Who's amoung us?

terça-feira, 18 de junho de 2013

NÃO QUEREMOS MAIS PÃO E CIRCO

(Geral)



JÁ VIMOS ESTE FILME

Com esta, foi a terceira vez na história que tenho o prazer de ver a poderosa Rede Globo ter que voltar atrás no seu interesse publicitário para atender à premissa de isenção jornalística. 

A primeira foi na campanha Diretas Já (1983-1984), que pôs fim no período militar. A segunda foi no movimento dos Caras Pintadas, que culminou com o impedimento do presidente Fernando Collor (1992). Com a Copa das Confederações, a Globo titubeou, enrolou, ofereceu bastante pão e circo para o povão curtir a Copa das Confederações, mas a galera não comeu e ainda questionou quem foi ao "circo", no sentido de ter acesso a ele, por causa das caríssimas entradas.


A BANDEIRA NÃO FOI LEVANTADA AGORA

O brado mais forte, a meu ver, veio do deputado federal Romário de Souza Faria, no ano passado. Surpreendentemente, um ex-jogador da seleção brasileira que detonou frontalmente e denunciou os esquemas da Fifa e demais cartolas do futebol, que manda construir elefantes brancos em países subdesenvolvidos. E este blogue fez coro com ele (clique aqui para ler), mas com repercussões mínimas.

Aí, as super arenas foram erguidas, torraram-se bilhões de dólares e, agora, depois de prontas (ou quase), chegamos às conclusões que não valeram à pena. Então tá. O que fazer com elas? Rola pedir a devolução do dinheiro gasto? Tem jeito de desmontar ou devolver elas para a Fifa? E não venham me dizer que estou defendendo as construções delas, hein!?


QUAL É O FOCO?

É compreensível que a Globo não se interessasse em noticiar a vaia contra a presidente Dilma Rousseff na abertura da Copa das Confederações. Entretanto, o que não compreendi exatamente é qual foi ou é o foco das dezenas ou centenas de manifestações ocorridas ontem. Aliás, espantosa movimentação e em bom tempo. Uau!

Meu temor (e de tantos outros órgãos de mídia) em apoiar o movimento no início foi a possibilidade de algum partido político estivesse estimulando um tipo de execração com vistas às eleições de 2014, fazendo uso de massa de manobra. Tentar, bem que tentaram. Mas foram todos rechaçados durante as manifestações.


E A GLOBO?

Ah, e a Globo? Insistia em dar mais pão e circo com flashes ao vivo no Jornal Nacional, com William Bonner e Galvão Bueno no Mané Garrincha. Até que... até que... não teve jeito. Uma massa paulistana ocupou a ponte estaiada, aquela que faz fundo para o jornal SP-TV (de São Paulo) e começou a gritar palavras de ordem contra a postura editorial da Globo, muito provavelmente, na expectativa de fazerem fundo com a manifestação e entrarem no ar e na marra. 


O FOCO FOI MESMO O QUÊ?

A economia vai arrastando, mas não está lá tão ruim, se compararmos ao cenário europeu, norte americano etc. O mensalão terminar em pizza, vá lá, é boa justificativa. Os aumentos das passagens, podem incomodar, mas não passa de um estopim diante de tantos outros problemas maiores. A saúde vai mal e o brado da doutora do Rio, para o Domingo Espetacular (Rede Record), comoveu bem (clique aqui para assistir). Ah... é protesto contra a Pec-37? Opa, essa é uma boa e super válida justificativa. Mas não acredito que seja apenas ele o motivador. Ou seriam os abusos da polícia? A corrupção? Com certeza estão contidos no elenco. Enfim, acho mesmo que o saco de paciência da população estourou. E convenhamos, com razão. Passou da hora.


É MESMO... E A GLOBO?

Ah... e a Globo? Claro! Como não poderia fazer diferente, recuou e deu completa ênfase às manifestações ontem à noite, fez questão de reforçar que as pichações são minoria, colocou flashes em todos os breakes, colocou um mini editorial com a Patrícia Poeta falando do compromisso deles de noticiar e blablablá. 

Não vou assustar se a Globo bancar um megashow e colocar o elenco da novela das 9 para vestir camisetas pró-manifestações, ou contra a corrupção, ou ainda criar um jingle político, como já fez em outras ocasiões para ficar bem na fita. Ops... Não se usam mais fitas. Seria nas mídias ópticas, HDs ou cartões de memória? Deixa pra lá. No ar e pronto.


SÓ A GLOBO?

