Who's amoung us?

quinta-feira, 31 de março de 2011

INCLUSÃO

quarta-feira, 30 de março de 2011

BOA

Li, no Diário de Itabira de hoje, que o prefeito João Izael propõe dar ao Campus da Unifei o nome do ex-presidente José de Alencar, sepultado hoje.

Muito justa homenagem. José de Alencar é um exemplo para todos os políticos seguirem, tanto como político, como homem de ferro e dignidade.

"O MINÉRIO É NOSSO!"

Reprodução do sítio "Royalties do Minério".

Está aberta uma petição pública para a revisão dos Royalties (ou CFEM - Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais) sobre produtos de mineração, encabeçada pela "Comunidade Movimento Royalties do Minério Já!", disposta num sítio da internet chamado de "Royalties do Minério" (clique aqui para ver). Mesmo sem autoria clara de quem são os responsáveis, resolvemos dar uma espiada, para analisar o caso em questão, que foi palanque eleitoral nas eleições passadas.

MEMÓRIA

José Fernando Aparecido de Oliveira
em coletiva em Itabira, 30/10/2009.
Foto: Fernando Martins/HS-Pro
Quem começou a questionar e levantar bandeira sobre o caso, pelo menos que chegou a meu conhecimento, foi o ex-deputado federal do PV, José (Zé) Fernando Aparecido de Oliveira, que chegou a ser candidato ao governo do estado na disputa passada. Segundo Zé Fernando, durante uma coletiva em Itabira, em outubro de 2009, "é um absurdo que as petrolíferas paguem 10% do faturamento bruto, à título de royalties, enquanto as mineradoras recolhem apenas 2% do lucro líquido".

Em seguida, o tema foi discutido, mesmo que timidamente, pelos candidatos à presidência da república Dilma Rousseff-PT, José Serra-PSDB, Marina Silva-PV e pelos candidatos mineiros, Aécio Neves-PSDB e Antônio Anastasia-PSDB (clique aqui para assistir). 

No dia 03 de janeiro de 2011, a comissão "Movimento Royalties do Minério Já!", signatária da proposta de Lei, apresentou a petição e pede a participação de todos, para apresentar ao Congresso Nacional. 

Neste mês, foi a vez do Neidson Freitas-PP, futuro assessor do Anastasia e pretenso candidato a prefeito de Itabira pelo grupão, de levantar bandeira, como forma de, se der frutos, poder pegar carona na boléia política.

QUANTO PAGAM AS MINERADORAS?

Segundo o sítio "Royalties do Minério", enquanto o país recolheu, em 2007, 14.7 bilhões de reais com os royalties do petróleo, com a mineração recolheu apenas 0,547 bilhões de reais, ou seja, bem menos. Veja o gráfico abaixo:


Na Austrália, a mesma compensação financeira pela degradação ambiental confere entre 2,75 a 10% e, no Canadá, de 15 a 20%. Além do mais, no Brasil, a renda média anual dos mineiros é de US$ 43.000,00, contra US$ 70.198,00, no Canadá, e de US$ 97.750,00, na Austrália. Tudo isso segundo a comunidade autora da petição. 

E mais ainda, as mineradoras são isentas do pagamento de ICMS para exportação, que é o imposto que todos nós pagamos, embutidos em todos os produtos que levamos para nossas casas, como o feijão, material escolar, sapatos, TV, celulares, óculos, veículos e tudo mais que comprarmos. Ou seja, todos nós pagamos direta ou indiretamente e ela, pelo menos para exportar, não.

CAMPO FRAGILIZADO

Desde a eleição da Dilma Rousseff-PT, quem vem se mostrando desgastado com o governo federal é o presidente da Vale, Roger Agnelli, segundo a Veja (clique aqui para saber mais). Respeitadíssimo no mundo corporativo, Agnelli deu excelentes contribuições e retornos financeiros para que a Vale batesse recordes consecutivos de lucros. Bom para os donos e para os acionistas. 

No ano passado, a mineradora bateu o maior recorde da sua história: 30,1 bilhões de reais de lucro, segundo o portal do Valor Econômico (clique aqui para ver).

Por causa de problemas políticos com o presidente da empresa, que é a segunda maior mineradora do mundo, a cúpula do governo federal tem se esforçado bem para promover ingerências na empresa. Um dos calcanhares de Aquiles, agora, é mais esta petição de revisão dos impostos. Pedido em má hora para a Vale e em excelente hora para os municípios dependentes dos impostos.

ALGUMAS ANÁLISES

  1. Segundo o portal de notícias G1, da Globo, ao comprarmos um automóvel, desembolsamos entre 27 e 40% de impostos (clique aqui para ver mais), fazendo com que, nós brasileiros, paguemos muito mais por um mesmo modelo na Europa, Argentina ou no México. Cito a carga tributária nos automóveis, porque eles são feitos de aço, que é feito do minério de ferro. A tonelada de ferro é exportada para o Japão por uns 100 dólares, enquanto a mesma tonelada beneficiada, retorna para o Brasil por mais de 20.000 dólares, na forma de um Toyota, Nissan ou qualquer outro produto que seja construído com aço e de qualquer outra origem, como do mercado europeu.
  2. Percebe-se, claramente, que há no nosso país uma discrepância tributária, na qual favorecemos a entrega de riquezas esgotáveis por pouco dinheiro, para o mundo afora, gerando menos empregos e contribuindo muito menos com impostos; para, depois, importarmos bens finais, por 200 a 1000 vezes o valor vendido. O mais razoável deveria ser a cobrança de altas taxas para entregarmos matérias-primas e cobrarmos muito menos para vendermos produtos finais, deixando nossas indústrias mais competitivas, aumentando-se o PIB, gerando-se mais empregos e mais riquezas.
  3. Diante de tamanhos lucros, com recordes sucessivos abocanhados pela Vale e outras mineradoras, não nos deixa qualquer dúvida de que, subir um pouco na taxa do Cefem (ou royalties), possa inviabilizar a competitividade do minério no comércio mundial. Não vai mesmo. Principalmente porque tratam-se de recursos não renováveis, de matérias-primas, de commodities. Tal proposta de ajuste, indiferente de ser ou não picuinha de governo com a direção da empresa, é pertinente, justa e plenamente possível. Afinal, se nós, reles consumidores e contribuintes, podemos pagar tão mais para abastecer a cozinha das nossas casas, por que as mineradoras não podem?
QUEM LEVARÁ VANTAGEM?

À princípio, as cidades impactadas pela mineração, que passarão a contar com muito mais recursos em caixa, para investir em saúde, educação, assistência social, meio ambiente, lazer e por aí vai. 

Na sequência, todos os moradores destas cidades, que poderão ter escolas melhores para seus filhos, melhores assistências médicas e tantos outros benefícios mais, incluindo-se aí quem for acionista e empregados da empresa, que gozarão dos mesmos serviços públicos. Estamos falando de sustentabilidade, de retorno social, para todos e não para uns poucos privilegiados.

