Who's amoung us?

sábado, 28 de abril de 2012

 CONTAS DE CAMPANHA

Terminou agora hà pouco, em Fortaleza, o Congresso Brasileiro de Estratégias Eleitorais & Marketing Político. Em palestra das mais concorridas, um dos mais famosos advogados especialistas em direito eleitoral, Paulo Taques, afirmou que quem teve contas de campanha reprovadas nas eleições de 2008 e 2010, podem se candidatr normalmente em outubro. A proibição só vale para quem tiver reprovadas as contas de campanha das eleições deste ano. Segundo Paulo, que assessora a Associação Brasileira de Consultores Políticos, casos como de Doutor Damon (Itabira) e Gustavo Prandini (Monlevade) não caracterizam inegibilidade e eles podem se candidatar sem nenhum problema de legalidade.

sexta-feira, 27 de abril de 2012

TÁ OSSO!

Vira e mexe temos recebido comentários anônimos de simpatizantes do grupão, tirando sarro que perdemos o fôlego e sobre alguns comentários anônimos moderados (não publicados).
 
Com relação à primeira provocação, de estarmos menos ativos, sou obrigado a concordar. É verdade mesmo. Como este blogue é coletivo, a parte que me cabe, justifico na boa. Este blogue é feito de forma voluntária e, como tal, o atualizo dentro de meu pouco tempo vago. E como este ano a demanda é grande, sobra-me menos tempo. Peço desculpas se não atendo às expectativas, mas não celebre ainda, que o blogue está vivinho da silva! E por falar em Silva, tenho uma ruim do Xará, Fernando Silva. Mas vai ficar pra depois.  Um suspensezinho não faz mal a ninguém. Não é verdade?
  
Sobre os comentários moderados, ajuda aí, né! Já debatemos isso à exaustão e não finjam de égua. Só validamos comentários anônimos se não caluniam alguém, ou se quem validou, endossa e assina embaixo. Sacou!?
 

quinta-feira, 26 de abril de 2012

TÔ NEM AÍ


A "brava" e super secretária Elaine Aparecida Campos (PTN), que chegou a ser ventilada como pré-candidata à prefeito pela situação, deu um nó nos vereadores, na última reunião ordinária da câmara, de terça-feira passada, ao descumprir com uma convocação deles.
 
O motivo da "visita" (eufemismo que os governistas adoram usar para se defenderem de investigações) dela à câmara, era para que justificasse a contratação da empresa Adservice, por quase 6 milhões de reais, para prestação de serviço técnico-operacional, apoio administrativo e atividades auxiliares para a prefeitura, por 6 meses. Trocando em miúdos, garantia de vagas e boquinhas na casa, em plena época eleitoral.
  
Insatisfeitos por serem ignorados, os vereadores Paulo Chaves (PSDB) e Tião da Antena (PP) classificaram a ausência como "falta de compromisso e desrespeito com os vereadores e com a população".
   
Em defesa dela, o líder do governo na Câmara, vereador Ilton Magalhães (PR), alegou que Elaine não compareceu porque foi convidada a participar da solenidade de posse do novo presidente do Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram), engenheiro José Fernando Coura, no mesmo dia, em Brasília, segundo o portal da Defato Online.
  
Eu, cá com meus botões, fico a imaginar... Ir à Brasília deve ser muito melhor negócio. Evita-se exposições desnecessárias com os (até então) inertes vereadores e garante-se novos polpudos adiantamentos de viagem, tal como aqueles 5 mil contos, que ela abocanhou para ir à São José dos Campos, em julho de 2010 (clique aqui para reler). Ou será que não?

E só para passar a régua, desde que este blogueiro encontrou a despesa acima, publicada no Portal da Transparência da Prefeitura, que é uma obrigação legal sujeita à severas sanções, caso ocorram descumprimentos, o portal nunca mais foi o mesmo. Vira e mexe, fica fora do ar, ou com erros de inconsistências, tal como pode-se comprovar abaixo. Clique neste link e comprove. É batata!

Cópia de tela do Portal da Transparência com erro.


quarta-feira, 25 de abril de 2012

REAÇÃO PREVISTA

Depois que Kléber (Em Foco) Figueiredo Rosa tomou o Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), no final da semana passada, o ex-prefeito e ex-deputado estadual, Ronaldo Magalhães, anunciou, na noite de ontem, que, além de ter conseguido recuperar o partido, em publicação prevista para hoje, pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), voltará a lançar o seu nome para prefeito de Itabira.
 
Segundo a Defato Online, Ronaldo expôs que, “por tudo que vem acontecendo em Itabira, eu coloco o meu nome à disposição do partido para ser o pré-candidato a prefeito. Falaram muita coisa, dizem até que sou impedido pela Justiça. Não tenho rabo preso com ninguém. Sou pré-candidato à Prefeitura de Itabira”. 
  
É o que previ ontem. Da mesma forma que o diretório estadual tem o poder de permitir um golpe a favor de um, pode, também, voltar a devolver para outro. 
  
