Who's amoung us?

segunda-feira, 18 de abril de 2011

CARACAS!!!

Puxa vida! Veja só esta notícia estarrecedora.



"Caro amigo Fernando Martins.
 
Venho por esse realizar meu desabafo, mesmo sabendo que vou continuar-me sentindo  a consciencia pesada devido a minha omissão.

 Quando inaugraram a concha acustica no Pico do Amor estive no local para conhecer mais detalhes da obra. 
Confesso que não agradei nada daquela intervenção naquele local que eu considerava que deveria permanecer intocável.
Mas o que mais me chamou a atenção foi justamente a falta de segurança no palco.
Apesar de amplo e com design arrojado, ao fundo possui apenas uma mureta de +/- 1 metro de altura , separando um fosso de 4 metros.
  Na época cheguei a comentar com minha esposa sobre o risco que a área oferecia e se ninguém havia percebido o problema.
    Ontem por volta do meio dia , ao dirigir-me a Copervale, deparei com a viatura do SAMU dirigindo-se ao memorial.
 Cheguei a comentar com funcionarios do estabelecimento comercial sobre risco que o Palco oferecia,  e voltei em direção a minha casa torcendo para ser apenas um caso corriqueiro nas dependencias do memorial.  
 A poucos instantes tive a infelicidade de saber sobre o acidente que vitimou  Lucas Cleidson Gonzaga de oito anos de idade.
 Ele sofreu TCE grave ao cair da  mureta ao fundo do Palco da concha acústica. Exatamente da maneira que eu havia previsto.
 Poder-se-ia dizer que foi omissão de minha parte, sim talvez eu tivesse alertado os caciques da Fundação Cultural ou PMI sobre o risco naquele local ermo, onde é impossível apenas um servidor municipal fiscalizar o transito de pessoas em vasta área.
Com certeza eles não me dariam ouvidos , pois sou "Persona Non Grata" , após minha  exoneração da Fundação Cultural  por motivos políticos  após as eleições municipais.
Minha indignação é :
 - Como o Corpo de Bombeiros liberou a obra dessa maneira ?
 - Será algum Engenheiro de Segurança da PMI não atentou para o risco iminente ?
 Eu tinha convicção que isso poder-se-ia acontecer!
Agora só peço a Deus para que o menino Lucas se recupere bem e que as autoridades corrijam essa grave falha.
 
Aloisio R. A. Junior"


Na sexta-feira passada, almoçava num restaurante de São Gonçalo, quando um amigo me lembrou que estas intervenções no Parque custaram cerca de 7 milhões de reais dos cofres públicos e que muito pouco ou nada fora feito, com destaque, pelo que se viu, para uma passarela construída com eucalipto e aço, a tal concha acústica e pequenas intervenções numas trilhas nativas.

Está aí a pergunta que não quer calar: o que foi realmente feito e quanto custou a obra? Cadê os vereadores e o que apuraram? 


Leiam mais na Defato Online e Via Comercial. Procuramos, também, no portal Notícias Uai e não encontramos nenhuma informação.

5 comentários:

  1. Em 26 de agosto de 2010 postei o seguinte comentário a respeito da Concha:"Para quem trabalha com sonorização aquele lugar é um Deus nos acuda. O acesso é ridículo, o artista que ali for fazer um espetáculo tem de caminhar e muito, pois o lugar não oferece condições de veiculos chegarem até lá. Imagine, caixas de som com 120 Kilos as vezes são carregadas pelos coitados dos técnicos porque o Grupão pensou na beleza mas não na logistica. Aquele equipamento todo foi colocado a duras penas por causa dessa retrograda administração. Só quem trabalha com som e luz sabe como é péssimo aquele lugar, sem levar em conta a caminhada que o pobre coitado do artista tem de fazer para chegar ao local... Ridículo... fora isso, o resto é legal!!!.
    Hoje, com esse acidente percebo que não atentei para outros detalhes e apenas para o aspecto logistico do local. Triste isso. Vamos esperar para ver quantos orgãos da imprensa irão noticiar o ocorrido.