Ainda levam vantagens o funcionalismo, o comércio e prestadores de serviço, porque, ao invés do lucro concentrar nas mãos dos acionistas, uma parcela do lucro (mesmo que pequena para a empresa, mas significativa para as receitas das cidades) será repassada para os municípios, que poderão pagar melhor seus funcionários, contratar mais obras e comprarem mais recursos de atendimento público. É um dinheiro significativo que impactará, positivamente, na vida de milhões de cidadãos, direta e indiretamente.

Por fim, ganham, também, as empresas mineradoras, que passam a ter empregados mais motivados com melhores qualidades de vida nas cidades onde moram. Torna-se mais produtivos, mais felizes e, ainda, podem até optar em residir com suas famílias em cidades menores, por passarem a ter condições de sustentar melhores ofertas de serviços públicos.

SÓ QUE...

Se olharmos ao redor, as cidades que já recebem os 2% do lucro em royalties figuram como as cidades com maior arrecadação do estado e do país. Há prefeituras, lamentavelmente, esbanjando e jogando esses recursos no ralo, por meio de apadrinhamentos, cabides de emprego como moeda de votos, contratações milionárias de marketing e aí por diante.

Itabira, cidade natal da Vale, é um desses piores exemplos. Há quase uma década que, praticamente, não se vê investimentos com recursos próprios. Cidade esta que ostentou, anos a fio, o status de ser a 7ª maior arrecadação do estado de Minas Gerais, competindo com cidades de boas centenas de milhares de habitantes. Um saco sem fundo que precisa ser substituído com pressa, com focos fechados no choque de gestão, administração séria e comprometidos com resultados.

Bem ao lado, outra face da moeda. Graças aos royalties, a (antes) pequena e pouco promissora São Gonçalo do Rio Abaixo vem alcançando novos horizontes, desde que passou a receber o Cefem, e está se tornando uma referência em qualidade de vida em todo o país, com direito a prêmios nacionais de nutrição escolar, boa oferta de serviços de saúde, educação de primeira e obras por todos os cantos.

O IDEAL SERIA...

Como se pode constatar, o progresso de um município não se deve, exclusivamente, à arrecadação destas compensações, mas passa, sem dúvida alguma, por ele.

Se, no passado, São Gonçalo vivia basicamente de receitas próprias, somados ao Fundo de Participação dos Municípios e capengava, hoje, vem se tornando a Meca da região, graças à boa arrecadação e à gestão focada nos resultados, com a visão empreendedora do seu prefeito, Raimundo Nonato Barcelos (Nozinho).

Aí, como garantir que, com mais grana no caixa, as cidades afortunadas dariam bons destinos aos recursos? Eis a questão...

Não há outra forma que não seja regulamentar, na mesma proposta de lei de reajuste, que a parte excedente possa contemplar cidades vizinhas comprovadamente impactadas, ou, quem sabe ainda, de impor que, parte destes recursos sejam investidos em novas fontes geradoras de recursos, no desenvolvimento econômico sustentável. São estudos que merecem ser avaliados e discutidos. O primeiro passo é apoiarmos a revisão, já.

E QUAL É SUA  PARTE?

A parte que cabe à imprensa e aos formadores de opiniões, como os blogues, vem sendo feita. A prova é que, com poucas consultas no Google, postamos, só neste texto, vários links.

Agora, meus caros, se querem viver em cidades melhores, arregassem as mangas, repliquem ao máximo os links da petição para a galera toda sair da moita e partir para o abraço. O grande abraço do desenvolvimento mais justo e sustentável está nas suas mãos.


E então, podemos contar contigo?

Clique aqui para manifestar sua defesa.

segunda-feira, 28 de março de 2011

POR QUE ESSA DE REPENTE?

Nos últimos dias várias pessoas têm manifestado uma grande preocupação com os rumos que as discussões sobre o Plano Diretor de Itabira estão tomando. Ao que tudo indica, a maioria dos vereadores está com tendência a tentar votar o Projeto de Lei 82/2010 sem dar a devida atenção às sugestões e propostas apresentadas pelos cidadãos e entidades que se dignaram a participar das audiências públicas e reuniões em que o PL está sendo discutido. Por isso, algumas pessoas estão sugerindo que todos que puderem comparecer às reuniões da Câmara esta semana (Reunião Ordinária, terça-feira 29/03/2011 às 14 horas, e Reunião de Comissões, quarta-feira às 14 ou 15 horas - CONFIRMAR) o façam e incentivem outras pessoas a também comparecerem. Quem puder, prepare também um cartaz ou faixa e converse pessoalmente com os vereadores insistindo para que sejam realizadas mais audiências públicas e que todas as sugestões apresentadas sejam lidas e discutidas, porque tudo indica que pode estar sendo feito um "filtro" para diminuir os questionamentos e as propostas através de justificativas como "inconsistência jurídica", "inconstitucionalidade" e outros argumentos semelhantes, sem levar ao conhecimento de todos a totalidade das sugestões apresentadas. PARTICIPEM! E FIQUEM DE OLHO! E não se esqueçam: NÃO HÁ NECESSIDADE DE DISCUTIR E VOTAR ESSE PROJETO EM TEMPO RÉCORDE, PORQUE O PLANO DIRETOR ATUAL TEM PRAZO PARA SER REVISADO ATÉ NOVEMBRO DE 2011...

domingo, 27 de março de 2011

PORQUÊ CALAM-SE

PORQUE QUE A CÂMARA DE ITABORA E ALIÁS QUASE TODO MUNDO SE CALA QUANDO AGORA O GOVERNO FEDERAL BANCA MANDAR EMBORA O AGNELLI? Ninguém se pronuncia: nem a favor ou contra. Não têm opinião? O Governo Dilma _PT cobra os impostos devidos. Cobra ação desenvolvimentista e não vejo um pronunciamento de apoio. Aonde está o presidente da câmara? aonde está seu estafeta o Banana? Eu que já escrevi vários artigos no TREM Itabirano dentre outras mídias locais, assito a caravana passar e sem ladros!

terça-feira, 22 de março de 2011

SINAIS DE NOVOS TEMPOS

POR UM PAÍS MELHOR

Vem aí uma nova geração de políticos. Os primeiros sinais e os primeiros resultados começam a surgir Brasil afora.

Pouco mais de 10 anos para cá, algumas Leis foram propostas e aprovadas. A Lei de Responsabilidade Fiscal, por exemplo, não deixa mais os governantes deixarem dívidas para seus sucessores e se deixarem, têm que pagar do próprio bolso. O nepotismo (contratação de parentes) e os procedimentos licitatórios são bem mais regulamentados hoje em dia, sem falar da Lei da Transparência, que obriga os gestores públicos a prestarem contas de forma pormenorizada das contas públicas. São significativos avanços que restringem, razoavelmente bem, antigos vícios políticos.

