Who's amoung us?

sábado, 1 de outubro de 2011

Liberdade, porém, sem opinião



Sou nova nas redes sociais. Mas não sou tão idiota quanto alguns pensam. Faço parte do grupo aberto do facebook, o "Opinião de Itabirano" (Oi), onde os membros têm verdadeira liberdade de se expressar, opinar, debater. No Oi, nunca vi ninguém deletar uma discussão porque outros discordaram de seus pensamentos e opiniões. Recentemente fui adicionada (sem pedir) no grupo denominado "Liberdade Itabirana" e me retirei por acreditar que a iniciativa deveria ser minha e não de outras pessoas.

Depois de alguns dias, solicitei pra participar do grupo e fui prontamente aceita. Porém, alguns membros lá não aceitaram que eu discordasse de um post, inclusive, usando um link do Filhos do Cauê.

Um tal de Luiz Paulo de Souza, que usava uma igreja como foto do perfil, acusou o Fernando Martins de coisas graves, sérias e que eu tenho a absoluta certeza, são falsas. Então, entrei na discussão e debati com o cara, disse que conheço o Fernando, seu bom caráter e conduta acima de qualquer supeita. Apertei o caboclo, inclusive sobre o ônus da prova que, apesar de não ter estudado Direito, sei que cabe a quem acusa. Também mostrei que ele é contraditório, pois uma semana antes ele tinha postado que fez uma cisterna em casa pra não ter problemas com o SAAE, segundo ele HÁ 12 ANOS.

Na discussão sobre o Fernando, ele disse que não é de Itabira e que estava aqui apenas pra "averiguar". Quando mostrei a contradição do cara, de repente... pufff!!! Desapareceu tudo! Ele deletou toda a discussão. Parece que ele "se deletou" também, pois o perfil dele desapareceu. Hoje, quando colocaram lá o brasão, dizendo que todos são bem vindos e que têm "liberdade"   e blá, blá, blá, entrei questionando sobre o Luiz Paulo e suas acusações contra pessoas de bem. De repente, pufff!!! Sumiu tudo, de novo. E o mais interessante: Fui simplesmente removida do grupo chamado Liberdade Itabirana.

Ou seja, os membros são "livres", mas não podem discordar do "patrão". Sabe aquela história de moleque dono da bola que "se não fizer o que eu mandar eu levo a bola embora e acabo com a brincadeira"? É isso. Fiquei magoada? Absolutamente, não! Amo a liberdade, principalmente a de expressão, de opinião e de pensamento. Então, definitivamente, lá não é o meu lugar.

2 comentários:

  1. É isso aí, Gândara!

    Mais uma vez, muito obrigado pela defesa.

    Aos poucos, vamos ensinando, na marra, pra esse pessoal do grupão, inclusive os do conluio PP/PT, os conceitos verdadeiros de liberdade de opiniões, da livre expressão do pensamento, só que com ética, moral, sem fakes e sem trolagens.

    Eu sempre optei por assinar tudo o que expus. Existo, tenho endereço certo, tenho empresa na cidade, gero empregos e pago impostos aí. Graças à conduta reta na minha carreira profissional e comportamental como cidadão, não tenho porque me esconder com nomes falsos ou bater sem mostrar as mãos.

    A conta, como de costume, enviarei para os que têm telhados de vidros maiores. Né não!?!

    Grande abraço e vamos adiante!

    ResponderExcluir
  2. Isso mesmo, Fernando. Divergência de opinião, sim é salutar e até nós dois temos, não é mesmo? Mas com respeito. Aliás, as diferenças de opinião entre pessoas civilizadas faz é aumentar o respeito mútuo... Agora, calúnia e difamação, não! Acusações graves e gratuitas sem prova, não! Um grande abraço pra você também.

    ResponderExcluir

São aceitos comentários com autoria não identificada (anônimos), desde que não exponham ou citem nomes de pessoas ou instituições de formas pejorativa, caluniosa, injuriosa ou difamatória e mesmo que sejam expostos de forma subliminar ou velada.

Durante o período eleitoral, não serão publicados comentários que citem nomes de candidatos, nem de forma elogiosa, nem crítica.

Caso queira postar uma denúncia, é necessária a identificação do autor (nome completo e e-mail para contato), para que o comentário seja validado. Caso não possa se expor, envie um e-mail para a editoria (contatoitafq@yahoo.com.br), para que a denúncia seja apurada e certificarmos que há condições legais e justas para pautarmos uma postagem.

EM FASE EXPERIMENTAL: Os interessados que tiverem conta no Facebook e que não queiram seus comentários submetidos à moderação podem solicitar as suas inclusões no grupo de discussões "Filhos das Minas", ou, caso já seja participante dele, basta postar seu comentário diretamente no Facebook.