Who's amoung us?

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Não posso criticar, faço parte do meio.

Descansado de um final de semana de muito trabalho, resolvi escrever um pouquinho... Percebo claramente que de uns tempos para cá apareceram os defensores do Grupão, aquelas pessoas que mamam nas tetas gordas da prefeitura e não admitem em hipótese alguma que falem mal de seus pupilos, os podres integrantes do Grupão. As minhas ultimas postagens, sobre os sem terra e a Receita Federal deixaram os puxa-saco do Grupão irritados e desepejaram suas verborragias neste blog, com a permissão do meu sempre amigo Fernando, demonstrando a democracia neste blog,mesmo quando ofendem "pessoas bem mais íntegras do que as que defende" (Valeu Fernando!!!).
Mas não é esse o motivo que me leva a escrever e sim, um reportagem no Diário de Itabira (e dai, algum problema?) com uma personalidade de nossa Itabira. Confesso que não o conheço, mas admiro seu trabalho. A sua fala no fim da entrevista reflete bem o pensamento dos aliados sanguessugas: "Não dá para se fazer uma crítica ao governo se nos participamos dele". Baseado nesta frase, apenas na frase e esquecendo o autor dela, reflitamos... Podemos perceber nesta frase, uma demonstração de compromisso, respeito e lealdade à tchurma que come Itabira de lado e de quatro (ou seis??) há tantos anos. Não interessa se o governador mandou dinheiro para o aeroporto e essa grana voou. Não interessa se a TV Cultura é usada para propagandear o Grupão e Afundaçã0 Cultural é vergonhosa, sendo um "bitelo" de gabide emprego. Não interessa o aumento do SAAE, bem como a compra superfaturada de computador. Não interessa o carnaval da maracutaia ano passado que ninguem fez nada e o importante é o povo dançar, em todos os sentidos. Não interessa o povo que não tem onde morar, segundo comentários publicados no site Defato, é um povo de fora que veio para ganhar casa da prefeitura, portanto que se dane. Não interessa a ETE, que não funciona em sua totalidade e a degradação ambiental ao lado daqueles que deviam fiscalizar o executivo. E não interessa um monte de coisa. O que interessa é que meu partido está no meio da orgia e tenho de ficar calado. Faço parte do grupo e sempre tem uma boquinha prá mim. Repito, nada contra o autor da frase, que conforme disse, apenas peguei a frase para tematizar meu post. A fidelidade é algo louvável, seja na amizade, time, casamento, mas, como ser fiel àqueles que por me darem alguma coisa, me forçam a calar e enfiar o rabo entre as pernas, correndo o risco de me cortarem as benesses financeiras, politicas e/ou materiais? Como posso ficar calado, vendo tanta besteira acontecendo, ligando meu nome a um grupo que enoja Itabira e não é referência em nada que se presume ser lícito? Como as pessoas que integram esses 17 partidos veêm isso? Mas é assim que vivemos, se o partido faz parte da nojeira, tenho de ficar calado, omisso, subserviente. Por isso não sou a favor da fidelidade partidária, pois ela me obriga ir contra minha ética e honestidade, caso a direção dele venha se culiar com o que não presta. Não deve ser fácil, pessoas de bem, como o caso do autor da frase, ter de ficar calado, não podendo criticar porque seu partido é do lado de lá. Mas sabe, que se dane se é do lado de lá, não podemos ficar quietos diante de tanta besteira, mesmo que o partido esteja mamando, ou faz parte da mamata, não posso aceitar.Um grande exemplo era do saudoso José Alencar, nosso ex-vice-presidente. Não interessa se Lula era seu parceiro, ele não concordava com as altas taxas de juros e falava, doa a quem doer, demonstrando que não aceitava aquilo que era ruim para seu país, independente se ele era a situação. Por quantas vezes Lula ficou constrangido, com as próprias críticas à sua gestão feito pelo seu companheiro da vitóriosa campanha à Presidência. Por isso, a inteligência do Grupão arrebanha uma grande quantidade de partidos atráves de seus presidentes, claro que isso facilita a eleição e também, porque mantém todos calados e omissos, com a hora certa para lamber a mão de quem os alimenta.
O pior, é ter que aguentar esses ataques pessoais que tantos sofrem neste blog por criticarem o que não presta neste profano governo. Acho que chegou a hora, amigo Fernando, de colocarmos um basta nos comentários pessoais. Concordo que nem todos concordam com o que eu escrevo ou outro colunista qualquer, mas seria interessante que pessoas que escrevem com ar de deboche e mentira, e que demonstram claramente a falta de interesse em levar a sério esse espaço, devam ser extirpardos de uma vez por todas do nosso convívio. A democracia só é válida quando é levada a sério. Esse espaço foi o primeiro a levantar opiniões contrárias ao executivo, legislativo e judiciário, divergindo de noventa por cento da imprensa itabirana. Antes era só elogios rasgados pelos jornalecos, sites e revistas bancados pelo Grupão. Graças a esse blog, outros sites e blogs apareceram, demonstrando que os itabiranos estão fartos dessa imundice politiqueira do toma-lá-dá-cá que impera neste reino carcomido. Avante... Juntos seremos fortes!!! Nãovou nem revisar o que escreví, tá dito e pronto.

