Who's amoung us?

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

NOVAS ESTRATÉGIAS DE COMUNICAÇÃO

Desde que boa parte do público formador de opinião migrou para os ambientes dos blogues e das redes sociais, cansados com a manipulação da assessoria de comunicação, que adotava uma linha de cerceamento econômico da imprensa itabirana, ao que tudo indica, o novo palanque eleitoral, para 2012, serão nas redes sociais e nos blogues independentes.


NO ORKUT

Já havíamos noticiado aqui comunidades da rede social Orkut, tais como a CQC Itabira Urgente; Itabira (com mais de 10.500 membros!); além de outras comunidades que atuam como ponto de encontro ou reclamações dos recentes shows cancelados. Porém,  as discussões políticas e dos problemas de Itabira não foram muito a praia das comunidades do Orkut.
 
  
NOS BLOGUES

Outras iniciativas de blogues também surgiram, depois que o itabirano descobriu o Filhos do Cauê, reforçados pelos poucos jornais independentes O Trem, O Cometa e Vox; tais como da Ace Priscila e Filhos da Curva da Estação,  sendo este último com linha velada de defesa dos governistas, a meu ver, muito parecido com o estilo preferido do assessor de comunicação da prefeitura de Itabira, Fernando Silva.

NOS FÓRUNS DO FACEBOOK

Um dos melhores canais de encontros para saudosistas e para socialização dos sentimentos de indignação e inconformismo atuais é o grupo de discussões Opinião de Itabirano, que acaba de superar a marca de 1000 participantes. Este fórum foi criado por estudantes de comunicação itabiranos, hoje residentes em BH. Eles mesmos pouco ou quase nada opinam. Apenas abriram um novo canal de postagens instantâneas e rápidas. Por isso, obtiveram sucesso imediato. É, ainda segundo minha constatação, o canal do Facebook que tive o prazer de conhecer livre, independente e ético. Jornalistas, fotógrafos, profissionais liberais, professores, profissionais de saúde, comerciantes, comerciários e artistas fazem parte do elenco diário.
 
Alguns ataques ocorreram no dia-a-dia do Opinião de Itabirano, disparados por simpatizantes e militantes da fracassada dobradinha PP/PT, que já adotaram uso de fakes e de trolls*, como estratégia desesperada de salvação, noticiados neste blogue. 
 
Como no Opinião de Itabirano alguns destes militantes eram criticados ou ignorados, a saída foi a criação de um canal só deles, para trolarem à vontade. Um canal, chamado de Liberdade Itabirana, parece ter exatamente este foco. Em rápida passagem, li que os criadores (Luiz Paulo de Souza e Antônio Carlos Santos), provavelmente fakes, têm adicionado membros do Opinião de Itabirano, até mesmo sem que os mesmos pedissem. 
 
A última provocação foi a alegação de uma moça, a mesma que alegava que o Damon seria vice do Gui (MD), que este nosso blogue é transmissor de um "vírus violento". E é. Para se contaminar, basta clicar no vídeo da inteligente campanha viral da Nissan, "Pôneis Malditos", que a maldição da musiquinha do pônei jamais sairá da sua cabeça, reproduzida na postagem logo abaixo. Outra forma de perigosa contaminação deste blogue é pela dissipação da ideia da livre manifestação de opiniões e pensamentos, copiadas web afora. Ainda bem!



NOVOS TEMPOS

Contudo, muito temos que comemorar. Afinal, o domínio da informação séria, responsável e ética, ou não, saiu das mãos da assessorias de comunicação oficiais, que bancavam os órgãos de imprensa para a manipulação do que o falido grupão queria.

No mundo virtual, é impossível dominar, porque não conta ou não depende de dinheiro. É como um público de um grande show, que, a qualquer momento, pode ovacionar ou vaiar quem bem entender. 

E viva a democracia!

* Fakes = Participantes de fóruns virtuais com nomes e identidades falsos. Trolls = Participantes que podem adotar nomes reais ou falsos e que se inscrevem só para a franca provocação e ataques.

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

BONS TEMPOS


A vida vai passando, as carreiras profissionais vão se edificando e com elas, vamos registrando bons momentos na memória. Comecemos a brava segunda-feira com um pouco de nostalgia.

Começo pela campanha para prefeito, do Luiz Menezes (1996). Era incrível o bom humor dele durante as gravações; imprescindíveis nestes momentos tensos de campanhas eleitorais. Recordo-me do Lilico, um cachorro Fox, xodó do Sô Luiz, que roubava as cenas com suas travessuras nas caças aos gambás. Sô Luiz interrompia as sonoras para rir do Lilico e atiçá-lo mais. Outros momentos divertidos eram as gravações dos quadros do Zé Birinha e Catatau, cortados sempre pelas buzinas dos trens da Vale. Certa vez, por não contarmos com teleprompter, Birinha teve que comer um cacho de bananas, uma a uma, a cada vez que erravam o texto. Na ocasião, como não contávamos com estúdio de TV, constumávamos gravar as falas do Sô Luiz nos fundos do quintal do casarão dele ou nã área de serviço da minha casa.
 
Anos depois, tive o prazer de conhecer mais de perto o Jackson Tavares, quando foi prefeito de Itabira. Nos finais das noites, depois de um dia inteiro de atendimento ao público, era momento de despachar. Seus assessores adentravam e colocavam pilhas de processos, documentos, notas de pagamento e decretos para despachar. Já cansado de tantos pedidos e problemas, ora ouvidos, os companheiros colocavam uns CDs para o Jackson ouvir, para relaxar e trabalhar até lá pelas 2 ou 3 da manhã. Retomados o ânimo e o humor, trocavam experiências e causos engraçados, como o caso do Cuscuzão. Ao som de fundo, um CD do Renato Teixeira, com a predileta Amizade Sincera. Bons tempos...
 
Na campanha de 2008, outro personagem roubava a cena nos estúdios. Alexandre Banana-PT, então candidato a vice do Damon, divertia-nos com suas piadas e performances engraçadas. Improvisava esquetes cômicos, capazes de levar o público à dor de barriga. Uma pena que eram privilégios exclusivos para os bastidores. Como consolo, deixo aqui a mais comentada campanha viral do momento, apresentada pela Nissan: Pôneis malditos. Ela é a cara das performances inteligentes e cômicas do Banana.


sábado, 27 de agosto de 2011

2 ANOS


Dois anos e muito ainda por fazer, para que Itabira retome o ritmo de crescimento.
 
Desde que nossa cidade caiu nas mãos do grupo composto por quase 20 partidos, que chamamos, simploriamente, de grupão, pouco nossa cidade tem o que comemorar. Entramos num retrocesso da qualidade dos serviços públicos e na era da demência da moral, diante dos fortíssimos indícios de corrupção. Assistíamos, boquiabertos e a todo tempo, mau uso do dinheiro público. Dinheiro este que nos faz muita falta, para uma educação melhor, nos atendimentos dos serviços de saúde, no fornecimento de remédios, nos programas de moradia populares, quase inexistentes hoje, no cumprimento das promessas de campanhas e tudo mais.
 