EXEMPLO A SER SEGUIDO

Recebi de uma leitora, uma notícia muito legal, que comprova esta nova tendência e geração política. Segundo a informação, o deputado federal, José Antônio Reguffe (PDT-DF), numa tacada só, protocolou vários ofícios na Diretoria Geral da Câmara, se adbicando, em caráter irrevogável, de vários benefícios que faria jus. Dentre eles, 14° e 15° salários (tem base? algum de vocês sabiam disso e têm os mesmos privilégios?); reduziu de 25 para 9 assessores no seu gabinete; cortou em mais de 80% a verba de gabinete (conhecida como "cotão". Teria o direito de R$ 23.030,00 e ficará só com R$ 4.600,00); abriu mão de toda verba indenizatória para passagens aéreas, auxílio moradia e por aí vai... Ao todo, o nobre deputado economizará, sozinho, 2,3 milhões de reais dos cofres públicos, nos quatro anos de mandato. Se todos  512 colegas fizessem o mesmo (os Tiriricas, Popós e Romários da vida), o país teria em caixa R$ 1.200.000.000,00 para investir em saúde, educação, melhores aposentadorias de quem realmente trabalhou duro e tantas outras benesses para o povo brasileiro. Um bilhão e duzentos mil reais equivalem à cerca de quase 24.000 casas populares, ou ainda a 24 Megasenas acumuladas em 50 milhões cada.

SIM, JÁ TIVEMOS BONS EXEMPLOS ANTES

Não muito distante, ontem conversava com o Márcio Passos, jornalista e marqueteiro político, quando ele lembrou que o ex-prefeito e ex-deputado federal Olimpio (Li) Pires Guerra (PDT), quando foi prefeito de Itabira, doou seu salário para instituições filantrópicas, durante todo seu mandato de prefeito.

De lá, para cá, lamentavelmente, sentimos uma vertiginosa queda nos investimentos na cidade de Itabira. Durante o governo Li, a cidade arrecadava pouco mais de 40 milhões de reais ao ano. Hoje, são 300 milhões. Também, no decorrer deste período, o foco, que era orientado a resultados, passou a ser orientado para a satisfação de dezenas de partidos coligados. E os resultados estão aí, para todo mundo ver e padecer com eles.

O QUE VEM POR AÍ...
Eu, como documentarista, articulista e cronista político, por mais de 15 anos, venho chegando à conclusão que este viciado modelo de "gestão", focada nos apadrinhamentos e aconchavos, está cada vez mais insuportável. A população não aguenta mais e tem dado claros sinais de que vai dar o troco, nas próximas urnas. O coro vai ser feito em fez por merecer.

Têm sido comuns eventos em que as "autoridades" têm sido largadas de lado, sozinhas nos fundos dos salões. Se não fosse a obrigatoriedade da convocação para participação nos eventos, nem os comissionados colocariam suas caras envergonhadas. Os pretendentes à sucessão não têm feito questão de "colar" no representante maior do executivo, com medo de sairem respingados, como se não fossem co-responsáveis pelo desastre político. Sugaram ao máximo e agora, querem só enfiar as mãos até o fundo, para retirar as últimas gotas de sangue, quando deixarão uma banana para quem os alimentou.

A população, mais sábia, tem visto tudo do lado de fora e, muito dificilmente, cairá em novas lábias. Novos nomes têm surgido na cidade, com novos valores e com propostas bem mais éticas. Vem aí, novos e promissores tempos. Acreditem!

segunda-feira, 21 de março de 2011

AUTORIDADE

Ótimo texto extraído do blogue Rapadura, do Márcio Passos:

Um oficial da Polícia Federal vai a uma fazenda, em Itaúna, MG, e diz ao dono, um velho fazendeiro:
- Preciso inspecionar sua fazenda por suspeita de plantação ilegal de maconha!
O fazendeiro diz:
- Sim senhor, mas não vá naquele campo ali - e aponta para uma certa área.
O oficial, puto da vida e cheio de arrogância, diz indignado:
- O senhor sabe que tenho o poder do governo federal comigo? E tira do bolso um crachá mostrando ao fazendeiro:
- Este crachá me dá a autoridade de ir onde quero e entrar em qualquer propriedade. Não preciso pedir ou responder a nenhuma pergunta. Está claro? Me fiz entender?
O fazendeiro todo educado pede desculpas e volta para o que estava fazendo. Poucos minutos depois o fazendeiro ouve uma gritaria e vê o oficial do governo federal correndo para salvar sua própria vida perseguido pelo "Santa Gertrudes", o maior touro da fazenda. A cada passo o touro vai chegando mais perto do oficial, que parece que será chifrado antes de conseguir alcançar um lugar seguro. O oficial está apavorado. O fazendeiro, mineirinho muito educado e solícito, larga suas ferramentas, corre para a cerca e grita com todas as forças de seus pulmões:
- Seu crachá! Mostra o seu crachá pra ele!


Conheço muita gente assim..."



sexta-feira, 18 de março de 2011

LEGAL DEMAIS

Outra observação do Jornal Estado de Minas de hoje:

A presidente Dilma Roussef (PT) e o governador Antônio Anastasia (PSDB) trocam elogios, em evento ocorrido em Uberaba, na primeira visita oficial da presidente mineira.

-"Querido governador e excelente parceiro...". De Dilma, para Anastasia.
-"Seja muito bem-vinda a Minas Gerais, que lhe recebe de maneira extremamente cordial, alegre e feliz". De Anastasia, para Dilma.
-"A Dilma fez o que Lula não fez. Ele nunca desceu do palanque". Amanda Almeida, repórter do Estado de Minas.

Melhor nem lembrar da era FHC x Itamar. E assim vamos evoluindo...

É ISSO AÍ!

O Tribunal de Contas da União - TCU - está de olho nas contas do governo Dilma.

A Infraero preparava a licitação das obras de reforma e ampliação do Aeroporto Internacional de Confins, como forma de ofertar melhor estrutura para a Copa do Mundo 2014. Na pressa, ela havia avaliado a reforma em R$ 294,75 milhões, prevendo um BDI (Benefício de Despesas Indiretas) na ordem de 23,35%, considerado bem acima do recomendado pelo TCU, de 13,04%.

Após a  intervenção do TCU, o valor orçado caiu para R$ 237,8 milhões, resultando numa economia de 57 milhões, suficientes para a construção de mais de 1.100 casas populares.

Verdade seja dita, denúncias de desvios só começaram a aparecer da era Lula para cá. Graças a Deus que, agora, aparecem.

Fonte: Estado de Minas, 18/03/2011.

OPINIÃO PÚBLICA É FORMADA OU PUBLICADA?

Excelente análise do advogado e marqueteiro político, meu amigo Henrique Nery, publicado no Opinião de Itabirano, do Facebook, que tomo a liberdade de reproduzir aqui. Vejam só:

"A publicidade governamental, conforme estabelecido na Constituição Federal, deve ser usada somente para fins educativos, informativos ou de orientação social. Sua utilização é vedada para promoção pessoal de autoridades e de servidores públicos.

