Who's amoung us?

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

CRUA REALIDADE


4 comentários:

  1. Boa pergunta essa Fernando. De onde sai tanta político safado? É a pergunta que remói a cabeça de todos os itabiranos. De onde sai tanto político safado. Estamos infestados deles nesta última década.

    Noé do Campim Cheiroso.

    ResponderExcluir
  2. Gente acabei de ler um texto sensacional sobre a políticva em Itabira pelo nosso grande Robinson Damsceno. Está no jornal O Trem de dezembro. Não perca. Sensacional, ele fala com todos os pingos nos i. O título é O Pior Prefeito de Todos.
    Adélio.

    ResponderExcluir
  3. O 'hábito faz o monge', mas faz também outros profissionais nas mais diversas áreas, talvez seja por essa razão o fato de encontrarmos tantos safados, políticos ou não, a sociedade está infestada deles.

    ResponderExcluir
  4. Fernandinho, coloque esta entrevista no bloque, assim, podemos aprender com este jornalista, desenrolar o novelo da corrupção em Itabira.
    http://noticias.r7.com/record-news/videos/136-entrevista-record/paulo-henrique-amorim-entrevista-autor-do-livro-a-privataria-tucana/4ee8059dfc9b124ad077d13a/

    ResponderExcluir

São aceitos comentários com autoria não identificada (anônimos), desde que não exponham ou citem nomes de pessoas ou instituições de formas pejorativa, caluniosa, injuriosa ou difamatória e mesmo que sejam expostos de forma subliminar ou velada.

Durante o período eleitoral, não serão publicados comentários que citem nomes de candidatos, nem de forma elogiosa, nem crítica.

Caso queira postar uma denúncia, é necessária a identificação do autor (nome completo e e-mail para contato), para que o comentário seja validado. Caso não possa se expor, envie um e-mail para a editoria (contatoitafq@yahoo.com.br), para que a denúncia seja apurada e certificarmos que há condições legais e justas para pautarmos uma postagem.

EM FASE EXPERIMENTAL: Os interessados que tiverem conta no Facebook e que não queiram seus comentários submetidos à moderação podem solicitar as suas inclusões no grupo de discussões "Filhos das Minas", ou, caso já seja participante dele, basta postar seu comentário diretamente no Facebook.