pena! Situação delicada, que poderia ser evitada com um acordo extra judicial e amigável, que agora se complica a cada mexida. Se ficar, o bicho pega. Se correr, o bicho come.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

"DAMON NÃO ESTÁ INELEGÍVEL"

Enfim, chegou hoje a resposta do advogado Fabrício Duarte,  sobre o questionamento que fizemos, na sexta-feira passada, por e-mail, sobre a possível inelegibilidade do médico Damon de Sena-PV.
  
Segundo o advogado, Damon não tem qualquer problema com a nova lei da Ficha Limpa, portanto, continua forte no páreo, como pré-candidato para as eleições de 2012. Leia defesa abaixo:

"Prezado Fernando,

O processo que envolve o Damon é de prestação de contas eleitorais e não está relacionado com a lei da ficha limpa.

A rejeição de contas de que fala a Lei da Ficha Limpa é apenas de administradores públicos (prefeitos, presidentes de câmaras....) e não de contas de campanha eleitoral, daí a inexistência de qualquer relação com o processo do qual o Damon é parte.

No caso, a decisão do TSE não tem qualquer reflexo sobre a elegibilidade do Damon, mesmo sendo uma decisão de órgão colegiado.

Em resumo, o Damon NÃO está inelegível.

Atenciosamente,


Fabrício Souza Duarte
Advogado - OAB/MG 94.096
Ribeiro Silva Advogados Associados"


MILITANTES E PORTAIS COMEMORAM ANTES DA HORA
  
Ao longo do carnaval, como era previsto, não faltaram torcedores, adversários, militantes e simpatizantes dos concorrentes, que comemoraram a possível inelegibilidade do Damon de Sena ou do Ronaldo Magalhães, precipitadamente. 
  
O fórum de discussões do Facebook "Liberdade Itabirana", atribuído a militantes do PP/PT, que fazem uso de pseudônimos (fakes) para projeção dos seus pré-candidatos e para ataques contra os adversários, já comemorava a "saída" do Damon com a frase "Carnaval é para dançar", tendo ainda "colado" o pevista no adversário Ronaldo Magalhães, numa tentativa de associar os dois pré-candidatos, como se estivessem juntos. Vide cópia de tela abaixo:
 
Fórum adversário "Liberdade Itabirana"
comemora antecipadamente as "saídas" do Damon e do Ronaldo.
Ao final da nota, um link para os leitores "comprovarem" que o Damon estaria barrado pela lei da Ficha Limpa, apontando para o portal do Átila Lemos, que, por sua vez, apontava como fonte para o portal sensacionalista do Cosme Ferreira (Notícias Uai). Estranhamente, as "notícias" foram publicadas de forma idêntica, com mesmos  textos, diagramação e fotos. Um CTRL+C e um CTRL+V, sem análises reais e feitas com chamadas tendenciosas: "'Ficha Limpa' muda o cenário político em Itabira e duas lideranças ficam fora das eleições 2012", sentenciavam as manchetes (vide links: Átila Lemos e Notícias Uai). 
  
As precipitadas reações têm motivações só justificadas pelas situações favoráveis dos dois pré-candidatos, diante de fortes intenções de votos, embora sejam adversários e ideologicamente antagônicos, somadas às tacanhas projeções dos demais adversários do PP, PT e de outros partidos piores posicionados. Soou à conhecida tática  de queimar o Damon, que sempre lutou contra a corrupção, como se tivesse sido penalizado junto o ex-prefeito Ronaldo Magalhães, apontado pela população como um dos governos com maiores indícios de corrupção, bem ao estilo de matar dois coelhos numa paulada só. Como são apontados como os dois nomes mais fortes, as "sacadas" poderiam ser colar um no outro, como se estivessem juntos, e sentenciá-los, prematuramente, como inelegíveis.
 
Esta tática é bastante comum de vermos nas notícias plantadas pelo pessoal da assessoria de comunicação da prefeitura de Itabira, comandada pelo Fernando Silva, reverberadas pelos órgãos de mídia chapa-branca e/ou sensacionalistas.