O conceito é reforçado pela Lei Estadual 13.768, de 1º de dezembro de 2000, determina que, na divulgação de ato, programa ou obra de governo, a mensagem deve limitar-se a divulgar os aspectos educativos, informativos ou de orientação social. Além disso, proíbe os órgãos públicos ou entidades sobre controle direto ou indireto do Estado, de fazer propaganda de qualquer natureza fora do território de Minas Gerais.

O gasto total com publicidade do Estado MG de 2003 a 2009, em valores corrigidos, ultrapassou a cifra de R$ 1 bilhão, e o custo da cidade Administrativa foram cerca de 1,2 bilhões. Assim, pergunta-se a opinião pública é publicada ou formada?"

MENSAGEM DO ALOÍSIO ALMEIDA JUNIOR

"Caro amigo
Fernadinho

  Gostaria de aproveitar esse espaço para protestar contra a administração da Fundação Cultural Carlos Drummond de Andrada.
 Esses cupinchas do grupão, a cada dia conseguem superar-se no quesito "Incompetência Administrativa".
 Explico: Ontem 15/03 estava próximo ao Centro Cultural aguardando o horário para um exame clínico, resolvi então gastar esses minutos de ociosidade, dirigindo-me a biblioteca pública municipal.  
Tive a agradável supresa de ver que a mesma estava aberta ao público, digo isso pois sempre que procurava por este espaço ele encontrava-se fechado devido a reunião de funcionários da FCCDA, reforma do local, hora de almoço, ou outros fatores.
  Ao adentrar no recinto chamou-me a atenção dispostos em um canto quatro computadores já ultrapassados tipo aqueles modelos 386 ou 486,sendo que, pelo visto ,apenas dois deles estavam prontos para operação e lembrei-me que que no local havia serviço de acesso a internet aos usários.
Tal foi minha indignação quando perguntei a servidora sobre a acesso a rede, dizendo para a mesma que eu precisava apenas de 10 minutos.
 A resposta foi que o acesso a Internet custava R$1,00 por hora e que o tempo mínimo de acesso era de 30 minutos.
 Quer dizer então que o prefeito que manipulou a população soltando panfleto no dia da eleição prometendo Internet gratuta e de alta velocidade e para toda a população, agora tem a cara de pau de permitir que seus comandados possam cobrar por acesso a internet em um espaço público, pior ainda, dentro de uma bibliteca pública.
 É lamentável o rumo que tomou a FCCDA.
Como se não bastassem um reles festival de inverno, uma emissora de tv sem conteúdo, um teatro ocioso, uma biblioteca pública que mais parece um Sebo(e que somente funciona em horário comercial, impedindo a alunos do noturno realizar alguma pesquisa escolar).
Sem citar outros espaços culturais inoperantes. 
Agora somos confrontados com comércio dentro de uma instituição que tinha por obrigação difundir o conhecimento e a  inclusão digital, em voga.
 Que saudades do tempo que a FCCDA respirava cultura com as administrações de Márcio Sampaio e Solange Bethônico".

quinta-feira, 17 de março de 2011

Ei, você aí, vai ficar parado?!?

Eu e alguns outros cidadãos, como o Sr. Zezito (José da Costa Dias, do Centro), encaminhamos formalmente (por escrito e com protocolo na Secretaria Geral da Câmara e/ou nos gabinentes dos vereadores que fazem parte da Comissão de Revisão do Plano Diretor) várias sugestões para aperfeiçoar o Projeto de Lei nº 82/2010, do prefeito municipal, que altera a Lei nº 4034/2006, que contém o Plano Diretor de Desenvolvimento Sustentável de Itabira”, como está escrito no sítio eletrônico da nossa “Casa do Povo”.

Infelizmente, até o momento nossa Câmara Municipal não convocou outras Audiências Públicas e nem divulgou o Calendário de Tramitação do Projeto de Lei, conforme compromisso assumido pelo Presidente da Comissão de Revisão do Plano Diretor, vereador Élson Ferreira Sá, ao final da Audiência Pública realizada em 21/02/2011.

Foi publicado pelo jornal “Diário de Itabira” de ontem (16 de merco de 2011, página 3) que o vereador Neidson Dias Freitas teria afirmado que no dia 4 de abril a Câmara ilica e, pelo que foi divulgado no jornal "eespeito das sugestdivulgaçitiva das discussstentMunicipal irá “realizar uma audiência pública para tratar o Plano Diretor e no dia 5 o projeto já entra em votação”, aparentemente para atender, em especial, a um “capricho” desse vereador, que anunciou recentemente que deixará seu cargo eletivo para assumir um cargo comissionado no governo estadual. E frisamos, mais uma vez, que até o momento nada disso foi divulgado oficialmente pela Câmara Municipal de Itabira.
Entre as sugestões apresentadas, destaco a necessidade de serem realizadas mais Audiências Públicas ( e não somente mais uma...) e que haja, de fato, ampla divulgação, incentivo à participação dos cidadãos no processo de Revisão do Plano Diretor de Desenvolvimento Sustentável de Itabira e a discussão de todas as propostas apresentadas e de todo o conteúdo do Plano Diretor de Desenvolvimento Sustentável de Itabira, o que pode e deve ocorrer, conforme previsto no próprio Plano Diretor em vigor, até o mês de novembro de 2011, uma vez que a Câmara Municipal nem mesmo nos deu retorno a respeito da discussão das propostas e sugestões que encaminhamos formalmente e, certamente, não conseguirá fazê-lo até o início do mês de abril de 2011.
Espero que todos os cidadãos e segmentos organizados da sociedade de Itabira se posicionem e exijam que os compromissos assumidos com a comunidade sejam respeitados pelos nossos vereadores.
E você, que está lendo isso agora, vai deixar os "espertos" tomarem conta e enrolarem a todos nós ou vai agir, apresentar as suas sugestões e exigir o respeito que você merece como cidadão?

segunda-feira, 14 de março de 2011

NEIDSON CONSEGUE CARGO NO ESTADO


ESTAMOS BEM NA FITA

Ah... moleque!

Itabira passa a contar, a partir deste mês, com 3 nomes na equipe do Antônio Anastasia, no governo do Estado, segundo divulgou, a pouco, o portal da Defato Online. Dentre eles, Ronaldo Magalhães, como secretário adjunto de Desenvolvimento dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri e do Norte de Minas; Fabrício Sampaio como secretário adjunto de Transportes e Obras Públicas e, agora, Neidson Freitas, como assessor direto do governador, segundo informa a imprensa local.

Definitivamente, não vai ser por falta de representatividade que ficaremos esquecidos. Um bom momento para a cidade, sem dúvida alguma. Anastasia é considerado um dos maiores gestores públicos e responsável pelo bom desempenho do Aécio Neves, quando foi governador de Minas, por 2 mandatos consecutivos.


O PANO DE FUNDO

As idas do Neidson Freitas e do Ronaldo Magalhães para o governo do estado são altamente estratégicas para eles e caem em suas mãos em excelente momento.