Temos o que comemorar? Claro que sim! Não sejamos tão pessimistas. Depois de mais de 154.000 acessos, 830 postagens e a participação de 19 autores independentes, nem tudo que os políticos e seus companheiros quiseram, conseguiram colocar goela abaixo, como antes, tal como o absurdo projeto de lei do senhor prefeito, encaminhado no final do ano passado, para dar uma concessão de até 20 anos para exploração de toda a publicidade visual da cidade, para uma só empresa, que chamamos de Lei do Monopólio dos Outdoors. A estratégica união PP/PT, para desarticular a oposição, e o projeto Agenda 2012 não vingaram. Por um momento, ainda que curto, conseguimos sensibilizar os vereadores, quando criaram o grupo dos 6, quando colocaram abaixo alguns outros absurdos, como o programa do Bulevar, até hoje mal explicado na sociedade. O governo teve que mudar a intransigente e arbitrária linha contrária à transparência e teve que enxugar a inchada máquina pública, ao dispensar centenas de servidores, a maioria contratados com critérios políticos, por apadrinhamentos, e ocupando cargos-fantasmas.
  
Méritos exclusivos do Filhos do Cauê? Claro que não. A imprensa comprada, antes quase dominante, vem sendo substituída, pouco a pouco, por vários canais livres, tais como o pioneiro jornal O Trem, Impacto, Vox, Leste Mais e as recém chegadas redes sociais, com destaque para o grupo de discussões Opinião de Itabirano, do Facebook.

Tivemos gols contra? Lamentavelmente, sim. Não conseguimos colocar abaixo o abusivo aumento da conta de água, da taxa de iluminação pública e engolimos, seco, o despejo de 300 famílias do aglomerado Drummond.
 
Como podem ver, muito chão ainda temos que percorrer e muitas batalhas teremos que travar. E não pensem que os problemas da nossa cidade se resolverão com a eleição de outro nome, meramente da oposição, porque não será tão simples assim. Não se iludam! Tamanhos são os estragos e os vícios, consumidos por mais de uma década de retrocesso, que teremos que continuar vigilantes. E assim, com perseverança e fé, vamos adiante. Itabira e nossa gente merecem um futuro bem melhor!
 
 

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

MAIS IMPROVISOS...

Moradores do aglomerado Drummond, antes alojados no Ginásio Poliesportivo do Gabiroba, segundo a Defato Online, mudaram-se para os novos alojamentos do Centro Esportivo Brazuca, no bairro São Cristóvão. O mesmo destino improvisado aguarda as famílias alojadas no galpão da antiga Malharia Fio de Ouro.
Então, assistimos a um tipo de  upgrade superficial da aberração da retirada e do alojamento absurdo da Fio de Ouro.
A prefeitura providenciou apoio na mudança e na inspeção das novas acomodações provisórias. Se tivessem cumprido com a legislação e com as promessas de campanha de atender à demanda de habitação popular, desde que tomaram o poder, o problema dos sem-terra não tomaria tamanha dimensão.
 



quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Tem um resto alí...


Antigamente, no periodo da campanha da dupla dinâmica do Grupão, as pessoas mostravam a cara, faziam questão de dizer: "Eu voto nele", "eu você e ele", "eu amo ele", "ai como era grande" e por ai vai. Passados alguns anos, vendo que a popularidade vem desabando, muitos ratos começaram a abandonar o navio, fugindo, tentando preservar sua imagem. Mas quem se alia ao Grupão é como carrapato na pele, arranca mas fica a ferida. Mas tudo bem, ratos são ratos e este governo será marcado pelo prefeito que terminou seu mandato sozinho, sem ninguem, afinal, ninguem quer se aliar, ou pelo menos demonstrar que tem alguma ligação com o governo mais rejeitado e desprezado que Itabira já teve. Os ratos que estão abandonando esse governo e os que já abandonaram deixaram sobras para trás. Na pressa de se limparem do fédido resquício que estavam grudados em seus corpos, não se importaram em deixar cargos e vagas na prefeitura, autarquias e câmara municipal. Lendo o texto do Fernando abaixo, "Suspiros Finais", percebí que não há só ratos neste governo, mas também abutres, urubus, que gostam de comer o resto. Percebendo que sobrou uns bicos em alguns orgãos públicos, lideranças partidárias, eleitores, puxa-sacos e outros urubus correram para os restos. Há muita gente que não quer saber de ética na politica, personalidade, integridade ou vergonha na cara. Estão se unindo a esse Grupão tosco, ganhando um cargo ali, outro aqui, e depois se posam de oposição, dizendo umas frases de efeito em blog's, redes sociais, ou seja, tá lambendo a mão e cuspindo ao mesmo tempo. Essa é a pior raça que pode existir, pois, como confiar? Como o Grupão pode confiar em "tipos" que se juntam a ele, mamam na teta, ganham cargos, fazem aliança, tiram fotos juntos, se abraçam, se beijam, se amam e depois, vem em redes sociais dizer que esse mesmo Grupão é isso ou aquilo??? Sabe, não consigo entender... Será que o Grupão dorme com o inimigo, ou este inimigo é uma farsa, só diz que é inimigo prá agradar a uns, mas não larga a teta. Como posso fazer coluio com quem tento denegrir? Como posso me juntar a tipos a quem desprezo?
Percebo o tamanho da cara de pau de gente dessa estirpe ao tentarem denegrir imagens de bons nomes da politica itabirana, para confundirem o eleitor. Estão querendo associar nomes de pessoas que tem vontade fazer algo em prol dessa cidade, a nomes que envergonham essa cidade. Mas deixem posar de santos, pois todos sabem que isso é coisa do Capeta!!!!

De Governador Valadares para o mundo!!!!!

AS PESQUISAS E SUAS UTILIDADES

Fico me questionando, o tempo todo, sobre a utilidade de pesquisas de opiniões, que ultrapassem a esfera de fonte de estudos para marqueteiros.
 
O real valor delas está na orientação das estratégias, para abordagem, definição de planos de ações, tipos de mídias a serem empreendidas e linguagem a ser adotada. Tudo isso em função do perfil do público-alvo.
 
Quando optam por divulgar índices de aprovações de governos ou de satisfações dos clientes, caem num universo crítico e limiar do bom senso. Se divulgaram como nota de agradecimento ou reconhecimento de preferência, tudo bem. Vá lá. Mas se divulgam sem estes contextos expostos, podem acabar tendo seu caráter de estudo desviado a favor da manipulação, reforço de intenções ou da formação de opinião, por tornarem-se tendenciosas. Sem falar na estratégia de pesquisar e divulgar opiniões óbvias, vagas ou pouco relevantes, que ficamos sem entender o porquê delas.

Tenho recebido, na minha caixa postal, pesquisas que pouco ou nada contribuem, ou servem para criar confusões (propositais?) nas cabeças da população, como esta que nos foi encaminhada, com a seguinte pergunta "Nos últimos 10 anos, sua vida...". Como respostas, os entrevistados poderiam marcar: "Melhorou", "está igual", "piorou" ou "não sei / não respondeu". Depois da tabulação, confirmou-se, segundo o instituto, o resultado que 67% da população alega que melhorou. Aí, chegou-nos a informação que: "Para 67% dos moradores de Itabira a vida melhorou nos últimos dez anos". Um jogo de palavras que confunde, propositalmente, ou não, de acordo com as intenções de quem quis dar, de bandeja, estas informações. Aí, depende de quem quer que a gente engula o resultado, quem bancou o estudo e com quais intenções. Vejam só...

Podem ser verdades os fatos da pesquisa ter sido feita na cidade de Itabira e os resultados terem sido estes mesmos. Entretanto, a frase "Para 67% dos moradores de Itabira a vida melhorou nos últimos dez anos" pode ser útil para confundir a população, ao ponto de fazer acreditar que os itabiranos estão satisfeitos com a cidade, leia-se, a administração. Principalmente, se a pesquisa foi arcada pelo poder público municipal, ou se foi iniciativa de defensores do governo, ex-assessores etc. Muito vaga pergunta, que pode ser oportuna para criar clima de satisfação popular, onde há reprovação da administração pública e a pseudoimprensa engolir fácil, não acham?