Enfim, é o que publicamos na última nota de hoje, neste blogue. A Ficha Limpa é recém-nascida e pouco testada; as restrições têm amplo e aberto espectro e as consultas pelos processos que envolvem os pré-candidatos e consequentes decisões judiciais são difíceis de serem conhecidas rapidamente e facilmente. Daí, mais cautelas nas comemorações, não farão mal a ninguém que preze pela credibilidade.


FICHA LIMPA

A lei da Ficha Limpa foi aprovada na última quinta-feira, por maioria dos votos, pelo STF (Supremo Tribunal Federal), válida já para este ano.
  
De agora em diante, não serão mais aceitas candidaturas de políticos condenados em decisão colegiada, por crimes contra a administração pública, o sistema financeiro, ilícitos eleitorais, de abuso de autoridade, prática de lavagem de dinheiro, tráfico de drogas, tortura, racismo, trabalho escravo ou formação de quadrilha.
  
Segundo o portal Terra, os ministros destacaram a importância da legislação ter sido originada a partir de iniciativa popular, depois da coleta de 1,3 milhão de assinaturas. "Essa lei é resultado do cansaço e saturação do povo com os maus tratos infligidos contra a coisa pública. A probidade administrativa foi tratada com especial carinho, especial apreço e especial valoração por nossa Carta Magna", completou o ministro Carlos Ayres Britto.
    
  
E NAS ELEIÇÕES EM ITABIRA, O QUÊ MUDA?
 
Ainda há muitas dúvidas sobre quais pré-candidatos itabiranos seriam impedidos, porque, diante da vastidão de impedimentos e processos em andamento, fica difícil uma pronta e acertada resposta. Batalha esta a ser combatida pelos advogados de todos os lados.
   
Sabe-se, entretanto, que João Izael Querino Coelho e Ronaldo Magalhães foram condenados, em primeira instância, por compra de votos, durante a transição do governo Ronaldo para o João. Só que, calma aí, afoitos leitores, disse em primeira instância e João não pode ser candidato a prefeito, por estar em segundo mandato. Daí, para que Ronaldo Magalhães tenha uma possível candidatura cassada, ele teria que, ainda neste ano, ser condenado por um colegiado. No caso do João Izael, como ele se dispôs a recorrer da primeira sentença, se for condenado depois, não poderá disputar para deputado em 2014.
 
Já o médico Damon Lázaro de Sena, também, corre algum risco, porque a prestação de contas da campanha passada não foi aprovada, embora a mesma esteja sob recurso. Na sexta-feira passada, por telefone, Damon disse estar tranquilo, porque seus advogados ressalvaram que há diversas sentenças favoráveis, com semelhantes situações, com novas orientações legais e que todas as providências e demais documentos já foram apresentados. O clima no PV é de trabalhos preparatórios de campanha.
  
No mais, como em Itabira, dentre os demais nomes, há suspeitos que podem ser qualificados como políticos corruptos, envolvidos com tráfico, ilícitos eleitorais e formação de quadrilha... vá saber se não aparecerão outras candidaturas para serem cassadas. 
  
Contudo, há um pequeno temor quanto a se veio em boa hora, a poucos meses da principal eleição da democracia, quando serão escolhidos os prefeitos e vereadores, que são cargos com mais impacto nas vidas dos cidadãos. A dúvida recai sobre a capacidade do STF julgar as pendências com rapidez e justiça, a tempo de não inviabilizar candidaturas sérias. Mas, se o STF aprovou, é porque tem conhecimento de causa e sabe das suas responsabilidades. 
 
Com a chegada a Ficha Limpa, como se pode prever, tentar cassar adversários por intermédio desta lei tornou-se estratégia de altíssimo foco. Por esses motivos, espera-se que a disputa de 2012 dê muito trabalho para a turma do direito. Advogados bons terão um mar de oportunidades à frente.