Reprodução: Defato online.
Neidson, como vereador da situação, embaraçou-se feio, várias vezes, por não poder (ou não ter se interessado em se) expor e atuar devidamente, como pedia seu cargo. Nos 6 anos de vereança, sendo 2 como presidente da casa, não conseguiu capital político suficiente para alcançar seu sonho maior, de ser prefeito de Itabira. Se perdeu, várias vezes, em meio aos factóides mau plantados por sua assessoria. Sua rejeição aumentava dia após dia. Um dos piores foi a propaganda de que ele gozava de intenções de votos maiores do que o Anastasia. Ao abrir as urnas, surpresa: só alcançou metade dos votos informados por ele! Foi esquivo, duvidoso e prepotente.

De outro lado, Ronaldo Magalhães ainda carrega sobre seus ombros, o estigma de corrupção no seu governo e outro do ataque antiético que proferiu contra Damon de Sena, quando tentou se apropriar do PV itabirano. Mesmo assim, Ronaldo ainda goza de boa aceitação popular, principalmente porque seu sucessor, João Izael, não conseguiu praticamente nada, em 6 anos corridos, e seu antecessor, Jackson Tavares, carrega, até hoje, uma rejeição muito alta.

O grupão (grupo político dominante na cidade e no qual fazem parte) se arrasta e padece com as chagas da reprovação popular, diante das tantas denúncias de apadrinhamentos, letargia administrativa, indícios de corrupção e por aí vai. Daí, as idas deles serem tão estratégicas. Se conseguirem trazer bastante recursos estaduais para a cidade e região, poderão recuperar o terreno perdido, inclusive, a ponto de voltarem ao cenário com banho de ouro. Mauri Torres, da vizinha Monlevade, ficará pequeno neste cenário.


O QUE PROMETE O GAROTO

Mais afoito e ambicioso, Neidson, antes mesmo de assumir seu cargo, prometeu, segundo matéria da Defato Online (clique aqui para ler), pedir uma maior interlocução nos governos estadual e federal para a duplicação da BR-381; na revisão da distribuição dos royalties do minério e na preservação do meio ambiente. Ou seja, vem com tudo e com chumbo grosso contra os interesses da Vale, que, segundo soube na ocasião, via a eleição do Anastasia com muitos bons olhos.


PÁREO MAIS DURO

Quem terá que se esforçar mais, a partir de agora, é o jovem Bernardo Mucida-PT, seu concorrente direto e com mesmo perfil de eleitorado. Falta ao Bernardo bagagem política, por não ter ocupado nenhum cargo ainda. O PT itabirano está em péssima fase, perdido e fragmentado. Se o PT nacional e estadual não intervirem diretamente e se o Neidson deslanchar, Banana não irá além da barganha dos carguinhos, não conseguirá colocar a sigla onde merece e o Bernardo, a nova estrela, se apagará provisoriamente. Pode ficar para depois. Como vêem, o PT local ficou para trás. Cadê a influência do PT itabirano com Dilma, que já morou em BH? Outro grupo esquecido é o PSDB itabirano. Por que não conseguiu uma boquinha?

Na pista vizinha, corre agora o Neidson, a todo vapor, com todas suas derradeiras forças. Se ele conseguir rever os royalties e acelerar a duplicação da BR-381, podem esperar, a prefeiturinha de Itabira será pouca para o garotão. Senão, será reconhecido, pelos eleitores, como o político que mais teve oportunidades e que nada fez. Terá que se aposentar precocemente, politicamente falando. Aí, ponto para o Bernardo e mais força para a oposição.

Anotei mais estas promessas do Neidson, gravei e fiz cópia reserva do seu depoimento. Com certeza, iremos cobrar. Eu, como apostador de um futuro melhor para Ita do Matto Dentro e mesmo resistente, prefiro apostar no sucesso dele. E vamos, que vamos!



domingo, 13 de março de 2011

AUTOFLAGELAÇÃO OU MAIS UM TRAQUE?

sexta-feira, 11 de março de 2011

CANIBALISMO OU FACTÓIDES?

Ao ler o Diário de Itabira de hoje, a matéria em que o ex-presidente da Câmara de Itabira, Neidson Freitas-PP, (ex-???grupão) se rebela contra sua origem, ao criticar e cobrar da prefeitura a manutenção das praças e parques, lembrei-me do final do governo Jackson, no qual fui assessor de comunicação e diretor da TV Cultura.


HÁ 10 ANOS  ATRÁS

Passada a eleição que culminou com a eleição do Ronaldo Magalhães para prefeito,  os puxa-sacos,  coordenadores de campanha, secretários e bajuladores  que tinham os melhores acessos com o Jackson, se escafederam. Nos 2 meses finais, não os víamos nem para assinar os contra-cheques, não retornavam ligações, não respondiam nem os recados deixados com suas secretárias. Poucos ficaram até o fim, até a entrega da casa. Lembro-me de mim, da Maria Lúcia Gazire, Ceomar Santos e dos crucificados Mirtes Ventura, Levi Quaresma e Wanessa Porto (que fora uma das mais brilhantes vereadoras que a cidade já teve), além de  uma parte dos ocupantes dos segundos escalões em diante. 

Numa das poucas conversas que tive acesso com ele, na reta final, o ouvi reproduzir uma fala de seu finado sogro, o ex-prefeito Virgílio Gazire: "No final de governo, até o cafezinho é servido frio...".


NOS 10 ANOS SEGUINTES

Então, Neidson Freitas elege-se vereador em 2004 e em 2008, quando chega à presidência da casa, com o privilégio de ocupar a vaga maior da casa por 2 anos. Por pouco, não fica mais tempo, não fossem os demais vereadores, que melaram seu desejo de perpetuar como presidente, como trampolim para chegar à Câmara Federal. 

Ou seja, o esperto rapaz ocupa a cadeira de fiscalizador e legislador, por 6 anos, 2 meses e 10 dias e, ao longo de todo esse tempo, não viu, não quis ver ou não investiu esforços  reais para recuperar os abandonos dos parques e praças inaugurados na gestão do Jackson Tavares e do Ronaldo Magalhães. Dois deles e mais significativos, o Nova Vista e o Belacamp, ambos frutos das 52 Condicionantes Ambientais construídos pela Vale e pleiteadas pelo Jackson, estão dentro do reduto eleitoral deste "fiscalizador", que demorou mais de 6 anos para se pronunciar!?! Se ocorreram outras, não as vi.

O que se viu, soube ou se ventilou em rajadas na cidade é que, esse rapaz seria o pupilo da sucessão do grupão, se alinhando o tempo todo com o poder, indicando parentes, amigos e eleitores para cargos; barganhou privilégios para chegar à presidência e por aí vai. Neidson sempre foi do grupão. Ou não?