Caso não seja intenção provocar confusão, cabe-nos as perguntas: Como assim!?! A "vida"? E os índices de aprovação do governo municipal, de satisfação da população com os vereadores, da eficiência da saúde, educação, cultura etc.? Melhorou por causa das ações do governo municipal, federal ou por reflexo da economia mundial?

MEMÓRIA:
 
Nas eleições passadas, uma enxurrada de pesquisas cairam nas nossas caixas de correios. Uma das mais estranhas foi a do Neidson, quando publicou uma pesquisa que o colocava com cerca do dobro das intenções de votos alcançados nas urnas e acima das intenções de votos do Anastasia.

Cabe-nos ressalvar que há institutos sérios e que alguns destes institutos criticados, de igual forma, já deram outras boas contribuições nas suas medições para a sociedade. 
 
Daí, a dica para que fiquemos de olho vivo: quais são as reais intenções dos marqueteiros de postarem números? Quem bancou os estudos e para quê? Será que há algum cristão que se interesse em socializar informações gratuitamente? Se veio de graça, como bons mineiros, desconfiemos sempre...

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

SUSPIROS FINAIS

Militantes do PP e o vice presidente do PT de Itabira, José Francisco da Silva, voltam a trolar no fórum "Opinião de Itabirano", do Facebook, ora tentando confundir os participantes com relação ao prestígio do prefeito Nozinho, ora denunciando detalhes de supostas reuniões, entre o médico Damon de Sena-PV e membros do que chamamos de grupão.

Alguns membros da imprensa, cidadãos comuns e articuladores políticos,  provavelmente de forma inadvertida, emitem opiniões e fomentam as discussões e confusões.

TENTATIVA DE DESARTICULAÇÃO

Desde a virada do ano passado, quando confirmaram a união entre os dois partidos rivais, estrategistas ligados ao grupão lutam para uma sobrevida, por mais um mandato, sob o comando  do PP, que é uma das principais alas de apoio do Ronaldo Magalhães e do João Izael, quando conseguiram levar o PT para sua base. 

Uma das sacadas apontava para a criação de um grupo misto, de forma a enfraquecer a oposição ou, se vingasse, de lançar candidatura própria para o executivo em 2012, numa possível dobradinha entre o Neidson Freitas-PP e o Alexandre Banana-PT. Outra possibilidade aventada por alguns estudiosos da política local, que provavelmente não gozaria da ciência e da aprovação dos petistas, era que eles queriam colar o desgastado Neidson ao Damon de Sena, como possível candidato a vice, vistos que o nome do Damon se posiciona melhor na aceitação popular e o Banana veio de uma desgastada candidatura para deputado estadual, em 2010.

Então, para chamarem a atenção, lançaram o projeto Agenda 2012, que não pegou, face aos desgastes do governo João Izael, repassados para o PP, e face à rejeição popular diante da intragável mistura entre os partidos que digladiaram nas recentes disputas, com trocas de acusações e denúncias. Com isso, os nomes do Neidson e do Banana, ao que tudo indica, desgastaram-se ainda mais.
Portanto, a única saída para eles, pelo que dão mostras, é desqualificar todos os nomes em evidência, alegando que são todos iguais a eles. Uma das estratégias adotadas no Opinião de Itabirano,  por exemplo, denunciam encontros entre o Damon e Ronaldo, de composição e possíveis encontros de Damon com o Gui (MD) e por aí vai.

Para provocarem discussões e reações dos nomes em evidência, os estrategistas do PP/PT optam por colocarem à frente, militantes desconhecidos, desqualificados ou fakes. Se derem sorte dos nomes provocados reagirem no embate direto, lograrão algum êxito, ao descerem aos níveis deles.
E tem mais uma dedução óbvia, se estão tão preocupados com um possível acordo do Ronaldo Magalhães com o Damon, é porque eles devem saber de resultados de medições, nos quais devem figurar na ponta os nomes destes dois pré-candidatos, com fortes indicativos que os nomes dos pretensos candidatos deles possam estar na lona.
 
SIM, RONALDO CONVERSOU COM DAMON

Damon já havia confirmado, no Diário de Itabira e na Rádio Caraça, que conversou com Ronaldo e revelou alguns detalhes da proposta, que pautava-se no apoio do Ronaldo ao Damon, para prefeito em 2012, para que Damon o apoiasse em 2014, para deputado. Parecia até uma proposta razoável, não fossem as distantes divergências ideológicas.

Entretanto, desde aquela época, Damon nega que tenha aceitado a proposta.
  
DAMON REAFIRMA: NÃO HÁ ACORDO COM RONALDO

Na dúvida, ligamos novamente para o Damon, ontem à noite, e ele voltou a afirmar, categoricamente, não não existe e não há interesse de fechar acordo com o Ronaldo ou com qualquer outro nome do grupão, que esteja ligado à corrupção ou ideologicamente antagônico.
 
Ainda na entrevista, negou que tenha se encontrado com Gui, conforme alegam alguns militantes, sem provas concretas, de possíveis encontros obscuros em fazendas de caciques do grupão, regados a churrascos e outras provocações mais.
 
Ao final da entrevista, Damon lembra que, lamentavelmente, quem topou se juntar a eles (grupão) foi a direção do PT, em troca de cargos na câmara, e não os membros ou a direção do PV.



 
Recorte de tela do fórum Opinião de Itabirano, postado ontem.
Outro recorte de tela do fórum Opinião de Itabirano, postado no início do mês.
 

terça-feira, 23 de agosto de 2011

NOTAS DIVERSAS

MUDANÇA NA ROTINA

A antes pacata pracinha do Pará foi palco ontem de uma cena digna do filme Tropa de Elite 2. Cerca de 10 viaturas, com homens fortemente armados do Cope - Comando de Operações Especiais -, escoltaram o ônibus especial e interditaram a pracinha, para a condução de presos a serem ouvidos até o Fórum Desembargador Drummond.

Segundo a Defato Online (clique aqui para ler), tratavam-se de dezenas de acusados de envolvimento com o tráfico de drogas, que foram ouvidos pelo juiz criminal Ronaldo Vasques, numa audiência de instrução de julgamento, no Fórum de Itabira. Dentre os depoentes, estava o Jeremias da Silva Vieira, o Mita, suspeito de ser o chefe do comércio de entorpecentes na cidade. A maioria dos acusados foi presa na cidade, em fevereiro deste ano.

Segundo o portal de notícias, até a quinta-feira próxima, o juiz ouvirá os envolvidos no caso. Desta forma, as aulas do Major Lage, escola estadual vizinha do fórum, começarão às 13:30 horas. Pede-se, ainda, que evitem o trânsito local. 
 

E POR FALAR EM VIATURAS...
 
Dias atrás, outra notícia colocou em dúvida a permanência do Samu - Serviço Móvel de Atendimento de Urgência -  na cidade, diante do anúncio da retirada da central de Itabira. 
 
Na verdade, segundo explicou o secretário Estadual de Saúde, Antônio Jorge de Souza, durante a entrevista para o Diário de Itabira, apenas a central de atendimento irá para Belo Horizonte, mas as ambulâncias continuarão na cidade. A medida tem como orientação a regionalização no atendimento, no sentido de se conterem gastos e melhorar o atendimento, com mais agilidade, promete o secretário estadual. 