Na boa... acho que está passando da hora de toda a mídia repensar suas posturas e colocarem as barbas de molho, diante da explosão das mídias sociais livres. Eu mesmo não canso de lembrar que os tempos das manipulações acabaram. São Gonçalo, Monlevade e Itabira que o digam. 

E nossas cidades, como vão? O que se falou das últimas corrupções? Dos processos de cassação? Dos recentes booms de crescimento de alguns agentes políticos, a olhos vistos? Da truculência, das perseguições políticas? Dos desvios? Das obras paralisadas? E do Judiciário? Vivemos num país justo? Será que reina o sentimento de Justiça na nossa cidade?

Mas e aí? Qual foi mesmo o foco das manifestações?
Tudo bem então. Pouco interessa o foco e daí o sucesso destas manifestações. Tomara só que não terminem como fogos-de-palha. Avante Brasil. Tolerância zero! Inclusive e principalmente se algum partido político ou interesses particulares tentarem tirar farinha. 
Pra frente, Brasil Gigante (com a licença da Ivete)!

4 comentários:

  1. E aí, como fica a situação de quem não quer ser tratado como cão sarnento, que quer ser respeitado como ser humano, dotado de sentimento, de honra e glória? Será que tudo foi em vão, aqui neste rincão? Creio que não, que se forçar mais um pouquinho, a coisa toma jeito... Então, basta juntar mais um pouco de gente e correr atrás do prejuízo (e que prejuízo? Ufa...). Mãos à obra povo deste "brasislsão" querido, que aqui também retumba... Força no peito e grito na garganta... que ecoa no espaço e soa na mente... principalmente de quem mente prá enganar o povo, com migalhas e nacas... E toma rojão na corrupção que assola o Brasil, de Norte a Sul, de Leste a Oeste. Manda uma msg nas redes sociais e vamos à luta, como tantos outros Brasil afora... Sou da paz, mas não sou tapete...

    ResponderExcluir
  2. Fernando, isso é que é desprendimento de raciocínio..

    ResponderExcluir
  3. A globo é quem manda e vamos ver até quando. Eu não ponho a minha mão no fogo de como seja ela e governo que estejam financiando o vandalismo. Pois já captaram a mensagem do movimento. Falam que tem de fazer acontecer a democracia, mas a odeiam. Está entranhado na alma do político brasileiro o coronelismo.

    ResponderExcluir
  4. Fernando, não sei se você assistiu um flash de reportagem da Rede Globo, onde mostrava o vandalismo, e, neste momento, o âncora Bonner mencionou a depredação do veículo da Rede Record de Televisão pelos vândalos, momento em que o mesmo Bonner disse: "depredaram até um veiculo de reportagem da Rede Record, que está dando apoio às manifestações", no claro sentido de que a Record é que estava patrocinando os atos de manifestação. Mas, nas entrelinhas, quis deixar claro uma alfinetada na Record, como se a culpa fosse dela.
    Concordo com o anônimo, quando julga que possivelmente sejam a Globo e o Governo (leia-se PT) que estão incitando e financiando os atos de vandalismo para desmerecer o ato genuinamente democrático do povo insatisfeito com esse Governo que nada tem feito para melhorar a economia do país, a redistribuição de renda, a revisão da carga tributária. Que, dá uma esmola para o povo, que recebe vários nomes (bolsa família, bolsa escola, bolsa gás, sei lá mais o quê). Parece piada, mas a piada mesmo é o Governo tratar o povo como se ele fosse otário. Isso acontece em todo lugar. Também nesse recanto.

    ResponderExcluir

São aceitos comentários com autoria não identificada (anônimos), desde que não exponham ou citem nomes de pessoas ou instituições de formas pejorativa, caluniosa, injuriosa ou difamatória e mesmo que sejam expostos de forma subliminar ou velada.

Durante o período eleitoral, não serão publicados comentários que citem nomes de candidatos, nem de forma elogiosa, nem crítica.

Caso queira postar uma denúncia, é necessária a identificação do autor (nome completo e e-mail para contato), para que o comentário seja validado. Caso não possa se expor, envie um e-mail para a editoria (contatoitafq@yahoo.com.br), para que a denúncia seja apurada e certificarmos que há condições legais e justas para pautarmos uma postagem.

EM FASE EXPERIMENTAL: Os interessados que tiverem conta no Facebook e que não queiram seus comentários submetidos à moderação podem solicitar as suas inclusões no grupo de discussões "Filhos das Minas", ou, caso já seja participante dele, basta postar seu comentário diretamente no Facebook.