SALVE-SE QUEM PUDER

Depois do pífio resultado na votação para deputado federal, quando atingiu cerca da metade dos votos que a pesquisa de opinião feita pelo seu ex-assessor distribuiu na cidade, se juntou com a direção do ex-rival PT itabirano, sob a promessa de trazerem "boas novidades" para os próximos anos, inclusive contra quem o alimentou e fez crescer. 

Neidson e Alexandre Banana estavam juntos, para a surpresa geral de todos, com promessas de "soltarem bombas nos colos do poder".


OS PRÓXIMOS 2 ANOS: ROENDO OS OSSOS

Hoje, cai nas minhas mãos a matéria em que Neidson critica e cobra ações para a recuperação dos parques e praças, denunciando o abandono, que não deixa de ser verdade e é uma situação antiga, que remonta ao governo do Ronaldo.

No coro com ele, outros vereadores, que também já se fartaram no mesmo banquete oficial, alegam que "eu também já tinha dito isso antes".

É, também, verdade que o governo João Izael tem se consolidado abaixo da crítica, cheio de denúncias de funcionários-fantasmas, letargia administrativa e falta de investimentos. Tem se consagrado como o administrador sem pulso e, o pior, sem indícios reais de recuperação de imagem.

Daí, então, seria esta investida uma das prometidas bombas (ou traques?) que "soltariam no colo" do João Izael e do Ronaldo? Puro factóide ou canibalismo? E o João Izael e o Ronaldo, ficarão sozinhos neste banquete, servidos com as batatas? Ou fazem parte da estratégia sucessória, arquitetada pelo marqueteiro oficial, Perón Colombo&Cia., numa tentativa de entrarem pelos fundos depois?


OPSSS...

Ah, sim, atordoado com essas loucuras, ia me esquecendo... Eles têm razão e devem mesmo cobrar do executivo as manutenções destes parques e praças e tudo mais que, a partir de agora, passarem a ver. É claro. Afinal, custaram muito dinheiro e foram criados para o lazer dos itabiranos.

Só acho que deveriam abrir mão das regalias e se desligarem das benesses oficiais o quanto antes. Ô Elaine, começe a atuar aí, para deixar a prefeitura bem mais leve e com muito mais fôlego para a decolagem da salvação! Força, secretária!

Que coisa, sô...

quinta-feira, 10 de março de 2011

SOBREVIVÊNCIA E RECUPERAÇÃO

Conforme previ, no meio da campanha eleitoral do ano passado, o ex-deputado estadual Ronaldo Magalhães acabou se dando bem: foi nomeado Secretário-Adjunto de Desenvolvimento dos Vales Jequitinhonha e Mucuri, no norte do estado. Uma boquinha nada ruim para tentar a recuperação política, que andava bem desgastada.

Pouco antes do início da campanha  proporcional do ano passado, Ronaldo Magalhães fez sua pior investida política, ao filiar-se, pelos fundos e na última hora para não dar chances de defesa ao Damon de Sena, no PV, via lideranças de BH. Na desculpa pelo ataque, a alegação de que era "um pedido do Aécio Neves". Damon resistiu firmemente e friamente. Não rebaixou e conseguiu manter-se firme, conseguindo excelente votação. 

Desde então, Ronaldo vinha se mantendo com faróis baixos, principalmente por desgastes pelos fortes indícios de corrupção durante sua gestão, como prefeito de Itabira. Entretanto, a saída estratégica dele  foi se abdicar de disputar para deputado, na qual não teria qualquer chance. Na ocasião, saiu com o discurso de que seria coordenador da campanha do Anastasia na região. O quase desconhecido candidato do Aécio precisava muito ultrapassar o candidato do Lula, o Hélio Costa. Esta estratégia política acabou gerando frutos agora;  em boa hora para sua necessária recuperação.

Até o momento, também previsto por nós, a disputa eleitoral do ano passado só serviu de ensaio, para ver quem se sairia bem e quem se sairia mal. Dos vencedores sem os cargos almejados, tivemos o Damon de Sena, Bernardo Mucida e, agora, o Ronaldo Magalhães.

Como vêem, na política, há muitas formas de obter ganhos.

VER PARA CRER

Reprodução: Diário de Itabira - Jairo Ventura.
Emblemática esta foto registrada pelo Editor-Chefe do Diário de Itabira, Jairo Ventura, quando o Alexandre Banana ocupava um assento na Câmara de Vereadores de Itabira, como vereador. De costas, Banana fixa o olhar no retrato do seu avô, Caio Martins da Costa, que fora presidente da casa e um político de grande valor. Como diria Luiz Zanon (o homem da granada sem pino): "O que o Banana estaria pensando? -Meu avô também faria o mesmo; -Meu avô vai compreender e me perdoar; -outra coisa."

Após ter realizado uma carreira política séria e exemplar, Alexandre Banana (presidente do PT), na virada do ano, preferiu juntar-se a um dos partidos do grupão, o PP, compondo com Neidson Freitas e Chiquinho da Nacional, sob a promessa de trazerem boas surpresas para 2011 e 2012. Sem muito discutir com suas bases, Banana escorregou e se desgastou feio. Tenho lido maus comentários sobre sua recente investida no fórum "Opinião de Itabirano", no Facebook.

Já no Diário de hoje, na coluna Pinga-fogo, a mesma promessa que o Alexandre me garantiu, no final de dezembro, que eles (do PT e do PP, este último que pertence ou pertencia[?] ao grupão) fariam juntos algumas investidas contra membros-chefes do grupão. Hoje, segundo a publicação, novos indícios de ataques reforçam as promessas, que, se confirmarem, as "bombas" terão endereço certo, "uma no colo do Ronaldo Magalhães", outra no "colo do João Izael". Difícil de crer que Chiquinho e Neidson trairiam suas bases. Mas vamos lá...

Pelo menos, se isso ocorrer, o Alexandre se salva e sai por cima. Já o Neidson, que tanto comeu e se lambuzou do mesmo prato indigesto do grupão, terá que arquitetar uma justificativa bem plausível, senão, sai com a fama de traíra e de nada confiável. É ver pra crer...

PÉ NA TÁBUA

Quem começou o ano cheio de boas ambições e com o pé-na-tábua foi o provedor do Hospital Nossa Senhora das Dores, o empresário e contabilista Reginaldo Calixto de Oliveira.

No Diário de Itabira de hoje e no jornal Folha Popular, Calixto apresentou seus ambiciosos projetos para construção de um PA (pronto atendimento) Infantil; de contratação de novos especialistas; do Centro de Cirurgias de Cataratas e de implantar um bloco cirúrgico de apoio para credenciar cirurgias cardíacas. Tais ações, segundo o provedor, são para evitar o envio de pacientes para outras cidades vizinhas e para desafogar o sistema local. Ainda segundo ele garantiu ao Diário, em dois anos, eles aumentaram o número de leitos de 126 para 162, afirmando que "não faltam leitos no hospital".

