Who's amoung us?

quarta-feira, 6 de abril de 2011

CAINDO NO CONCEITO

A ERA (JÁ ERA) ITAMAR
Umas das piores gestões do governo mineiro que vi foi, sem dúvida alguma, a do Itamar Franco. Na ocasião, para piorar os desmandos, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso cortou recursos, após uma queda de braços com o ranhento ex-governador, que podia até lá ter suas razões. Foram quatro longos anos de paradeiro, de retrocesso, de esquecimento. Engraçado é que devem-se à ele e ao Fernando Henrique os créditos iniciais pela estabilidade econômica brasileira, por terem criado o plano Real.

Itamar foi péssimo, permitiu que a máquina pública permanecesse inchada, praticamente não realizou obras, não inovou e dobrou a dívida do estado. Itamar é démodé. Para piorar, usou e abusou dos recursos oficiais de comunicação para autopromoção. A Rede Minas manteve a pior linha editorial já vista, extremamente chapa-branca. Ele bem que tentou convencer, mas não conseguiu.

 

A ERA AÉCIO NEVES

Então, chega ao estado o neto do ex-presidente Tancredo Neves, o Aécio Neves-PSDB. 

Logo que entrou, promoveu um profundo choque de gestão, deu exemplos ao doar parte de seus salários (como fez o Li), cortou custos, fez funcionar nova política fiscal e, como resultados, obras por todos os lados, o  programa de asfaltamentos de estradas esquecidas, como a Itabira-Nova Era, Itabira-João Monlevade e por todo o estado afora. 

Nunca se viu tantos investimentos na modernização dos equipamentos públicos estaduais. Lembro-me que, certa vez, ele fechou a Avenida Daniel Grisolia com dezenas de novas viaturas e ambulâncias para serem entregues às cidades vizinhas. O programa Olho Vivo, no qual instalou câmeras de segurança nas principais vias de Itabira, também, veio do governo dele. 

A seu lado, como braço direito, uma revelação em gestão pública: Antônio Anastasia.

A ERA ANASTASIA

Ainda está, relativamente, cedo para avaliarmos o Anastasia. Ele tem tudo para até mesmo superar o Aécio Neves. Tem excelente formação acadêmica, é inteligente, dedicado e parece ser firme. Tem ainda a sorte de pegar o estado de Minas mais saneado e de contar com a fundamental experiência prévia adquirida no governo do ex-chefe, Aécio Neves.

SALTO MORTAL

Quando assistimos as aproximações de alguns péssimos exemplos da política itabirana, coladas nas boas imagens do Aécio e do Anastasia, chegando carregados de fortíssimos indícios de corrupção; de se autopromoverem com apoio de pseudoimprensa, suja e marrom; completamente decadentes;  que não cumpriram com suas obrigações; imaginei... Coitados, eles não devem saber o que está acontecendo na cidade e quem são essas pessoas. 

Na campanha passada, eis que renasce o Itamar, também, coladinho no Santo Aécio, ambos candidatos ao Senado. E foram eleitos. Sucesso? Vamos aguardar... pensei. Não queria ser preconceituoso.

Dias atrás, aqui mesmo neste blogue, havíamos elogiado a recepção calorosa que o Anastasia deu à presidente Dilma (clique aqui para ler). 

Dias depois, Aécio muda o rumo e começa a descer do salto, começando um mergulho rumo à decadência. O que mais lhe rendeu prestígio, que fora a sua postura ética e serena, conforme acreditava, foi trocada por tentativas de chamar a atenção para si, por meio da desconstrução da imagem alheia. Aécio Neves dedicou o programa da Rede Itatiaia, para descer o cacete no governo Dilma Rousseff, estratégia semelhante adotada, sem sucesso, pelo Itamar e pelos companheiros(?) itabiranos nas campanhas locais. Notícia que acabou reverberando em alguns jornais mineiros, mas fazendo feio. Não ouvi, em momento algum, o direito de defesa da Dilma, que não foi ouvida e não foi defendida por quem quer que fosse na edição do programa da Rede Itatiaia.

CARACAS, NÃO SABIA...

Curioso em saber quem está na presidência da Rádio Itatiaia, recorri ao Santo Google, com a seguinte expressão para consulta: "governo nomeia presidente da rádio itatiaia". Eis que retorna, como primeiro link de página: Documentário: Como Aécio Neves (PSDB/MG) perseguia os jornalistas (clique aqui para assistir).

Assisti ao vídeo e fiquei decepcionado.

É... mesmo sendo grato ao seu governo, ficou difícil permanecer como defensor do Aécio e como eleitor dele... Fiquei reparando com quem eles têm andado e lembrei-me do que minha mãe sempre disse: "Diga-me com quem andas, que direi quem tu és". Será que um dia conseguirei acreditar nele e no Anastasia de novo?

Paro por aqui, sem graça e sem estímulos.

3 comentários:

  1. Bão mesmo é o Pimentel envolvido no mensalão? ah Fernando me poupe. Vamos parar de hipocrisia e vamos olhar pra frente. O Aécio ta fazendo o papel dele: Oposição. O mesmo que você faz com o governo municipal, ou seja exercer a democracia. E só.

    ResponderExcluir
  2. é... tem razão. Tá difícil mesmo acreditar em políticos.

    Quanto a eu ser oposição, só uma correção. Não me oponho aos partidos. Já disse aqui e reintero, me oponho ao modelo com apadrinhamentos, aos indícios de corrupção e aos demandos do grupão. Pessoalmente, não tenho nada contra nenhum deles. Já ideologicamente, questiono até a morte.

    Não sou pré-candidato a nada e nem a nenhum cargo executivo de assessoria ou o que quer que seja. Portanto, não posso ser enquadrado como "oposição" no sentido que sugeriu. Certo?

    ResponderExcluir
  3. Quem disse q o Pimentel estava envolvido no mensalão? E já que falamos nele, cabe lembra q respingou em muita gente... E o Eduardo Azeredo?
    Pergunte aos professores da rede estadual a opinião deles acerca do governo do PSBD... Pergunte aos belorizontinos sobre a gestão do Pimentel... A questão não é fazer o papel da oposição ou situação, mas ser coerente com os princípios que norteiam a nossa vida e a nossa política!

    ResponderExcluir

São aceitos comentários com autoria não identificada (anônimos), desde que não exponham ou citem nomes de pessoas ou instituições de formas pejorativa, caluniosa, injuriosa ou difamatória e mesmo que sejam expostos de forma subliminar ou velada.

Durante o período eleitoral, não serão publicados comentários que citem nomes de candidatos, nem de forma elogiosa, nem crítica.

Caso queira postar uma denúncia, é necessária a identificação do autor (nome completo e e-mail para contato), para que o comentário seja validado. Caso não possa se expor, envie um e-mail para a editoria (contatoitafq@yahoo.com.br), para que a denúncia seja apurada e certificarmos que há condições legais e justas para pautarmos uma postagem.

EM FASE EXPERIMENTAL: Os interessados que tiverem conta no Facebook e que não queiram seus comentários submetidos à moderação podem solicitar as suas inclusões no grupo de discussões "Filhos das Minas", ou, caso já seja participante dele, basta postar seu comentário diretamente no Facebook.