Who's amoung us?

quinta-feira, 25 de abril de 2013

PÁ E BOLA

OS 100 DIAS DE SÃO GONÇALO

Quase no final de abril e uns 15 dias depois que o Filhos das Minas levantou os feitos das administrações municipais da região, tendo observado que São Gonçalo não avançou como deveria, eis que chega às nossas mãos o novo jornal oficial da prefeitura (house organ), desta vez chamado de "Folha de São Gonçalo". 

A vantagem de mudar o nome do jornal oficial é que os leitores, muitas das vezes, não dão conta que trata-se de um jornal oficial e não de um órgão independente falando bem da administração.

O exemplar que chegou às minhas mãos, com os tais "100 dias de muito trabalho", faltou uma folha. Mas nas demais e na capa, não deixou dúvidas que os tais "trabalhos" não passaram da continuidade das obras do governo anterior e do varejinho das ações ordinárias, como quantitativos de licitações, atendimentos de refeições, de pacientes da saúde etc. Tal e qual o levantamento divulgado em Santa Bárbara.


MANOBRAS PARA O CASO DE CASSAÇÃO

Na terça-feira passada, o Juiz José Afonso Neto intimou os advogados do Buzica para que eles apresentassem as respostas aos "agravos retidos" apresentados pelos advogados da coligação do Antônio Carlos Bicalho e manteve a data das duas primeiras audiências.

Agravo retido é uma manobra jurídica contendo recurso de defesa pós sentença da primeira instância e que só são levados em conta pelo Tribunal, caso os réus percam e antes mesmo do recurso de apelação, segundo nos informou o advogado Jerônimo em um comentário ontem. 

Paralelamente, soubemos que ontem os governistas se reuniram na fazenda da presidente da câmara Luciana Bicalho (PDT). Ela é prima do Antônio Carlos e pode vir a ser prefeita da cidade até que ocorram as eleições, caso o primo seja cassado. Quem sabe já não foi uma reunião para se apresentar como pré-candidata da situação, para reafirmar os compromissos com os partidos coligados e redefinir um "plano B"?

Ao que parece, os governistas de São Gonçalo contam mesmo com a cassação. 


GREVE DOS SERVIDORES EM ITABIRA

O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Itabira (Sindsepmi) declarou estado de greve a partir de amanhã, 26 de abril. Assim sendo, eles rejeitaram a proposta do governo que ofereceu 10% de aumento salarial neste ano e os outros 13,82% para os próximos anos, dentre outras vantagens oferecidas (clique aqui para rever e aqui para saber das recentes negociações). 

Pelo que defendem, realmente, há esta perda salarial acumulada, principalmente de origem da gestão anterior, do João Izael Querino Coelho (PP), que chegou a dar 0% de aumento em dois anos. Entretanto, a queda de braço se dá porque o atual governo do Damon de Sena, apesar de ter se posicionado sensível à perda, entende que não tem como repor toda a diferença de uma só vez e logo no primeiros meses de mandato.


EFEITOS DA GREVE

Pelo que se pode pressentir, vem aí um dissídio, no qual o Juiz definirá qual reajuste final a ser dado. Daí, pode ser que os servidores consigam mais, bem como pode ser que consigam só a reposição da inflação (em torno dos 6%), ou até nenhum índice, fazendo com que a prefeitura economize alguns bons milhões de reais.

Num encontro com Damon de Sena (PV) ontem, prefeito de Itabira, para tratarmos de outros assuntos da TV Cultura, ele se mostrou tranquilo, comprometido com a causa, mas firme no entendimento dos limites da prefeitura, cujos programas e projetos não podem ser esquecidos.

Os serviços essenciais, como saúde, limpeza urbana e coleta de lixo serão mantidos via escala a ser definida pela comissão do Sindicato, conforme prevê a lei.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

São aceitos comentários com autoria não identificada (anônimos), desde que não exponham ou citem nomes de pessoas ou instituições de formas pejorativa, caluniosa, injuriosa ou difamatória e mesmo que sejam expostos de forma subliminar ou velada.

Durante o período eleitoral, não serão publicados comentários que citem nomes de candidatos, nem de forma elogiosa, nem crítica.

Caso queira postar uma denúncia, é necessária a identificação do autor (nome completo e e-mail para contato), para que o comentário seja validado. Caso não possa se expor, envie um e-mail para a editoria (contatoitafq@yahoo.com.br), para que a denúncia seja apurada e certificarmos que há condições legais e justas para pautarmos uma postagem.

EM FASE EXPERIMENTAL: Os interessados que tiverem conta no Facebook e que não queiram seus comentários submetidos à moderação podem solicitar as suas inclusões no grupo de discussões "Filhos das Minas", ou, caso já seja participante dele, basta postar seu comentário diretamente no Facebook.