Ontem, em solenidade no Centro de Regulação do Samu, na avenida Carlos Drummond, a cidade recebeu duas novas ambulâncias do governo federal, sendo uma de suporte avançado (UTI móvel) e outra de suporte básico. Uma terceira ambulância havia sido entregue antes, comprada pela prefeitura de Itabira, para atender urgências do Pronto-Socorro Municipal.
 
Portanto, diante das entregas destas novas viaturas, põe-se uma pedra na possibilidade de sumiço das viaturas do Samu. Pelo menos, é o que a população espera...


E POR FALAR EM SUMIÇO...
 
A cidade fervilhando, ameaças de perdermos o Samu, política quente, articulações por todos os lados e... cadê o Wally? Alguém aí já conheceu o gabinete do "embaixador de Itabira", na Cidade Administrativa? Ou, pelo menos, ouviu alguma citação de que o nobre "assessor do Anastasia" indicou e trouxe alguma obra ou benessezinha para Itabira?
   
Eu até admirava e, confesso, era eleitor da dupla Aécio e Anastasia. Depois de umas nomeações e aconchavos estranhos, fica difícil de seguir. Bem à mineira, cismo e meto o pé no breque.  E nem adianta por na mão dele algum feito estadual, que não cola. É o que minha mãe diz: "Diga-me com quem andas, que direi quem tu és!".

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

MAIS PROBLEMAS NA UNIFEI PARA O JOÃO

Reprodução, sítio oficial da Prefeitura de Itabira.


Os servidores técnicos-administrativos da Universidade Federal de Itajubá (Unifei), campus Itabira, segundo a Defato Online (clique aqui para ler), paralisaram suas atividades na última sexta-feira, 19, reivindicando um restaurante universitário com preços acessíveis (RU), melhor infraestrutura, definição do desenho administrativo do campus e eleição direta para diretor. Além desta pauta interna, eles ainda defendem, seguindo uma pauta nacional, reajuste salarial, valorização da carreira, realização de concursos públicos e direito à data-base anual.

Apesar da gestão da Unifei ser de responsabilidade da União, a pauta interna afeta, diretamente, a relação entre a direção atual e o governo municipal, vistas a execução das obras com atrasos e improvisos; da proximidade do prefeito com a reitoria e até na propaganda política passada, na sucessão do João Izael para a prefeitura. Às vésperas desta eleição, a TV Cultura de Itabira produziu e veiculou um programa especial sobre a Unifei, quando mostrou os modernos laboratórios (só que do campus de Itajubá), entrevista com o reitor, com professores etc.. Se minha memória não falha, lembro até do reitor no programa eleitoral do João Izael. Outros episódios estranhos sucederam, tais como disputas de pontes de palitos de picolés, que não entendi como um grupo de alunos colocou o nome de uma delas de "João Izael", sob vaias de alguns outros alunos; salvo fosse uma brincadeira ou livre manifestação estudantil, que acho pouco provável.

Certa vez, como ex-aluno e ex-professor de dependências, falei para alguns amigos da Funcesi, que se eles dessem conta do tamanho e da responsabilidade da instituição, não misturariam política partidária na sua história. Pois então, a direção da Funcesi teve que engolir a vinda da Unifei, com cursos superiores de graça, inclusive com cursos concorrentes, comprometendo a saúde financeira da instituição pioneira.

Só recordando, a Funcesi foi concebida da união entre Diocese, Vale, Prefeitura e Câmara. Destes quatro, dois também foram parceiros da Unifei, a Vale a e Prefeitura. Uma é comunitária e depende da adimplência das mensalidades e a outra é gratuita, com status de "Federal". Concorrência difícil!

Pelo que se percebe, a Unifei já segue para o mesmo caminho...

POESIA COM LIXO

Cedida gentilmente pel'O Trem.


Eis aí uma contribuição do Marcos Caldeira, publicada em recente edição d'O Trem.  Segundo os registros do meta-arquivo (exif), esta foto foi tirada no dia 27 de julho, às 14:16, em pleno sol de uma quarta-feira, enquanto um menino lia o poema dos Caminhos Drummondianos.

"Imagine a impressão que ficou de Itabira para esse menino e que ficaram para todos os turistas que visitaram o lugar nesse dia. Poesia com lixo - um produto itabirano para turistas", relembra Caldeira. 

Como podem comprovar, este governo não consegue dar movimento aos equipamentos públicos culturais. Que dirá, distinguir poesia de lixo!

sábado, 20 de agosto de 2011

Por um horizonte onde o sol volte a brilhar

Tentei,

tentei,

tentei

mas cansei.

Sempre acompanhei meu pai,

que tentou,

tentou,

tentou

e pouco alcançou.

Um dia,

um mês,

um ano,

uma vida inteira

já se passou.

Mentes vivazes

de espírito tacanho

abarcam tudo.

São aves de rapina

que carregam a

nossa esperança,

só deixam a

desesperança.

Levam minh’alma

para muito longe,

para além

do horizonte.

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

E POR QUÊ ITABIRA NÃO DÁ CERTO?


Primeiro ponto que se observa é que a gestão do João Izael Querino Coelho, prefeito de Itabira pelos 2 últimos mandatos, manteve o foco principal da gestão no atendimento dos agentes políticos que militaram nas suas campanhas, em detrimento de atendimento ao povo e do cumprimento do plano de governo. São inúmeras e fantasiosas promessas de campanha, de teleféricos, à aeroporto municipal.

Nunca se viu na cidade, tantos apadrinhamentos, cargos-fantasmas, vereadores e candidatos derrotados nas urnas, lotados à esmo e por todos setores  da prefeitura, fundação e autarquias, perdidos no tempo, consumindo boa parte da gorda arrecadação itabirana, sem contribuição útil percebida pela população.  Um monte de sanguessugas. Tal como nunca se viu tantos ex-agentes políticos enriquecerem rapidamente como se tem visto na última década, de forma estranha e notável.

Outro ponto que se observou é que o prefeito se orientou e perdeu muito tempo fazendo política o tempo todo, passeando, rezando, viajando com romeiros, ciceroneando visitantes “formadores de opiniões” nas obras da Unifei, resistindo na transparência etc. Pouco ou quase nada se falou e se praticou de gestão. Não vimos o prefeito trabalhar duro, como sempre bem fez na sua carreira privada, como comerciante.

No primeiro mandato, conseguiram manter boa aprovação popular, graças a uma estratégia sacana, porém eficiente a curto prazo, quando disponibilizaram dezenas de milhões de reais para gastos com propaganda e com a imprensa, que fora quase toda comprada, mantendo-a sob as rédeas da comunicação do “cala boca”. Efeitos só colocados abaixo na campanha sucessória, quando revelaram-se os desmandos, apadrinhamentos e a ineficiência administrativa, velados antes pela censura econômica. A população enxergou o óbvio: Onde foram parar os bilhões de reais da riquíssima arrecadação itabirana?

Desde então, não conseguiram se reerguer e não se interessaram em abrir mão dos apadrinhamentos, para que colocassem a cidade de volta aos trilhos do desenvolvimento.  Sentimos um movimento de deleite final, como se sugassem até as últimas gotas, como despedida dos tempos de fortunas, com excessão do avanço da Unifei, recentemente concretizado, mas com muito ainda por se fazer. 

