Who's amoung us?

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

O BRASIL, SEGUNDO EL PAÍS


“Que país é este que junta milhões numa marcha gay,
outros milhões numa marcha evangélica,
muitas centenas numa marcha a favor da maconha,
mas que não se mobiliza contra a corrupção?”

07/08/2011 - Juan Arias, correspondente no Brasil, do jornal espanhol El País.

2 comentários:

  1. Em alguns países quando alguém rouba, corta-se a mão. Em outros, quem se envolve em corrupção é condenado à mais alta pena. Ainda em outros, o cidadão corrupto fica tão envergonhado, que pratica o "araquiri". Bem, se tudo isso fosse colocado em prática aqui no Brasil, mais precisamenmte em Itabira - Os nossos políticos ficariam sem mãos, se candidatando apenas uma vez, já que ficariam presos. Quanto ao "araquiri", duvido que algum o praticaria: pois a vergonha já não mora mais aqui há tempos!

    ResponderExcluir
  2. É o pais chamado Itabira, que deixa espertalhões enfiarem a mão no dinheiro público e a cidade toda se acabando. É o país de cordeirinhos, da submissão, é o país que precisa ser morto para nascer um outro, digno, moderno, transparente, com pessoas que cobram seus direitos e protestam contras as barbáries. Acorda Itabira!!!!!!
    Acorda Brasil!!!!!!

    Noé do Campim Cheiroso.

    ResponderExcluir

São aceitos comentários com autoria não identificada (anônimos), desde que não exponham ou citem nomes de pessoas ou instituições de formas pejorativa, caluniosa, injuriosa ou difamatória e mesmo que sejam expostos de forma subliminar ou velada.

Durante o período eleitoral, não serão publicados comentários que citem nomes de candidatos, nem de forma elogiosa, nem crítica.

Caso queira postar uma denúncia, é necessária a identificação do autor (nome completo e e-mail para contato), para que o comentário seja validado. Caso não possa se expor, envie um e-mail para a editoria (contatoitafq@yahoo.com.br), para que a denúncia seja apurada e certificarmos que há condições legais e justas para pautarmos uma postagem.

EM FASE EXPERIMENTAL: Os interessados que tiverem conta no Facebook e que não queiram seus comentários submetidos à moderação podem solicitar as suas inclusões no grupo de discussões "Filhos das Minas", ou, caso já seja participante dele, basta postar seu comentário diretamente no Facebook.