Who's amoung us?

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

CASARÕES TOMBADOS (LITERALMENTE) - 5


Acima, a casa do santeiro Duval. Embaixo, o casarão onde funcionou
o Armazém Sampaio

Casarão onde funcionou o Armazém Sampaio,
na rua Tiradentes






3 comentários:

  1. Fernandinho, seria legal dar uma volta na antiga São José da Lagoa, quando passar os temporais, para registrar a reforma do adro da Igreja de São José e o largo da Câmara Municipal, além, é claro dos imóveis daquele sítio histórico.
    Antes estava tudo asfaltado, retiraram aquela coisa e retornaram com o calçamento em pedra, assim serviria de exemplo para o pessoal do COMPHAI de como se trata o patrimônio histórico, sem contar que lá não precisam de um conselho "para inglês ver".
    Antigamente o adro da Igrejinha do Rosário era calçado em pedra e um infeliz foi lá e lançou asfalto por riba de tudo, destoando o entorno do único bem de Itabira tombado pelo IPHAN - Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.

    ResponderExcluir
  2. Vocês, sei lá entende? Até prédio novos, casas novas estão caindo... Quanto mais cacaiada de casas velhas. Parem com essa bobagem de preservação, isso é adiar ou contrair problemas.
    Caiam na real.

    ResponderExcluir
  3. Esquenta não, Anônimo...

    Esse martírio só vai até o meio do mês. Isso se não aparecerem novidades...

    Ou, quem sabe, a MD não enxergar a situação como oportunidade de negócio...

    ResponderExcluir

São aceitos comentários com autoria não identificada (anônimos), desde que não exponham ou citem nomes de pessoas ou instituições de formas pejorativa, caluniosa, injuriosa ou difamatória e mesmo que sejam expostos de forma subliminar ou velada.

Durante o período eleitoral, não serão publicados comentários que citem nomes de candidatos, nem de forma elogiosa, nem crítica.

Caso queira postar uma denúncia, é necessária a identificação do autor (nome completo e e-mail para contato), para que o comentário seja validado. Caso não possa se expor, envie um e-mail para a editoria (contatoitafq@yahoo.com.br), para que a denúncia seja apurada e certificarmos que há condições legais e justas para pautarmos uma postagem.

EM FASE EXPERIMENTAL: Os interessados que tiverem conta no Facebook e que não queiram seus comentários submetidos à moderação podem solicitar as suas inclusões no grupo de discussões "Filhos das Minas", ou, caso já seja participante dele, basta postar seu comentário diretamente no Facebook.