Então, o carnaval já passou e é hora de começarmos a trabalhar. Comemoremos a decisão da Ficha Limpa. Avante, Itabira!




sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

FAROFADA


 
"A pedagogia da marquetagem
 Elio Gaspari - O Globo

A compra de 300 mil tabuletas (equipamento também conhecido como tablet) para estudantes da rede de ensino público nacional poderá ser a última encrenca da gestão do ministro Fernando Haddad, ou a primeira de Aloizio Mercadante.
O repórter Luciano Máximo informa que falta pouco para que o governo federal ponha na rua o edital de licitação para essa encomenda.
Governos que pagam mal aos professores, que não têm programas sérios de capacitação dos mestres, onde escolas estão caindo aos pedaços, descobriram que a compra de equipamentos eletrônicos é um bálsamo da pedagogia da marquetagem. Cria-se a impressão de que se chegou ao futuro sem sair do passado.
O governo de Pernambuco licitou a compra de 170 mil tabuletas, num investimento global de R$ 17 milhões. A prefeitura do Rio anunciou em outubro que tem um projeto para distribuir outras 25 mil. A de São Paulo contratou o aluguel de 10 mil ao preço de R$ 139 milhões.
Felizmente, o negócio foi abatido em voo.
A rede pública de Nova York, com 1,1 milhão de estudantes, investiu apenas US$ 1,3 milhão, numa experiência que colocou dois mil iPads nas mãos de professores e de alunos de algumas escolas. Já a cidade mineira de Itabira (12 mil jovens na rede pública) comprou três mil laptops, num investimento de US$ 573 mil.
Na Índia, onde se fabricam tabuletas simples por US$ 35, existe um projeto piloto, para 100 mil alunos, num universo de 300 milhões de estudantes. Se tudo der certo, algum dia distribuirão 10 milhões de unidades.
Na Coreia, o governo planeja colocar tabuletas nas mãos de todas as crianças do ensino fundamental. Lá, a garotada tem jornadas de estudo de 12 horas diárias.
O projeto de Pindorama parece mais com o do Cazaquistão do companheiro Borat, onde se prevê a compra de 83 mil tabuletas até 2020.
Encomendas milionárias de computadores ou tabuletas para a rede pública são apenas compras milionárias, com tudo o que isso significa. Se a doutora Dilma quiser, pode pedir as avaliações técnicas que porventura existam do programa federal. Um Computador por Aluno.
Com quatro anos de existência, o UCA tem muitos padrinhos e fornecedores (150 mil máquinas entregues e 450 mil encomendadas por estados e municípios). Nele, algumas coisas deram certo. Outras deram errado, ora por falta de treinamento dos professores, ora pela compra de equipamentos condenados à obsolescência.
Uma boa ideia não precisa desembocar em contratos megalomaníacos que terminam em escândalos. Se um cidadão que cuida do seu orçamento não sabe qual tabuleta deve comprar, o governo, que cuida da Bolsa da Viúva, deve ter a humildade de reconhecer que não se deve encomendar 300 mil tabuletas, atendendo a fabricantes que não conseguem produzir máquinas baratas como as indianas ou versáteis como as americanas, japonesas e coreanas.
Se esses equipamentos só desembarcarem em cidades e escolas onde houver banda larga e professores devidamente capacitados, tudo bem.
Se o que se busca é propaganda, basta comprar 20 tabuletas, chamar a equipe de marqueteiros que faz filmes para as campanhas eleitorais e rodar o vídeo. Consegue-se o efeito e economiza-se uma montanha de dinheiro."

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Câmara desvalida

Essa Câmara de Vereança itabirana é mesmo desvalida; desvalida de propósitos, de circunstâncias positivas para a comunidade que os elegeu e de quem receberam o voto de confiança.

Não faz diferença alguma ao Município se temos um, nove ou dezessete vereadores, pois por conta da Lei Orgânica (a constituição municipal) a Câmara custa anualmente 6% (seis por cento) do orçamento fiscal municipal.

O porém disto, do aumento de representantes municipais, é o que vem por aí. Já lançaram o edital para o projeto arquitetônico do anexo que dizem ser necessário para albergarem os outros seis novos vereadores que serão eleitos no pleito de outubro deste ano e seus funcionários.

Na construção do atual prédio ocorreram atrasos e obviamente aditivos contratuais. Não passado muito tem pó do início da sua ocupação e com a tromba d’agua que caiu em janeiro de 1997 a garagem/arquivo ficou cheia d’agua e precisou de intervenção e logo após os azulejos começaram a cair, foram feitas obras e ocorreram aditivos no contrato de serviço também.