E até que tenhamos maiores explicações sobre as motivações do golpe, o Ronaldo tem plenas razões de ficar danado da vida. A vantagem deste embróglio todo é que o PTB, antes uma mera sigla local que se esforçava para ser aceito como apoiadora de uma chapa mais forte, acaba de ganhar a atenção da mídia e abre espaço para disputa da cabeça. Entretanto, se afundou um pouco mais na lama, por se posicionar como um partido extremamente instável.
  
Para o Damon de Sena (PV) e demais partidos coligados, é bom que mantenham-se longe dessa confusão e que deixem o PTB vir com chapa própria. Primeiro, porque Damon não teve qualquer participação neste golpe, conforme seu grupo e ele garantiram. Segundo, porque ao dividir o grupão, a oposição se fortalece.
  

OU QUEM SABE AINDA...

Agora, como o PT itabirano, do final de 2010 para cá, é outro partido muito diferente do que conhecíamos, ao ponto de se juntar com as piores alas do grupão, tais como PP (Neidson, Chiquinho), PTN (Elaine Campos, Sebastião Batata, Marta Mousinho) , PSDB e companhia limitada, não duvidarei se, nos próximos dias, o ex-prefeito Jackson Alberto Pinho Tavares (PT) anunciar que o arquirrival Ronaldo Magalhães será o vice dele (ou vice-versa), deixando o Neidson Freitas a ver navios...
  
E não achem que estou zombando, porque o Ronaldo, pelo que me consta, era um dos nomes mais fortes para a próxima disputa, além de contarem com o marqueteiro Perón Colombo no time. Para a turma do Cácio Guerra (Dem) e João Izael (PR), não é lá tão bom, mas, fazer o quê?!
  
Dentro de alguns dias, assistiremos aos próximos capítulos.

terça-feira, 24 de abril de 2012

CARACAS...

Todos somos reféns da tecnologia. Desde quinta-feira passada, estou sem meu fiel notebook, depois de uma pane na fonte de alimentação. Creio que, até às 15 horas, segundo a Dell, tudo se resolve.

Enquanto isso, posto esta nota afoita, que deixou todos com uma pulga atrás da orelha, no micro cedido pela minha companheira.
 
  
NOVO GOLPE
 
Há jogadas que tornam destinos decisivos, de difícil retorno e explicação.
  
Refiro-me à cartada do Kléber Lúcio Figueiredo Rosa, mais conhecido como Kléber da Revista Enfoco, ao tomar o Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) das mãos do José Wilson Campos (Rádio Caraça) e do Ronaldo Magalhães, enquanto os antigos "donos" do partido pescavam por aí.
  
A articulação foi apresentada como "silenciosa" pela imprensa, no dia 20 passado, que tentou falar com os envolvidos, sem sucesso. Só que, pelo que se percebe, o termo "articulação silenciosa" nada mais é do que um tipo de eufemismo para golpe mesmo. Houve inclusive um segmento da mídia oficial alegando que tratou-se de uma revanche do Damon no Ronaldo, numa alusão ao episódio que o ex-deputado entrou no PV, avalizado pelo PV estadual, em outubro de 2009, ignorando o diretório local.
 
Tomar partido de quem quer que seja, só pode ser louvável se o diretório local, por algum motivo, estiver fora dos princípios ideológicos, ou que tenha descumprido com algum tipo de regra ou estatuto. De qualquer forma, não desenquadra o ato do conceito de golpe. A meu ver, é claro.
   
Até então, Kléber vinha mantendo um novo jornal, chamado A Semana, tendo elogiado Damon em algumas edições. Ao que tudo indicava, era parceiro. Wilson Campos é outro personagem que tentou se aproximar do Damon, recentemente, com propostas de unir o PTB ao PV.
 
Daí, Kléber aplica o golpe, o pessoal do Agenda 2012 elogia o ato nas redes sociais do Facebook e então!?! O que levou o Kléber a tomar tal atitude? Fechar com o projeto do Agenda 2012, ou dar "de presente" o partido para o grupo do Damon? Estranho ato, que ninguém entendeu até agora.
 
Se dependesse de minha opinião, salvo se for provado pela executiva estadual do PTB, que o diretório anterior tenha cometido algum grave erro, com as consequentes desfiliações dos envolvidos, se eu fosse o Damon, recusaria o partido na lata.
 
No meu reles entendimento,  ainda que o Kléber tenha feito o ato na melhor das intenções, aposto mais na ética e nos bons princípios. Ronaldo Magalhães se deu muito mal naquela época, quando transpareceu que pretendia tomar o PV do Damon ou se aliar à força. Daí, o que não é bom pra gente, não é bom para os outros. Sou contra golpes e contra qualquer tipo de imposição. Não pega bem e não combina com a pureza que deve primar o Partido Verde. E não acredito que seja isso que querem os eleitores.
 