João, muito provavelmente, fechará seu mandato como o pior prefeito de toda a história da cidade, num período sombrio da história itabirana, por mais de uma década de marasmo e de falta de perspectiva para seu povo.

Muito provavelmente, seu candidato a sucessão caminhará sozinho, porque, do governo atual, todos seus aliados só querem o que ele ainda muito tem, o dinheiro e a máquina. Nada mais.

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

POR QUE SÃO GONÇALO DÁ CERTO?

Tamanhas e tão numerosas são as realizações do governo municipal de São Gonçalo do Rio Abaixo, que lideranças políticas regionais, na tentativa de desqualificar a eficiência de sua gestão, costumam caçoar, se defendendo que São Gonçalo é a cidade mais rica da região. Afinal, o progresso da cidade advém apenas da arrecadação?
 
 
QUEM É NOZINHO?
 
Apesar de ter vindo de origem simples, de ter crescido na zona rural, do perfil tímido e de ter trabalhado como motorista da Cisne, Nozinho cresceu na vida, fruto do resultado do seu contínuo trabalho e seriedade. Tornou-se um importante produtor rural, dono de granjas e reconhecido empreendedor. Tempos depois, ingressou-se na carreira política, quando passou o comando dos negócios para familiares dele.
 
Hoje, Nozinho é, também, reconhecido como um dos melhores gestores públicos da região, graças aos resultados de sua administração e à aprovação popular.
 
 
SORTE DO DESTINO

Coincidência ou força do destino, Nozinho contou com a sorte de assumir o município de São Gonçalo do Rio Abaixo, no momento exato que a prefeitura passou a arrecadar royalties da mina de Brucutu, quando a prefeitura, de forma crescente e contínua, passou dos cerca de 20 milhões ao ano, para os 100 milhões de reais neste ano, se a crise mundial não apertar. Embora pareça ter uma média de 25% da arrecadação itabirana (que conta com 300 milhões ao ano), no mesmo período, a população é de 10% da itabirana. Nada mal, não?
 
De igual sorte, não seria igualmente pertinente encararmos que a população soube escolher, no momento certo, um gestor capaz de colocar a cidade nos trilhos do desenvolvimento? Por quê não analisarmos assim também?
 
  
ALGUMAS COMPARAÇÕES
 
É verdade que os impostos da mineração ajudam muito no sucesso de uma gestão. Tal como é verdade a afirmação de que São Gonçalo conta uma renda per capita de 10 mil reais, por habitante, por ano, contra 3 mil reais por habitante itabirano, para 2011.
 
Porém, há outros pontos a analisar. Primeiro, que São Gonçalo, praticamente, não contava com quase nada, com demandas de investimentos em todas as áreas, face à histórica carência da arrecadação, antes baseada no FPM – Fundo de Participação dos Municípios - e de outros impostos e convênios menos relevantes. Ao passo que Itabira, por exemplo, já se encontrava bem à frente, com décadas de royalties e com boa disponibilidade de equipamentos e recursos públicos, construídos aos longos das gestões anteriores.
 
Segundo ponto a analisar é que, como justificar que, outras cidades da região, que não contam com royalties, tais como Nova Era (sob o comando de Laura Maria Carneiro de Araújo-PSDB) e Governador Valadares (Elisa Costa-PT), deram grandes saltos e gozam de semelhantes reconhecimentos por eficiência administrativa? Valadares, só para terem uma noção, que tem cerca de 300 mil habitantes, quase o dobro a extensão territorial e conta com uma receita igual de Itabira. Em dois anos, o governo valadarense implantou o programa Escola de Tempo Integral em toda a rede municipal de ensino e completa a entrega de mais de 1000 casas populares, enquanto, aqui, assistimos ao aterrorizante despejo de quase 300 famílias do aglomerado Drummond.
 
 
A FÓRMULA DO SUCESSO
 
Depois de 2 gestões consecutivas e profícuas, Nozinho se prepara para sair da prefeitura com boa contribuição para a cultura, lazer e depois de revolucionar a educação na cidade. A saúde se prepara para um dos maiores saltos, com o início da construção do hospital municipal, enquanto o desenvolvimento econômico recebe os primeiros investimentos privados, para preparar o município para a independência econômica da mineração.
 
Erros, por certo, existem, como em todos os governos, porém, percebe-se que a administração conseguiu um feito difícil, que é controlar os gastos com o custeio e folha de pagamento, sem perder foco na eficiência da máquina pública, via o auxílio dos técnicos do INDG, que definem e monitoram, desde 2009, junto com o corpo de secretariado e assessores, todas as metas para o mandato. Em 2011, segundo a assessoria de comunicação, a prefeitura já alcançou a marca de 73% das metas cumpridas, passando a ser considerado referência entre prefeituras assessoradas pelo INDG. A consultoria do INDG foi, portanto, uma acertada estratégia para a mitigação e correção dos erros e ajustes de condutas.
 
Para quem não sabe, o INDG é a maior empresa de consultoria gerencial da América Latina e desenvolve projetos em 24 países. Ao todo, os técnicos monitoram 40 indicadores, com metas, que vão desde a economia de energia elétrica e copos descartáveis, à metas para obras e ações para melhorar o índice de leitura de aprovação da população.
 
Para o prefeito, Raimundo Nonato Barcelos, o Nozinho, “investir na eficiência da gestão é, hoje, decisão política obrigatória de quem quer ter bons resultados também na função pública”.
 
Dia a dia, os gestores de São Gonçalo governam focados nos resultados e, mesmo assim, alguns deslizes ainda escapam, como em qualquer instituição, que esteja em atividade. A diferença é que, no geral, aprendem com cada erro, fazendo com que os acertos superem, e muito.

As lideranças de São Gonçalo não venderam o conceito e nem se preocuparam em ser referência nacional em nada. E acabaram se tornando referência nacional em merenda escolar e em gestão. Sabem por quê? Porque ocuparam-se, nestes 7 anos, em cumprir com o dever de casa, em arregaçarem as mangas e pegarem na massa, bem à mineira. 
 
Os resultados não mentem: a pesquisa de clima de satisfação interna apontou 95% de satisfação dos servidores, em trabalhar na Prefeitura. Lá, os servidores são valorizados e receberam uma gratificação especial, apelidada de 14º salário, como reconhecimento dos gestores pelos bons serviços e esforços prestados à população. Na pesquisa de opinião pública, realizada no município pelo Instituto Vox Populi, apontou 86% de avaliação positiva da população.
 
São números que comprovam eficiência, numa terra de cidadãos orgulhosos, estimulados e empenhados num desenvolvimento em sinergia, mas, ao mesmo tempo, despojados de vaidades, competições com vizinhos, promessas vãs e de discursos vagos. 

De forma despojada, São Gonçalo e, é claro, Valadares e a cidade de Nova Era servem-nos de modelo, para que os futuros governantes sigam estes bons exemplos, de como governar com técnica, empenho e disciplina, mas sem politicagem.
 

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

CHICO MAIA: "Um Trem bom demais da conta, sô!"