Passados outros anos, veio a instalação do ar condicionado para refrescar as parcas almas que acedem o plenário para se ocuparem com aquilo que chamam de reunião plenária. Nesta altura também houve a redução de dezenove para onze vereadores e o alargamento dos atuais gabinetes de vereança.

Depois foi refeito aquele poço com a fonte luminosa que só fica apagada, instalada a rampa que comumente nunca é usada e o elevador que funcionou somente nos testes e no dia da inauguração, uma tristeza e desperdício incomensurável do dinheiro do erário público municipal. Nesta obra também foi feito aditivo ao contrato de serviço de engenharia civil.

Por último foi a caixa para colher a água de chuva instalada em cima do brejo que ali existe. A direção da época tentou um aditivo ao contrato, porém sem conseguir este feito. Deveriam ter proposto um aditivo para furarem um poço artesiano para também usarem aquela caixa d’agua no período da seca.

Espero que nesta nova obra não sejam feitos aditivos ao contrato de serviço de construção do anexo.

Mas, além de tudo isto, e por conta de toda essa desvalia funcional, a Câmara de Vereadores, nomeadamente seus vereadores, deveriam efetivamente fazer suas obrigações às quais foram eleitos, a começar por fiscalizarem as contas dos gastos da Prefeitura Municipal de Itabira, cobrarem por concursos públicos e não usufruírem destes cargos como fazem atualmente, cobrarem por implantação de políticas públicas efetivas e não somente se absterem delas e darem de ombros como se tudo isto e mais alguma coisa não fosse com cada edil que ali fica a prometer o que não tem capacidade ou competência.

Enfim, outubro está chegando e nos encontramos na boca (ops, teclado) da urna!

PIADINHA DA SEMANA

Desde que começaram as especulações para que o médico José Cesário Martins Carneiro, renomado urologista da cidade, seja o candidado à sucessão do governo João Izael (PR), esta piadinha (sem graça) tem sido propagada na cidade:

-Doutor, não tem jeito... precisamos do senhor mesmo. Tentamos de tudo e todos, mas o senhor é nossa única salvação!
-Eu!?! Por quê eu?
-Doutor, coopere e avalie bem. Entramos com a máquina toda, com toda a vontade, disposição e com todo o empenho...
-O quê? Tô fora!
-Doutor, pela última vez, imploramos...
-Tá bom, não precisa tanto... Vou reconsiderar o pedido. Mas só tem uma condição... se aqueles bocas-largas encherem muito o meu saco, dedo todo mundo, hein!?! Já disse, dedo todos! Estão avisados!?!
-Pelo amor de Deus, dedar, não! Dedar, não, doutor!

PARADA OBRIGATÓRIA


O Trem Itabirano marca parada obrigatória na estação de Manhattan. Mais uma vez, o jornal do Marcos Caldeira foi citado no programa do jornalista Lucas Mendes, da Globo News, com direito a soar a buzina em alto e bom som, na edição de 5 de fevereiro.
  
Dentre as brincadeiras, Caio Blinder zombou que O TREM chegou lá de navio. Para quem quiser assistir a mais esta bajulação, eis o vídeo (CLIQUE AQUI). A citação ocorre no final: 12´47".

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Mais ainda????

Confesso que não conheço todos os vereadores, mas acompanho sempre as suas atuações. 
 
Essa Casa de Edis nunca foi tão criticada e rejeitada como está sendo agora. A população trata-a como com desprezo, prova é a baixa presença de populares e os constantes adjetivos que lhes são atribuída como subserviente, imprestável, puxa-sacos e outras "cositas mas" que ouço falar seja em bares ou roda de amigos. 
 
Conheço alguns Nobres Edis e gosto de "uns", mas confesso que entre esses que gosto reconheço que há "uns" que não fazem nada, não porque querem, mas porque não sabem o que estão fazendo ali. 
 