E mais, se a executiva estadual teve o poder de criar um novo diretório agora, por prazo indeterminado, pode, de igual forma, tomar de volta ou colocar outro na direção. Imaginem se, no meio da campanha da oposição, com o PTN coligado com Damon, surge o adversário Ronaldo Magalhães como novo presidente? Kinder Ovo é que vem com surpresinhas, meus caros!
 
Complicado desfecho, não?

sexta-feira, 20 de abril de 2012

CUIDADO, FUNCIONÁRIOS FANTASMAS TRABALHANDO...


No dia 20 de janeiro, flagramos esta “obra” do Saae, cheia de “homens trabalhando”. Por não ter conseguido ver um só funcionário, imaginei que fossem funcionários fantasmas (afinal, sabe-se de muitos) e que devia estar mesmo em atividade. 

Flagrante feito em 20/01/2012.
Mais do que uma picuinha deste escrivinhador, tratava-se, na verdade, de um cômico e vexatório retrato deste governo, que fala que faz e não faz, que mente, que faz propaganda enganosa o tempo inteiro. Um grão de areia numa pilha de intermináveis e bem maiores problemas. Mas um válido registro, como broma mesmo.

Então, passei ontem pela mesma rua, por volta do mesmo horário, só que 3 meses depois. E eis que observo que deviam ser fantasmas mesmo. Porque a placa desapareceu. Mas o buraco, ó... permanece lá ainda.


quinta-feira, 19 de abril de 2012

MOTIVOS DE SOBRA PARA DESESPERO

Depois de plantar na mídia pit bull banguela oficial, que Reginaldo Calixto (PMDB) seria o nome do prefeito do João Izael, o Diário de Itabira de ontem resolveu melar o joguete do governo, soltando a informação que já trafegava na boca miúda.
 
Na noite de terça-feira (17/4), o PMDB confirmou, depois de aprovado em assembleia, que o partido se unirá ao PV de Damon de Sena, numa dobradinha para disputar a prefeitura. Dentro de alguns dias, os partidos de oposição farão uma pesquisa, para que dela saiam os nomes para prefeito e vice, em comum acordo com a base aliada. Os dois melhores sairão para prefeito e vice.
 
Segundo informações, tais articulações remontam a alguns meses atrás e chegam, a partir de agora, com plano de governo, projetos e vários estudos, com a proposta de colocar a cidade de volta aos trilhos do desenvolvimento. Foram meses de pesquisas, entrevistas com formadores de opiniões e técnicos, das mais diversas áreas, incluindo treinamentos e intensivos trabalhos preparatórios. Daí, o motivo do sumiço da oposição dos debates das redes sociais, segundo nos informou um dos coordenadores.
 
Damon vem com forte capital político e é apontado como um dos mais cobiçados nomes. Reginaldo chega com boa bagagem de gestão e muito conhecimento em contabilidade, finanças e administração de instituições públicas. O PMDB sempre foi controverso em suas filiações e coligações, mas traz expressivos votos, retorna à base que antes compôs e garante bom tempo de mídia, que é indispensável nas campanhas atuais.

Daí, as razões do desespero geral. O joguete de atrair o Reginaldo e/ou confundir a massa, mais uma vez deu errado. Fernando Silva, Cácio Guerra, Perón Colombo e companhia têm motivos de sobra para perderem os poucos cabelos que restaram.
 
Tão logo vazou, a assessoria e os marqueteiros do João reagiram segundo a praxe deles. Soltaram outros comparsas para ladrarem, bem ao estilo sujo deste grupo que assola (ou esfola) Itabira há 12 anos. Ainda no desespero, os governistas jogarão em campo um velho, manjado e desgastado nome da "imprensa marrom", para tentar um último suspiro destas pobres almas.

Outros nomes surgem para tentar dissipar as atenções, num tipo de maquiagem macabra. Outros nomes serão servidos e muita água passará debaixo da ponte.
 
Entretanto, depois desta dobradinha da oposição, torna-se mais próxima a realização da profecia do Marcos Caldeira, d'O Trem: podem tratar logo de encomendarem os ternos da posse, porque temos que ir à festa da ressurreição de Itabira, com grande estilo.
 
Que assim seja!

quarta-feira, 18 de abril de 2012

Muda Itabira: unir a oposição para transformar a cidade

Cazuza em uma de suas mais consagradas canções ousou dizer que o tempo não para. 2012 é ano eleitoral, e isso todos sabemos. Mais do que urgente, se faz necesario entender que já estamos chegando ao fim de abril e muito ainda falta para ser definido na política itabirana, e queiramos ou não o tempo não irá parar para nos esperar. Pelo bastidores muito tem sido discutido sobre nomes para postular a direção da prefeitura, porém, pouco se fala sobre um projeto de transformação da cidade.

Se é verdade que o governo João Izael é amplamente repudiado pela população, inclusive sendo apontado por setores do nosso povo como a pior administração municipal da história, também é verdade que não existe eleição ganha até a contagem do último voto. Não podemos fechar os olhos para a realidade de que eles tem a máquinha pública na mão, e não deixarão de utiliza-la para manterem os seus privilégios.