    ResponderExcluir
  2. Caro Aloisio,respeito o seu posicionamento com relação a intervenção no local que foi construida a Concha Acústica no Pico do Amor, no Parque Municipal da Mata do Intelecto, que você considera que deveria permanecer intocável, também lamento sinceramente o acidente que vitimou o garoto Lucas e peço a Deus que ele recupere o mais rápido possivel, ´concordo e tento motivar outras pessoas à participar, apresentar sugestões e opinar em questões que envolvem o interesse coletivo. Nas não poderia deixar de omitir informação aos leitores desse bloque. O projeto da Concha Acustica que está incluso no Parque Municipal foi uma obra idealizada e criada na gestão do Secretário Municipal de Meio Ambiente Hamilton da Penha Lage e Silva e que por sua vez era o Presidente do Conselho Municipal de Meio Ambiente de Itabira (CODEMA), e o assunto a respeito da construção e aprovação do projeto foi discutido por meses nas reuniões do Codema, que tem como membros vários segmentos organizados da nossa sociedade, incluve eu, representando o Interesses dos moradores de Itabira (Interassocição) e por diversas vezes convidei a comunidade para participar das discursões e opinar sobre o projeto. Confesso que não lembro de nenhuma manifestação popular contraria a respeito do projeto. Portanto o Parque foi aprovado com anuencia e consentimento da propria população de Itabira Atenciosamente Francisco Carlos

    ResponderExcluir
  3. Aloiso R. A. Junior20 de abril de 2011 01:06

    Caro amigo Francisco Carlos.
    Obrigado pelo interesse ao tema e lameto que tenha se ofendido com meu ato.
    Gostaria apenas de esclarecer meu ponto de vista.
    Aproveito para salientar que antes da idealização do Parque Municipal pelo secretario Hamilton Lage. O governo Lí já tinha um projeto para aquele local com uma área abrangendo mais de 2.500m2.
    Quando escrevi que o Pico do Amor deveria permanecer "intocável", é compreensível que haja discordancia, pois somente quem nasceu ou cresceu no bairro Campestre pode compreender-me.
    Somente pode compreender, quem quando criança, viu a procissão de gente humilde subir a avenida Caue para depositar água e preces aos pés do Cruzeiro pedindo a Deus Chuva ou que
    ainda moleque jogou bola no campinho da Esplanada.
    Somente pode compreender, quem foi adolescente e nas noites de inverno cantou Legião Urbana e The Cure no bosque(hoje Memorial CDA)tendo como companhia , além de amigos, um cobertor, uma garrafa de vinho, a lua cheia e/ou o FOG.
    Somente pode compreender, quem no Pico do Amor viu a Lua cheia nascer no Pontal, ou na Sexta feira da Paixão viu o rio de luz subir em direção a igrejinha do Campestre.
    E hoje ???
    Temos somente obras faraonicas,telas e um potão ferindo a natureza, restringindo o acesso e neutralizando toda a magia que inspirou até Drummond.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Eu cantei Legião Urbana lá... Hoje tem um memorial que não está na memória de ninguém, pois ninguém lembra daquilo, pois aquilo é administrado por um zé ninguém e esse zé ninguém trata o povo como uma turma de zé ninguém e nos, com a inteligência de um zé ninguém, aplaudimos esse zé ninguém.

    ResponderExcluir

São aceitos comentários com autoria não identificada (anônimos), desde que não exponham ou citem nomes de pessoas ou instituições de formas pejorativa, caluniosa, injuriosa ou difamatória e mesmo que sejam expostos de forma subliminar ou velada.

Durante o período eleitoral, não serão publicados comentários que citem nomes de candidatos, nem de forma elogiosa, nem crítica.

Caso queira postar uma denúncia, é necessária a identificação do autor (nome completo e e-mail para contato), para que o comentário seja validado. Caso não possa se expor, envie um e-mail para a editoria (contatoitafq@yahoo.com.br), para que a denúncia seja apurada e certificarmos que há condições legais e justas para pautarmos uma postagem.

EM FASE EXPERIMENTAL: Os interessados que tiverem conta no Facebook e que não queiram seus comentários submetidos à moderação podem solicitar as suas inclusões no grupo de discussões "Filhos das Minas", ou, caso já seja participante dele, basta postar seu comentário diretamente no Facebook.