A inércia daquela casa frente à situação do evento Sem-Terra no ano passado por exemplo em deixou perplexo. Montaram uma comissão para averiguar a situação dos "encaixotados do Drumond" que hoje continuam do mesmo jeito e não fizeram absolutamente nada. É sabido por todos que não fiscalizam nada e ficam à mercê do executivo municipal, esperando suas ordens e prontos para dizerem, "sim chefinho". 
 
Agora, resolvem fazer um anexo para enfiarem mais seis. A pergunta é: Itabira será melhor com mais seis? Li um comentário em uma rede social onde se lia: "Abaixo a remuneração aos Vereadores! Que o legislativo seja um trabalho voluntário, afinal, o Presidente de Associação também trabalha para sua comunidade sem que, com isso, ganhe um centavo do bairro ao qual pertença. Só deverá ser remunerado aqueles funcionários que trabalham de forma efetiva na câmara e os assessores e secretários dos respectivos vereadores que cumprirem uma jornada DIÁRIA de 8 horas de trabalho. 
  
Com esta atitude, teremos nas cadeiras legislativa Itabirana apenas aqueles que DESEJAM mesmo trabalhar pelo coletivo". Confesso que achei pertinente apesar de não crer que exista um vereador com peito de propôr isso. 
  
Em outro cometário li também: "...o Presidente de Bairro que faz o trabalho gratuitamente, não é só ele,mas vários Diretores de Associações, secretários(as), auxiliares, representantes de Conselhos Municipais e outros voluntariados que executam o trabalho comunitário pelo simples prazer de estar fazendo ou procurando fazer algo em benefício para coletividade, e como o Presidente de Bairro merecem o nosso reconhecimento e gratidão." Concordo também. 
  
Faz-se necessário saber que o aumento no número de edis não é obrigatório e sim uma prerrogativa do Poder Legislativo Municipal, ou seja, não precisa aumentar e muito menos gastar verba pública para acomodar mais uns "chegados da galera". 
  
Se ali realmente fosse a casa do povo iriam ouvir esse povo se eles queriam aumentar o número de edis... qual seria a resposta?? Há um movimento de não votar em nenhum vereador atual e esse movimento pode crescer e muito. Salve, Salve...

MAIS! PRA QUÊ?

A câmara de vereadores de Itabira abriu edital de concorrência para aumentar o prédio, com o propósito de acomodar (seria isso mesmo? acomodar?) mais 6 novos vereadores, com seus respectivos penduricalhos (assessores, instalações, indicações, equipamentos etc.), que tomarão posse a partir de 2013.
  
O Edital, na modalidade de carta convite, busca empresas para elaboração de projeto arquitetônico e executivo do anexo do edifício, totalizando 360 metros quadrados a mais. Os interessados podem pegar o edital no sítio oficial da câmara (www.itabira.cam.mg.gov.br), ou na portaria da casa.
     
De acordo com o presidente do legislativo, vereador Geraldo (Torrinha) Magela Pena Torres (PDT), para o Via Comercial, a construção de um anexo é necessária, pois “além dos novos vereadores que a câmara vai abrigar no ano que vem, devemos nos preocupar com a área administrativa. Existem documentos históricos aqui que devem ser armazenados adequadamente”, defendeu Torrinha.
   
Ok, presidente. Compreendo a necessidade e o senhor tem razão. E faça-se justiça, recordo-me de boas atuações do senhor no passado, quando se opôs ao governo Jackson. Mas cá entre nós... tomara que, na próxima legislatura, o nobres edis não fiquem acomodados nestes novos cômodos, tal como temos visto nos últimos anos. Ser vereador apoiador e lider de bancada, pode ser justificável, mas daí todos se omitirem dos deveres de fiscalização e fugirem da transparência como fizeram os últimos presidentes, definitivamente, não é nada legal e não traz qualquer vantagem para o município. Quanto mais aumentar o número de cômodos, no sentido de novos acomodados.

Na boa, pessoal... creio ser possível ajudar muito mais o governo municipal, com boas doses de críticas positivas, dicas e sinceras críticas das possíveis falhas e execuções de projetos e programas mal executados, desde que feitas sem a paixão cega de ser "do governo" ou "do contra". Nenhum governo será 100% correto, porque o sistema, por si só, é complexo e viciado demais. Itabira precisa mesmo que atuantes fiscalizadores e legisladores, bem além das indicações de cargos e nomes de logradouros. 
  