4 comentários:

  1. Toni tem razão, muito puxa saco do João Isael e ficam falando de quem mostra os erros. O dono desse blogue não devia colocar oscomentarios de pessoas que querem so falar mal dos outros.

    ResponderExcluir
  2. Esse comentário acima foi postado por mim,em e-mail recebido pedindo para postar. CTRL+C, CTRL+C apenas...

    ResponderExcluir
  3. Adorei o "dono" rsrsrsrsrsrsrsrsrsrs

    ResponderExcluir
  4. kkkk, pois é Tonny! Talvez mt gente ainda não se deu conta que este blogue não tem um dono. Ele é coletivo, pessoal! E é para uma boa e sadia discussão, para o debate livre e aberto.

    Com relação ao pedido de termos mais critérios na validação dos comentários, cabe-me ressalvar que, a bem da verdade, foi por reconhecer nossa boa fé em acreditar, até a morte, na pura e boa democracia e por entender que essas verborragias foram disparadas por desesperados ao verem suas bocas e tetas ameaçadas, que validei os comentários. Eles não representam nada e não têm qualquer valor, porque são anônimos, sem crédito.

    E vc tem razão em pedir para não mais validar, se forem postados como anônimos ou com identidade falsa, porque eles não promovem nem garantem um espaço democrático de valor, com crédito. E o pior, baixa o nível à altura deles, dos programinhas de rádio, TV e jornalecos sensacionalistas e manipuladores. E não é por aí.

    Portanto, concordo e endosso. Querem criticar, beleza! Aqui é o lugar. Mas bater sem mostrar as mãos, não! Continuaremos a aceitar anônimos, desde que as informações não sejam pessoais, ou críticas destrutivas. Ok?

    ResponderExcluir

São aceitos comentários com autoria não identificada (anônimos), desde que não exponham ou citem nomes de pessoas ou instituições de formas pejorativa, caluniosa, injuriosa ou difamatória e mesmo que sejam expostos de forma subliminar ou velada.

Durante o período eleitoral, não serão publicados comentários que citem nomes de candidatos, nem de forma elogiosa, nem crítica.

Caso queira postar uma denúncia, é necessária a identificação do autor (nome completo e e-mail para contato), para que o comentário seja validado. Caso não possa se expor, envie um e-mail para a editoria (contatoitafq@yahoo.com.br), para que a denúncia seja apurada e certificarmos que há condições legais e justas para pautarmos uma postagem.

EM FASE EXPERIMENTAL: Os interessados que tiverem conta no Facebook e que não queiram seus comentários submetidos à moderação podem solicitar as suas inclusões no grupo de discussões "Filhos das Minas", ou, caso já seja participante dele, basta postar seu comentário diretamente no Facebook.