As diferentes vertentes da oposição devem ser capazes de apontarem um caminho unitário para de fato limparmos a cidade da corrupção e junto com isso romper com a situação de atraso em que o município se encontra. A condição para a vitória popular está na unidade dos diferentes grupos ao redor não de um nome, mas de uma alternativa política real e conseguente. Itabira se encontra orfã do debate dos grandes temas políticos. O que assistimos é a política rasteira do mero interesse privado. A prefeitura é usada como balcão de negócios dos partidos da situação onde as caras manjadas de sempre se dão bem. A maioria da população tem sido deixada de lado. Os tão necessários investimentos na educação e na saúde não tem tido prioridade. No setor da habitação, nossa cidade teve um de seus maiores dramas com a desocupação do bairro Drummond, obtido como resultado do descaso do poder público. Deve ser destacado também, que se o município não tiver um governo forte e formado por gente capaz não iremos aproveitar o momento ímpar em que estamos de grande investimento privado por parte da Vale, que poderia ajudar a cidade a se desenvolver não só economicamente, como também na melhoria da qualidade de vida do povo.

O caminho que deve ser trilhado é o da unificação da oposição na cidade, para junto com o povo e suas organizações lutarmos por uma vida nova para todos!
Notícia da hora

Há seis meses, respondi a pessoas que me indagavam, que se Damon Sena (PV) se aliasse a Reginaldo Calixto (PMDB) com apoio de Bernardo Mucida (PSB), a eleição em Itabira estaria praticamente decidida.
Muita água ainda vai passar sob a ponte dos arranjos políticos com vista às eleições de outubro, mas com a confirmação de hoje de que essa aliança já está acertada, reafirmo minha opinião pois não vejo espaço para nada de novo consistente surgir.
E tudo isso independente das dúvidas sobre inelegibilidade ou não de Damon Sena.
Salvo melhor juízo, como sempre.

SÓ PRA LEMBRAR...

"NOTIFICAÇÃO DE DESPEJO

(Criado por Afonso Claudio Damasceno com licença poética a Joelson Oliveira, autor do original despejo)

Eu presencio as lamúrias geradas em meio ao descampado E os minutos de abandono e tormento no ventre grande da terra Abundante e descuidada, cercada de bambus nas beiradas a gosto dos ocupantes.

Eu presencio este maio, a apreensão inevitável dos clamores Espalhando a claridade morna do mundo E as nascentes fluentes do pânico rascunhando O desejo proibido das nossas crianças.

Eu presencio contrário ao movimento do orvalho Sob os sapatos lustrosos da pátria, antes de entardecer E cada um dos mandatos expedidos com exatidão para essa inevitável hora.

Eu presencio a proximidade indecifrável da dor e suas correntes Interpretadas no pranto que encharca as vértebras da sombra Crescendo sob as tábuas derrubadas Eu presencio as desnorteadas espigas do sonho Entranhadas no vácuo da terra, arraigadas de ódio, Perdidas no seu interior, em funestos centímetros.

Eu presencio a chama e a dor desta lição onde se aprende A recomeçar todo dia como os raios de sol e os frutos maduros E a chuva, fecundando sempre de novo a primavera.

Eu presencio os derradeiros sentidos da esperança Trajando de claridade a embriaguez dos crisântemos Que bailam ainda assim como o povo, nos dedos esgarçados da chuva...

(Criado por Afonso Claudio Damasceno com licença poética a Joelson Oliveira, autor do original despejo,
referência ao despejo dos “sem terra”, ocupação “bairro Drummond”, Itabira-MG)"


E então, alguém da cidade sabe onde foram parar as 300 famílias despejadas, se ainda estão naqueles alojamentos improvisados?

terça-feira, 17 de abril de 2012

E AGORA, GUI?

 NOVA INFORMAÇÃO:
Segundo uma amiga do Facebook, a audiência foi adiada, porque a Dorinha está internada no Carlos Chagas com flebite. Tentamos contato com ela dias atrás, por e-mail, e não conseguimos.

Assim que tivermos mais informações, postaremos aqui.
 
 _____________________________________________________


Hoje, às 4 da tarde, acontece a segunda audiência da ação de reparação de danos morais, movida por Emerson (Gui) Alvarenga Barbosa, contra Maria das Dores (Dorinha) Cabral.  O pedido inicial foi de mais de 20 mil reais de indenização, fora as outras ameaças de novos processos recebidas pela moça, dos outros sócios da MD Predial, podendo ultrapassar o montande dos 300 mil reais.
  
Na primeira audiência, o reclamente recuou e propôs uma mera retratação, com a retirada das provocações das redes sociais. Dorinha não arredou o pé, defendeu que quem teria direito à indenizações de danos morais era ela: "Não vou me retratar, não vejo porque. Quero que ele me explique como conseguiu enriquecer tão rapidamente, sem ganhar na Mega-Sena...".
   