Tomara que este ávido crítico que assina esta nota, tenha que dobrar a língua e pagar o pau, caso este texto se enquadre como preconceituoso e negativista demais. Tomara que, em 2013, um dos senhores, que me lêem agora, me abordem e me chamem de preconceituoso, caso os futuros edis vierem a desempenhar os nobres papéis, pelos quais foram eleitos. Caso contrário, continuaremos vendo mais bocas, de olho nesta impotente  (e não imponente) casa.
 
Foto: Marcos Caldeira - O Trem.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

MAIS AUMENTO NO SAAE



Hoje, às 3 e meia da tarde, acontece uma coletiva com a imprensa, promovida pela Arsae-MG (Agência Reguladora de Serviços de Abastecimento de Água e de Esgotamento Sanitário do Estado de Minas Gerais), na sede do Saae/Itabira (rua Nossa Senhora do Carmo, 148-Pará).
  
Na coletiva, o diretor geral da Arsae-MG, Antônio Caram Filho, irá expor sobre o processo de revisão tarifária dos serviços de água e esgoto, pedido pelo Saae-Itabira para este ano.
 
Segundo informações do release, o Saae-Itabira pediu 8,88% de aumento, baseado no índice do IPCA, desde o ano passado, quando conseguiu um reajuste de 33,15%, num tumultuado processo, seguido de denúncias de falta de transparência, de audiências mal feitas e abaixo-assinados. O Filhos do Cauê, na ocasião, abriu campanhas contra o abusivo aumento, mas, por entender que tratava-se de um "realinhamento de custos", a Arsae deferiu o pedido da autarquia, mesmo tendo a população questionado fortes indícios de cargos-fantasmas, excesso de funcionários e indícios de desvios de materiais (clique aqui para reler).
  
Para o próximo reajuste, a Arsae-MG propõe uma série de condições interessantes, dentre elas:
  • a implantação da Tarifa social, que beneficiará mais de 6 mil famílias na cidade; 
  • limitar o aumento a 3,10% a partir de abril deste ano; 
  • criação de reserva de investimentos de expansão e melhoria da qualidade de serviços de R$ 9 milhões nos próximos 4 anos (valor anual quase 3 vezes maior do que a média dos últimos anos), via redução com despesas com pessoal, terceiros, energia elétrica e material de tratamento;
  • alteração na estrutura tarifária, com a substituição do faturamento com consumo mínimo, a ser substituído pelo faturamento com a tarifa de disponibilidade e, ainda, com a tarifa por volume - mudança que é "altamente vantajosa para as famílias de baixo consumo", além de representar um incentivo ao uso consciente da água - defende a agência reguladora. 
Os interessados em apresentar suas contribuições à revisão tarifária do SAAE de Itabira podem obter mais informações pelo telefone 0800-031-9293 ou pelo site da Arsae-MG, nos links dispostos nesta página: (clique aqui).
  
Pelo que se pode perceber, desta vez, a Arsae-MG promete uma série de benefícios para a população. 

Entretanto, como gato escaldado morre de medo de água fria, nunca é demais participar, questionar e acompanhar todo o processo. Daí, desde já, registramos nossas maiores dúvidas: quantos funcionários tem a autarquia itabirana e quanto custa o metro cúbico de água, comparado aos municípios vizinhos? Sem estas informações, não há como defendermos qualquer aumento. 

Estaremos de olho! Sem falar que trata-se de prato cheio para pré-candidatos, às vésperas de eleições municipais... Alô aspirantes! Fiquem ligados!

HOSPITALIZADO

Na noite de domingo passado, Alexandre (Banana) de Faria Martins da Costa (ex-vereador e atual presidente do PT Itabirano) foi internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), do hospital Nossa Senhora das Dores (HNSD), por causa de uma embolia pulmonar, após passar mal e ter sido conduzido pela equipe do Samu.
    
Segundo José Francisco da Silva, vice-presidente do PT de Itabira, para o portal Via Comercial, Banana responde bem aos medicamentos, encontra-se consciente e sem riscos, mas que, por precaução, permanecerá na UTI até a próxima quarta-feira.
   