Um ponto a seu favor é a promessa do João Izael de transformar Itabira em "Referêncial Nacional" em um tanto de áreas, inclusive na área da saúde. Contra é que João, após 6 anos e 2 meses com a caneta maior do poder local, não cumpriu com quase nenhuma das suas promessas de campanha, nem mesmo do mandato anterior e já encerrado.

A cada dia que acordo com um pouco mais de vivência, vejo o quanto temos que respeitar os veteranos.  Só que, na política local, lamentavelmente e na maioria, a velha guarda tem deixado uma herança péssima, cheia de vícios e de apadrinhamentos esdrúxulos e nocivos. E é exatamente neste cenário que surgem as melhores oportunidades para o novo. Reginaldo Calixto, tal como Damon de Sena e Bernardo Mucida pertencem à nova safra da política itabirana e que muito terão no que contribuir para a cidade e região, desde que não se metam com essa gente decadente.

Carnaval... eita carnaval!!!

O Carnaval de Itabira a muito não é o mesmo de antes. Sem escolas de samba, sem blocos caricatos, sem enfeites nas ruas, sem serpentinas, sem atrativos, sem nada. O Grupão conseguiu em 10 anos arrebentar com a maior festa popular do Brasil em Itabira. As escolas sem nenhum apoio do executivo morreram à mingua e foram varridas da memória popular. As contratações das bandas é um jogo de interesse nojento, virou uma forma lucrativa de se obter dinheiro desonestamente, afinal, viu alguma publicação de edital para contratação de bandas ou daquelas tendas colocadas na avenida? As bandas chegam ao ponto de ridículo. Confesso que não estava na cidade durante o carnaval, mas amigos meus, músicos de verdade, me disseram que algumas bandas chegaram a beira do ridículo, muitas mostrando no palco o que receberam de cachês: Quase nada. Ví algumas fotos do Todo Poderoso do Grupão na "festa" de entrega da chave da cidade ao Rei Momo e pensei: "Que coisa fédida e ridícula." A animação estampada nos rostos demonstra claramente como seriam os dias vindouros do carnaval. Uma cidade histórica como essa roubada e extorquida Mato Dentro deveria ter um carnaval pelo menos 50% do que é Diamantina, Outro Preto, Mariana, São João Del Rey e por aí vai. Mas não, é sempre essa bela e extrema porcaria todos os anos.
Ainda me lembro do tempo do "Sô Luiz Menezes" o carnaval na Carlos Drumond de Andrade, desfilavam os blocos, escolas de samba do Rio de Janeiro como convidadas e as escolas da cidade. Na sexta-feira, a concentração era na pracinha do Pará, com aquele monte de homens vestidos de mulher e desciamos para a avenida numa festa só. O saudoso Pena (Sepulvo Sonorização) com um carrinho de mão cheio de fios, sonorizando a avenida com a ajuda do João Rodão. Eles vinham lá da Rua Santana, onde era a concentração das escolas para o puxador do samba enredo poder cantar e o som chegar no palco. Fernandinho e Adilson, nas filmagens. Eu e Adilson, corriamos até a Rua Santana, filmavamos a concentração, desciamos numa correria louca pela avenida e colocavámos (no ar) nos telões na avenida. O Carnaval de Itabira bombava. Velhos tempos. O interessante é que colocam uma câmera da TV Curtura para filmar essa bobagem, e fica aquela câmera parada e so muda de posição quando algum bêbado esbarra nela, mostrando os animados foliões e alguns gesticulando com o dedo para o público ou para o detentor máximo da autoridade do Grupão mesmo... Quanta criatividade dessa televisãozinha...
Acessei o site do Via Comercial hoje, quinta-feira e transcrevo aqui TODOS os comentários que estão no site a respeito do carnaval do Grupão em Itabira:

Luiz
9 de março de 2011

É impressionante como só esta prefeitura não vê que o carnaval na Mauro Ribeiro só piorou a situação do tal “Italegria”!Secretaria de esporte e lazer, prefeito, ponham na cabeça…vocês detonaram com o carnaval de Itabira. Por que não voltam pra Carlos Drummond de Andrade como era antes? Escolas e samba, gente de bem, etc…É um absurdo! Cidade que deveria ser um dos exemplos de bons carnavais, este lixo ao ar livre de facadas, furtos, tiros, etc. Veja Ouro Preto, Sabara, Nova Lima, até Nova Era…meu Deus!!!É o voto de confianca na “CIDADE DO BEM VIVER” que demos a Joa Izael !!!

Marconi Ferreira
9 de março de 2011

Carnaval é alegria.Pena que tem gente que não percebe.Ouro Preto, Diamantina, Barão de Cocais é exemplo de uma bela festa,Há trinta anos que baianizaram o nosso carnaval.É de fazer dó o que fizeram com o carnaval de Itabira.nos ultimos 30 anos.Na decada de 70, 80, inicio de 90 o carnaval de Itabira era um dos melhores da região.Verba os prefeitos sempre disponiboilizaram e com fartura.Mas tem um Bloco que vem matando uma tradição que com muita luta foi reerguida no final dos anos 70.Contratam bandas que tocam de tudo, menos carnaval.É muita incompetência.,Acorda gente. Aqui não é Salvador.Prefeito João, ainda é tempo de resgatar o nosso carnaval no seu governo.Basta você exonerar este Bloco incopetente que tem acabado com a cultura de uma cidade.Acreditamos em você.

Douglas
9 de março de 2011

Carnaval; Tem é que acabar com essa palhaçada.

Luziane
9 de março de 2011

Não entendo para que a prefeitura de Itabira gasta dinheiro com festa de rua desse nível. A população itabirana, que faz parte da história da cidade nem se arrisca a passar perto de eventos como esse. Bandas de qualidade ruim, som de péssima qualidade e população ausente é o resultado obtido. O povo da cidade não aprecia esse tipo de música e de festa. Só sobra o povão mesmo para aprontar a vontade, se drogar mais e prostituir pelas ruas da cidade. Em tempos de droga, festas de ruas para durar noite inteira deveriam ser abolidas. Não produz cultura, só deteoriza. 2010 foi melhor, a prefeitura alegou falta de verba. Deveria faltar verba para eventos como esse sempre. Vamos educar as pessoas e não contribuir para sua deseducação.

josue
10 de março de 2011

uma festa(carnaval)que a entrada e franca e ainda tem cercadinho e detectores de metal..dai ja si pode ter uma noção do nivel de pessoas ki frequentam akele ambiente e ainda televisionado pra todo mundo ver..e uma vergonha Itabira tem a 5ºarrecadação do estado e o que se reverte pra cultura e nota… e uma pena em vez de investir em um carnaval para todos e trazer turistas para a cidade..a maioria dos itabiranos saiem da cidade e vaum gastar dinhero em cidades vizinhas..

manoel
10 de março de 2011
Permalink
Concordo plenamente com a Luziene. Entra ano e sai ano o carnaval continua ruim. Passou da hora de trocar as pessoas que planejam essa coisa tenebrosa.