Enquanto correligionários do "grupão" defendem a imprensa itabirana, depois da metralhada do Tonny neste blogue, eis que surge mais um franco elogio, só que vindo de gente de valor e de alto calibre, para um dos poucos Jornais, com Jota maiúsculo, precursor e fonte de inspiração para tudo que veio depois dele na cidade, inclusive este blogue. Chico Maia, jornalista mineiro, apresentador do programa Manhattan Connection, da Globo News, teceu mais um elogio ao Trem. Leiam abaixo:


"Trata-se do Trem Itabirano, um dos melhores jornais que conheço.
É de Itabira, sempre respeitada como cidade de bom jornalismo.
Está no sétimo ano e custa R$ 5,00

TREM2

Esta é a edição 71, desse mês, que recebi ontem.
Vejam a qualidade da capa, com uma charge ótima do Alecrim.
Jornalismo crítico, analítico e muito informativo, voltado principalmente às coisas da região de Itabira, porém com artigos que interessam a gente no mundo inteiro.
Pena que não tem um site para que todo mundo possa acessá-lo.
Mas pode ser assinado, pelo 31 3835 1329 ou com o próprio dono, Marcos Caldeira: otremitabirano@yahoo.com.br .

Um batalhador da imprensa, que sustenta o sonho de todo jornalista, de tentar consertar e melhorar a sua rua, seu bairro, sua cidade, estado, país e o mundo!
E só o conheço através de seus textos, e-mail que costumamos trocar e uma vez por telefone.
Parabéns a ele pela luta e aos itabiranos que têm o privilégio de ter um jornal desses! 
O Trem publica fotos históricas como essa, por exemplo, quando o Botafogo com Garrincha, Didi, Nílton Santos e cia. ia a Itabira, e apanhava do Valério, que em 1957 tinha um timaço.

Garrincha_em_Itabira

Naqueles tempos, Itabira ainda tinha montanhas, como você pode ver atrás dos jogadores. Tudo virou ferro e aço, e continua virando até hoje, mas o Valério quase virou pó e hoje se vira para sobreviver!"


terça-feira, 16 de agosto de 2011

Não tenho culpa!!!


Conheço muita gente que trabalha na prefeitura, seja concursado, terceirizado, contratado ou enfiado. De um tempo para cá tenho percebido que alguns estão me olhando "mei de lado". Resolvi esses dias perguntar um amigo o porque desse olhar e ele me disse:"Vocês metem o pau demais, acaba atingindo a gente". Confesso que fiquei meio sem saber o que falar e comecei a perceber que alguns estão levando demais ao pé da letra o ditado poular que diz "Diga-me com que tú andas, que direi que tú és". EXPLICO: Um concursado, de nivel superior, que trabalha na Câmara Municipal recentemente passou por mim na rua e virou o rosto. Um ex-secretário do Grupão ficou chateado comigo porque falei do absurdo do "Boilevar", um atual secretário do Grupão tá de cara fechada porque ficou sabendo que a idéia deste blog foi minha e do Fernando. Um funcionário do terceiro andar do Grupão tá com a "pá virada" porque deu opinião aqui e tão desconfiando dele, enfim... E olha que conheço muita gente boa que mesmo estando em um partido ou orgão público que compõe esse escandalo itabirano, não tem culpa de nada. Mas sabe, quando a gente chama algum orgão público de subserviente, por exemplo a Câmara Municipal, muitos dos excelente funcionários que ali trabalham, se sentem ofendidos, mas é necessário que entendam que não acreditamos que a subserviência é deles e sim dos vereadores. Mas convenhamos, deve ser fogo ser secretária de um vereador lambedor de mão do Grupão. Deve ser horrível trabalhar para quem aprova aumento de água, que não abre CPI para investigar o FUNCAPI, que não entra com uma desapropriação para ajudar 300 familias, que superfatura eventos, deve ser horrível trabalhar para quem nada mais é que um serviçal para a tchurma do Grupão. Assistir o chefe sendo uma marionete, joão bobo não mão desse povo não é fácil. Porém, meus amigos, não precisam ficar chateados com O Trem, Impacto, Opinião de Itabirano, Filhos do Cauê, Mosaico, etc. Creio que esses veículos são portadores de desabafo de muito funcionário lotado no SAAE, Câmara, Prefeitura, Construtoras, que gostariam de falar "umas poucas e boas" para seus chefes mas não podem. Deve ser tenebroso assistir a tanta coisa errada e ter de engolir seco. Mas volto a repetir, pelo menos aos funcionários trabalhadores, honestos e dedicados da Câmara, Prefeitura e Autarquias: Ano que vem acaba e vocês poderão gritar: ATÉ NUNCAAAAAA!!!!!

"Esse texto foi digitado rapidinho só para não esquecer, depois conserto as falhas" rsrsrsrsrsrs

AGORA, A SAIA JUSTA VAI PARA O TÃOZINHO

A SAIA DO TÃOZINHO

Dia 10, passado, numa reunião com o pessoal do Sindsepmi (Sindicato dos Trabalhadores e Servidores Públicos Municipais), advogados, o presidente da Câmara de Vereadores, Tãozinho Leite-PP, e o secretário municipal de Fazenda, Marcos Alvarenga, foi entregue um ofício do sindicato, pedindo a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), para investigar as contas do Fundo para Complementação de Aposentadoria e Pensão do Servidor Público Municipal (Funcapi). 
 
Segundo o advogado do sindicato, Wallisson Cabral de Oliveira, eles anexaram vários documentos que comprovam fortes indícios de irregularidades de uso do fundo dos servidores e do município. Outro ponto que desagradou o sindicato é a resistência do governo em apresentar os extratos bancários da movimentação do Funcapi.
 
Na dúvida, se a subserviente câmara vai abrir ou não a CPI, o pessoal do sindicato não deu bobeira e tratou logo de encaminhar os documentos para o Ministério Público de Itabira, segundo adiantou o advogado Wallisson Cabral, para o Via Comercial.
 


E AS SAIAS DO NEIDSON?
 
Quem andou desfilando com, pelo menos, duas saias justas, foi o Neidson Freitas, quando foi presidente da câmara municipal. A primeira saia ele experimentou do mesmo presidente do Sindsepmi, quando Zé da Penha encaminhou um ofício para que a casa "tomasse as providências cabíveis" (sugerindo impeachment), diante da negativa do prefeito de apresentar a listagem dos servidores para o sindicato. A segunda, o ex-presidente recebeu no final de novembro do ano passado, quando recebeu um abaixo-assinado, encabeçado pelo Edilson Lopes, contra o aumento da tarifa de água, que acabou vingando.
Nenhum dos ofícios foram atendidos pelos vereadores, pelo menos que soubemos.

Então, Neidson preferiu sair de cena e migrou para o estado, sob a alegação de passar a ser "embaixador de Itabira" no governo Anastasia. Entretanto, até o momento, desconhecemos onde é o gabinete do assessor e o que trouxe para a cidade, vindo do governo estadual, sob sua indicação.

 
E A GALERA ESTÁ DE OLHO

Ontem, ouvi uma proposta de um dos participantes do fórum de discussões Opinião de Itabirano de abrir campanha para renovação total da câmara municipal de Itabira, para o próximo pleito.

Há muito tempo, boa parte da galera (são mais de 900 participantes do Fórum, no total) vem questionando a subserviência dos vereadores diante dos desmandos do governo e começam a dar os primeiros sinais de que vem novidades por aí.
  
2012 promete. Ah, se promete!

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

BOLÃO DA IMPRENSA

Após lermos o texto abaixo, recordei-me do bolão que o pessoal da imprensa propôs fazer (mas não fizeram), antes da chegada do prefeito João Izael, para a última coletiva com a imprensa, realizada pela assessoria de comunicação recentemente, conforme publicação da coluna "Pinga Fogo", do Diário de Itabira. Leia um trecho da coluna:

'Alguns arriscaram: "sem-teto", construção de um bulevar, sucessão em 2012, troca de secretários e - acredite - houve quem falasse até em renúncia do prefeito João Izael'.