Até o final do dia, saberemos os resultados desta ação. Aguardem!
 

segunda-feira, 16 de abril de 2012

ÔNUS DE SER POLO

Segundo o secretário de saúde de Itabira, Alcides Escolástico Gonçalves, o município recebe apenas a metade dos gastos com pacientes de outras cidades, pelo Sus - Sistema Único de Saúde - do governo federal. 
 
Tal afirmação, embora não seja novidade, foi publicada no portal da Defato Online, sábado passado, e ocorre por causa da posição privilegiada da cidade, tanto geográfica, quanto pela fartura de recursos de saúde disponíveis.  “Bancamos um valor muito maior do que o que vem do SUS, e os municípios atendidos por nós não conseguem complementar”, expôs Alcides para o repórter.
 
Entretanto, a nota não esclarece o quanto é suprido pelo Ciscel - Consórcio Intermunicipal de Saúde do Centro Leste -, que tem como função o reestabelecimento deste desequilíbrio financeiro, ao receber recursos das cidades vizinhas para minimizar estes prejuízos. Quanto será e como têm sido repassados os recursos?

sexta-feira, 13 de abril de 2012

FORA DO AR (de novo)


Que o governo do João Izael detesta transparência, todos nós já sabemos.
Só que, descumprir com a Lei Complementar 131, popularmente  chamada de Lei da Transparência, dentre outras sanções cabíveis, pode trazer prejuízos para o município, inclusive na retenção de repasses de verbas do governo federal. 

Há dias que o portal da transparência da prefeitura de Itabira, está fora do ar. Vide cópia de tela abaixo ou clique no link acima. Desde que foi implementado, tal serviço obrigatório tem sido publicado de forma inconsistente, ou com falta de detalhes, isso quando não está fora do ar.

Poucos dias atrás, vi no Facebook o vice-presidente do PT, José Francisco da Silva, cobrar o governo municipal do Restaurante Popular, que seria implementado com recursos federais. Seria a falta de transparência o motivo do emperramento?

Estamos de olho!


quinta-feira, 12 de abril de 2012

RANKING DA CORRUPÇÃO, SEGUNDO TSE


quarta-feira, 11 de abril de 2012

MAIS UMA BOA NOTÍCIA!


Nova lei facilita fiscalização da população em prefeituras

Maria Denise Galvani
Do UOL, em São Paulo
 
"O cidadão comum vai ganhar no dia 16 de maio uma nova arma no combate à corrupção. Na data, entra em vigor a chamada Lei de Acesso à Informação, que obriga todo órgão público a fornecer, em 30 dias, qualquer documento que for solicitado. A legislação deve facilitar muito o trabalho das mais de 200 associações de moradores que se dedicam a investigar fraudes e desvios de verbas em seus municípios. 
  
No entanto, a má-vontade das prefeituras e a morosidade da Justiça ainda são entraves para quem quer fiscalizar como é gasto o dinheiro público.
 
...
 
Com a Lei de Acesso à Informação, a obtenção de listas de pagamentos, contratos, notas fiscais e outros documentos importantes para o controle do orçamento público devem ser facilitadas."
 
(Clique aqui para saber mais)

terça-feira, 10 de abril de 2012

FONTE NÃO SEGURA

Faz parte do jogo da politicagem e há quem se preste a isso.
 
No dia 4 passado, o portal de "Notícias Uai" publicou uma nota, alegando que Reginaldo Calixto-PMDB havia fechado com o governo municipal a sua candidatura a prefeito, afirmando que ele seria o candidato oficial, com direito a uma antiga foto do João Izael com o Reginaldo Calixto, quando a prefeitura entregou veículos para a irmandade.
   
Como textos têm DNA, é notório que o texto não é de autoria do dono do portal, comprovada pela rebuscada linguagem. Sou capaz de apostar que veio da Assessoria de Comunicação da Prefeitura, ou, quem sabe, de algum peemedebista dependente das benesses do governo, numa manobra para se desfazer alguma decisão já tomada ou em vias de ser concretizada.
  
Na dúvida de que se trata de mais um joguete de forçação de barra, contatei a assessoria do Calixto, que desmentiu a nota. Reginaldo ainda não definiu se sairá a candidato a prefeito. Seu foco, continua sendo o Hospital e uma declaração dessas só poderia comprometer as relações, podendo prejudicar, ainda mais, com os repasses de recursos do governo, já bastante minguados.
  
Portanto, nenhuma novidade. Nem na decisão do Calixto, nem na desgastada "estratégia" do submundo da comunicação oficial. A boa nova é que faltam menos que 9 meses para o Fernando Silva ser exonerado e podermos ter a chance da prefeitura da cidade passar a ter uma assessoria de respeito e maior valor moral.



segunda-feira, 9 de abril de 2012

JACKSON? DE VOLTA!?!

O ANTES E O DEPOIS

O cenário não é mais aquele. 
  
Na gestão do PT em Itabira (1997-2000), não se viu nenhum ex-secretário ou mesmo o prefeito ostentar riquezas, como assistimos desde então. Não se viam agentes e secretários viajando pela Europa, não se via secretário batendo de caminhonetes zerinhas, carrões importados, nem erguerem prédios, nem comprarem fazendas, rádios, nem nada.
  