Voltando ao assunto da entregas chaves ao Rei Momo, imagino a cara da Tchurma do Grupão ao ver o Chefinho entregar as chaves da cidade para o Rei Momo, eles deveriam estar pensando; " Será que as chaves do cofre também estão ali?", "Ai meu Deus, não comprei todos os lotes ainda, quando essas chaves voltam?", "PUTZ, esse prefeito é doido, nem paguei meu prédio..."
O Carnaval do ano passado foi conhecido como Carnaval da Maracutaia, sem nenhuma providência (prá variar) do Ministério Público e a oposição que nunca toma uma posição, não fez nada. Mas, sabe que o Grupão tem razão, prá que se preocupar com o carnaval? Eles já fazem um carnaval o ano inteiro naquela prefeitura. A data do carnaval ele aproveitam para descansar em seus prédios, loteamentos, camionetes, fazendas, etc... e a máxima continua: BEM FEITO, QUEM MANDOU VOTÁNIMIM??

domingo, 6 de março de 2011

Revisão do Plano Diretor definirá o futuro de Itabira

No dia 3 de março de 2011 foi realizada mais uma reunião da Assembleia Geral da Interassociação dos Amigos dos Bairros de Itabira/Centro de Referência das Entidades Comunitárias de Itabira e um dos destaques da reunião foram os comentários a respeito da Audiência Pública e das reuniões realizadas na Câmara Municipal para discutir a revisão do Plano Diretor de Desenvolvimento Sustentável de Itabira.
Algumas pessoas fizeram questão de reafirmar sua insatisfação com as afirmações de vereadores, divulgadas pela imprensa local, segundo as quais “a comunidade não apresentou propostas para a revisão do Plano Diretor”. Vários líderes comunitários lembraram que “durante a Audiência Pública e as reuniões várias pessoas deram sugestões e essas sugestões foram registradas em atas da própria Câmara Municipal. Além disso, alguns cidadãos enviaram sugestões também por escrito. Por isso, não faz sentido nossos vereadores dizerem tamanha bobagem. É difícil até acreditar que eles tenham falado isso...”.
Após alguns comentários sobre o tema, ficou definido que a Interassociação e as outras entidades representadas na reunião irão estudar melhor o projeto de lei e elaborar mais propostas, as quais serão enviadas por escrito para a Câmara Municipal de Itabira nas próximas semanas.
Por falar nisso, no dia 2 de março (véspera da reunião da Interassociação) eu mesmo, como cidadão/pessoa física, já havia protocolado na Câmara Municipal uma correspondência com 8 (oito) sugestões e vou apresentar informações e discutir mais sobre esse tema nas próximas semanas em minhas colunas no Diário de Itabira e em outros órgãos de imprensa de Itabira (jornais, sites de notícias e programa de rádio). Quem tiver interesse em enviar perguntas, sugestões e comentários a esse respeito pode entrar em contato comigo pelo e-mail nivaldo_professor@yahoo.com.br.

sexta-feira, 4 de março de 2011

COMO ASSIM?!?

Vejam só esta...

Depois do papelão de autorizar o aumento absurdo de 33,15% nas nossas contas de água do Saae Itabira, a Arsae-MG – Agência Reguladora de Serviços de Abastecimento de Água e Esgoto do Estado de Minas Gerais – resolve, quatro meses depois de permitir o aumento, propor uma outra “audiência virtual” para definir a metodologia para o reajuste das tarifas dos serviços de abastecimento de água.

Ou seja, primeiro ela avaliza o aumento, depois discutem-se as regras para o aumento. Como assim? Como querem que acreditemos nela?

Quem levantou a lebre foi o Diário de Itabira, na edição de quarta-feira passada. Quem duvidar, pode dar uma espiada no endereço da Arsae (clique aqui), porque participar, a meu ver, nem adianta. Eles abusaram mesmo da nossa boa fé. Cabe agora ao Ministério Público investigar e esclarecer o caso.


Na ocasião, antes do aumento, o Filhos-do-Cauê abriu franca luta para evitar este abuso. Foram várias postagens e pedidos de participações do público na audiência para criticarem esta arbitrariedade. A direção do Saae-Itabira e a Arsae-MG ignoraram nosso apelo e meteram o aumento nos nossos bolsos. O que eles chamam de “audiência pública” é, por si só, altamente questionável. Ocorreu sem uma divulgação maciça na cidade; quase nenhum cidadão teve conhecimento do evento virtual; foi off line (não víamos as postagens com as participações em tempo real); dentre as justificativas, alegaram aumento na folha de pagamento de 27%, sem que nos fosse informada a relação dos servidores lotados na autarquia, com fortíssimos indícios de inchaço e de funcionários-fantasmas e por aí vai. 

Na ocasião, o PCdoB encabeçou um abaixo-assinado e o entregou nas mãos do presidente da Câmara de Vereadores de Itabia, Neidson Freitas (clique aqui para ler). Desde então, veio o aumento e não se falou mais no assunto, permanecendo uma série de dúvidas que colocam em xeque-mate a credibilidade de todas as instituições envolvidas: a Câmara de Vereadores, o Saae Itabira e a Arsae-MG.

terça-feira, 1 de março de 2011

Lusíadas atualizado

I
As sarnas de barões todos inchados
Eleitos pela plebe itabirana
Que agora se encontram instalados
Fazendo aquilo que lhes dá na real gana
Nos seus poleiros bem engalanados,
Mais do que permite a decência humana,
Olvidam-se de quanto proclamaram
Em campanhas com que nos enganaram!

II

E também as jogadas habilidosas
Daqueles tais que foram dilatando
Contas bancárias ignominiosas,
Da Mauro Ribeiro à Mata do Intelecto tudo devastando,
Guardam para si as coisas valiosas.
Desprezam quem de fome vai chorando!
Gritando levarei, se tiver arte,
Esta falta de vergonha a toda a parte!

III

Falem da crise econômica todo o ano!
E das aflições que à comunidade deram;
Calem-se aqueles que por engano
Votaram no refugo que elegeram!
Que a mim mete-me nojo o peito ufano
De crápulas que só enriqueceram
Com a prática de trafulhice tanta
Que'ainda andarem à solta, só me espanta.

IV

E vós, ninfas da cachoeira onde eu nado
Por quem sempre senti carinho ardente
Não me deixeis agora abandonado
E concedei engenho à minha mente,
De modo a que possa, convosco ao lado,
Desmascarar de forma eloquente
Aqueles que já têm no seu gene
A besta horrível do poder perene!

E mais outro: Um poema da "mente", só/mente!

POEMA da 'MENTE'...

Há um prefeito que mente...
Mente de corpo e alma, completa/mente.
E mente de modo tão pungente
Que a gente acha que ele mente, sincera/mente.
Mas mente, sobretudo, impune/mente...
Indecente/mente.
E mente tão habitual/mente, tão hábil/mente,
Que acha que, história afora, enquanto mente,
Nos vai enganar eterna/mente.

Nota: Não sei quem é o autor... com tal mente