Who's amoung us?

quinta-feira, 9 de maio de 2013

SABOTAGEM

(Itabira)



Segundo o boletim de ocorrência número M1508-2013-0018596, por volta das 10:25 horas do dia 3 (sexta-feira passada), a Polícia Militar e alguns chefes do Saae-Itabira flagraram uma bomba de 400 cavalos "fechada" na Estação de Tratamento de Água dos Gatos, que é responsável pelo abastecimento de 15 bairros da Itabira e dos 2 hospitais (Nossa Senhora das Dores e Carlos Chagas). Com o fechamento forçado, segundo o solicitante da ocorrência, houve desgaste no motor, por ter operado com capacidade abaixo do normal.

O funcionário de plantão e responsável pelo monitoramento confirmou que ele diminuiu o fornecimento de água para "fortalecer o movimento grevista dos funcionários públicos de Itabira", a pedido da presidente do Sindicato dos Servidores Públicos, Priscila Miranda.

No grupo "Opinião de Itabirano" do Facebook, simpatizantes da greve dos servidores, conhecidos e amigos da presidente do Sindicato se recusavam de acreditar que ela teria dado a absurda orientação.

Fizemos contato com a Priscila Miranda ontem pelo Facebook dela (inbox), às 10:22 da manhã, mas até o fechamento desta publicação, não obtivemos resposta para que ela se defendesse. Para o portal da Defato Online, "a presidente do sindicato não negou e nem confirmou o que disse o funcionário do Saae. A sindicalista apenas disse que não iria se pronunciar sobre o assunto porque não teve acesso ao boletim de ocorrência, para saber exatamente o que foi relatado".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

São aceitos comentários com autoria não identificada (anônimos), desde que não exponham ou citem nomes de pessoas ou instituições de formas pejorativa, caluniosa, injuriosa ou difamatória e mesmo que sejam expostos de forma subliminar ou velada.

Durante o período eleitoral, não serão publicados comentários que citem nomes de candidatos, nem de forma elogiosa, nem crítica.

Caso queira postar uma denúncia, é necessária a identificação do autor (nome completo e e-mail para contato), para que o comentário seja validado. Caso não possa se expor, envie um e-mail para a editoria (contatoitafq@yahoo.com.br), para que a denúncia seja apurada e certificarmos que há condições legais e justas para pautarmos uma postagem.

EM FASE EXPERIMENTAL: Os interessados que tiverem conta no Facebook e que não queiram seus comentários submetidos à moderação podem solicitar as suas inclusões no grupo de discussões "Filhos das Minas", ou, caso já seja participante dele, basta postar seu comentário diretamente no Facebook.