No muito, víamos um colega, inclusive eu, comprar um popularzinho financiado. Na ocasião, com meu salário de assessor de comunicação, cargo de segundo escalão, consegui comprar um Ford Ka 1.0, basicão, por leasing. Dos cerca de 1.800 reais que recebia, destinava uns 800 para as prestações, restando uns mil para o sustento da família, além de uma renda extra obtida no comércio antes conquistado e mantido, com o suor da minha ex-esposa e ex-colaboradores. 
  
Desde então, sem que ocorresse aumento expressivo nas rendas dos agentes políticos, eis que riquezas nunca vistas reluzem diante dos olhos dos conterrâneos, numa dúvida e decepção sem fim. O tempo dos “milagres do crescimento” estava apenas começando.

Paralelamente, em formas de mordaças e vendas, os novos ricos compraram boa parte da imprensa para serem ovacionados e colocaram a “imprensa” suja para bater e tentar matar todos os nomes de quem poderia questionar ou mesmo denunciá-los. A seguir, nossa terra foi sucumbida pela era do terrorismo e assassinatos morais, como estratégia de amordaçamento.


JACKSON CEDE DE NOVO

Ao coligar-se com o PP, o PT do Banana, José Francisco e, agora, do Jackson, ignora e aborta tudo que já discutimos, tudo que debatemos e defendemos nos anos 90. E mais, do terceiro milênio para cá, mais do que rivalidades ideológicas, assistimos o PT, Jackson e outros ex-colegas de trabalho serem vilipendiados por essa turma do grupão. Sem falar das denúncias que o Banana fez por irregularidades administrativas do governo do Ronaldo Magalhães, quando o Chiquinho e o Perón eram secretários de altos escalões e o Neidson era vereador e depois presidente da câmara.
  
Tudo de ruim, de lá para cá, teve os dedos destes agentes do grupão, que, a meu ver, covardemente (abandonando o barco do grupo deles) e muito oportunamente, mudam de lado para não perderem o poder. Todas as mentiras propagadas, todas as falácias, todos os ataques contra os nomes dos ex-agentes do Jackson, mesmo que nenhum tenha se enriquecido na prefeitura como eles, são ações diretas ou indiretas dos caciques do grupão, custeadas com fartos dinheiros públicos.
  
Como prestador de serviços, cheguei a fazer alguns atendimentos para este grupo, assim que acreditei que poderia mudar. Mas não mudou e em afastei definitivamente. Permaneceu a linha do terrorismo, das coações e aviltações das imagens dos adversários e de quem pudesse atrapalhar seus sujos propósitos, expostas por meio de estratégias de comunicação torpes, sujas e sórdidas, encabeçadas pelo ouropretano Fernando Silva e jogadas nos meios de comunicação alinhados com a sujeira que propunham.
Como podem perceber, não falo de ressentimento apenas, de bairrismo, nem de militância cega, muito menos de vingança. Não sou petista, embora tenha total respeito pela sigla. Defendo a opinião de que não acredito mesmo, nem por reza braba, que os cabeças do grupão, inclusive estes senhores do PP, tenham a capacidade de mudar o comportamento e passar a defender a cidade e nosso povo de verdade, sem gana, sem gula, sem novos riscos de prevaricações.

Jackson é bom nome e tem mesmo que retornar às discussões políticas. Tem inteligência e tem boa fé. Mas precisa, para o bem do seu retorno com dignidade, passar a andar melhor acompanhado. No passado, Jackson recebeu todos os ônus das "más companhias" e que boa parte nem tão más eram. Agora, se entrega aos antigos algozes, numa trama shakespeariana, numa tentativa de salvação final do companheiro Banana, no último ato. 
 
Portanto, numa análise mais profunda, vimos que o Jackson pouco mudou. Tal como agia no passado, ao lançar-se como boia salva-vidas para o Banana, Jackson nos mostra que continua com seu coração grande e com forte espírito de fidelidade aos companheiros, mesmo que seu apoio custe caro às desgastadas reputações sua e do PT.

Com o PP, não dá, não rola e não decola. Que venha o Jackson, que recupere o PT e o Banana. Mas com estes senhores do PP bem longe. Até que Jackson desfaça este nó cego, continuarei com o mesmo conceito: criaram um ser que não existe: um tipo de gêmeos siameses duozigóticos. E não adianta insistir na sobrevivência deles.



quinta-feira, 5 de abril de 2012

RODANDO A BOLSA


Mais um capítulo com controvérsias na novela mexicana do Reino de Izael. O episódio das “bolsadas” da secretária de governo, Elaine Campos, em Ceomar de Paula Santos, ocorrido durante a transmissão de posse da nova diretoria da Interassociação de Amigos de Bairros de Itabira, ficou mal esclarecido.
 