Daí, podemos medir, claramente, o nível de aceitação e de popularidade deste "governo".

EXEMPLO PARA 2012.

 Recebemos esta profunda reflexão de uma leitora, que se mostra inconformada com o destino das 300 famílias do aglomerado Drummond. No texto, ela compara a atuação de um vereador de Ipatinga, cujo comportamento deve ser exemplo para nossa subserviente e omissa câmara de vereadores. Não para este mandato, que já era e não acredito mais em redenção. Mas para que os leitores pensem melhor em quem votar em 2012. Renovação total já!

'Agosto, mês do desgosto ou da desilusão?
Certamente as pessoas da geração dos 50 devem se lembrar como era esperado o mês de agosto. Diziam que era o mês dos infortúnios e por isto era um mês “reservado” às desventuras, aos acidentes, desastres sendo chamado por muitos “o mês do desgosto”. Nem casamentos eram realizados neste mês, pois certamente os casais não seriam felizes.
O tempo foi passando e esta máxima caiu no descrédito, tornando-se um mês como os demais do calendário civil. Mas em Itabira, o mês de agosto de 2011 ganhou outro significado. Diria sem sombras de dúvidas: o mês da vergonha.
Não dá para entender o rumo indicado para as mais de 300 famílias que há uma década luta pelo sonho de uma moradia. Invadiram um terreno até então esquecido, construíram ali suas moradias e alimentaram sonhos.
Não quero dizer que sou a favor de invasões, mas temos a clareza que elas acontecem a partir do momento que não existe política pública que busque garantir habitação popular nesta nossa cidade.
Numa publicação no Diário de Itabira, li que o orçamento para 2012 iria garantir a construção de 10 casas populares. A Câmara apresentou uma emenda elevando este número para 40. Gente, neste compasso, as 300 famílias e mais todas as outras que, também, sonham por uma moradia, vão ter que consolidar esta quimera em outras bandas. Aqui não vai dar.
Voltando ao tema do “mês medonho”, pude observar pela imprensa o espetáculo cinematográfico na retirada das famílias. Realmente, tudo foi providenciado: helicópteros, cavalaria, cães, médicos, enfermeiros, assistentes sociais, repórteres, fotógrafos, curiosos, conselho tutelar etc. etc... Só o prefeito não apareceu. Também não ouvi dizer que os vereadores apareceram por lá. Ah! É porque eles estavam em período de férias.
Também não faltaram elogios aos que comandaram a ação “pacífica” sendo creditado ao prefeito o sucesso da operação. Calma gente, devagar com o andor!
Estive um dia desses em Ipatinga e, durante um evento da SSVP, fiquei conhecendo um senhor que na oportunidade acolhia as pessoas com alegria e demonstrava ser um líder atento aos mínimos detalhes. Retornando a minha, casa resolvi pesquisar o currículo daquele cidadão.
Colocando seu nome no Google, constatei que ele é vereador em Ipatinga. Em momento algum, ele declarou esta identidade e, então, percebi que, naquela ocasião, sua identidade era de um voluntário a serviço dos menos favorecidos.
Mas minha admiração por ele se tornou maior quando tive a oportunidade de ler seu pronunciamento na tribuna da câmara municipal de Ipatinga. Ele é do mesmo partido do prefeito (de Ipatinga), e na sua fala ele afirmava não concordar com as ações do prefeito que ele ajudou a eleger. Falou da caminhada, das promessas de campanha e da sua decepção. Confira o pronunciamento:

Publicado em 22/02/2011
Parlamentar usou a tribuna durante a reunião desta terça para criticar o prefeito “pelo descaso com a cidade”. Apesar de pertencer ao mesmo partido do prefeito, o PPS (Partido Popular Socialista), o vereador César Custódio teceu críticas à prefeitura sob o comando de Robson Gomes.

Durante a 2ª sessão da reunião ordinária desta terça-feira (22/02), o parlamentar subiu à tribuna, leu uma carta classificando a atual administração municipal “como medíocre e desleixada” e recebeu muitos aplausos dos munícipes presentes no plenário.

Este governo que aí está teve todos os elementos para ser um dos melhores governos que esta cidade já vivenciou, mas jamais a nossa cidade conviveu com tamanho descaso e mediocridade”, disse César.

César citou diversos problemas que o Município tem enfrentado.

Temos problemas na limpeza urbana, na educação, no não cumprimento das obras do Orçamento Cidadão e até a precária situação em que a saúde pública dos nossos munícipes se encontra.”

O vereador mencionou ainda a falta de ética existente entre os integrantes da prefeitura.

A falta de ética é total, a máquina está cada vez mais inchada e inoperante, com forasteiros de todos os lados. A administração vai de mal a pior. Em um curtíssimo espaço de tempo, temos uma CPI em fase de conclusão e com quantas mais ainda poderemos nos deparar?”, questionou ele.

Ele ainda criticou a nomeação de servidores do primeiro escalão do governo.

O parlamentar finalizou seu discurso conclamando a sociedade para a mobilização contra a atual administração.

Conclamo as Igrejas, o comércio, a sociedade organizada, enfim, toda a população de Ipatinga, para que tomemos posição. Temos que nos mobilizar.”

E voltando para nossa terrinha fico matutando:
É impossível ao ser humano, que não é deus, deixar de cometer erros.
As falhas que nos são apontadas devem servir como oportunidade para rever a nossa caminhada e aprender com nossos erros. Mas, se as pessoas que rodeiam os governantes impedem que eles tomem conhecimento das coisas que não estão corretas até porque elas são também co-responsáveis, com repará-las?
Faz-se necessário despir-se da redoma, libertar-se das algemas da bajulação e enfrentar a realidade sem a “falsa maquiagem”.
Se você abre uma porta, você pode ou não entrar em uma nova sala. Você pode não entrar e ficar observando a vida. Mas se você vence a dúvida, o temor, e entra, dá um grande passo: nesta sala vive-se! Mas, também, tem um preço... São inúmeras outras portas que você descobre. Às vezes curte-se mil e uma. O grande segredo é saber quando e qual porta deve ser aberta. A vida não é rigorosa, ela propicia erros e acertos. Os erros podem ser transformados em acertos quando com eles se aprende. Não existe a segurança do acerto eterno. A vida é generosa, a cada sala que se vive, descobrem-se tantas outras portas. E a vida enriquece quem se arrisca a abrir novas portas. Ela privilegia quem descobre seus segredos e generosamente oferece afortunadas portas. Mas a vida também pode ser dura e severa. Se você não ultrapassar a porta, terá sempre a mesma porta pela frente. É a repetição perante a criação, é a monotonia monocromática perante a multiplicidade das cores, é a estagnação da vida... Para a vida, as portas não são obstáculos, mas diferentes passagens!

Ainda há tempo.
Tempo para reflexão, mudança, e mudança para melhorar.
Afinal, setembro é primavera.
O colorido das flores poderá debelar o sombrio agosto que apoderou nossa cidade e mais ainda, o nosso desejo de mudar e lutar por uma Itabira melhor para todos. Onde o bem viver seja a oportunizados a todo cidadão que decidiu viver nesta “terra tão querida, a cidade mais gentil”'.

Texto enviado por e-mail, por Penha Reis.

