Who's amoung us?

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

A CPI que nos apetece

Passados sete anos da prática do ato ilícito de acordo com denúncia por parte da Promotoria, o Dr. João Izael Querino Coelho, enfim, foi condenado.

Em Itabira, todo meio de ano que antecede as eleições municipais é sempre a mesma coisa. A Prefeitura Municipal começa a reservar dinheiro para ter saldo de caixa pelo menos um antes para quando chegar nos meses de Julho e Agosto começar a comprar cobertores, caixas de leite, telhas de amianto, sacos de cimento e etc., para então distribuir aos pedintes e necessitados sempre na promessa de receberem em troca os votos nas urnas e se manterem nos cargos públicos municipais.

Conforme divulgado pelo Tribunal de Justiça nesta última semana, o atual prefeito de Itabira que em 2004 era vice prefeito, mais o Ronaldo Magalhães, prefeito na época, e a sua secretária de ação social foram condenados e multados pela prática de distribuição daqueles produtos na altura da campanha eleitoral no ensejo da compra de votos.

Na campanha eleitoral de 2008, o atual prefeito foi denunciado pelo oponente, Dr. Damon, pelo mesmo ato, porém o Juiz da Comarca considerou aquilo fato normal, mesmo tendo sido praticado há poucos dias do pleito municipal.

Agora, com esta condenação, como fica a Câmara de Vereadores nesta história? Cadê a CPI – Comissão Parlamentar de Inquérito – que já deveria ter sido instalada para apurar estes fatos de 2004 e 2008?

Já sei, não precisam me responder, pois todos os vereadores, com exceção do Paulo Chaves, devem favores políticos ao prefeito João, sem contar que cada um tem pelo menos vinte cargos na administração pública para seus cabos eleitorais e com isto ficam tolhidos de praticarem qualquer ação contra este prefeito e acabam assinando e corroborando com tudo o que ele determina ou pratica na Prefeitura Municipal de Itabira, porém os edis itabiranos deveriam ter a hombridade junto aos seus eleitorados que aguardam uma efetiva respostas à esta situação.

Infelizmente se passaram duas eleições e Itabira, com seus cidadãos, perderam sobremaneira nestes sete anos da administração mais inepta já vista em nossa cidade. Esta morosidade da justiça (aquela que tarda mas não falha) também prejudicou muito a nossa cidade, pois como é sabido se o João Izael não tivesse tomado posse em 2005 o panorama político de Itabira seria outro e agora para a próxima eleição teríamos novos nomes na disputa dos cargos eletivos.

Esperamos que com esta decisão do Tribunal de Justiça, na eleição de 2012 a atual administração pública municipal pratique a lisura em seus atos e sejam eleitos vereadores de maneira equilibrada entre apoiadores do prefeito e oposição.

5 comentários:

  1. Mauro, se você não sabia o Paulo Chaves foi eleito com o apoio de seu irmão presidente do PSDB de Itabira e vice-prefeito Roberto Chaves, juntamente com o apoio de João Izael - O que causou revolta nos demais candidatos do partido no último pleito. Portanto, deve favores sim ao atual prefeito. Hoje, ele ensaia uma oposição porque o barco está afundando. Sua debandada orquestrada pelo irmão causou descontentamento dos exonerados... É só contatar qualquer um deles que além de confirmar a insatisfação, vão comprovar a compra de votos por parte dele. Dou-lhe esta informação para que você não pareça parcial ao referido, já que todo mundo sabe destes fatos...