Quem veio com o furo, quase às onze horas da noite do dia 29 de março, foi o Luiz Antônio Zanon (Mosaico), quando publicou no Facebook que o “O PAU QUEBROU!!! PREFEITO É CHAMADO DE MENTIROSO PUBLICAMENTE E SECRETÁRIA ELAINE CAMPOS AGRIDE FISICAMENTE CIDADÃO NA SEDE DA 'ÍNTER'”. Depois, em outro comentário, Zanon ainda colocou: “A ex-presidente Mônica Reis tentando acalmar a secretária brigona, dizia: 'Componha-se, secretária, você é pré-candidata a prefeita!'. E a brigona respondeu, na batata: 'Eu sou é brava!'".
  
Na dúvida, contatei no dia seguinte alguns colegas da imprensa, quando me disseram que o destempero da pré-candidata a prefeito do governo foi pior do que o exposto. Desde então, centenas de comentários sucederam, inclusive de fakes, atacando o Zanon e possíveis pré-candidatos a vereadores (clique aqui para ler).
  
Na manhã do dia 3 de abril, a jornalista Tatiana Linhares, embora não estivesse presente ao evento, tal como eu não estava, deu novas contribuições ao episódio, defendendo que tratava-se de exagero e sugerindo parcialidade nas informações. Segundo Tatiana, ela contatou a suposta vítima, Ceomar Santos, que negou boa parte da versão. “O pau não quebrou, ninguém recebeu bolsadas e os discursos foram feitos na base das indiretas, sem acusações explícitas. Ou seja, tudo muito velado e nada tão exposto”, expôs a Tatiana.
  
Ainda na dúvida, ao encontrar-me casualmente com o filho do Ceomar, ainda na tarde do dia 4, arquiteto Leonardo Santos, questionei o fato e ele. À princípio, mostrou-se surpreso. Depois, relatou que, numa viagem recente com seu pai, Ceomar relatou algo sobre o caso, mas não da forma publicada, acreditando serem “exageros”, confirmando a versão da Tatiana.
  
Por já ter sido colega de trabalho do Ceomar, apesar de ser dispensável, posso atestar sua idoneidade e complacência. Ceomar, por mais atacado que fosse, jamais perderia a linha. Ceomar é reconhecido ainda como bom empregador do eufemismo. Daí, há possibilidade e cheiro de panos quentes. Quem não se recorda das anedotas sobre o “ferrenho” defensor do Valeriodoce, que xingava o Juiz: “Seu filho de uma boa Senhora!”. Brincadeiras à parte, se a “vítima”, que é quem poderia reclamar de algo, se absteve, quem somos nós para insistir na versão das bolsadas. Tatiana tem razão.

Agora, quanto a expormos ou não os atos tresloucados dos governistas, defendo a franca exposição, sim. Embora eu não endosse nenhum tipo de ataque, quanto mais os físicos, continuo apoiando a iniciativa do Zanon de ter trazido esta discussão, para fazer cair qualquer máscara, deste grupo falido que se desfaz: João Izael (o propagador das falácias dos gananciosos marqueteiros e demais parceiros) e Elaine Campos (a perdulária "brava" das viagens), realmente, não estão preparados para seus respectivos cargos, quanto mais a pleitearem mais um mandato no poder.

E os eleitores têm, sim, que ter ciência de qualquer escândalo. Destemperos ajudam a ruir os castelos de areia e, com efeito, caem no contragosto do povo. Itabira muito terá o que comemorar, quando assistir este nocivo grupo sair de Itabira. Não apoio abusos físicos, nem verbais. Mas quaisquer maus exemplos precisam ser debatidos e rechaçados. Precisam ser lembrados, alardeados e repudiados, para que novas iniciativas sacanas, inclusive no campo da oposição, não vinguem mais, que não retornem, ou mesmo que não imitem estes sujos passos, que deixam-nos com mais de uma década de atraso para Itabira.

João, pelo que se revela dia a dia, pouco ou nada tem a ver com aquele santo homem que desfilava no carro de bombeiro, com a imagem de Nossa Senhora Aparecida, trajado com a cor roxa. A imagem de prefeito nenhum deve ser tratada como sacra e o estado deve permanecer laico. E que Deus nos livre da “brava” Elaine Campos.



quarta-feira, 4 de abril de 2012

AUDITORIA NO INDESI

Segundo informações do blogue do Luiz Antônio Zanon (clique aqui para ler), assim que o reitor da Unifei, Renato de Aquino, assumiu o cargo de presidente do Conselho Administrativo do Indesi - Instituto de Desenvolvimento Econômico e Social de Itabira -, substituindo o ex-vereador Cácio Guerra, o novo presidente se assustou com o orçamento de 700 mil de reais ao ano, repassados pela Prefeitura de Itabira, sem que tivesse investido em alguma ação relevante. 
 
Daí, durante a posse e a contragosto dos governistas, Renato de Aquino propôs uma auditoria nas contas ora repassadas, fazendo com que os governistas torcessem os narizes e tentassem dissuadir o novo presidente da proposta, segundo informações de alguns membros do conselho, repassados em off.

