Who's amoung us?

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

ARMANDO, DE NOVO

Caro colega Armando Bello,

Cheguei de viagem ontem e só agora a minha internet voltou ao ar. Recebi um comentário de apoio de um leitor e tomei conhecimento do texto abaixo, no Via Comercial:

" logo transferido para a TV Culltura por atrito com jornalistas – também recebeu um monte de denúncias de corrupção, inclusive de ter deletado dados dos computadores e de ter ordenado as invasões de terrenos alheios. E eu defendi o prefeito quando disseram que ele estava reformando sua casa às custas da prefeitura. Espero que ele também não fique com raiva de mim por citar esses dados que o povo esquece."

Bem, com o devido respeito, cabe-me defender e esclarecer mais estes equívocos do senhor.
  
 
SOBRE A MINHA TRANSFERÊNCIA PARA A TV

Na verdade, Armando, na ocasião citada (governo Jackson Tavares-PT), meses antes, eu e todos os 326 servidores comissionados fomos exonerados naquele projeto de reforma política do quadro de pessoal que compunha o governo. Tempos depois, eu fui chamado ao gabinete para assumir as duas pastas, de assessoria de comunicação e de direção executiva da TV. Momento em que eu pedi que ficasse de fora, para retornar para a direção das duas empresas particulares que tinha, a Photo&Optica e a Hollywood Studio, ambas sacrificadas com minha ausência. A Hollywood Studio, por exemplo, nesta ocasião que trabalhei na prefeitura ficou inativa, bem ao contrário do que vimos com correligionários seus, que colocaram as empresas em nomes de irmãos e terceiros para faturarem alto, enquanto ocuparam cargos de secretarias.

Então, Jackson insistiu com o convite para que eu continuasse no governo e para que assumisse as duas pastas. Só lembrando, a TV vinha passando por uma série de problemas de gestão, a maioria internos, desde a morte da Cristina Gazire. Um dos nomes fortes do governo Jackson, braço direito e de extrema confiança do prefeito, era o Wellington Valente, que me antecedeu e não resistiu às pressões das vaidades políticas, quando pediu exoneração dos dois cargos que ocupava (assessor jurídico e diretor da TV) e partiu para o governo de Paraoapebas-PA.
  
Outro registro que se faz necessário expor, para o bem da verdade, é que os problemas com a "imprensa" antecederam a minha chegada na assessoria (1998), por uma principal e justa razão: o governo Jackson, por origem e crença, não cedia à chantagens e pressões da "imprensa", em troca de anúncios. Em outras palavras, não era costume "comprar" a imprensa, como vimos desde então.
    
Daí, por afinidade ideológica e por acreditar que poderia contribuir com a cidade, acabei cedendo ao pedido, mas restringi que assumisse apenas um cargo e que ele fosse à escolha do prefeito, quando o Jackson pediu que eu fosse para a TV. Portanto, não é verdade que fui transferido por atritos com a imprensa.
 
 
SOBRE AS DENÚNCIAS CONTRA O GOVERNO JACKSON

Quanto às denúncias apresentadas pelo governo Ronaldo Magalhães, via assessoria do Fernando Silva, e pela "imprensa" aliada, parte delas é verdade, sim. Mas boa parte tratou-se de farsas plantadas estrategicamente para execrações morais, amplamente divulgadas nos órgãos de mídia que, "coincidentemente" receberam polpudos anúncios oficiais, das pastas que o senhor e o Fernando Silva ocuparam e que comumente participaram como colunistas.

Uma delas foi a mentira que a TV Cultura de Itabira foi entregue sucateada, com cabo de vassoura escorando a laje e os VTs de edição com esparadrapos aplicados neles (isso mesmo, de uso humano, simulando machucados). Outra foi terem me chamado de "cara de pau" por "ter pleiteado o cargo de diretor" para o Ronaldo.

Sobre o suposto silêncio meu, acerca dos acertos e erros do Jackson, tenho arquivados vários textos meus publicados no Diário de Itabira e, posteriormente neste blogue, que os coloco à sua disposição para consulta e averiguação.

