Who's amoung us?

quinta-feira, 4 de abril de 2013

ASSASSINO POTENCIAL RONDA SUA CASA!

(São Gonçalo do Rio Abaixo, Itabira e região)


Há dias venho exterminando mosquitos da dengue no escritório nosso de São Gonçalo do Rio Abaixo. Este exemplar aí de cima, foi executado no tapa. Poucas horas depois, mais outros 4 espécimes abatidos. Porém, por mais satisfeito que tenha ficado ao executar o danado, nenhum resultado prático teremos.

Diante do risco iminente de surto de dengue na cidade e na região, como em Itabira, cujos males podem resultar em morte, eis a pergunta: 


CADÊ A PREFEITURA?

Semana passada, uma equipe da Secretaria de Saúde percorreu as ruas da cidade, em busca de recipientes que acumulam água, e o pessoal do fumacê andou percorrendo as ruas dias antes. Uma resposta ainda tímida e que tem que ser bem mais enfática, principalmente na parte que toca você, eu e seus vizinhos. Isso mesmo, não podemos ser irresponsáveis ao achar que as responsabilidades são unicamente dos governos. Não é. Aliás, penso eu que nem combate à dengue, no sentido de extermínio total, dá para ousar afirmar. Ficou em dúvida? Então leia só isso.

Se você é um desses que se sente protegido ao ver o pessoal do fumacê em atividade, com aqueles uniformes que parecem dos filmes de ficção, saiba que você está redondamente enganado. O fumacê ajuda um pouquinho no controle, é necessário, mas passa longe em eficiência. Primeiro, porque gera este sentimento de segurança, fazendo com que acomodemos. Segundo, porque o terrível Aedes aegypti (pernilongo transmissor da dengue) tem adquirido resistência ao veneno. Terceiro porque é pequeno (cerca de 5mm), pode se esconder nas folhagens e frestas e pode se deslocar num raio de até 1000 metros para se safar do veneno. E o pior, na fase adulta do mosquito, uma fêmea antes de morrer com o veneno pode já ter botado mais de 300 ovos a cada 2 dias. Ovos estes que podem sobreviver, mesmo no seco, de 2 ou até 450 dias! Ou seja, podem haver ovos eclodindo hoje, colocados no ano passado!

Outro equívoco comum dos publicitários é a adoção de ilustrações em forma de cartoon nas peças publicitárias para combate à dengue. Como o mosquito é muito pequeno e difícil de fotografar, acabam usando estes tipos de desenhos que infantilizam ou dão um toque lúdico à peça, fazendo o mosquito se parecer mais com um incrível personagem dos desenhos em quadrinhos ou animados. Grande equívoco que precisa ser revisto.

Dengue é doença séria, com grande risco de epidemia. Precisa ser encarada como doença capaz de matar. Afinal, se tememos escorpiões, aranhas e cobras perto das nossas casas, porque somos tão pacíficos com esta praga?


COMO COMBATER A DENGUE?

A sorte nossa é que temos boas, fáceis e baratas soluções, bem melhores do que esperarmos pelas ações das prefeituras. O melhor controle está nas nossas mãos e bem próximas do nosso alcance. O grande lance é eliminar os criatórios deles.

Os mosquitos fêmeas preferem botar em águas paradas e limpas. Estes são os criatórios deles, por onde passam 3 das 4 fases, num ciclo máximo uns 10 dias de vida apenas, com exceção dos ovos, que podem esperar mais de 1 ano para eclodir, quando chegarem as próximas águas do período chuvoso.


Peixes são ótimos vizinhos, porque comem as larvas. Se quiser ter aquário em casa, não há problema.


As primeiras medidas estão na identificação dos recipientes que acumulam água e que podem ser eliminados. Acabem com eles. São os casos das garrafas vazias, pneus velhos, lonas plásticas sem drenagem adequada, lixo acumulado, bacias de degelo de geladeiras (perto do motor, na parte de trás), calhas entupidas e demais vasilhas sem uso. Furem ou quebrem se necessário e descartem no lixo o que puderem. Sem água limpa, a fêmea não bota e os ovos não vingam.