Nosso blogue, no ano passado (clique aqui para reler), já questionou sobre a paralisação do projeto do I-tec - Parque Tecnológico de Itabira -, que é altamente estratégico para o desenvolvimento sustentável de Itabira, cujo projeto deveria ter sido promovido pelo Indesi e que fora uma grande sacada do governo Ronaldo Magalhães e do Cácio Guerra, quando foi secretário de Desenvolvimento Econômico.

Então, cerca de 8 anos se passaram e a cifra milionária de 5,6 milhões de reais foram torrados (700 mil vezes 8 anos, aproximadamente), sabe-se lá onde, sem que o I-tec saísse dos projetos efetivamente. 

Com as defesas, os responsáveis aqui citados.


Projeto apresentado e iniciado no final do governo Ronaldo Magalhães (2001-2004), até hoje não executado,
sob responsabilidades do Indesi e da Prefeitura Municipal.

terça-feira, 3 de abril de 2012

MAIS UMA PAULADA NO GOVERNO



Esta foi no cerne.

“Não é mais possível suportar essa situação. Estamos tentando resolver desde 2001 e o estado já fez tudo o que podia. Falta vontade política e pressão popular. Vários municípios com mais de 20 mil habitantes deveriam ter dado uma solução até setembro de 2010. Muitos deles já foram multados”, afirma o gerente de Resíduos Sólidos Urbanos da Feam, Francisco da Fonseca. (Fonte: portal Via Comercial).
  
Daí, a nossa pergunta:
Cadê o dinheiro que a Vale repassou para o município, previsto em uma das 52 Condicionantes Ambientais da Loc - Licença Operacional Corretiva - após audiência pública ocorrida em fevereiro de 1998, durante o governo Jackson Tavares-PT, para a construção e adequação do aterro sanitário?
 
Pelo que nos consta, o dinheiro já foi repassado pela mineradora, mas as obras estão paralisadas desde 2010. Só que os adiamentos têm sido empurrados por mais de 10 anos. Então, a Semad (Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável) resolveu jogar mais duro e encerrar a conversa com os prefeitos enrolados com estes lixões, segundo noticiou o portal Via Comercial. Dentre as 853 prefeituras fora da Lei, eis que figura, vergonhosamente, Itabira, ou a cidade do "bem viver", sob risco de assistir nosso prefeito ser punido criminalmente, por ter descumprido com esta obrigação legal. Entretanto, a grande diferença com os demais municípios enrolados é que Itabira gozou de fartos recursos para que estivesse em dia com este dever de casa e, deliberadamente, não o fez.
  

P.S.: Para quem quiser saber mais sobre as 52 Condicionantes Ambientais da Vale com Itabira, encontrei um artigo da UFSC (clique aqui), assinado por Shayra Pinheiro do Altíssimo (engenheira ambiental) e Auxiliadora Maria Moura Santi (Engenheira Química, Doutora em Planejamento de Sistemas Energéticos) e outro artigo da doutoranda em Ciências Sociais da UFMG, Eugênia Rosa Cabral (clique aqui).

segunda-feira, 2 de abril de 2012

AGENDA DE ABRIL



DIA 10 (Terça-feira)

"Último dia para o órgão da direção nacional do partido político publicar, no Diário Oficial da União, as normas para a escolha e substituição de candidatos e para a formação de coligações, na hipótese de omissão do estatuto (Lei nº 9.504/1997, art. 7º, § 1º)".

"Data a partir da qual, até a posse dos eleitos, é vedado aos agentes públicos fazer, na circunscrição do pleito, revisão geral da remuneração dos servidores públicos que exceda a recomposição da perda de seu poder aquisitivo ao longo do ano da eleição (Lei nº 9.504/1997, art. 73, VIII e Resolução nº 22.252/2006)".
  
DIA 17 (Terça-feira), às 16 horas

Segunda audiência do processo que Émerson (Gui) Alvarenga Barbosa moveu contra Maria das Dores (Dorinha) Cabral. Em primeira audiência, segundo informações, Gui propôs que ela apenas se retratasse e retirasse as publicações do Facebook contra sua pessoa, se abstendo de insistir na indenização de mais de 20 mil reais. Dorinha Cabral não aceitou o acordo e o processo continuou.

O Jornal Vox fez uma excelente cobertura jornalísta, tendo transcrito, praticamente, toda a audiência. Na manchete, a defesa indignada da Dorinha para a Juíza Mariana de Lima Andrade: "Não vou me retratar, não vejo porque. Quero que ele me explique como conseguiu enriquecer tão rapidamente, sem ganhar na Mega-Sena...". E num dos trechos da defesa dela: "... Não é por orgulho, não. É por eu achar que não o ofendi. Tenho certeza de que estou sendo mais ofendida do que ele, só por estar aqui, sendo processada".
 
Para saber mais sobre o caso, digite as palavras "Dorinha Cabral Gui", no localizador de postagens, que surgirão as postagens e matérias sobre o caso.