Ainda segundo o portal, o hospital não divulgará boletim sobre o estado de saúde do paciente, após pedido da família do ex-vereador.

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

FICHA LIMPA

STF confirma para dia 15 conclusão do julgamento da Ficha Limpa

Luiz Orlando Carneiro, Brasília 

Depois de um pedido de vista formulado pelo ministro Dias Toffoli,o julgamento da validade da Lei da Ficha Limpa, em sua totalidade — para aplicação a partir das eleições municipais de outubro — será retomado na próxima quarta-feira pelo plenário do Supremo Tribunal Federal. As ações declaratórias de constitucionalidade 29 e 30, ajuizadas pela Ordem dos Advogados do Brasil e pelo PPS, respectivamente, constituem o primeiro item da pauta da sessão plenária do STF do dia 15, divulgada nesta sexta-feira.

A OAB e o PPS querem a declaração da constitucionalidade da Lei Complementar 135/2010 em sua integralidade, sob o argumento de que a lei não fere o princípio da razoabilidade, está de acordo com o artigo 14 da Constituição — que trata de “outros casos” de inelegibilidade, e que a sua aplicação a atos ou fatos passados não ofende, em nenhuma hipótese, os incisos do artigo 5º da Carta sobre os direitos individuais.

Como está
Na sessão do dia 1º de dezembro do ano passado, Dias Toffoli pediu vista dos autos das ações, depois do voto do ministro Joaquim Barbosa favorável à constitucionalidade da lei como um todo, e do reajuste do voto do relator, Luiz Fux, a fim de tornar a nova lei “mais hígida”, com relação aos políticos que renunciam aos mandatos para evitar a suspensão dos direitos políticos.

Assim, dois dos 11 ministros que já se pronunciaram na linha de que os novos casos de inelegibilidade previstos na Lei da Ficha Limpa são constitucionais, conforme o parágrafo 9º do artigo 14 da Carta de1988. As únicas questões ainda pendentes que dividem os próprios ministros simpáticos à nova lei referem-se ao tempo da duração da inelegibilidade em face das alíneas “e” e “k” do artigo 1º da lei.

A  alínea “e” considera inelegíveis “os que forem condenados, em decisão transitada em julgado ou proferida por órgão judicial colegiado, desde a condenação até o transcurso do prazo de oito anos após o cumprimento da pena”. Barbosa concordou com a manutenção do texto, mas Fux quer dar à norma interpretação conforme a Constituição, a fim de que sejam descontados os anos transcorridos, se foram superiores a oito anos.

Mas ambos estão de acordo com a alínea “k”, segundo a qual são também inelegíveis as autoridades que ocupam cargos eletivos — do presidente da República aos vereadores — “que renunciarem a seus mandatos desde o oferecimento de representação ou petição capaz de autorizar a abertura de processo por infringência a dispositivo da Constituição Federal, da Constituição Estadual, da Lei Orgânica do Distrito Federal ou da Lei Orgânica do Município, para as eleições que se realizarem durante o período remanescente do mandato para o qual foram eleitos e nos oito anos subsequentes ao término da legislatura”. 


Fonte: Jornal do Brasil

sábado, 11 de fevereiro de 2012

PINHEIRINHO ITABIRANO

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

POLÍTICOS...


Ao vermos esta charge do Duke acima, ficamos a imaginar... 
E os demais políticos e atuais ocupantes dos cargos privilegiados para nos representar e servir, o quê têm feito por nós!?!

O IPVA está lá, nos cofres dos governos, praticamente quitado. E a duplicação da BR-381, as correções e adequações das MGs recém pavimentadas e tão precocemente destruídas?

Definitivamente, não é por falta de representantes que não somos atendidos à altura. 
Eu mesmo, nunca ouvi uma só defesa dos deputados da região acerca deste tema. Antes de ontem, numa conversa informal no Rotary Club, discutíamos isso. É de amargar.

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Octopus

Neste momento em que a nau capitânia começa a naufragar, neste final de mandato obscurecido pelos dilemas e divagações de um governo inepto, sem cor partidária e vontade política de evoluir a nossa Itabira, de transformá-la realmente na cidade do bem viver, os ratos, os aproveitadores de sempre, começam a sair pelo ladrão.