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

ARTICULAÇÕES PARA 2012: MAIS UM JOGO

Ontem, fui despertado para uma outra possibilidade plausível para a disputa de 2012, para o executivo municipal. Esse jogo de colarem o Ronaldo Magalhães no Damon, arquitetado por estrategistas do "grupão", goza de várias saídas interessantes para o "grupão".

Primeira, é que, se o Damon acolhe o Ronaldo, fica tudo igual. Banana (ex-esquerda) com Neidson (direita) e Damon (ex-esquerda) com Ronaldo (direita). Os nomes virgens, tornam-se parte do esquemão, deixando tudo no mesmo nível. Daí, como é que os "sujos poderão falar dos mal lavados"?

Segunda hipótese é que, caso o Damon receba o Ronaldo para conversar, teça mais elogios à ele na mídia e diga que não tem nada contra a pessoa dele, mesmo que negue depois que não fechou acordo, boa parte do eleitorado não vai acreditar na versão dele. Sai, de um jeito ou de outro, com batom na cueca. Daí, se em seguida o Ronaldo, mesmo com rejeição dos fortes indícios de corrupção e tendo alegado que não sairá a prefeito na próxima disputa, resolve compor chapa própria com outro nome bem colocado, como por exemplo o Reginaldo Calixto, passam a  somar bom coeficiente de votos, podem dar trabalho e até mesmo garantir mais 4 anos para o "grupão".

Ronaldo Magalhães precisa muito recuperar a desgastada imagem e até acredito que pode contribuir bem para a cidade, como deputado ou com cargo no estado, a começar por fazer uso de sua influência no estado para trazer recursos para Itabira.

Entretanto, a recuperação do Ronaldo, nem de longe, passa por qualquer tipo de acordo com a esquerda, no qual ambos saem queimados. Como imagino que tenham conhecimento deste desgaste iminente, qual é o outro interesse dos estrategistas de plantão, de colar Ronaldo no Damon, se não for a primeira hipótese da queimação geral aqui levantada? 
 
Olho vivo, pessoal!

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Li um comentario de um leitor sobre o FUNCAPI e tenho de concordar com ele. Ninguem pode com o Grupão. Primeiro, foi o caso dos "sem-terra"
Li um comentario de um leitor sobre o FUNCAPI e tenho de concordar com ele. Ninguem pode com o Grupão. Primeiro, foi o caso dos "sem-terra", deixando-os à mingua
Li um comentario de um leitor sobre o FUNCAPI e tenho de concordar com ele. Ninguem pode com o Grupão. Primeiro, foi o caso dos "sem-terra"
Li um comentario de um leitor sobre o FUNCAPI e tenho de concordar com ele. Ninguem pode com o Grupão. Primeiro,

PROPOSTA DE RENDIÇÃO?

Dias atrás, soube que um ex-secretário de governo do "grupão" e um importante lider, alegaram que eles até têm vontade de sair do poder e deixar a vez para o próximo, desde que não fossem investigados e perseguidos, depois que saírem. Como acreditam que serão investigados, tentarão, até o fim da disputa, a permanência no poder.

Estranhei o posicionamento. Primeiro, porque quem adotou esta conduta, por mais de uma década, foram eles mesmos, não a oposição. Segundo, por quê tanto temor? Confirma o senso de que há muito o que ser olhado. Terceiro, porque, a meu ver, não é papel do executivo fiscalizar e perder tempo investigando maus feitos, até porque, o sucessor muito terá o que fazer e se esforçar para recolocar a cidade nos trilhos do desenvolvimento. Este papel pertence à câmara, ao Tribunal de Contas e ao Ministério Público, se assim interessarem. Quarto motivo é que, qualquer um que assumir uma prefeitura, ressalvadas as proporções, estará sempre debaixo de um telhado de vidro, quer ele queira ou não.

De qualquer forma, está recebido o recado e o repasso para quem de direito.

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

FUNCAPI e RPPS

Prezado servidores,

na qualidade de advogado do Sintsepmi (Sindicato dos Trabalhadores e Servidores Públicos Municipais), fui surpreendido na última segunda-feira com a afirmação do Prefeito de Itabira de que irá extinguir o Funcapi e criar um Regime Próprio de Previdência. 

Alegou-se como fundamento o fato de que o processo coletivo movido pelo Sindicato contra o Fundo e administradores do Funcapi foi extinto e encerrado, motivo pelo qual a Prefeitura apresentou o anteprojeto de lei mencionado.

Referida afirmação não corresponde com a verdade, já que o processo do Funcapi está em fase de recurso, conforme assegura as leis vigentes no país, não havendo assim trânsito em julgado e encerramento do processo.

A apresentação do anteprojeto para aprovação da Câmara sem aguardar o julgamento final do processo coletivo é um crime aos cofres municipais, já que com o suposto pagamento e a ação futuramente sendo julgada procedente, a Prefeitura poderá vir a ter que pagar duas vezes pelo erro cometido, quando os atuais administradores do município não estarão mais na Prefeitura, deixando o grave problema para outros resolverem.

No nosso entendimento (advogados dos servidores), o anteprojeto possui as seguintes finalidades:

a) tentar mais uma vez encerrar o processo coletivo e jogar os servidores contra os advogados do sindicato e diretoria do Sintsepmi, que luta há vários anos pelos direitos dos servidores contra as ilegalidades perpetradas pela Prefeitura;

b) não prestar contas à justiça da utilização dos recursos do Funcapi, já que com o eventual pagamento fora do processo a Prefeitura não terá que prestar contas do fundo à justiça, como determina a lei;

c) lesar os servidores na devolução dos valores, pois se não terá ninguém além da Prefeitura fiscalizando a eventual devolução, não se terá a certeza de que o valor informado pela Prefeitura para eventual devolução será o valor real de direito do servidor. Inclusive já começamos a receber denúncia de servidores no sentido de que o valor de devolução proposto pela Prefeitura é bem menor do que o valor pago pelo servidor;

d) a eventual devolução não prevê a incidência de juros e correção monetária, como assegura a lei;

e) como dito pela Prefeitura anteriormente, será descontado dos servidores imposto de renda (ilegal neste caso de extinção de fundo irregular), onde os valores ficarão com a Prefeitura, ante a imunidade tributária prevista na Constituição;

f) a proposta de devolução, pelo anteprojeto que o Sindicato teve acesso, não abrangerá todos os servidores, o que irá causar insatisfação em boa parte da categoria, o que não é justo;

Ante tais fatos, vimos esclarecer a situação aos servidores e comunidade, informando que até a presente data, e mesmo após condenação judicial, a Prefeitura se nega a mostrar aos servidores os extratos bancários do Funcapi, como de direito de qualquer servidor e previsto em lei;

Por fim, informamos que o Sindicato ainda continua esperançoso na Justiça, e que referido anteprojeto de lei, bem como cópia do processo coletivo, serão denunciados aos órgãos públicos competentes, dentre eles: Tribunal de Justiça de Minas Gerais, Tribunal de Contas do Estado, Ministério Público de Minas Gerais, Ordem dos Advogados do Brasil, Ministério da Previdência Social, dentre outros, com a finalidade de se garantir aos servidores uma fiscalização sobre os valores que estão sendo prometidos.

Não somos contra o pagamento, muito pelo contrário, achamos que está se fazendo Justiça, mesmo que tardia e sem transparência.

Apenas chamamos a atenção para o fato da Prefeitura se negar a apresentar aos servidores os extratos bancários da movimentação financeira do Funcapi, único documento em que se poderá realmente verificar se os valores propostos pela Prefeitura são os valores de direito de cada servidor.

Wallisson Cabral
Advogado