  
SOBRE O QUE O "POVO ESQUECE"

Mais outro equívoco do senhor. Não acredito que o povo tenha esquecido, porque não há como esquecer aquilo que não ocorreu. Com relação a eu ficar com raiva, não se preocupe, que isso jamais ocorrerá, tanto em virtude do respeito que tenho por você e por acreditar que o que expôs são meras bobagens, sem fundamentação alguma, que, acredito eu, nada mais eram do que deve ter "ouvido dizer".

Há poucos dias atrás, no Facebook, militantes do PP alegaram, também, que eu havia saído corrido de Itabira e que eu era um mal exemplo de pai de família. São outras provocações (trolagens) prontamente desmentidas por quem teria o direito de reclamar: minha ex-mulher e meu filho, sem que eu os pedisse para defender-me. A quem duvide, que pergunte para eles.

Por fim, desde que assumi o posicionamento de colocar a cara na frente e ir contra a opulenta máquina, sabia que eu seria alvo de novas investidas daqueles covardes que tanto sacanearam as reputações de tantos outros bons nomes da cidade. Não pouparam nem a Igreja, depois que deixou de ser servil. Mas isto é outra estória. Não arredarei o pé e continuarei na luta. Doa a quem doer.
 
Abraços e um feliz 2012!

6 comentários:

  1. Vamos deixar claro uma coisa. Armando Bello, meu filho, vc está é feliz, porque essa sua "rixa" com o Fernando Martins e com o Opinião de Itabirano está dando um ibope que sua coluna nunca teve...

    ResponderExcluir
  2. Aloisio R. A. Junior3 de janeiro de 2012 15:34

    Valeu Fernando !!!
    Tem que desmascarar essa corja!!
    Não tenho pejorativos a altura para descrever este cidadão.
    Mas se for necessário a disposição para assumir sua defesa.

    ResponderExcluir
  3. Armando Bello é um colunista a serviço do grupão da maracutaia, sem crédito para questionar quem quer que seja. Politicamente, não consegue diferenciar um fusca de um avião.

    ResponderExcluir
  4. Fernando, perder tempo com Armando Belo é besteira. Esse homem, posso chamar assim? é nulo.

    Noé do Campim Cheiroso.

    ResponderExcluir
  5. Ora Armando,tá no desespero é? Ou o seu "senhor" (dono),mandou o vassalo fazer mais um trabalho sujo? Você que sempre defendeu a tchurma do come quieto tem moral para atacar pessoas de bem nesta cidade? A casa ta ruindo meu caro,faça como uma boa parte de sua camarilha e finja que não concorda com o que aí está,quem sabe assim no futuro o Sr consiga pelo menos ter a dignidade de postar alguma coisa sobre culinária em algum noticioso da cidade. E quanto ao Fernando eu assino em baixo de tudo o que disse porque é a pura verdade eu acompanhei de perto tudo isto. Abraços. Cacá.

    ResponderExcluir
  6. Armando feio pra cima de gente boa de Itabira! Essa trupe grupistica ainda conta com o suor de colunistas fraquinhos coitados, que a mercê de tanta tecnoligia deveriam pedir ajuda e claro seriam ajudados, mas ficar atacando passado e mentira é demais Sr. Armando "feio" demais isso.
    Por fim Fernandinho foi até leve demais nas palavras, kkkkk é causo perdido, aliás colunista deveria fazer curso de medicina chinesa quem sabe assim mudaria alguma coisa.

    ResponderExcluir

São aceitos comentários com autoria não identificada (anônimos), desde que não exponham ou citem nomes de pessoas ou instituições de formas pejorativa, caluniosa, injuriosa ou difamatória e mesmo que sejam expostos de forma subliminar ou velada.

Durante o período eleitoral, não serão publicados comentários que citem nomes de candidatos, nem de forma elogiosa, nem crítica.

Caso queira postar uma denúncia, é necessária a identificação do autor (nome completo e e-mail para contato), para que o comentário seja validado. Caso não possa se expor, envie um e-mail para a editoria (contatoitafq@yahoo.com.br), para que a denúncia seja apurada e certificarmos que há condições legais e justas para pautarmos uma postagem.

EM FASE EXPERIMENTAL: Os interessados que tiverem conta no Facebook e que não queiram seus comentários submetidos à moderação podem solicitar as suas inclusões no grupo de discussões "Filhos das Minas", ou, caso já seja participante dele, basta postar seu comentário diretamente no Facebook.