    ResponderExcluir
  2. ENTÃO PELO QUE ENTENDI A DISPUTA PARA PREFEITURA DE ITABIRA 2012 ACONTECERÁ NOS BASTIDORES DA JUSTIÇA? DR. DAMON E BANANA DENUNCIARAM JOÃO IZAEL E RONALDO MAGALHÃES. JOÃO IZAEL E RONALDO MAGALHÃES DENUNCIARAM DR. DAMON. É SÓ ENTRAR NO TSE E VERIFICAR QUE AMBOS TÊEM PROCESSOS EM TRAMITAÇÃO. PELO QUE POSSO VER, ITABIRA TERÁ QUE ESCOLHER ENTRE CANDIDATOS A PREFEITO QUE NÃO TÊEM PROCESSOS NA JUSTIÇA E QUE SERÃO MEROS DESCONHECIDOS DA POPULAÇÃO. NO ÚLTIMO PLEITO PARA DEPUTADO ESTADUAL, O PTB ACIONOU O DR. DAMON - CONFIRA LÁ.

    ResponderExcluir
  3. Certíssimo o Mauro Moura em sua indignação.
    Itabira é o paraíso da maracutaia e com uma câmara, como diz o pessoal do jornal O Trem, que é o horror dos horrores. Tinha de abrir uma CPI.

    Noé do Campim Cheiroso.

    ResponderExcluir
  4. Fernandinho esse trem de responder anônimo é mesmo PHoda, não tem jeito de filtrar isto?

    Mas vamos lá, anônimo, você acha que sou retardado, um beócio, a ponto de não saber quem é Paulo Chaves? Conheço toda a família dele, os pais, os irmãos e inclusivamente o João Grande que é primo dele mais do Bob Keyes.
    Quando disse a respeito do Paulo Chaves, resumi um pouco o texto, mas era para informar que ele é o único que se manteve na oposição ao Jão Izael do ano passado para cá.
    O João Grande sim, este foi o maior beneficiado pelo sistema do grupão, afinal teve 2.400 votos por ter trabalhado na manutenção de ruas do departamento de obras.
    A CPI deveria ser uma obrigação inserida na Lei Orgânica do Município a partir do momento que qualquer pessoa com cargo eletivo fosse condenado pela justiça, mas como isto é Brasil, o resto vocês já sabem.

    ResponderExcluir
  5. Bom dia, Mauro!

    Bem, tenho moderado comentários quando acusam, sem provas, alguém e postam no anonimato, ou quando atacam a honra alheia, conforme regras do blogue dispostas ao lado. Há vários assim moderados, contra todos os lados da política, devidamente guardados comigo.

    Inclusive já validei várias críticas de anônimos contra meus textos ou opiniões.

    Acredito que o público leitor é sábio o suficiente para discernir o joio do trigo; a boa, da má fé.

    Publicar como anônimo é um direito que facultamos, mas vale lembrar que, ao posicionarem assim, perdem boa parte do crédito. Não é mesmo? Mas, se preferem assim ou acreditam não ter crédito, fazer o quê!?!

    Estimulemos sempre o debate, indiferente da autoria. É melhor do que a gente ser reconhecido como censores. Pessoas de bem não têm dificuldades de defensas. Basta termos paciência.

    E vc sempre se sai bem. Parabéns.


    Forte abraço!

    ResponderExcluir

São aceitos comentários com autoria não identificada (anônimos), desde que não exponham ou citem nomes de pessoas ou instituições de formas pejorativa, caluniosa, injuriosa ou difamatória e mesmo que sejam expostos de forma subliminar ou velada.

Durante o período eleitoral, não serão publicados comentários que citem nomes de candidatos, nem de forma elogiosa, nem crítica.

Caso queira postar uma denúncia, é necessária a identificação do autor (nome completo e e-mail para contato), para que o comentário seja validado. Caso não possa se expor, envie um e-mail para a editoria (contatoitafq@yahoo.com.br), para que a denúncia seja apurada e certificarmos que há condições legais e justas para pautarmos uma postagem.

EM FASE EXPERIMENTAL: Os interessados que tiverem conta no Facebook e que não queiram seus comentários submetidos à moderação podem solicitar as suas inclusões no grupo de discussões "Filhos das Minas", ou, caso já seja participante dele, basta postar seu comentário diretamente no Facebook.