Who's amoung us?

quinta-feira, 7 de abril de 2011

LOGO ALÍ


2030. Parece distante. Mas não é. Há bem pouco tempo, outro dia mesmo, havia entrado na faculdade. Mal percebi, foram-se os anos, foram-se os colegas. Outro dia mesmo, meu filho brincava e nos fazia rir até ficarmos moles, de tanta bobeira, ao vê-lo, bebê, enfrentando a gélida água de uma ducha, na área de seus avôs. Passaram-se uns 15 anos, numa velocidade hipnotizante.

Hoje, abro o Diário de Itabira, com a seguinte manchete: "Estudo do Igam revela falta de água em Itabira a partir de 2030". A fria afirmação veio do gerente de cobrança pelo uso da água do Instituto Mineiro de Gestão das Águas, Túlio Bahia Alves.

Como documentarista, tive a oportunidade de registrar, em dois documentários produzidos para o Saae/Itabira, as limitações de água para abastecimento da sede do município, em 1991 e 1993. Como podem ver, há 20 anos atrás já convivíamos com estes problemas. O manancial do ribeirão da Pureza, há décadas, nos meses de estiagem, tem suas águas todas desviadas para o abastecimento público. O que é ilegal e deixa o meio ambiente, à juzante da captação, sem nem uma gota de água.

Em dezembro, passamos a pagar as contas de água com 33,15% de reajuste, em parte, pelos altos custos de bombeamento e tratamento. Não bastasse isso, sobram irresponsabilidades dos gestores no correto saneamento dos custos, por meio de apadrinhamentos e autarquia com gente saindo pelas janelas.

Escassez de água e recursos jogados nos ralos. Até quando o pacífico e besta povo itabirano vai continuar dormindo acordado?

Eta vida besta, meu Deus.

4 comentários:

  1. Vivemos numa cidade de ilusões, sem projeto para sobrevivermos sem água e sem dinheiro da mineração. Falar que o minério não acabará tão cedo, é pensar curto demais, como se o tempo de uma cidade tivesse que ser igual ao tempo de vida de uma geração.

    Os projetos dos políticos são de curtíssimos prazos, de carater essencialmente pessoais. Constroem-se prédios por aqui e ali, vendem-se unidades a preços de ouro, pôem-se o dinheiro no bolso e bye-bye.

    São comportamentos típicos de garimpeiros inescrupulosos, quem parecem entranhados no DNA itabirano.

    E o último que sair, que apague a luz.

    ResponderExcluir
  2. Deve de ser exesso de mercúrio no celebro que deixam todo mundo com cabeça de Alice no pais das Maravilha. tÔ DOIDO! TÔ DOIDO!!!

    HUAAHHAAA HHUUUAAAAHHAHAHAHAA

    ResponderExcluir
  3. Alguém poderia me explicar por que vai faltar água em Itabira? Num entendi nadica de nada... Tem motivo???

    ResponderExcluir
  4. Quem bebeu ou está bebendo toda a água de Itabira? Me explique... me ajude João Gangorra!!!

    ResponderExcluir

São aceitos comentários com autoria não identificada (anônimos), desde que não exponham ou citem nomes de pessoas ou instituições de formas pejorativa, caluniosa, injuriosa ou difamatória e mesmo que sejam expostos de forma subliminar ou velada.

Durante o período eleitoral, não serão publicados comentários que citem nomes de candidatos, nem de forma elogiosa, nem crítica.

Caso queira postar uma denúncia, é necessária a identificação do autor (nome completo e e-mail para contato), para que o comentário seja validado. Caso não possa se expor, envie um e-mail para a editoria (contatoitafq@yahoo.com.br), para que a denúncia seja apurada e certificarmos que há condições legais e justas para pautarmos uma postagem.

EM FASE EXPERIMENTAL: Os interessados que tiverem conta no Facebook e que não queiram seus comentários submetidos à moderação podem solicitar as suas inclusões no grupo de discussões "Filhos das Minas", ou, caso já seja participante dele, basta postar seu comentário diretamente no Facebook.