As segundas medidas estão nos recipientes das nossas casas que acumulam água e não podem ser descartados, como os crivos de banheiros, sifões, vasos sanitários, vasos de plantas, vasilhas de água para animais domésticos, plantas com reservatórios como as bromélias etc. Os vasos sanitários usados diariamente, não são problema. Já aqueles que não são usados diariamente, como de cômodos fechados e de quartos de visitas, precisam colocar a solução de combate aos ovos ou esvaziá-los completamente. Os bebedouros dos animais precisam ser lavados diariamente, para remoção dos ovos. Não adianta só trocar a água. Nos casos dos crivos, vasos de plantas, bromélias e outros locais que precisam ter água, é indicado a aplicação de uma das soluções abaixo. Inseticidas fazem mal à nossa saúde, ao meio ambiente e nem sempre são eficientes, porque esses danados têm criado resistência ao veneno. Vamos à algumas receitas domésticas.


COMO IDENTIFICAR O MOSQUITO DA DENGUE?

É um tipo de pernilongo pequeno, com cerca de 5 milímetros de tamanho na fase adulta. Tem o corpo escuro, quase negro, com pernas escuras listradas de branco. Quando com estômago vazio de sangue, tem o abdome escuro, com listras mais claras e umas pintas brancas ordenadas simetricamente, em duas linhas laterais. Quando com estômago cheio de sangue, o abdome tende à cor vermelho escuro.

Tem hábitos diurnos, portanto, não ataca a noite. Geralmente voa lento e baixo, por volta de 1 metro de altura, por meio de 2 pares de asas curtas. Sua origem é africana, mas se adaptou bem ao Brasil.


RECEITAS DOMÉSTICAS

De acordo com algumas reportagens e estudos recentes, há 3 soluções domésticas eficazes para matarem os ovos e larvas nos criatórios, que  não fazem mal à saúde de ninguém.


  • Solução com sal de cozinha: 2 colheres de sopa, de sal para um copo de água.
  • Solução com água sanitária: 1 colher de sopa, para 5 litros de água.
  • Solução com borra de café: 2 colheres de sopa de borra, para 1/2 copo d´água.

Basta colocar um pouco de uma destas soluções, pelo menos uma vez por semana, nos recipientes que acumulam água. Use a solução que melhor atender para cada caso. Evite o uso da solução salina (com sal de cozinha) em recipientes metálicos, para não oxidar, ou a com borra de café em tubulações hidráulicas, para não entupir.


Há também um repelente interessante para a turma da pescaria. Veja como fazer:



  1. Adicione 1 pacote de cravo da índia (10gr) em 1/2 litro de álcool e deixe curtir por uns 4 dias, devendo agitar umas 2 vezes ao dia;
  2. Adicione na solução 1 vidro de óleo de nenê (100ml). Pode ser de amêndoas, camomila, erva-doce, aloe vera.
  3. Basta uma gota em cada braço e nas pernas, que o mosquito foge do cômodo.
Cravo é ainda bom para espantar formigas da cozinha e dos eletrônicos, tem odor agradável e espanta as pulgas dos animais.


A SUA VIDA E DE SEUS FAMILIARES
ESTÃO NAS SUAS MÃOS

Mobilize os vizinhos. Se eles não aderirem ou não darem atenção, tente primeiro convencê-los e mostre a importância do controle. Se ainda sim, não atenderem aos apelos, ligue para que a vigilância sanitária dê um jeito. É direito seu ter as saúdes sua e de sua família resguardadas.


Não se esqueça que estas ações de controle devem ser mantidas por pelo menos 2 anos, sistematicamente e pelo menos 1 vez por semana. Uma inspeção rápida e a aplicação das soluções domésticas tomam menos tempo do que cuidar das plantas ou animais. Esta disciplina é essencial para que os ovos depositados hoje, não venham eclodir no ano que vem.


Boa luta e saúde para todos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

São aceitos comentários com autoria não identificada (anônimos), desde que não exponham ou citem nomes de pessoas ou instituições de formas pejorativa, caluniosa, injuriosa ou difamatória e mesmo que sejam expostos de forma subliminar ou velada.

Durante o período eleitoral, não serão publicados comentários que citem nomes de candidatos, nem de forma elogiosa, nem crítica.

Caso queira postar uma denúncia, é necessária a identificação do autor (nome completo e e-mail para contato), para que o comentário seja validado. Caso não possa se expor, envie um e-mail para a editoria (contatoitafq@yahoo.com.br), para que a denúncia seja apurada e certificarmos que há condições legais e justas para pautarmos uma postagem.

EM FASE EXPERIMENTAL: Os interessados que tiverem conta no Facebook e que não queiram seus comentários submetidos à moderação podem solicitar as suas inclusões no grupo de discussões "Filhos das Minas", ou, caso já seja participante dele, basta postar seu comentário diretamente no Facebook.