Nos preparativos para os lançamentos das campanhas partidárias, seja para cargos do poder legislativo ou do executivo, os atuais mandatários, apaniguados, apadrinhados, esboçam suas fugas desta marafunda administrativa que enodoa a política itabirana.

Como um polvo, com seus múltiplos tentáculos, alguns em movimento democraticamente abrasileirado já deixaram o barco antecipando o que há de vir até o próximo mês de Julho, quando serão definidos todos os candidatos a participarem do próximo pleito eleitoral.

Como se estivéssemos sendo premonidos em proféticas previsões nostradâmicas e tudo na maior santa fé dos tempos secos ou molhados, todos estes partícipes desta desastrosa administração municipal, seja por cargos públicos, contratações ou em milionários contratos de obras inacabadas ou a fazer.

Estes espalham-se mesmo como um polvo a todos os cantos, a todos os partidos políticos possíveis de se aninharem social e democraticamente e mais uma vez locupletarem dos interesses comunitários a serem adjudicados pelo poder nesta próxima eleição para cargos públicos.

Com muitos tentáculos, este polvo tenta a todos com os seus muitos milhões a serem aportados nas campanhas políticas e mais uma vez poder absorver aquilo que deveria ser feito de forma consensual na distribuição da riqueza municipal.

PROCURA-SE CANDIDATO PRO JOÃO

Desde que João Izael empreitou a campanha sucessória de 2008, que vem se questionando a eficiência de sua tacanha gestão. Ontem ouvi dizer de uma prestação de contas, publicada num periódico apoiador, na qual consta uma quantidade de cestas básicas e uma série de outras ações clientelistas, tão pequenas quanto as cabeças dos escolhidos para os primeiros escalões. Segundo a fonte, relação de "feitos" de dar dó, diante da bilionária arrecadação. 
  
O destaque foi para a obra (parcial) do Campus da Unifei, realizada com recursos da Vale e do governo Federal, mas que não deixa de ser mérito deste governo, convenhamos. Entretanto, obra realizada e entregue bem aquém da demanda. Mal falar este que aumenta na ordem de uns 450 novos alunos ao ano, que costumavam ser "encaixados" em improvisadas instalações, segundo alunos da Unifei têm postado nas redes sociais.
  
Então, João Izael chega ao fim, em 2012, de cabeça baixa e popularidade crítica. Se o governo estivesse bem avaliado, o candidato escolhido para a sucessão já estaria sendo exposto na TV Cultura e demais órgãos da mídia apoiadora, desde o ano passado, tal como sempre víamos, tempos atrás. Se não apareceu um doid... ops..., um pré-candidato ainda, é porque, no meu entendimento, tudo que aqui expus, faz sentido. Ou será que não?
   
Daí, a pergunta que temos feito e que, até o momento, nenhum cristão se apresentou: QUEM TOPA SER CANDIDATO DO JOÃO!?! Pode-se oferecer portentosa máquina pública de apoio e/ou fartos recursos financeiros para as despesas de campanha, se repetirem as estratégias ora vistas. Como pré-requisito, imagina-se que desejam um nome de bom cristão, que aceite encaixar todos os "companheiros", manter os privilégios e que possa ser encarado como bom gestor ou que tenha servido à comunidade de alguma forma, sendo este último requisito dispensável.
  
E aí, ninguém topa? Vamos lá, minha gente! A faca e o queijo estão nas mãos. O candidato só precisa entrar com seu bom nome, disponibilizá-lo para apanhar do maldito povo e aceitar sujar um nomezinho de nada. Em último caso, há ainda outra possibilidade mais espert..., digamos, mais inteligente, que pode ser o pretenso candidato topar sair com apoio velado do governo. Desta outra forma, o João ajuda por fora e não aparece, tal como se fazia com sua turma queimada nas eleições anteriores, quando eram proibidos de aparecer nas campanhas, segundo informações vazadas pela população afora. O problema é se esse povinho chato descobrir. Ô gente à toa, que num deixa o João articular!